Sociedade

TVS voltou a cair

As emissões da TVS foram aos soluços na noite de quinta – feira.  Caia constantemente e recuperava,  até que por volta das 21 horas teve a última queda. O público teve que recorrer aos canais alterativos, RTP-África ou TV5 Monde. Note-se que há alguns dias, não houve emissão da TVS, alegadamente por problemas técnicos nos emissores.

Numa intervenção pública o Secretário de Estado Adjunto do Primeiro Ministro para a Comunicação Social, Adelino Lucas, alertou o país sobre a pesada burocracia do Departamento do Tesouro do Estado, que tem dificultado o desbloqueamento urgente de verbas para atender aos problemas técnicos nos emissores da TVS e da Rádio Nacional. ««Há uma proposta urgente que foi remetida as finanças e foi devolvida. Porque há um conjunto de formalidades que devem ser cumpridas. E é um documento que já tinha sido autorizado pelo Ministro do Plano e Finanças, mas foi devolvido pela direcção do tesouro. Vamos ter que esperar para se realizar todos esses aspectos burocráticos, refazer tudo, e enquanto isso os serviços vão estar bloqueados e os utentes com a vida comprometida», declaração de Adelino Lucas, na semana passada.

Abel Veiga

    21 comentários

21 comentários

  1. Tudo o vento levou

    7 de Março de 2014 as 9:49

    nao venham dizer que por causa do ADI
    e o pt a tvs tem sido espremental vida interna

    • amadeu

      8 de Março de 2014 as 13:56

      É so mais um ato de sabotagem kkkkkkk

  2. Humberto Coelho

    7 de Março de 2014 as 10:01

    Se o Secretário de estado que é membro do Governo disse isso, então isto é de felicitar. Significa dizer que uma coisa é estar no governo outra coisa é querer ver os serv iços a funcionarem, doam a quem doer.
    Na verdade fazer funcionar uma estação de televisão não se compadece com as migalhas que são atribuidas a comunicação social em cada orçamento de estado que se aprova, é preciso muito mais é preciso alguma independencia senão mesmo autonomia administrativa e financeira. Basta ter o exemplo de como melhorou a televisão e radio de Cabo Verde. Fiquei feliz ao saber que um passo já foi dado no sentido da comunicação social vir a minimizar seus problemas com a aprovação do decreto que autoriza a cobrança de taxas de radio e de televisão. Muito bem e meus parabens ao Gabi por ter coragem de assumir isto.
    Todavia, os problemas da TVS têm que ser resolvidos urgentemente, o Governo é quem governa, o governo é quem está com a m ão na massa poranto, tem que se resolver o problema. Que a Direcção da TVS seja de facto mais agil também e deixar de anunciar apenas suspensão de emissão.

    • Manuel

      7 de Março de 2014 as 15:27

      Por ano o Sr paga alguma taxa para o efeito?

      • Zeca

        9 de Março de 2014 as 8:36

        Pagar taxa porquê? Eu não vejo as emissões da tvs. Transformem a tvs em televisão a cabo que só tem acesso quem paga as mensalidades.

  3. meu namorado

    7 de Março de 2014 as 10:20

    São tantos problemas assolando STP que até da vergonha. Tanto dinheiro extra para vossas quintas mas resolução de certos problemas simplesmente é adiado

  4. zeme Almeida

    7 de Março de 2014 as 12:57

    Enfim!…Tantas trapalhadas neste governo da troica do Pinto da Costa,nao se esperava outra coisa?…

  5. “Artigo 122.º – Decisões dos tribunais”

    7 de Março de 2014 as 13:40

    A RTP deve assumir as suas responsabilidades de apoios a TVS, já que somos forçados a transmitir todos os joguitos de Futebol de Portugal em detrimento até do nosso Telejonal que em qualquer parte do mundo tem “soberania” horária.

    • Vava

      7 de Março de 2014 as 23:15

      Forçados, nem sabia isso.

    • Justo Ajustado

      9 de Março de 2014 as 16:48

      Forçados? Andamos a roubar as transmissões se pagar nada. Isto sim. Espera para ver um dia que regularem o mercado das televisões para veres como será. Felizmente a conjuntura da protecção dos direitos de transmissões ainda nos favorece ver filmes recem entrados no cinema, novelas, jogos,etc, sem pagar nada. Mas meu caro, temo informar-lhe que num mercado organizado isto jamais seria possível. Por isso prepara-te porque quando vierem as TVs por cabo elas vão acabar com isto.

  6. malebobo

    7 de Março de 2014 as 14:34

    pais que temos, viva republica das bananas

  7. nilton carvalho

    7 de Março de 2014 as 19:47

    Com tudo isso que acontece,e tem acontecido o pais tem recebido apoios de dinheiro em nome de ajuda e desenvolvimento de sao tome e principe e do seu povo.

  8. Leve Leve

    8 de Março de 2014 as 5:05

    Porque razao tudo em STP deve ser resolvido pelo governo ou presidente da republica ou partidos politicos? Onde esta a iniciativa individual ou collectiva? Nao existe menhum lugar no pais para promocao do pensamento critico e a creatividade?

  9. manuel soares

    8 de Março de 2014 as 6:51

    Bom dia , tudo isto terá que ser resolvido com um debate alargado, talvés um diálogo nacional sobre a comunicação social em STP

    • Zeca

      9 de Março de 2014 as 8:38

      Deixa de bôbo rapaz.

  10. Maracuja

    8 de Março de 2014 as 14:39

    TVS, é uma televisão caída a muito tempo, só que a população ainda não entendeu.

  11. rs10

    8 de Março de 2014 as 20:34

    Esse país ainda vai comprar mtos carros e, dos bons, para os milhões de gabinetes necessários à “boa organização e desenvolvimento da nação”(alguns gajos) mas, a TVS continuará com esses problemas.
    Como aqui as coisas só “dão jeito” com a greve, então, acho que a população deveria fazer “GREVE” em assistir às emissões da TVS.

  12. HBD-"Boa-Vida"

    10 de Março de 2014 as 9:17

    Problema é que TVS tá com gente há mais.
    Muito vadio tá lá nesta TVS.
    Biscato só.Vender imagem de TVS e mais nada.
    Lé dentro de TVS tem várias empresas que concorrem com TVS.
    Como aquilo avança.Roba imagem só para venderem.

  13. Sousa Sintra

    10 de Março de 2014 as 9:20

    Não sejamos ingratos para conosco proprios. A Comunicação Social tem conhecido melhorias sim. Devemos dar força aos jornalistas e técnicos da imprensq que apesar de fracos recursos produzem alguma coisa. Devemos apoiar e ajudar a melhorar e não sermos uns eternos pessimistas que apenas desistimulam em vez de estimular.
    Disse!

  14. wadimilson

    10 de Março de 2014 as 15:09

    ja é de mais sempre s.tomé tem um problema e que as autoridades não consegue resolver a tempo , eu , por mim só ha uma coisa que podião faser ou mudão os politicos , ou vende a emissorá ou por uotro lado fecha … jajajajajajaj éééééééé dedededed mais mais mais mais …

  15. SAFÚ

    11 de Março de 2014 as 8:44

    Meus amigos
    Há três problemas com a nossa TVS:
    1.º O modelo de Gestão;
    2.º Pouco incentivo (baixo salário);
    3.º Falta de ambição;
    Relativamente ao primeiro ponto, quero vos dizer que em quase todas as Tvs no mundo, o modelo de gestão existente consiste num modelo com toda autonomia financeira, administrativa e até de linha editorial, partindo de princípio que os jornalistas e os profissionais da estação exercem o seu papel com brio, profissionalismo, isenção, dinamismo, imaginação e ambição. Entendo que para os sucessivos governos, este modelo não lhes convém, até porque considerando a televisão, um sector importante onde os cidadãos podem participar vivamente no exercício da sua cidadania, isto seria uma “afronta” para os governos.
    Na minha opinião, é o modelo mais adequado. Sendo a TVS, uma empresa pública, resolveria certamente o problema de baixo salário dos profissionais, a qualidade dos profissionais seria mais exigente e daí, uma TV mais competitiva e com qualidade.
    Fala-se de pagamento de taxa e inclusão da TVS através de cabo. Isso parece ilusão. Um telespectador só pagaria algo se este oferecesse alguma qualidade. A TVS está muito longe de fazer parte do pacote de serviços cabo e isso não se discute. Ela deve abandonar o sinal analógico para o digital, deve formar, reformar e voltar a recrutar todos os jornalistas, deve ter um centro de produção com qualidade e produzir reportagens, documentários, etc com qualidade que o mercado de audiovisual moderno impõe.
    A falta de ambição de jornalistas e profissionais vê-se logo nos ecrãs dos nossas tv. E tudo isso é falta de incentivos, exigência e cegueira à qualidade.
    Por exemplo: A TVS produz publicidades e sem qualidade, porquê? Porque preferem fazê-lo independentemente de ter qualidade ou não. São os jornalistas que fazem a voz (situação aberrante) e o pessoal aí ganha (alguma coisa). Não vou entrar em pormenor quanto a “empresas” existentes dentro da TVS, porque não conheço bem a veracidade dos factos, mas enquanto telespectador venho acompanhando a TVS desde a TVE (televisão experimental).
    É necessário que o governo se assim quiser, investa tanto na tv como na rádio.
    Adquirir equipamentos novos e modernos;
    Adoptar um modelo de gestão eficiente implementando a avaliação de desempenho e aposta na qualidade e competitividade com uma visão de mercado concorrencial;

    Reestruração de recursos humanos (Recrutar, reformar e capacitar todos os agentes deste sector;

    Tercerizar (outsourcing) alguns serviços como a publicidade;

    Reforçar um centro de produção com qualidade;

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo