Sociedade

Mulheres recordaram figuras que marcaram a sociedade

A poetisa Alda do Espírito Santo e Fernanda Margato primeira mulher a exercer as funções de Presidente de uma Câmara Distrital, foram recordadas pela OMSTP e não só, nas celebrações do dia internacional das mulheres.

Maria Luísa, mulher da OMSTP disse que Fernanda Margato, vulgo Dedinha, foi grande combatente que sempre deu a sua contribuição e não tinha inimigos porque a sua simpatia fazia amizade e paz mesmo no seio da oposição.

Ela institucionalizou a festa de São Pedro em 1993 que é a alegria desta cidade, sem falar da Construção do Cemitério de Gonga e a Escola Básica da Vila Fernanda. « A Dedinha não morreu; São Tomé e Príncipe perdeu uma figura de relevo, Presidente da Camara de Agua Grande durante 13 anos com dedicação, brilhou a cidade», afirmou a mulher da OMSTP.

Nesta celebração mundial, a OMSTP/PSD, reuniu com as militantes na manhã de sábado; no Cinema Marcelo da Veiga, onde passaram em revista a vida quotidiana da mulher santomense e a sua participação na vida politica e no desenvolvimento do país.

No domingo de Manhã foram depositar uma coroa de flores na campa da Poetisa, Alda do Espirito Santo, no Cemitério de São João da Vargem. Ainda no sábado, Organização Sindical ONTSTP, realizou um almoço frente a sua Sede com as senhoras filiadas, enquanto o Instituto de igualdade de Genro organizou uma marcha pelas artérias da cidade capital iniciando na Praça de Alda Graça a frente da Escola da sua mãe Dona Maria de Jesus e terminou na Praça da Independência, com muita participação apesar do tempo chuvoso.

Nesta manifestação foi mencionado a situação triste do abuso do álcool no seio das mulheres e causando grandes danos a família santomense, principalmente para aquelas que são líder da família.

E lá também esperava pelas mulheres a surpresa do famoso e brilhante “ Bula uê Chão Chão” da cidade das Neves, que está agora no apogeu.

Os tambores do bulauê rufaram noite fora para celebrar pela 37ª vez o dia Mundial da mulher em São Tomé e no Príncipe.

Na ilha do Príncipe, o Governo Regional, concentrou a festa na antiga roça Nova Estrela na zona sul da ilha, com destaque para reflexões em torno da vida da mulher.

Inter Mamata

    2 comentários

2 comentários

  1. Jaca doxi

    10 de Março de 2014 as 8:38

    Honrem a memória destas cidadãs, mas sigam-lhes os exemplos. Elas tentaram unir as mulheres. A Dona Alda do Espírito Santo até criou o Fórum da Mulher que hoje está moribundo. É uma tristeza!
    Nos dias reservados às mulheres (19 de setembro e 8 de Março), façam um acto central único, trajem saia e kimone e não façam esta triste figura, com discursos de mulher de A; B; C; E…Unidas serão mais fortes.

  2. luisó

    10 de Março de 2014 as 15:26

    (…enquanto o Instituto de igualdade de Genro…)

    Por favor igualdade do género.
    Santa paciência, ponham alguém que saiba escrever…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo