Participação de São Tomé e Príncipe na Cimeira União Europeia – África

Ficou para trás o encontro euro-africano com 70 jovens provenientes de vários países, que debateram e prepararam um dossier que subiu a mesa da IV Cimeira da União Europeia-África em Bruxelas, com patrocínio especial da Juventude Pan-africana.

São Tomé e Príncipe, fez-se representar pelo Secretário-geral do Conselho Nacional da Juventude e também Assessor para Comunicação e Relações Publicas da União Pan-africana da Juventude para Africa Central, Wildiley Barroca.

Em declarações ao Téla Nón, disse que deu a conhecer o que se faz neste arquipélago e reconheceu esta Assembleia como oportunidade impar para se deixar ficar bem claro o ponto de vista a favor da juventude Santomense em termos da inovação tecnológica para enriquecer o quadro de nova dinâmica na vida quotidiana. « Este foi um desafio e uma oportunidade única de se criar sinergias com parcerias estratégicas entre a juventude de Europa e da nossa África gigante que pretende levantar e caminhar; como também ao mesmo tempo abrir as portas para um conjunto de facilidades que os jovens santomenses não beneficiam, quer sejam por falta de ignorância ou do conhecimento das mesmas oportunidades», afirmou o jovem Wildiley Barroca.

O jovem Barroca, defendeu categoricamente em Bruxelas que a presença da juventude santomense no seio da organização Pan-africana tem sido satisfatória porque tem abrido o caminho para o progresso de um futuro próximo para o mundo e apela o envolvimento dos jovens a apostarem na formação em línguas estrangeiras.

Esta terceira Cimeira, da Juventude para EU-Africa teve a presença do Presidente do Conselho Europeu, Herman Van Roumpuy, que prometeu aos jovens euro-africanos a promoção de empreendedorismo e a prioridade de uma aprovação ao nível dos Chefes de Estados e do Governo, sob o lema” Investir nos Povos na Prosperidade e na Paz”.

O Conselho Europeu, acredita que esta quarta Cimeira vai proporcionar uma oportunidade de parceria entre os dois continentes com especial atenção para o novo modelo de cooperação e explorar as áreas futuras.

Recorde-se que esta é a primeira participação do Conselho Nacional da Juventude, nesta Cimeira da Juventude Pan-Africana e a de União Europeia.

Inter Mamata

  1. img
    Mria Madre Deus Responder

    O vosso futuro é que está em jogo. Leram bem os documentos? Não assinaram documentos que põe em causa o futuro da África? Pediram aos europeus para deixarem de financiar convulsões nos países que deram sinais de desenvolvimento? Pediram os europeus para deixar-nos estabelecer os preços da nossa matéria prima como eles estabelecem preços dos seus produtos? Um dia que os africanos unirem para a prosperidade e paz, os africanos serão livres do malabarismo dos europeus.

  2. img
    Ma Fala Responder

    África gigante que pretende levantar e caminhar????
    jovens santomenses não beneficiam, quer sejam por falta de ignorância???
    Falacias poucos convicentes,dar cara e bom mas deve-se dar em momento oportunuo, falar bonito engradece o Homem mas nem todos estao aptos para isto.
    Desculpe pelas minhas apologias.

    • img
      Manuel Vicente Sousa Responder

      Essa é boa!! “… por falta de ignorância…”
      Existem incongruências que vão para além do mero lapso. Tanto quanto eu sei, somos ricos em ignorância. Temos alguns talentos. Mas pergunto, o que vale ter talento em terra onde o nepotismo se predomina, a onde não há oportunidades?

  3. img
    Aristides Barros Responder

    Claro que tem ABERTO o caminho para o progresso

  4. img
    Chingá Responder

    Disse o 1º ministro Gabriel Costa que, a margem da Cimeira União Europeia-África falou com os dirigentes da República de Malta, sobre a queixa de que é alvo o nosso país. Era bom que o Tela Non investigasse o caso, pois parece que boa coisa não é!

Deixe um comentario

*