Dificuldade dos emigrantes e estudantes para renovar passaportes tem solução

O Serviço de Migração e Fronteiras garante que está tecnologicamente preparado para ir a qualquer parte do mundo e fazer os passaportes para os cidadãos nacionais.

Raul Jorge Oliveira, assessor informático da instituição, relatou para o Téla Nón uma série de acções de assistência social que a equipa do serviço de migração e fronteiras tem realizado no país. Os cidadãos acamados ou com dificuldade em locomover-se, são atendidos no hospital ou nas suas residências. «Emitimos os passaportes no hospital central ou na casa dos cidadãos. Na  semana passada fomos a casa de um cidadão que vive no Kilombo e na casa do outro que vive em Lemos Cima», declarou.

Segundo o assessor informático do serviço de migração e fronteiras, tecnologicamente a instituição «está preparada para ir a qualquer parte do mundo e fazer os passaportes, seja na Rússia ou em qualquer parte do mundo», precisou.

Exatamente na Rússia um grupo de estudantes são-tomenses, corre o risco de ser deportado, porque os passaportes emitidos em 2008 e 2009 já caducaram. A notícia foi dada pelo Téla Nón em junho passado. Pelo facto dos passaportes estarem caducados, os estudantes são-tomenses na Rússia podem perder acesso a assistência médica.

As diligências feitas pelos familiares em São Tomé não resultaram. É preciso que venham ao país para conseguirem renovar os passaportes. Uma tarefa também quase impossível para os estudantes.

No entanto os serviços de migração e fronteiras, garantem que podem resolver o problema, basta haver decisão do Governo neste sentido. «Como diz o director do serviço de migração fronteiras, a nossa fronteira está até onde está o cidadão são-tomense. Nesse caso até a Rússia podemos lá ir e resolver o problema do cidadão. Desde que o Governo decida assim, iremos», sublinhou Raul Jorge Oliveira.

Segundo a migração e fronteiras, os custos com a deslocação resumem-se a um funcionário da instituição e o kit tecnológico.

Para além dos Estudantes são-tomenses na Rússia e noutros países que enfrentam dificuldades por causa da impossibilidade de actualizarem os passaportes, comunidades na diáspora principalmente nos países onde não há representação diplomática são-tomenses enfrentam o mesmo problema.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    Abgé Responder

    Senhor director deveria conter nas palavras ao dizer uma coisa dessa..
    Só gostaria saber quantos kit disso existem??!
    –”Nesse caso até a Rússia podemos lá ir e resolver o problema do cidadão. Desde que o Governo decida assim, iremos” … pois irão para boa vida..
    sabendo que cada passaporte tem seu tempo de validação, e todo canto do mundo existem santomenses, vais ter que viajar de uma lado para outro constantemente.

  2. img
    Didier Branco Responder

    Realmente com as novas tecnologias ja podemos fazer muito… Faltou neste artigo informar que também a Embaixada de São Tomé e Príncipe em Portugal esta pronta para realizar este acto, pois também possui um kit móvel que permite ir a qualquer lugar onde seja necessário.
    Temos de começar a apostar mais nas novas tecnologias para o desenvolvimento da país e nas capacidades nacionais!!!! Um país para todos!!!

  3. img
    Ma Fala Responder

    Meio palavriado desprovido de nexo ao ar, deixem de ser palhacos e nimadores social e poem-se ao lado da seriedade, porque o povo sabe que isto nao passa de fantoche , entao aonde ja se viu estudantes em risco de deportacao e o Governo virar as costas como que se fossem mendigos pedindo ajudas e agora este aventureiro vem dizer “basta governo querer e ate Russia vamos”? O governo tem que querer !
    Haja Paciencia!
    Sinceramente.

  4. img
    londres genuino Responder

    É mesmo essa evolução tecnológica que o nosso país precisa.
    Bem haja.

  5. img
    Dr. Joaquim Jose da Costa Responder

    Na relidade isso e muito bom, mas eu nao entendo porque que nao poderemos fazer isso atraves da nossa embaixada em Portugal? Ficaria mais barrato e rapido. Eu vivo na Ucrania e sei o que e viver com um passaporte cadicado. Ja passei antes por esta situacao. Por outro lado porque que nao se pode pedir a embaixada de Angola ou Cabo-Verde para ajudar pelo menos ate o governo decidir como resolver este problema. Aqui e muito deficil viver com um passaporte caducado. Se um policia apanhar este cidadao ele pode ser detido. Quanto mais neste momento. Com passaporte caducado este cidadao deixa de viver. Ele bao podera fazer nada se nao tiver o passaporte em ordem.
    Queira a Deus que resovem esta situacao o mais rapido possivel.

    • img
      Mamiwata Responder

      Pergunto ao senhor Joaquim José da Costa, se ele foi registado quando foi reconhecido pelo pai com a partícula “Dr.”? Imagine que cada internauto preceda o seu título académico (engenheiro, prof., piloto, médico etc). Não tem nenhum interesse e por cima é ridícula (é uma dtra que lhe diz).
      Sejamos úteis e pragmáticos, Afinal regressamos deste mundo sem título…e ainda bem!

  6. img
    Dr.Honorato dos Santos Responder

    Acho que alguém quero conhecer a Russia. Esse diretor já deveria reformar, pensa que esta no quartel ou quê. Ele esta a tratar com cidadãos de bem, cuidado aí

  7. img
    Mil Modas Responder

    Bom dia meus irmãos!

    STP precisa de homens com a mente fresca para dar a resposta a povo.

    Andam ai muitos armados em chefes,directores doutores engenheiros arquitectos etc,e um pais de 150,180 mil pessoas estes incompetentes não ajuntam e resolvem problemas do seu povo.Sempre a mesma cara.

    Chefes burros que nem conseguem copiar nas sua viagem feitas pelo mundo e implementar em São Tomé.desgraçados.

  8. img
    Estrangeiro Responder

    Uma proposta mais fácil ainda: Emitem o passaporte e enviem com DHL Expresso ou FedEx ou semelhante (é caro, mas chega garantidamente) e já está resolvido.

    Não vai poder viajar para o mundo todo, mas ajudar os Santomenses lá fora.

    • img
      Dr. Joaquim Jose da Costa Responder

      Tambem pode ser enviado atraves do correio diplomatico para uma embaixada de expressao portuguesa como: Angola, Cabo-Verde, Portugal. E o estudante recebera o seu passaporte 100% sem problemas nenhum.
      Eu quando tinha o neu passaporte caducado, fiz-o muito simples. Enviei uma carta ao meu irmao que naquele momento encontrava em Sao-Tome com fotos e ele fez-me o passaporte e enviou como uma carta registada. A carta foi consfiscada na alfandiga e ntregue no ministerio dos negocios estrangeiors na Ucrania obde fui chamado e entrgue o passaporte.

  9. img
    MOXICO Responder

    Coitados dos sao tomenses, vcs so sobreviven graça a Angola é porque o Ze Du é vosso,mas nao vai viver eternamente,é melhor começar a se preparar, porque quando o Ze cair tenho a certeza que estarao miseria e vao ser corrido de Angola todos vcs e todos os estrangeiros, com uma mao a frente outro atras e so com roupa do corpo mais nada.

  10. img
    Tudo Para Dentro Responder

    DEIXAM DE FAZER COISA PRA INGLÊS VER, eles vão querer ganhar protagonismo , para convencer pessoa que eles são salvador da pátria, um ver que não sabem o que falam só quer falar de Viagem,esses ditos director e chefes ate parece que ele ta num campo de concentração, um grupos de ABOBES ,

  11. img
    Jose Manuel Responder

    Caro compatriots, Raul Oliveira
    Apos essa grande noticia, isto e, no que diz respito a emissao de passports aos cidadaos de STP, com imennsas dificuldades em renovar os sues passports; aproveito esta ocasiao para informar ao Sr. Raul que estou a precisar, urgentemente, de renovacao do meu passport em Londres, vista que nao posso dislocar-me neste momento.
    Favor cantata-me atraves do n.00447438842761/email: jojessica350@hotmail.co.uk/jojessica350@yahoo.com.br
    Com os meus agradecimentos
    José Manuel

Deixe um comentario

*