Destaques

Ébola : Secretário-geral da ONU cria Missão de Emergência

Equipe terá cinco prioridades, entre elas conter o surto, tratar os doentes e garantir serviços essenciais; Conselho de Segurança declara vírus uma ameaça à paz e à segurança internacionais.

Ban Ki-moon. Foto: ONU/Loey Felipe

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Conselho de Segurança aprovou durante reunião de emergência, esta quinta-feira, uma resolução que declara “o ebola uma ameaça à paz e à segurança internacionais.”

O documento adverte que o surto está minando a estabilidade dos países mais atingidos, Libéria, Serra Leoa e Guiné.

Agitação Civil

Além disso, o Conselho de Segurança afirmou que se não for contido, o surto pode levar a uma situação de agitação civil e tensões sociais.

A OMS divulgou nova atualização sobre a situação. Até agora foram registrados 5335 casos e 2622 mortes.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, alertou que o surto de ebola está duplicando a cada três semanas.

O chefe da ONU anunciou a criação de uma Missão para Resposta de Emergência de Ebola que terá cinco prioridades: conter o surto, tratar os doentes, garantir serviços essenciais, preservar a estabilidade dos países e evitar novos surtos.

“Sem Precedentes”

Ele declarou que essa situação “sem precedentes” exige ações também “sem precedentes” para salvar vidas e garantir a paz e a segurança.

O secretário-geral disse que apesar de todos os esforços feitos até agora, a propagação da doença está superando todas as operações de resposta.

Segundo ele, nenhum governo sozinho pode lidar com essa crise e que as Nações Unidas também não podem fazer tudo sozinhas.

O objetivo do chefe da ONU é ter uma equipe da Missão já trabalhando na região antes do fim do mês.

Ban afirmou que os líderes dos países mais atingidos pela doença pediram que as Nações Unidas coordenem uma resposta global.

Ele disse que foi criada uma base em Acra, capital de Gana, que será usada nas operações humanitárias para atender as necessidades dos países mais atingidos pelo surto.

Ban Ki-moon afirmou que a ONU precisa de quase US$ 1 bilhão de dólares para cobrir as operações pelos próximos seis meses.

Parceria – Téla Nón / Rádio das Nações Unidas

 

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo