Destaques

OMS: casos de ébola podem chegar até 10 mil por semana em dezembro

Afirmação foi feita pelo diretor-geral assistente da agência da ONU em Genebra; Bruce Aylward afirmou que ainda é muito cedo para dizer se a epidemia está diminuindo.

Passageiro tem sua temperatura medida antes de embarcar em avião. Foto: OMS/S. Bolton

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O diretor-geral assistente da Organização Mundial da Saúde, Bruce Aylward, previu que os casos de ebola podem chegar até 10 mil por semana, em dezembro.

A afirmação foi feita em declaração a jornalistas esta terça-feira, em Genebra.

Meta

O médico disse que no último mês, os registros de novos casos estão girando em torno de mil por semana.

Aylward afirmou que a meta da comunidade internacional é, nos próximos 60 dias, estabelecer tratamento eficaz a 70% dos pacientes e garantir práticas seguras nos enterros para 70% das vítimas.

O diretor-geral assistente da OMS disse que os casos da doença chegaram agora a 8914 e que a marca das 9 mil infecções será batida nesta semana. Ele afirmou que o número de mortos é de 4447.

Aylward declarou que 95% dos casos ocorreram em 19 condados dos três países mais atingidos, Libéria, Serra Leoa e Guiné.

Redução

O médico afirmou que há sinais positivos de uma redução da propagação do surto em alguns países da África Ocidental, mas deixou clarou que ainda é muito cedo para dizer que a epidemia esteja diminuindo.

Ele explicou que houve uma pequena queda de novos registros em certas áreas da Libéria. Segundo Aylward, isso se deve a mudança de comportamento das comunidades, principalmente em relação às práticas de funerais, onde os corpos das pessoas mortas são lavados.

O diretor da OMS declarou que o surto continua se expandindo geograficamente na região em relação ao mês passado.

Morte

A ONU informou esta terça-feira sobre a morte de mais um funcionário da organização. A chefe da Missão na Libéria, Karin Landgren, disse que o trabalhador voluntário tinha sido transferido para a Alemanha, na semana passada, para receber tratamento.

Essa foi a segunda morte de um funcionário da equipe por causa do ebola. A primeira ocorreu em 25 de setembro.

O chefe da Missão de Resposta de Emergência da ONU, Anthony Banbury, disse que essa morte demonstra a importância de uma resposta urgente e imediata da comunidade internacional para apoiar os esforços dos trabalhadores de saúde que estão na linha de frente.

Parceria Téla Nón – Rádio das Nações Unidas 

 

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo