Chefe da ONU defende compromisso de acabar com a SIDA até 2030

PARCERIA / Téla Nón – Rádio das Nações Unidas

Dia Mundial de Combate à Aids é celebrado nesta segunda-feira, 1º de dezembro; em entrevista à Rádio ONU, diretora do Unaids no Brasil falou em “zero discriminação” como meta imediata e afirmou que imprensa tem papel importante a ser feito.

Progressos no combate à epidemia. Foto: Unaids

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

Em mensagem sobre o Dia Mundial de Combate à Aids, o secretário-geral da ONU saudou o que chamou de “enorme progresso que o mundo tem feito em resposta à epidemia de Aids”.

A data é celebrada nesta segunda-feira, 1º de dezembro. Ban Ki-moon também afirmou que os líderes mundiais fizeram o compromisso de acabar com a infeção até 2030. Atualmente, 35 milhões de pessoas vivem com HIV, mas cerca de 19 milhões, ou seja mais da metade, não sabem que têm o vírus.

Casos

Em entrevista à Rádio ONU, de Brasília, a diretora do Programa Conjunto sobre HIV/Aids, Unaids, no Brasil, Georgiana Braga-Orillard, falou sobre os números da doença.

“Nós conseguimos quebrar a trajetória da epidemia e reduzir bastante os novos casos de Aids. A gente demonstra esta queda de 2001 até hoje de 30% em números de infecções em nível global. Esta é uma ótima notícia. Agora temos que agir nos próximos cinco anos e agir massivamente para que a gente continue nesta queda e que não estagne ou volte à epidemia em lugares em que este esforço seja feito”.

Segundo a diretora, o Unaids tem várias ações marcadas no Brasil para celebrar o Dia Mundial.

Discriminação

Ela citou ainda a discriminação como sendo uma das razões para a epidemia ainda não ter sido eliminada.

“A gente continua falando zero discriminação, essa meta é para agora. A gente tem que envolver todos os setores, mas principalmente trazer de volta a imprensa. A imprensa no Brasil que é uma imprensa muito forte e tem um papel muito importante a ser feito no Brasil na área de discriminação”.

Em mensagem sobre o dia mundial, Ban  afirmou que 14 milhões de pessoas em todo o mundo estão recebendo tratamentos contra Aids.

 

Notícias relacionadas

Deixe um comentario

*