Supremo Tribunal de Justiça em vias de adquirir um novo edifício

Ainda no Primeiro trimestre de 2015, o Supremo Tribunal de Justiça deverá abandonar o edifício colonial localizado na marginal 12 de julho, onde funciona também o tribunal da primeira instância.

O edifício várias vezes reabilitado, não para de abrir fissuras e não oferece condições dignas de trabalho para os magistrados e os funcionários Judiciais.

O Ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Roberto Raposo que visitou as instalações dos Tribunais, no início de Janeiro último, considerou de urgente a necessidade do seu governo tudo fazer para encontrar uma nova instalação para o Supremo Tribunal de Justiça.

O Téla Nón apurou que já estão em curso expedientes desencadeados pelos Tribunais na pessoa do seu Presidente José Bandeira, e junto ao Governo com vista a aquisição de um imóvel com dimensões capazes de albergar cabal e condignamente o Supremo Tribunal de Justiça, e não só.

O novo edifício, vai congregar também o Tribunal Constitucional, os Serviços de Inspecção Judicial, a Direcção de Administração e Finanças e outros afins.

O novo edifício permitirá pela primeira vez a separação física do Supremo Tribunal de Justiça e do Tribunal da Primeira Instância, como forma de assegurar a interdependência dos Tribunais e dos Magistrados Judiciais, bem como a garantia do melhor funcionamento dos serviços de inspecção Judicial como necessidade da tão reclamada reforma da Justiça, soube o Téla Nón de fonte Judicial.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    luisó Responder

    O edifício não é colonial, é sim da era colonial.
    Agora eu pergunto se não há orçamento feito e aprovado, não há dinheiro para nada como vão adquirir um edifício para instalar o Supremo’
    Como?

  2. img
    ANCA Responder

    Muito bem.

    Dotar e equipar as instituições, sem esquecer a componente de auditória e inspeção, formação e requalificação, para que elas sejam capazes se assegurar, o funcionamento do País, independentemente de quem Governa e Administra o País, mediante o escrutínio popular.

    Ou melhor para que elas se tornem instituições fortes e capazes de defender a Constituição da República e as Leis do País.

    A acrescentar, como sugestão, seria bom dotar, ao curto, médio prazo, as forças de seguranças de edifícios e equipamentos modernos, capazes de oferecer o bom funcionamento destas instituições.

    Para o presente urgente seria, bom como sugestão,
    construção de novos estabelecimento prisionais, com capacidade de instruir e requalificar os reclusos, dando assim alternativa, para inclusão social e jamais somente para enclausurar por cometimento de Crimes.

    Valor especial deve ser dado urgentemente ao sector da educação, sector social, à População nos seus diversos estratos, á citar;

    Crianças, Adultos, Jovens, Idosos

    Basta observar hoje atentamente as estatísticas para esses estratos da população, e perceber o que se passa na realidade quotidiana, por exemplo com o disparar da criminalidade, violação de menores, roubos a mão armada, em suma problemas com aumento de números de efetivos destas classes populacionais, que procuram satisfazer suas necessidades básicas-expectativas, mas que não têm merecido atenção dos governantes e administradores do País, isto acarreta problemas de varias ordem hoje a criminalidade, se nada for feito á saúde terá consequências, á seguir, a educação.

    O aumento da população, quando não acompanhado com medidas e acções acarreta problemas sociais, políticos, económicos, e financeiros graves, para gestão e administração do País(Território/População).

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    • img
      luisó Responder

      Caro(a) ANCA,
      não sei se reparou estamos a falar de STP.
      Dever estar a referir-se a um hipotético Estado que não STP.
      Caia na real e deixe de sonhar porque assim vai ter grandes desilusões.

      • img
        ANCA Responder

        Caro Luisó, sugerir melhorias nada me custa, em vez de somente criticar, por criticar.

        Pode ser que algum dia alguem se lembre.

        De algum lado temos que recomeçar.

        Sob pena de desaparecer-mos como Estado.

        Um abraço.

        • img
          luisó Responder

          Caro Anca, não tenha dúvidas por isso vai acontecer, pelo andar da carruagem.

  3. img
    Angú cú cálu Responder

    Tenho uma sugestão!
    que tal mudarem para Administração do Ex empresa Uba Budo!!???

  4. img
    Emilio Freitas Responder

    Podem até adquirir novo edifício, mas cá pra mim nada disso vai mudar, os bandidos serão os mesmos, as sem-vergonhices as mesmas, a caganeira a mesma, o banditismo instalado o mesmo, esse tribunal e sua trupe inteira precisam ser implodidos juntos, caso contrario , será mais do mesmo, e fazem questão de colocar lá seus filhos com os mesmos ensinamentos, em suma estamos tramados. Usem o dinheiro pra fazer outra coisa, vide o edifício do ministério publico como exemplo, todo amarelinho, caritos todo terreno a porta, mas seus promotores , procuradores, uma corja de cagões que se quer entendem que são o quarto poder e não devem se submeter a qq outro poder, se borram todo qd um ministro bambaquerê qq esboça alguma reação em desacordo. Alguém em seu juízo perfeito acredita em alguma ação desses malandros!? santa paciencia

  5. img
    Manuel Pinto Morais de Sousa Responder

    Estes juízes não merecem melhores condições. Mereciam sim é irem para hospital de Agostinho Neto. Lá eles estariam bem. Não trabalham, são corruptos e lambe botas. Há um caso recente que foi descoberto de uma rede de pedofilia organizada pelos Nigerianos em que os tribunais não têm feito nada. Fizeram de conta que os homens forma detidos mas na calada da noite libertaram os homens. Que justiça é esta? Que condições querem estes senhores da justiça?

  6. img
    Manuel Alegre Costa Pinto Responder

    Adquirir nova casa, como? Aonde vão arranjar dinheiro? Informações que tenho é que a casa que se vai comprar é a sede do ex Benfica que actualmente pertence ao RAMY o famoso libanês um dos maiores patrocinadores do ADI. Que promiscuidade? Isto o que é? Trafico de influência, corrupção ou favoritismo? Mesmo assim o Patrice tem a pouca ou muita vergonha de dizer que vai levar ex governantes ao tribunal.

  7. img
    Mé Zemé Responder

    Por mim o estado devia tomar a sede do MDFM para o efeito, pois Fradique e o seu partido tomaram aquele edifício que era antiga procuradoria, mesmo sabendo da necessidade gritante em que o nosso estado tem ao nível do espaço. Agora, como o MDFM já desapareceu, o estado devia tomar o edifício novamente. O mesmo se devia fazer com o edifício de CODO.

  8. img
    Maria de Fatima Santos Responder

    A melhoria dos servicos nao esta nos edificios novos. Olhem o exemplo do banco de ungencia. De que vale o novo edificio se ao se chegar numa emergencia nao se tem atendimento?

  9. img
    Mabutú Responder

    Nós pode sair de mato mas mato não sai de nós, rsrsrs. Uma expressão muito intrigante mas que representa o Estado Santomense.
    As pessoas devem mudar antes da mudança, sob pena de tudo seguir o mesmo rumo. Na verdade, é inadmissível que este edifício do jeito que está, albergue coisas e documentos de tamanhas responsabilidades. Eu estive ali a quando da visita do Roberto Raposo e verifiquei com muita insatisfação um escritório debaixo das escadas; isto mesmo: dentro de escritório, tinha-se que estar abaixado para não bater com a cabeça por debaixo das escadas. Haja Paciência! Mas, como já disse alguém acima, se de facto nem houve orçamento, de onde virá toda essa grana?! Aqui tem maldade, tem corrupção, tem mentira e tem mentira novamente!

Deixe um comentario

*