Téla Nón não compareceu na sala de interrogatório do Ministério da Justiça e dos D.H.

Convocado telefonicamente pela instrutora de inquérito do Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos, Ilda Borges da Mata, para interrogatório na sala de reuniões do referido Ministério, o Diretor do Téla Nón não acedeu a convocatória telefónica, feita pela Assessora de Gabinete do Ministro, a instrutora Ilda da Mata.

O interrogatório a propósito da notícia do Téla Nón, “Forças de Bloqueio “que deixou clara a retenção de diplomas legais, que datam de Outubro do ano passado no Centro de Reprografia, sem a devida publicação no Diário da República, deveria iniciar as 10:30 de quinta – feira.

O inquérito foi mandado instaurar pelo despacho número 23/2015 do Ministro Roberto Raposo.  Agora só resta ao Téla Nón aguardar pelo castigo do Ministério de Roberto Raposo.

No mesmo dia marcado para o interrogatório do Director do Téla Nón, quinta – feira, o Ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Roberto Raposo, visitou a cadeia central, onde se reuniu com os responsáveis em busca de melhorias para o ‘único estabelecimento prisional do país.

Note-se que em Julho do ano 2012, Roberto Raposo, enquanto Procurador-Geral da República, ameaçou prender o jornalista Abel Veiga. Foi também através de uma chamada telefónica O  então Procurador-Geral da República, deu ao jornalista Abel Veiga, 24 horas para refazer uma reportagem televisiva que relatava o julgamento de um caso em que Roberto Raposo era queixoso e o réu era um advogado que acusava o então Procurador-Geral de prática de corrupção financeira, na ordem de 70 mil euros.

No final do julgamento, houve escaramuças entre o réu e uma irmã do então Procurador-Geral, que estava a assistir o julgamento. Roberto Raposo, não gostou da reportagem televisiva, telefonou para o jornalista e ameaçou prende-lo em 24 horas, caso não refizesse a reportagem, para segundo ele, repor a verdade dos factos.

 

A reportagem não foi refeita, porque era objectiva e imparcial. Expirado o tempo de 24 horas, o jornalista não f oi detido, mas nos seus ouvidos ecoam até hoje, as palavras ameaçadoras do então Procurador-Geral da República.

Também ficou a ecoar nos ouvidos do jornalista um anúncio feito telefonicamente por Roberto Raposo enquanto Procurador-Geral da República em julho do ano 2012, sobre a primeira queixa-crime apresentada contra o Jornal Téla Nón. O queixoso foi Ricardino Costa Alegre, juiz do Tribunal de Contas, amigo de Roberto Raposo.

O telefonema do então Procurador-Geral da República ao jornalista, visava informa-lo que tinha nas mãos a queixa por difamação, apresentada por Ricardino Costa Alegre, na altura seu colega de trabalho no Tribunal de Contas, uma vez que o Procurador-Geral era também representante do Ministério Público no Tribunal de Contas.

Uma queixa-crime sustentada pelos comentários feitos pelos leitores a um artigo, que realçou a pressão que o Tribunal de Contas exercia sobre 4 dos seus funcionários que subscreveram um abaixo-assinado de solidariedade promovido pelo Téla Nón, a favor de um jornalista da TVS.

Convocado para audiência na sala de uma procuradora no ano 2013, o director do Téla Nón foi informado que o processo tinha sido arquivado por falta de provas suficientes. Certo é que o processo renasceu em 2014, sem novos elementos, mas com celeridade para o julgamento e a douta sentença lida em 28 de Novembro de 2014, para o espanto de muitos entendidos na matéria de direito. Sentença lida em 28 de Novembro, só foi tornada pública pela Tribunal em 2 de Março de 2015. O recurso feito pela defesa do Téla Nón desde início de dezembro de 2014, contínua em paradeiro incerto nos Tribunais.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    Manuel Pinto Morais de Sousa Responder

    Boa Telanon. Muito bem Abel Veiga. Faça o teu trabalho. Deixe que este senhores do ADI continuam com a prepotência, falta de respeito e abuso de poderes com pessoas ligadas a oposição. Há um amigo meu que sempre diz : cada porco tem o seu natal e estes senhores do ADI terão com certeza o seu Natal. Eles andaram a enganar os jovens que iam distribuir mais a riqueza e arranjar empregos para os jovens. O que verificamos é que isto não está acontecendo. Vejamos um exemplo. O Senhor Elísio Teixeira ex-ministro da justiça do governo do ADI é ao mesmo tempo professor universitário, assessor da presidente da camara de Mé-Zochi e foi recentemente indicado pelo governo membro do conselho fiscal da ENCO. O ADI com tantos jovens economistas para desempenhar esta função foram buscar um Jurista e que Jurista. O mesmo acontece com o ex-secretário de estado da Juventude e desporto que também foi indicado pelo governo para ser membro do conselho de Administração da ENCO. Que vergonha! Isto é que é fazer melhor e fazer diferença. É para este povo saber. QUA SCA BI. NON NA MECÊ AUA UEFA.

    • img
      gowhere Responder

      mano, amara-se cabrito onde ha capim

  2. img
    Sao-tomense Responder

    Força Abel Veiga,Roberto Raposo é um Grande currupto, extorquiu muito dinheiro ao advogado Adelino Isidro.
    Aonde ja se vou convocar um jornalista para inquerito.Inquerito é com funcionario do ministerio, Abel Veiga nao trabalha no ministerio.Deixa o jornalista fazer o seu trabalho.Voces querem silenciar toda gente?Roberto Raposo é Uma Raposa.

  3. img
    Dondo Responder

    Antes de todo, a minha repulsa face ao escrito ( melhorias para o ‘único estabelecimento) nao obatante de ter muitas vezes ouvido informacao do Pais dada palo o Correspondente da RDP-Africa em Sao Tome, realcando a palavra “unico ; unica, etc. Nao interessa quem quer que seja saber, se no pais existe mais do que um edificio especifico para recluso.
    Passando ao assunto em causa, deixa transparecer que ha questao pessoal, em que uma parte usando ao poder politico que o suporta para vingar. Como o bom entendedor ja deixou claro, ha que separar as coisas. Por outro lado, nao seria o senhor Ministro a pessoa no centro da atencao, reservando a sua posicao na qualidade do Ministro e a penas isso. Sendo o senhor Raposo o dono da verdade e de saber, teria instruido o ministerio Puplico para se ocupar da questao e clarifica-la. Estes tipo de comportamento nao nos leva a lugar nenhum.
    O desenvolvimento de Sao Tome e Principe tem que ser feito como o respeito pelo o outro, a liberdade de expressao a diferenca de opiniao, tudo, associado a nossa caracteristica como POVO e como nacao.

  4. img
    luisó Responder

    Mas este senhor pensa que ainda é PGR e que pode convocar as pessoas para se apresentarem onde ele quer.
    Tristeza….

  5. img
    Aranca Rabo Responder

    Olha se é corrupto!
    Olha….Olha……
    O rapaz, é muito mais do que isso. Não foi em vão que o Patrice lhe foi buscar para Ministro da Justiça e dos direitos humanos. Qual direitos humanos qual quê! ……Perseguição desta forma aos jornalistas, tanta censura a imprensa, tanto panfleto político em órgãos oficiais da comunicação social, oh meu Deus, Deus nos acuda.
    Este país se já estava mal, agora já era…..
    Portanto Abel Veiga, faça o seu trabalho e siga em frente. Vocè me faz lembrar dois jovens jornalistas que a Rádio nacional tinha nos anos 80/90, também rebeldes, no bom sentido da palavra e que muito contribuíram para fazer mudar o paradigma de muitas coisas….
    Força e vá em frente, porque Roberto Raposa, repito e bem, Roberto Raposaaaa, é mesmo uma raposa que em cada esquina fica a procura de alguém que tenha dinheiro para poder se empoleirar…

  6. img
    Samponha Responder

    Actual Procurador Geral da República,Frederique Samba é o titular do processo de acusação contra o seu antecessor,Senhor Roberto Raposo
    O Ministrode XVI Governo Constitucional do ADI, é acusado de Administração Danosa,Art.255 do código Penal.O Senhor Roberto Raposo, duas funcionárias e outros elementos da DAF (Departamento Administrativo e Financeira) do Ministério Público foram acusados por este Ministério pela prática de Gestão Danosa.Para quem não sabe Gestão Danosa é desfalque de dinheiro,desvio de dinheiro, uma administração coxa, desiquilibrada sem contabilidade organizada. Os arguidos causaram prejuízos ao Estado cerca de 70 mil euros.
    Auditoria final de Tribunal de Contas da República Democrática de S. Tomé e Príncipe detetou ilegalidade grave que indiciam a prática de Gestão Danosa do Senhor Roberto Raposo
    Senhor Abel Veiga.A Sociedade Civil Santomense está a evoluir-se.Está a Organizar-se. O Jornal Tela Non é lido em todo o canto do Mundo.Se este jornal existe é graça a nossa colaboração. Os outros meios de comunicação estão vedados ao poder fazem censuras as nossas contribuições ou informações, portanto nada de se temer. Nada fará os amantes, amigos, simpatizantes, correspondentes e comentaristas deixar o Senhor sozinho neste barco. O Jornal “Tela Non somos todos nós. A Sala de audiência do Tribunal não caberá todos nós. O Tribunal terá que solicitar a Sala do Palácio do Congresso ou Marcelo da Veiga para o efeito.
    Como é possível, o Senhor Roberto Raposo, actual Ministro da Justiça e Direitos Humanos sem Moral,ética profissional, acusado pelo Ministério Público,acompanhado de duas funcionárias e outros elementos da DAF(Departamento Administrativo e Financeiro)pela prática de Gestão Danosa ter ousadia para levantar um processo judicial contra um jornalista claro e conciso informando com argumentos palpáveis as populações e Comunidade Internacional que não deixam dúvidas à ninguém ir para justiça?.Que Justiça é esta na RDSTP?
    Ainda por cima uma convocatória à telefone.É uma brincadeira, uma aberração. Também tratando se de uma administração coxa é possivel.Ela devia ser o espelho da nossa Praça.Mas enfim. É País Real que temos.

  7. img
    Maria silva Responder

    Um conjunto de gentes corruptas , que se vendem a preço de bananas, achando se senhores da verdade e da Lei ” tds a cima da Lei ” uns tantos criminosos !
    E como não bastasse acham se no direito de tentar asfixiar o jornalismo informativo ( neste caso o Abel e o seu jornal)!
    Abel peço te encarecidamente que nos diexe a par e passos acerca deste assunto aos mais pequenos pormenores!
    Como já tinha dito o Senhor (a) Seabra no outro POST anterior , estamos contigo e não abrimos!
    Fique atento Abel pundá nì tela di numigo , concló natè ossô fáé .

  8. img
    Lutde Responder

    O ADI criou o ADIM Live e outros e quer apagar o tela non, é por isso e MT mais que o MP pediu a maioria absuluta para fazerem stp casa da mãe juana.

  9. img
    Demócratico Responder

    A sociedade são-tomense deveria organizar-se para exigir do governo alguma irresponsabilidade.
    1º Estudantes passam 15 meses sem receber bolsas (ajuda de custo) de estudos, mas o Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos faz aquisições de viaturas;
    2º O orçamento sem ser aprovado, avaliamos cerca de 1.000 viagens efectuadas pelo novo elenco (XVI governo constitucional);
    3º O governo centra-se na “coesão social e no reforço da inclusão social;” por fim há interesse pessoal no aparelho da Administração Pública.

    Podemos concluir que Sr. Roberto não é dono de São Tomé e nem sequer é um Rei, onde ordena, manda e desmanda. Embora seja o subordinado do Patrice Trovoada deve aplicar justiça de acordo a Lei, para lhe dizer que ninguém está acima da lei, sobre tudo quando o seu chefe tem por resolver o problema na justiça; caro Raposo cuidado com crime de violação e abuso de menor.

    Unidos venceremos!

  10. img
    Tony Responder

    Roberto Raposo só uma pergunta; já te sentis Santomense? lembro tua expressão “essa vossa terra”

  11. img
    Santola Responder

    Ministro Roberto Raposo tem acusação de corrupção de quando era Procurador-Geral da República para responder no Ministério Público, está mais sujo que pau de galinheiro.

  12. img
    ANCA Responder

    Observação

    O Ministério da Justiça e do Direitos Humanos, se se pretende esclarecer factos, abrir inqueritos, convócatórias, jamais deve ou deveria, faze-lo mediante uso de um telefonema, seja ele a um cidadão, empresa/s, a uma institução, bem como neste caso,
    o JORNAL TÉLA NÒN.
    A Administração Pública, SãoTomense, neste caso, o Ministério da Justiça e do Direitos Humanos, tem procedimentos administrativos, meios e recursos, forma de agir, própria, neste caso, convocatória, por meio de oficio, enviado e registado com aviso de recepção, com data, hora, e conteúdo do ofício.
    A Administração Pública, SãoTomense, tem instituições competentes, própria, para averiguar, se há matérias passível de violação da Lei do segredo do Estado, ao qual todos fazemos parte.

    Por outro lado, creio que a atitude do Jornal Téla Nón, deixa a desejar.

    -O Jornal Téla Nón, jamais deve servir de meio de lavagem de roupas sujas, nem de intrigas pessoais, como parece-me ser neste caso, pelo exposto na notícia em epígrafe( trazer a luz do artigo “Força de Bloqueio”, factos que remontam a 2012, 2013.

    -O Jornal Téla Non, jamis deve ou deveria servir de meio de arremesso, intrigas e favorecimento, social, desportivo, político, económico e financeiro, de pessoas, grupos ou Partidos Políticos.

    Deveria e deve ter uma postura, de verdade, de honestidade, de insenção, de transparência, informar e formar aos cidadãos, sobre realidades factos, sociais, desportivos, políticos, económicos e financeiros, ajundar a construir o equilibrio numa sociadade, que se quer, livre justa transparente, moderna e desenvolvida e informada social, desportiva, política, economica e financeiramente de forma sustentada.Cumprido assim o seu papel de Mass Média escrito e lido. E penso que nalguns momento o tem sabido fazer, noutros misturando um pouco mais as paixões pessoas e políticas, para o mal da sua isenção como meio de comunicação social.

    Por outro, quem não deve, nunca teme.

    Quando se escreve sobre um facto, uma realidade, depois se mete a cabeça na areia, deixa parecer que há algo de para além de somente a verdade ou inverdade, que se escreveu, no artigo ” Força de Bloqueio “.

    A atitude deveria ser, de assumir o que se escreveu, e estar disponível para averiguar e esclarecer os factos, junto a entidades, instituições, bem como a cidadãos que lêem a notícia, o Jornal, comportamento que deveria ser próprio da cultura e fazer jornalístico e do regime democrático, e nisto ainda vamos a luz de distância na sociedade nacional, na deontologia social(Jornalistica, Política, Administrativa, Profissional, Pessoal e cultura de Cidadãos SãoTomenses), a nivel, desportivo, político, económico e financeiro, para o mal da coesão e modernização da sociedade no saber e saber fazer, na pretação de contas e resultados.

    Podemos apreender e melhorar mediante Humildade, disciplina e Trabalho, Muito Trabalho.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  13. img
    raposo Responder

    Meus caros, sejamos sensatos, o homem e bom ministro e o Abel e um otimo jornalista, por isso que existe choque…

  14. img
    situacion Responder

    Abuso de poder.

  15. img
    ssfilipe Responder

    senhor primeiro ministro e chefe do governo de S.Tome,tendo o conhecimento de um jurista corrupto,esse senhor nao devia ser nomeado para um cargo tao importanta? no meu ponto de vistas ele devia estar na cadeia.

  16. img
    Maria Ricardo Responder

    Força e muita coragem para Abel Veiga. O Téla Nón é neste momento o melhor instrumento informativo de que dispomos, para comentar factos relevantes sobre a vida da Nação. Estamos num país livre e independente, mas a comunicação social está vedada à oposição. Roberto Raposo, durante o tempo em que foi Procurador Geral da República, extorquiu dinheiro à muitos cidadãos santomenses. Ele nem deveria ser nomeado Ministro. Deveria é, prestar contas ao Estado. Mas enfim!…

  17. img
    jean van jan Responder

    O retrato do rapouso

    A verdade que custa a morte

    Cinco minutos de fama pendura a pasta do ministro

    Melhor um covarde vivo do que um herói morto.

  18. img
    DANÇO CONGO Responder

    Viva os juízes corrupto .na nossa cadeia deveria estar lá muitos juízes presos por corrupção . Por exemplo No dia que vier a verdade do processo ROZRMA vai ser uma tranjjedia no país o povo saberá quanto dinheiro guinou no tribunal. Os juízes recebem cerveja semanal ainda em parte do dinheiro que tem a receber . Viva nossos juízes

Deixe um comentario

*