Polícias arregaçam as mangas e o Tribunal começa a condenar os bandidos

5 homens acusados de violação de menores e de mulheres, foram condenados nesta semana pelo Tribunal da Primeira Instância a penas de prisão efectiva de 15 a 20 anos.

É o primeiro sinal de acção do Tribunal após a recepção de novas viaturas, indicadas como necessárias para melhorar a justiça no país.

Na sentença o Tribunal confirmou a acusação que recaia sobre os 5 indivíduos com idades entre os 22 e 45 anos. Violação de mulheres e menores, era uma das práticas habituais dos 5 condenados, em várias regiões do país. Até o advogado de defesa dos 5 homens concordou com a pena decretada pelo Tribunal.

São Tomé e Príncipe está envolvido neste momento numa campanha de luta contra a violação de menores. Um programa executado pelo Fórum das Mulheres, com o financiamento da embaixada dos Estados Unidos de América.

O país conheceu nos últimos tempos aumento vertiginoso de violações de mulheres e crianças. Grande parte das violações de mulheres, ocorreu em situações de assaltos. Para além de roubar bens das mulheres indefesas, os bandidos aproveitavam para viola-las.

As polícias de ordem pública e de investigação criminal, decidiram arregaçar as mangas para dar luta aos violadores e ladrões, que nos últimos tempos tiraram tranquilidade e paz a sociedade são-tomense

Abel Veiga

 

 

 

 

Notícias relacionadas

  1. img
    turista nervosa Responder

    muito bem. mas espero sinceramente k fiquem de regime fechado nas celas.
    a nossa segurança é uma potencialidade enorme k temos para divulgar aos turistas e não só.
    já temos a nossa praça suja, as praias sujas e ainda insegurança não dá.temos k ser diferentes dos outros países no k toca a segurança

  2. img
    josé Responder

    A justiça esta de parabéns espero que continue para todos

  3. img
    ANCA Responder

    Muito bem

    Este é o caminho e postura assertiva e responsavél das instituições do poder, que se quer forte e eficaz, para citar neste caso a Polícia Nacional e os Tribunais.

    Mas que jamais deve ser somente para este tipo de violação da lei, crime, mas que se espera, se pretende, de todos outros delitos e crimes, social, desportivo, político, juridico, económico e financeiro, que possam lezar ao Estado, a Sociedade SãoTomense, bem como aos Cidadãos.

    Para o bem o País(Território/População/Administração e Gestão).

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe.

  4. img
    seabra Responder

    Óptimo….mas à mais alta instituição tambem está à precisar de uma profunda limpeza.
    ….na imagem, vimos alguns dos marginais vadios, mas falta o MAIOR e o PIOR de todos eles.
    Advinhem quem é? Aquele (a) que encontrar o nome da pessoa em questão, receberá um BANHO, em honra do mesmo vadio.
    Advinha,Advinha?

  5. img
    lupuye Responder

    Isso é muito bom. Os pequenos já começaram a pagar o preço do mau comportamento na sociedade. Para quando os graúdos? Isso tem que ser extensivo a todos que falharem.

  6. img
    Dondo Responder

    Isso e o retrato de uma sociedade em franca Degradacao.
    Fazendo o juizo do que anteriormente foi a motivo de lagrimas e que, os nossos conteraneo clamam ( Foro Batiam) mas, nunca revelaram.Todo o mundo sabe que os servicais enviado para a plantacao de cacau e outro que hoje e a produto de expotacao do Pais, eram cavalheiro e que procuravam por todos os meios a satisfacao das necessidades sexuai. Um ou outro procurava a mulher da sua origem e usava-a de forma violenta, porque esta nao tinha a onde ir queixar-se do violador. Quando este enganava a porta e tocava na mulher do forro, ai a couisa resultava em cacetada ate mas nao.Tenho na memoria casos que aconteceram la no rio, quando as lavadeiras “Loza e Strude” foram violadas por dois gabaos de Ponta-Furada. Isso ficou para historia. O violador ja nao existe, mas quem lhe deu a devida surra tem hoje 90 anos de idade e sabe de forma lucido o que aconteceu. Nao e em vao, que em Sao Tome existe a expressao ( BOMO BA DA GABOM PO) para que isso aconteca, antes a mulher do forro anuncia a sua ida a panha da lenha ou a lavegem da roupa no rio.

  7. img
    Jorge Trabulo Marques Responder

    Não são bons sinais aqueles que nos falam de um certo recrudescimento dos casos de furto e violação, que “ lideram a lista dos crimes mais cometidos nos últimos três meses em São Tomé e Príncipe” Voz da América. 13.03.2015 Mas, por outro lado, a última noticia do telanon, diz-nos que as “Polícias arregaçam as mangas e o Tribunal começa a condenar os bandidos” – Referindo que 5 homens acusados de violação de menores e de mulheres, foram condenados nesta semana pelo Tribunal da Primeira Instância a penas de prisão efetiva de 15 a 20 anos.” – De facto, a origem do crime tem várias causas e explicações, mas, seja como for, independentemente da análise sociológica ou psicológica, que possa ou deva ser feita, não pode haver contemplações, nomeadamente para os crimes violentos e de violação. Esse tipo de pessoas, não merece a menor compaixão. – Victor Hugo, nos Miseráveis, dizia: condenai o crime e tende compaixão dos criminosos” – Confesso que, para certo tipo de barbaridade, não pode haver compaixão possível. Eles que não a tiveram para com as inocentes vitimas indefesas, será que merecerão algum tipo de tolerância e de benevolência dos juízes? – Para crimes, tão repugnantes, acho que não. Há que ter mão pesada.

    Porém, há um outro tipo de crimes, que não pode nem deve ser descurado, o do narcotráfico. Apercebi-me disso, aquando da minha estadia em S. Tomé, em que, um certo individuo tinha por hábito deslocar-se a S. Tomé, acompanhado de são-tomenses, que recrutava na “Cova da Moura, Amadora, para se dedicar a esse condenável negócio. Alertei as autoridades desse episódio. Espero que haja mais vigilância sobre esses corruptores dos jovens e da sociedade
    Com efeito, nos tempos que correm, a bem dizer, não há lugares na terra onde não haja ladrões e violadores – Nalguns países árabes e astáticos, os criminosos são punidos severamente, mesmo que não tenham cometido crimes de sangue. Noutros países, a justiça é mais branda e promiscua: ou seja, quando o rico rouba milhões ou prevarica, tem sempre forma de se safar através dos melhores advogados e de outro tipo de pressões ou subornos. O desgraçado do pobre – mesmo que roube para matar a fome -, dificilmente se safa.. Veja-se o que aconteceu em Portugal, com este caso, em que, um sem abrigo, acusado de furtar um polvo e um champô num supermercado Pingo Doce, no Porto, no valor total de 25,66 euros, foi condenado a 50 dias de pena de multa de cinco euros/dia, num total de 250 euros. – E então quem condena os principais cabecilhas do monstruoso desfalque do BPN? – - Diziam as noticias que a “Juíza considera tribunal comum incompetente para apreciar acção do BPN contra Oliveira e Costa, Dias Loureiro e outros ex-responsáveis do grupo” – Resultado: absolvido – Ora, é está um dos maus exemplos, que desejaria que nunca ocorressem com a justiça em S. Tomé e Príncipe. – Jorge Trabulo Marques – Jornalista

Deixe um comentario

*