Médicos alertam – Colapso Total

O colapso total para o qual o sistema nacional de saúde caminha de forma determinada, segundo os médicos, pode acelerar por causa do clima tenso que tomou conta das relações entre a classe médica e a ministra da saúde Maria de Jesus Trovoada.

Desde o início de Setembro, que o sindicato dos médicos entrou em rota de colisão com a Ministra da Saúde, por causa da suspensão considerada ilegal e sem fundamento do único cirurgião nacional, Pascoal d´Apresentação.

Uma nota de protesto da classe médica deu entrada no Gabinete de Maria de Jesus Trovoada, que por sua vez e após 10 dias passados sobre a recepção do protesto, não deu qualquer satisfação aos médicos.

Os médicos avançaram com um pré-aviso de greve, e a ministra reagiu 24 horas depois, abrindo espaço para as negociações.

As negociações entre a representação dos médicos e a ministra evoluíram num clima de concórdia e paz, como aliás a líder sindical fez questão de anunciar através do Téla Nón. No entanto, as últimas declarações da líder sindical Benvinda Vera Cruz, à RFI e mais tarde ao Téla Nón, dando conta que as duas partes caminhavam no sentido do consenso e que «se tudo correr bem, possivelmente o cirurgião Pascoal d´Apresentação retomaria as suas actividades clínicas»-

Por causa desta declaração da líder sindical, a Ministra da Saúde, enviou um porta-voz para a imprensa do Governo, nomeadamente a Rádio Nacional e a TVS, para ler um comunicado onde dizia que as notícias veiculadas pela RFI e elo Téla Nón não correspondem a verdade. «Não podemos deixar de lamentar a declaração da senhora Ministra no seu comunicado de imprensa porque salta-nos a vista d que estamos em presença de falta de liberdade de expressão», reagiu o sindicato dos médicos.

O clima de diálogo das últimas semanas, tende a deteriorar-se, e o Sindicato avisa que não vai baixar as mãos na luta pela defesa da legalidade no caso da suspensão por ordem da ministra da saúde do único cirurgião nacional e em funções no hospital Ayres de Menezes. «Nós os médicos vimos pela presente manifestar a nossa profunda indignação e reafirmar aqui todo apoio moral ao colega, e que tudo faremos para que se esclareça o sucedido», frisa o comunicado do sindicato dos médicos lido pela secretária geral Benvinda Vera Cruz.

Tensão aumenta e os médicos aproveitam para anunciar que o funcionamento do Hospital Ayres de Menezes e do sistema nacional de saúde em geral, padece de uma patologia grave «com tendências a entrar em colapso total».

O sindicato dos médicos detalhou alguns aspectos que comprovam o colapso total a vista. «O caso da criança ara a qual fora recomendada uma cirurgia de emergência pela telemedicina, teve alta hospitalar menos de 24 horas por um técnico não autorizado».

O sindicato dos médicos prossegue com os detalhes. «Outro caso flagrante deste colapso total é o facto de um paciente com pé diabético ter ficado internado por 3 semanas, sem nenhuma intervenção devido a infeliz decisão ministerial».

O Sindicato dos Médicos avança com mais aspectos, desta vez os mesmos que já tinham sido denunciados pela recém criada ordem dos médicos. «O caso de doentes diabéticos sem fitas de BM Test para determinar açúcar no sangue. Neste momento no hospital Ayres de Menezes a excepção do Banco de Urgência, não dispomos em nenhum dos outros serviços da fita de BM Test para determinar açúcar no sangue e com essa fita podemos salvar uma vida em cinco segundos como podemos perdê-la no mesmo tempo».

O sindicato dos médicos, vira-se então para a Ministra Maria de Jesus Trovoada, e pergunta. «Perante tais factos e ocorrências com que moral a ministra da saúde vem ao público, através do seu assessor de imprensa, culpabilizar os médicos por toda a desgraça do nosso sistema nacional de saúde. Será um contra-senso ou será algum inconfessável propósito?».

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    Pingo Doce Responder

    Isto esta a aquecer.
    Na verdade o Sindicato dos médicos tem toda a razão. Alias os demais sindicatos do setor nomeadamente dos enfermeiros, das parteiras, dos administrativos e todo o mais…..todos, mas todos mesmo deveriam levantar a voz e dizer a senhora ministra que nao sao decisões administrativas com base em rancores políticos é que ajudam a resolver os problemas da saude.
    Neste momento a saude passa por uma das maiores crises da sua historia só que infelizmente as noticias não tem vindo ao publico. Nem a rádio nacional nem a TVS e nem o jornal parvo, enquanto órgãos de propaganda governativa, tem noticiado alguma coisa.
    Nao ha reagentes, não ha gesso, nao ha materiais para producao de raios-X, falta agua no hospital, o os enfermeiros e serventes nao tem batas, isto esta uma autentica porcaria.
    Alias como ja disse alguem essa senhora que dizem ser ministra nao tem perfil para a função que exerce. E triste dizer isso mas trata-se de uma constatação nacional.
    E….toda esta vinganca ao Pascoal so pelo facto dele ser do MLSTP. A ser assim esse pais nao ira a parte nenhuma. Infelizmente o pais esta entregue a uma equipa de incompetentes e arrogantes.

  2. img
    saltos altos Responder

    Essa Maria de Jesus Trovoada nunca devia ser Ministra, só mesmo num país como São Tomé e Príncipe isso acontece. Não mostrou competência como responsável do programa de luta contra o paludismo, como iria mostrar competência agora como Ministra? Ela não pensa, quem pensa por ela, quem decide por ela, é seu namorado, capanga de Patrice, Mário Bandeira. Força senhores Médicos, lutem com todas as forças.

  3. img
    Apreciador calado Responder

    quero perguntar o senhor Mario Bandeira onde entrou o seu jornal explicar sem complicar para explicar o povo o que está passando no nosso unico hospital
    fui

  4. img
    Lula Responder

    Muito bem. Pelo menos dá para percebemos que o sindicato dos médicos não estão comprados…Acordam os sindicatos dos professores…

  5. img
    SAMPONHA Responder

    É necessário que todos os santomense e classes políticas neste S.Tomé e Príncipe se entendam que o médico Pascoal,o único cirurgião Nacional deste País, tem nota positiva além fronteira.Trata-se de um cirurgião afecto à Saúde para Todos com todo o mérito.
    Os procedimentos para a sua suspensão não foram o mais correcto. Está na moda neste país, quando alguém se muda de função, e porque no passado ter-se algo com alguém, aproveita-se a oportunidade para se vingar, pensando ela ou ele que vai estar por toda a vida neste lugar. Porque não falar de um médico estrangeiro destacado na Maternidade que está fazendo trapalhada mais trapalhada naquela Unidade hospitalar, pondo em perigo a vida das mães que lá vão dar a luz e a do próprio bebé.Qual foi ou é a posição do próprio Hospital e da própria Ministra? Houve um médico Egípcio que deixou sem vida MUITA GENTE. Fugiu para destino desconhecido. Medidas nada.Talvez por se tratar de estrangeiros.O médico Pascoal não é responsável pela Junta de Saúde para saída dos doentes ao estrangeiro. Mesmo assim, Pascoal não deixou sair o doente.A política neste momento está em tudo. Em todas as secções do País.Já começou a entrar no Futebol. O destino deste País é incerto.O que se passa neste momento nas Instituições do Estado, os jovens já não respeitam os mais velhos.O pão nosso de cada dia, agora mandamos nós. Nós é que temos o poder. Vocês, os mais velhos para casa.Pondo assim novos contra velhos.Os novos como nunca serão velhos vão gozando dos mais velhos.Este é o País real.O sindicato dos médicos falam dos procedimentos que não foram dentro da lei.É esta a minha leitura.Não houve um inquérito para o apuramento do caso. Quantos médicos quando estão de urgência ficam em casa.Cabe a senhora ministra quando iniciou as funções reunir com os médicos e de mais funcionários da saúde e traçar as suas orientações.

  6. img
    NOVA-DITADURA-ADI Responder

    Culpa é do povo q correu atras de arroz! Senão n teríamos hospital nesse deplorável estado! MINISTA DE SAUDE SEM SAUDE PARA ASSUMIR A SAUDE DESSE POVO! Por isso,todo povo está quase em COMA! A agricultura também não foge a regra, com o analfabeto a cabeça do Ministério, está tudo em colapso! Com a DITADURA SILENCIOSA DO Patrice trovoada, pior ainda, pois ninguém pode falar à Radio e muito menos à TVS! Isso tudo vai acabar sobrando muito mais para o povo “pequeno” q continua acreditar no DUBAI de Patrice qdo as BURRAS deste continuam enchendo de placas e placas de divisa! SÓ COM CRISTO!

  7. img
    MJ Responder

    De facto o Sistema Nacional de Saúde (SNS) em STP nunca funcionou como devia e nunca foram envidados esforços para o seu normal funcionamento. “Abriram os portões aos turistas” e esqueceram-se que nada é possível sem um sistema de saúde eficaz. Todos os ministérios foram apetrechados dos mais sofisticados meios menos os hospitais infelizmente. É necessário uma reflexão sobre a saúde em STP.

  8. img
    almeida Responder

    É triste dizer, mas tenho vergonha de ser dessa terra onde os dirigentes sao quase todos incompetentes, corruptos e sem classe. por esse andar podem morrer os doentes todos q essa senhora nao ta nem ai!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    pq nao cai uma bomba atomica ai? pelo menos morre o povo mas vao esses desgraçados tb

  9. img
    Marta Costa Responder

    Muito sinceramente, eu acho que o governo devia é instalar Câmeras vigilantes em todos os cantos do hospital central até nos centros de atendimento aos pacientes,incluindo a pscatría (casa de loucos),para que em cada uma vez por mês se vá verificar a forma de tratamento dos médicos e de certos enfermeiros para com os doentes nesse centro hospitalar. Roubo as poucas doações de mendicamentos quando são feitas, condições higiênicas a que os doentes estão sujeitos, acesso a casas de banho pois até isso tiram os doente… e muito mais coisas eu vejo que a câmera de vigilância faria se estivesse instalado naquele hospital; principalmente o caso da forma de tratamento de certos médicos, enfermeiros e encarregadas de limpezas para com os doentes. MUITA COISA SERIA EVITADA E AS PESSOAS TEMIAM AGIR INCORRETAMENTE “TANTO ATÉ CERTO PONTO OS UTENTES COMO PRINCIPALMENTE ELES”…

  10. img
    MÉ SOLO Responder

    O ADI, tem sido infeliz na indicação de nome para ocupar a pasta da SAÚDE.

  11. img
    ANCA Responder

    A casa onde falta pão todos ralham e ninguém tem razão.

    Onde jamais a pão jamais haverá sossego. Instabilidade, falta de paz

    É a pobreza mental e material a reinar.

    É dividir para reinar.

    Para agravar ainda mais, pouco gosto pela organização, pelo trabalho, preguiça mental, preguiça física, incompetências a reinar.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  12. img
    Secretaria Responder

    Os comentadores do tela Non ou fingem ou não têm noção de quem são esses médicos, neste país não há Ministro de Saúde competente possível, porque os médicos são muito mas corruptos que qualquer Ministro de saúde q passou por este país, os nossos médicos não valem nada, incompetentes maus, não têm ética profissional, sem falar dos enfermeiros e as encarregadas de limpeza, só quem vai ao hospital consegue discrever o q passa neste Hospital só quem tem familiares que morreram nas mãos desses médicos sabem e conseguem explicar quem são os nossos médicos. Meus senhores, só quem sentiu na pele consegue discrever esses medicos. É muita incompetência, muita corrupção, desvio de medicamentos, maus tratos aos doentes.

    • img
      Parece Responder

      Parece que a ministra não tomou medidas para corrigir os males que enfermam o hospital. Parece que ela usou da arbitrariedade que caracteriza os donos do poder dessa terra para actuar contra alguém que não lhe é grato. Talvez pelos mesmos motivos ou piores não ela fizesse o mesmo a outro elementos do hospital. Se ela quiser melhorar a casa, isso sim! Processa mais malta e não pare.

  13. img
    Miguel dos Santos Responder

    O médido ganha dinheiro em todo lado de vez enquando preciusa de para assistir está ou aquele paciente ele está na sua clínica portanto badsta a brincadeira o que está em causa é vida de cser humano onde cjurou para defender a senhora Ministra tem razão

  14. img
    costa Responder

    …na verdade não sei de que lado está a razão.
    Sei no entanto, que a Srª Ministra terá dinheiro com certeza, para numa simples situação de apendicite aguda ( que mata se não for operada) se deslocar para um hospital ou clínica no estrangeiro.
    Imaginemos também, que por obra de um acaso, tanto na STP como na TAP, os seus pilotos resolvem entrar em greve…
    Creio que em tal situação, a Srª Ministra colocaria os pés na terra e não mais voltaria a brincar com o que se não deve brincar.

    (Lo que tengo es tan poco que vale un millon)

    A todos saudações cordiais
    Manuel Costa

  15. img
    Ospibinho Responder

    Bom caros leitores.
    Eh evidente e aplausivel que os medicos teem sim uma ordem de forma a disciplinar e consolidar as posicoes e engradecer a classe. Tambem eh certo que a ordem tambem serve para disciplinar a ordem.
    Sendo o ditto medico o unico cirurgiao do Pais, nao dah direito em matar pessoas ao invez deos salvar por falta de competencia. Jah perguntaram quantas pessoas jah morreram no hospital apos uma intervencao desse medico? Ateh quando continuaremos tolerando essa attitude irresponsavel? Temos que dizer basta porque ontem ele matou a minha familia. Esperemos que amanha seja a sua familia. Porquee isso.
    Lugar do gatuno, criminoso eh na cadeia. Tambem a cadeia serve para o mal qualificado que desimam vidas por falta de competencia.
    Outro assunto antes de o enviar a cadeia deveriamos pedi-lo o seu diploma como cirurgiao.

  16. img
    DESEMPREGADA Responder

    olha,1º ministro, não sou tua amiga muito menos tua inimiga.
    eu não concordo no facto do senhor abrir país ao mundo embora sabendo da importancia do turismo para o país.
    o problema, é k para abrir o país, o senhor precisa de ter pelo menos hospital em condições,boa estrada, praça limpa, praias sem lixos e que dê vontade de ficar , não devem ser transformadas em casas de banho…e o mais importante é saber valorizar os quadros de turismo… isto porque os mesmo não são aceites nalgumas repartições tais como: Câmaras, ENASA, ENAPORT, IMIGRAÇÃO E FRONTEIRAS,entre outras…

Deixe um comentario

*