Destaques

Segunda vaga de fogo espalhou serviços do Ministério da Saúde

A Ministra da Saúde Maria de Jesus Trovoada que está ausente do país em visita a Taiwan, estará a procura de um espaço para fincar o seu gabinete de trabalho, quando regressar da viagem.

Tudo porque o segundo incêndio que deflagrou no  edifício do Ministério da Saúde no último domingo, 1 de Novembro, acabou por engolir o pouco que restou após o primeiro incêndio, que ocorreu em Abril passado.

O Téla Nón registou que o segundo incêndio que teve epicentro na sala da Direcção Administrativa e Financeira do Ministério da Saúde, transformou em cinzas quase toda a documentação e os respectivos mobiliários.

Já o primeiro incêndio ocorrido em Abril passado,  destruiu todo o departamento pertencente aos cuidados de saúde, e impregnou o Ministério com um cheiro a queimado que persistiu até a deflagração agora em Novembro do segundo incêndio.

 

O Téla Nòn registou que o pouco que restou do edifício incendiado foi transferido para a biblioteca nacional. Todos os funcionários do sector administrativo do Ministério da Saúde estão agora acantonados no edifício da Biblioteca Nacional.

Uma fonte do Ministério, explicou ao Téla Nón que todos os pertences que estavam no Gabinete da Ministra Maria de Jesus Trovoada, foram devidamente arrumados num canto, aguardando pelo regresso da titular da pasta da saúde que deverá decidir pelo seu destino em termos de gabinete para trabalhar.

O edifício onde funcionava o Ministério da Saúde, é colonial. É um dos edifícios de estrutura arquitectónica singular na Avenida Kwame Kruma no centro da capital São Tomé.

A estrutura externa mantém-se intacta, mas o interior está totalmente queimado, após a ocorrência consecutiva de dois incêndios em menos de 1 ano. A origem do fogo de Novembro, continua por esclarecer, assim como na primeira vaga de Abril.

Abel Veiga

    4 comentários

4 comentários

  1. ANCA

    8 de Novembro de 2015 as 1:32

    Aí está a forma de má fé por parte de alguns cidadãos, instituições partidárias políticas, forma cruel malvada de fazer política, acto de vingança e vandalismo, que somente prejudica o País(População/Território,Administração, Gestão).

    Quem perde somos todos.

    Sugiro aplicação de objectivas de vigilância, internas externa, em pontos estratégicos.

    Destruir é fácil, mudar de comportamento, trabalhar, construir, organizar, gerir, parece ser difícil para algumas mentes cidadãos instituições nacionais.

    Se queres ver o País bem

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  2. Manuel Santos

    8 de Novembro de 2015 as 21:37

    ANCA, diga-me quem foi que te disse que o incêndio se trata de fogo posto?

  3. Fernando

    9 de Novembro de 2015 as 15:08

    Aí está alguém que sabe tudo sobre estes incêndios, ANCA.
    Aconselho às autoridades a procurarem obter com ela, mais detalhes do que vem acontecendo no Ministério da Saúde…

  4. Carlos MENEZES - cabe angola / batepa

    25 de Novembro de 2015 as 19:29

    Olha já e segunda vês que acontece um incêndio neste ministério
    Desta ministra . Meu amigos mi pareci como e um ministério que só recebe ofertas e gimolas e nao há grandes negocios como nos outros ministérios com mais verbas a circular , tudo leva a crer que alguém quer ter obras para receber os 20/ do empreiteiro e fornecedor . Eu já nao acredito em nossos dirigentes sao salsos profetas . Ate fazem pacto com diabo para. Subirem de vida . Olha mudamos de panela , mais o tempero e sempre o mesmo . Um dia vão mi dar razão

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo