AMFITRITI é barco de homens de negócios belgas e franceses

Nem o Estado são-tomense, nem as suas autoridades, adquiriram o navio Amfitriti. O navio é propriedade de homens de negócios belgas e franceses, que investiram 1 milhão e 700 mil euros na sua aquisição com apoio do grupo privado turístico sul-africano HBD, que opera na ilha Príncipe.

A embarcação comprada na Grécia tem 50 metros de cumprimento, tem capacidade para transportar 240 passageiros, e cerca de 300 toneladas de carga.

Eric Duval cônsul de São Tomé e Príncipe em Paris – França, é um dos accionistas e presidente do grupo que é armador do navio. Outro accionista é cidadão belga, e o navio vai operar em São Tomé, pelas mãos da empresa Oca Logistic, que pertence ao belga Jean Philippe, por sinal cônsul do Reino da Bélgica em São Tomé e Príncipe.

Aliás a empresa Oca Logistic, era administradora do navio Tornado, que fazia ligação entre as duas ilhas e que incendiou há alguns anos ao largo do porto de São Tomé.

Os homens de negócio belga e francês que apostaram na aquisição do navio, receberam também ajuda financeira em forma de empréstimo do grupo sul africano HBD.

Com 50 metros de cumprimento, Amfitriti, está preparado para garantir a ligação marítima semanal entre as duas ilhas, assim como a sub-região africana. Jean Philipe indicou Gabão e os Camarões, como países vizinhos que estão na rota do Amfitriti.

Os investidores belgas e francês pretendem também elevar a competência do navio, para ser uma escola da marinha.

Os proprietários da embarcação fizeram a sua apresentação na ilha de São Tomé, no último fim de semana.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    Felisberto Furtado Responder

    Afinal, é que os gajos da TVS passaram a noticia que o Governo Central também é dum dos donos da embarcação. Estes gajos do ADI, são mesmo Aldrabões desde a Infância

    Quando não é que isto ou aquilo não existe há 4o anos, é o governo que comprou ou mandou.

    Que tristeza. Tudo isto é só para confundir os mesmos informados ou os idiotas.

  2. img
    luisó Responder

    E andaram para aí a dizer que o governo tinha comprado um barco para fazer a ligação ?
    Afinal….apanha-se mais depressa um mentiroso do que um coxo…

  3. img
    Estou aqui Responder

    O que se disse em notícia pelo “tela Non” é que foram autoridades privadas.

    Desculpem a minha ignorância, mas autoridades são sempre do Estado, o que se poderia ter dito foram empresas privadas.

    No meu entender quer dizer que são as autoridades privadas que se suplantam ao Estado, ridículo…..

Deixe um comentario

*