Destaques

Lixo que está a engolir a capital e os arredores pode ser tratado

Basta ao poder local do distrito de Água Grande, dar oportunidade de colaboração às entidades que operam no país a nível da gestão dos resíduos, para a capital São Tomé, livrar-se da pestilência que está a consumi-la.

A constatação é da coordenação do projecto TESE, financiado pela União Europeia. Maite Mendizabal, que há 3 anos coordena o projecto que valoriza os resíduos, e cria empregos,  retratou o estado actual da capital são-tomense e seus arredores. «É evidente aos olhos e ao nariz que o distrito de Água Grande está na pior situação dos últimos anos em matéria de gestão de resíduos. Não sei o que está a passar. Mas o facto é que existe um problema de gestão de resíduos que não está a ser feito como é devido», afirmou.

.Montes de lixo campeiam pela cidade de São Tomé e nos arredores a situação de imundice chega a um nível terrível. «A cidade e os arredores estão numa situação muito perigosa para a saúde humana», alertou a coordenadora do projecto, que se ocupa da gestão dos resíduos apenas nos distritos de Caué, Cantagalo e Mé-Zochi.

As portas estão abertas, segundo Maite Mendizabal, para uma parceria sólida com o poder local de Água Grande. No entanto é preciso que a Câmara de Ekeneide Santos se interesse pela parceria contra o lixo. «Gostaria que fosse elaborada uma estratégia de apoio ao distrito de Água Grande. Eu gostaria de por os nossos serviços a disposição da câmara de Água Grande, apenas como um corpo de apoio e aconselhamento»., frisou.

Segundo Maite Mendizabal, outras organizações não governamentais que operam em São Tomé e Príncipe no domínio de gestão e tratamento dos resíduos, também estão interessadas em colaborar com a autarquia da capital.

Tudo para salvar a imagem de uma cidade que no passado foi considerada como a mais linda e limpa da região africana.

Abel Veiga

 

    8 comentários

8 comentários

  1. Tony

    23 de Fevereiro de 2016 as 8:04

    Sr Presidente de Câmara não lhe interessa continuar como camarário mas sim ambiciona ser Ministro de Obras Públicas.
    Situação fácil de resolver, é por ordem.

  2. Vexado

    23 de Fevereiro de 2016 as 9:51

    O actual presidente da camara municpal concentrou as suas atenções para a pasta do M. Obras públicas e meio ambiente. Segundo informações, ali está o “vabu” em grande escalas, por isso a teimosia.
    Perante a postura imposta pelo actual presidente ao seu lider partidario, demonstra que as coisas não vão bem…ao ponto de exigir que o primeiro ministro de cabo verde o visite nas suas instalações.

    A camara distrital de agua grande tem uma parceria com a camara de praia – ilha de santiago, que pertence ao partido de oposição de cabo verde. Essa jogada politica do presidente da camara ao exigir tal visita denota uma pressão sobre o seu lider…

    Pior de tudo, todos delapidam as verbas do orçamento do Estado sob o olhar atento do actual primeiro ministro, o homem que implementou o sistema de bufaria total e intriga geral no seio da sociedade civil santomense. Se o mesmo tem, segundo o que veicula na cidade, orelha de pinico para escutar tudo não consegue descortinar a corrupção reinante no seu mandato. Até o ministro nono só, varela, faz das suas…e o lider não faz nada.

    O lider não actua porque está refém da sociedade de advogado levy, stock, varela, agostinho e a recem nomeada a administradora da segurança social.

    Quem governa o país é o partido geração esperança mais as pessoas do mlstp, e não o adi. Quem no poder que é do ADi de gema?

  3. Maria de Fatima Santos

    23 de Fevereiro de 2016 as 11:14

    O lixo em Agua Grande deve fazer parte do pacote turistico da autarquia. Daí a apetência por mantê-lo o mais visível possível… e quanto mais melhor!! Deve também fazer parte dos grandes planos de requalificaçao iniciados há uns meses na praça de taxis (lembram-se)?

  4. Blaga Pena

    23 de Fevereiro de 2016 as 11:35

    Bem dito. Na verdade o lixo esta a engolir toda a cidade capital e arredores. Nunca a nossa cidade esteve tao suja, Nunca se viu tanto deixar andar em relacao ao lixo produzido na capital e seus arredores.
    E verdade que falta a consciencia popular no que diz respeito a forma como tratar o lixo e onde e como deitar o lixo, mas verdade seja dita, a camara de Kiney Santos nao esta a dar conta do recado. Os vereadores andam todos aborecidos com ele, ele agora tem nariz empinado e em cada reuniao de trabalho, so se limita a dizer que se fosse ministro das obras publicas saberia como resolver o problema. Por outras palavras esta a chutar a bola para Carlos Vila Nova.

  5. FCL

    23 de Fevereiro de 2016 as 18:38

    …quando recebermos uma visita importante, basta por um tapete vermelho em cima que o problema fica resolvido.

  6. Titano

    24 de Fevereiro de 2016 as 11:56

    Aonde esta a força popular?

    Houve aumentos de taxas e sobre taxas, os deputados reclamarem da verba de clube de amizade.

    O povo deste país só sabe reclamar nos bastidores, quando a febre Amarela que chegar vão gritar, dizendo que ninguém fez nada, e Nós que fizemos?

    Por mínimo vemos povo Europeu e Americanos saírem a rua para o melhor da sua condição de vida, e Nós?..

  7. seabra

    24 de Fevereiro de 2016 as 19:28

    Cadê os varredores e camião da câmara ? No tempo que o senhor Varela da Graça (chofer do camião que tirava o lixo),STP tinha as suas ruas e recantos limpinhos.
    ….era o pai do Afonso Varela,este homem era conscencioso e honesto.

  8. explicar sem complicar

    27 de Fevereiro de 2016 as 10:11

    É PELA PTIMEIRA VEZ DURANTE 40 ANOS que se vê assim tanto lixo nas ruas de S.Tomé a QUERER ENGOLIR população nas ruas.
    ISABEL DOMINGOS de ADI DISSE:
    Isto é Dubai de lá. LÁ ONDE TEM LIXO.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo