Lixo que está a engolir a capital e os arredores pode ser tratado

Basta ao poder local do distrito de Água Grande, dar oportunidade de colaboração às entidades que operam no país a nível da gestão dos resíduos, para a capital São Tomé, livrar-se da pestilência que está a consumi-la.

A constatação é da coordenação do projecto TESE, financiado pela União Europeia. Maite Mendizabal, que há 3 anos coordena o projecto que valoriza os resíduos, e cria empregos,  retratou o estado actual da capital são-tomense e seus arredores. «É evidente aos olhos e ao nariz que o distrito de Água Grande está na pior situação dos últimos anos em matéria de gestão de resíduos. Não sei o que está a passar. Mas o facto é que existe um problema de gestão de resíduos que não está a ser feito como é devido», afirmou.

.Montes de lixo campeiam pela cidade de São Tomé e nos arredores a situação de imundice chega a um nível terrível. «A cidade e os arredores estão numa situação muito perigosa para a saúde humana», alertou a coordenadora do projecto, que se ocupa da gestão dos resíduos apenas nos distritos de Caué, Cantagalo e Mé-Zochi.

As portas estão abertas, segundo Maite Mendizabal, para uma parceria sólida com o poder local de Água Grande. No entanto é preciso que a Câmara de Ekeneide Santos se interesse pela parceria contra o lixo. «Gostaria que fosse elaborada uma estratégia de apoio ao distrito de Água Grande. Eu gostaria de por os nossos serviços a disposição da câmara de Água Grande, apenas como um corpo de apoio e aconselhamento»., frisou.

Segundo Maite Mendizabal, outras organizações não governamentais que operam em São Tomé e Príncipe no domínio de gestão e tratamento dos resíduos, também estão interessadas em colaborar com a autarquia da capital.

Tudo para salvar a imagem de uma cidade que no passado foi considerada como a mais linda e limpa da região africana.

Abel Veiga

 

Notícias relacionadas

  1. img
    Tony Responder

    Sr Presidente de Câmara não lhe interessa continuar como camarário mas sim ambiciona ser Ministro de Obras Públicas.
    Situação fácil de resolver, é por ordem.

  2. img
    Vexado Responder

    O actual presidente da camara municpal concentrou as suas atenções para a pasta do M. Obras públicas e meio ambiente. Segundo informações, ali está o “vabu” em grande escalas, por isso a teimosia.
    Perante a postura imposta pelo actual presidente ao seu lider partidario, demonstra que as coisas não vão bem…ao ponto de exigir que o primeiro ministro de cabo verde o visite nas suas instalações.

    A camara distrital de agua grande tem uma parceria com a camara de praia – ilha de santiago, que pertence ao partido de oposição de cabo verde. Essa jogada politica do presidente da camara ao exigir tal visita denota uma pressão sobre o seu lider…

    Pior de tudo, todos delapidam as verbas do orçamento do Estado sob o olhar atento do actual primeiro ministro, o homem que implementou o sistema de bufaria total e intriga geral no seio da sociedade civil santomense. Se o mesmo tem, segundo o que veicula na cidade, orelha de pinico para escutar tudo não consegue descortinar a corrupção reinante no seu mandato. Até o ministro nono só, varela, faz das suas…e o lider não faz nada.

    O lider não actua porque está refém da sociedade de advogado levy, stock, varela, agostinho e a recem nomeada a administradora da segurança social.

    Quem governa o país é o partido geração esperança mais as pessoas do mlstp, e não o adi. Quem no poder que é do ADi de gema?

  3. img
    Maria de Fatima Santos Responder

    O lixo em Agua Grande deve fazer parte do pacote turistico da autarquia. Daí a apetência por mantê-lo o mais visível possível… e quanto mais melhor!! Deve também fazer parte dos grandes planos de requalificaçao iniciados há uns meses na praça de taxis (lembram-se)?

  4. img
    Blaga Pena Responder

    Bem dito. Na verdade o lixo esta a engolir toda a cidade capital e arredores. Nunca a nossa cidade esteve tao suja, Nunca se viu tanto deixar andar em relacao ao lixo produzido na capital e seus arredores.
    E verdade que falta a consciencia popular no que diz respeito a forma como tratar o lixo e onde e como deitar o lixo, mas verdade seja dita, a camara de Kiney Santos nao esta a dar conta do recado. Os vereadores andam todos aborecidos com ele, ele agora tem nariz empinado e em cada reuniao de trabalho, so se limita a dizer que se fosse ministro das obras publicas saberia como resolver o problema. Por outras palavras esta a chutar a bola para Carlos Vila Nova.

  5. img
    FCL Responder

    …quando recebermos uma visita importante, basta por um tapete vermelho em cima que o problema fica resolvido.

  6. img
    Titano Responder

    Aonde esta a força popular?

    Houve aumentos de taxas e sobre taxas, os deputados reclamarem da verba de clube de amizade.

    O povo deste país só sabe reclamar nos bastidores, quando a febre Amarela que chegar vão gritar, dizendo que ninguém fez nada, e Nós que fizemos?

    Por mínimo vemos povo Europeu e Americanos saírem a rua para o melhor da sua condição de vida, e Nós?..

  7. img
    seabra Responder

    Cadê os varredores e camião da câmara ? No tempo que o senhor Varela da Graça (chofer do camião que tirava o lixo),STP tinha as suas ruas e recantos limpinhos.
    ….era o pai do Afonso Varela,este homem era conscencioso e honesto.

  8. img
    explicar sem complicar Responder

    É PELA PTIMEIRA VEZ DURANTE 40 ANOS que se vê assim tanto lixo nas ruas de S.Tomé a QUERER ENGOLIR população nas ruas.
    ISABEL DOMINGOS de ADI DISSE:
    Isto é Dubai de lá. LÁ ONDE TEM LIXO.

Deixe um comentario

*