00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

Morro Carregado ameaça ambiente 

 São Tomé e Príncipe enfrenta alguns problemas com o saneamento básico do meio, mas a gestão dos resíduos perigosos, nomeadamente os pesticidas constituem a maior preocupação das autoridades nacionais. Existe uma serie de produtos obsoletos que se precisa dar o devido destino ou reexporta-los.

Segundo o director geral do Ambiente Arlindo Carvalho; «um dos grandes problemas que o país tem relaciona-se com a importação, isto porque muitas vezes importamos  mais do que necessitamos.  Depois de utilizarmos uma grande parte desses produtos químicos perigosos não temos como nos desfazer dos mesmos», declarou.

Existem actualmente uma grande quantidade desses produtos químicos no Morro Carregado no interior da ilha de São Tomé que constitui perigo para a saúde humana e para o ambiente em geral.

O Fundo das Nações Unidas para a Alimentação e agricultura(FAO) através do secretariado da convenção de Roterdão, ONUDI Fundo das Nações-Unidas para o Ambiente tem vindo a coordenar acções em conjunto com a direcção nacional do ambiente com vista minimizar os impactos desses produtos químicos perigosos podem causar na saúde humana e ao meio ambiente.

Dai que «a convenção de Roterdão e a sua implementação no país é extremamente importante », disse Arlindo Carvalho, tendo em conta que a mesma regula a importação e comercialização dos produtos químicos. «Com a aplicação na prática desta mesma convenção e  também a ratificação da convenção de Basileia o país terá a possibilidade encontrar parceiros para possível reexportação de  parte desses produtos obsoletos» pontuou ainda o director geral do ambiente.

Neste sentido estão sendo formados os membros da Organização da Química Ambiental “OQUIMAMB”, uma ONG nacional no âmbito da metodologia do inquérito nas comunidades rurais .

Esses membros da referida ONG Nacional vão trabalhar nas comunidades rurais num inquérito com vista a mitigar os efeitos nefastos dos pesticidas no ambiente.

O atelier de formação dos técnicos nacionais esta a ser ministrado por uma representante do secretariado da FAO no âmbito da convenção de Roterdão, NadiaCorreale

O secretariado da convenção de Roterdão trabalha com os três países africanos de Língua Portuguesa nomeadamente, S.Tomé e Príncipe, Guiné Bissau e Cabo Verde num projeto financiado pelo a União Europeia com vista a reduzir os efeitos dos pesticidas na saúde humana e no meio ambiente.

Téla Nón

 

 

Notícias relacionadas

Deixe um comentario

*