Destaques

Missão Conjunta STP-Gabão apreendeu navio de pesca com bandeira espanhola 

A Missão Conjunta das autoridades do sector das pescas e da guarda costeira de São Tomé e Príncipe e do Gabão, iniciaram pela primeira vez a fiscalização conjunta da zona económica exclusiva de São Tomé e Príncipe.

A Missão apoiada pela ONG Internacional SEA Sheperd já começou a produzir resultados. No último sábado uma embarcação com bandeira espanhola foi abordada nas águas territoriais nacionais.

Segundo Alberto Francisco, técnico nacional que participa na fiscalização conjunta STP-Gabão, o navio pesqueiro só foi apreendido no domingo. Com o nome “Almar Primero“, a embarcação de pesca autorizada a operar nas águas nacionais, foi apanhada a capturar espécies proibidas e que não estão inscritas no acordo de pesca. «Abordamos o navio dentro da nossa ZEE com o palangre dentro da água. Mandamos levantar o palangre e o que apareceu era um tubarão azul. É uma espécie protegida. Dentro do porão só havia tubarões e com as aletas cortadas. Só o corte das aletas, já é proibido», denunciou o inspector das pescas Alberto Francisco.

Segundo o técnico nacional envolvido na fiscalização conjunta da ZEE, o navio de bandeira espanhola só está autorizado a pescar atum nas águas nacionais. «Mas os tubarões que encontramos estão proibidos, e estavam também a fazer cortes do atum e isto não é permitido», pontuou.

No último fim-de-semana o navio de bandeira espanhola apreendido na prática de pesca ilegal, estava atracado ao largo da cidade de Neves no norte da ilha de São Tomé. Segundo o inspector das pescas Alberto Francisco, cabe agora as autoridades nacionais decidirem sobre o caso.

Note-se que em 1 de Agosto os governos são-tomense e gabonês deram início a patrulha conjunta da zona económica exclusiva são-tomense, numa parceria com a ONG SEA Sheperd.. A missão conjunta entre os dois países se enquadra no acordo de pesca assinado no ano 2015, que prevê a gestão conjunta dos recursos haliêuticos nas águas territoriais dos dois países.

Abel Veiga

    11 comentários

11 comentários

  1. Manuel Jorge de Carvalho do Rio

    9 de Agosto de 2016 as 11:46

    Braso! Eu sempre defendi o fortalecimento da cooperação sul-sul. Este é um sinal bastante bom. As nossas aguas são pilhadas e nós não temos nenhum control. Com esta acção já apreendemos um barco pesqueiro praticando pesca ilícita e podemos vir a abordar outros mais. Força Direcção das Pescas e a Guarda Costeira de São Tomé e Principe. Muito obrigado ao Governo Gabonês e a ONG SEA Sheperd.
    Os recursos marinhos estão a diminuir significativamente nos oceanos e cada vez mais os Países vêm desdobrando esforços para o control das suas aguas territoriais. Nós temos que obrigatoriamente nos associar aos nossos vizinhos para fazermos alguma coisa e tentar desmantelar esta onda de vandalismo que reina nas nossa zona economica exclusiva, até um dia, virmos a ter meios necessarios para o nosso control.
    Falta-nos também o control das capturas feitas localmente pelos nossos pescadores que cada vez mais vêm utilizando redes com malhas muito finas capturando muitos peixes pequeniníssimos destruíndo por compleito a nossa biodiversidade marinha.

    • Pumbú

      9 de Agosto de 2016 as 18:22

      Carissimo Manuel Jorge, o senhor expressa-se muito bem. Por isso queria que prestasse atenção á palavra CONTROLO. Não leve a mal. Com os melhores cumprimentos.

      • Manuel Jorge de Carvalho do Rio

        10 de Agosto de 2016 as 8:25

        Carrissimo Pumbu,
        Agradeço imenso pelo reparo. Não é control mais sim controlo porque o controlo é a acção ou efeito de controlar, fiscalização,…
        Abraços.

  2. António Silva

    9 de Agosto de 2016 as 17:50

    Começou a dar frutos!É de louvar. Finalmente.
    Isto deveria ter sido feito há muito tempo. Andamos com mais de 20 anos de atraso, no entanto, nunca é tarde. Já andamos a ser roubados há muito tempo.

  3. Explicador meu

    9 de Agosto de 2016 as 18:48

    Carissimo António Silva. O senhor bebeu ou fumou. Que bem? Isto é uma mera coincidência, aliás o barco pesqueira têm licença, só que estava pegando peixe errado. E isto é só para alguns dias e depois senhor António? Como é que vai ser?
    Aliás este navio não está adaptado para isto e pertence ao uma ONG’s Europeia dos que andam a pescar nas nossas aguas.
    Isto é para inglês ver e justificar o dinheiro de alguém.
    Saiba analisar seu ignorante.

  4. Sou Do ADI

    9 de Agosto de 2016 as 20:19

    Isto não é possível, nem normal como é que gabonês vem prender barcos na nossa água? Alguma vez são tomense foi prender qualquer coisa em Gabão. Pior está para vir vamos nos transformar numa Colônia gabonese.

  5. António Silva

    10 de Agosto de 2016 as 8:32

    Quem é este ESCROTO que se esconde atrás do pseudónimo “Explicador Meu”? Porque tem o direito nenhum para dizer que eu bebi ou fumei, quando faço um comentário de uma forma abrangente.
    Pelo seu comentário deduzo imediatamente tratar-se de um insignificante e por isso não vou perder mais o meu tempo “contigo”. Ok

  6. António Silva

    10 de Agosto de 2016 as 10:12

    Correcção
    -Na minha intervenção anterior, queria dizer:
    “…Porque não tem o direito nenhum para fazer..”

  7. Explicador Meu

    10 de Agosto de 2016 as 16:15

    Caro António Silva

    Queres me conhecer, apareças hoje as 00:01horas na porta 01 do Cemitério de Madalena para conversar-mos

    Tenha um bom dia

    • Tou de fora

      17 de Agosto de 2016 as 9:04

      Quando for grande quero ser como tu: assim, macho com colh… grandes e pretos. Como o porco do mato…entendes?

  8. KUNDÚ MUALÁ VÊ

    11 de Agosto de 2016 as 10:46

    Está a forma que viram para tapar o sol com a peneira…
    Haver vamos… Quem viver, verá! São Tomé é de todos nós e não de uma dúzia de gatos pingados…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo