00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

Lancha Infeliz

 Adquirida pelo Estado são-tomense, no valor de 2 milhões de dólares, a lancha de patrulha marítima, número 004, voltou a ser torturada pelo mau tempo que se fez sentir em São Tomé na última semana. Relatos recolhidos pelo Téla Nón dão conta que desta vez, a Lancha Infeliz, não tem hipóteses de ser recuperada.

No passado mês de Março, ela foi alvo de um acidente na baía de Ana Chaves, e depois sofreu um incêndio no seu interior. Na altura o Téla Nón noticiou que tinha sido criada uma comissão de inquérito por despacho do então ministro da Defesa e do Mar, Carlos Stock.

Até a data presente não se conhece o resultado do inquérito.No entanto neste mês de Novembro, a lancha de 2 milhões de dólares acabou por ser castigada pelo mau tempo, e segundo apurou o Téla Nón, perdeu desta vez o que tinha restado do primeiro acidente.

Foi retirada do mar, e se encontra no cais de São Tomé aparentemente sem solução a vista.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    Martelo da Justiça Responder

    Apetece-me fazer a seguinte pergunta para quem de direito responder:
    1º – Porque que os órgãos de comunicação social estatal não transmitem essa notícia??
    2º – Porque razão não se publica o resultado do inquérito do primeiro acidente e a consequente responsabilização?
    3ª – Porque que o Primeiro Ministro Patrice Trovoada não vai ao Parlamento dar a conhecer o estado da nação e responder as perguntas dos deputados como se faz em qualquer Pais civilizado e democrático?
    Estamos de facto perante um Pais de faz de conta. Até quando meu Deus???
    Governantes do meu Pais, faço um grande apelo: Por favor copiam ao menos a atitude dos dirigentes cabo-verdianos. Sejam mais sérios, sejam mais dedicador as tarefas de governação, Saibam que foram eleitos para defender os interesses do Pais e do Povo.

    • img
      Evaldo Wickerhauser Nogueira Responder

      1º – Porque que os órgãos de comunicação social estatal não transmitem essa notícia??—-NÃO SEI
      2º – Porque razão não se publica o resultado do inquérito do primeiro acidente e a consequente responsabilização? TAMBÉM NÃO SEI
      3ª – Porque que o Primeiro Ministro Patrice Trovoada não vai ao Parlamento dar a conhecer o estado da nação e responder as perguntas dos deputados como se faz em qualquer Pais civilizado e democrático? TAMBÉM NÃO SEI.
      Espero ter ajudado

    • img
      Joana Cassandra Responder

      Olha a resposta é clara . Os deputados do PCD e do MLSTP/PSD sabem desse ato de corrupção do Gabriel Costa e Pinto da Costa Por isso nunca vão perguntar o Primeiro Ministro Patrice Trovoada sobre esta lancha . Têm medo e vergonha de falar sobre esta corrupção. Os do PCD e os do MLSTP/PSD sabem perfeitamente que quando Gabriel e Pinto estavam com poder absoluto fizeram muitas asneiras. Lancha que não vale um tostão , que não é operacional compraram por dois milhões de dollares , por isso que ele esta numa boa ferias e com bolsos cheios. Pergunta a Gabriel Costa e não a Patrice Trovoada

  2. img
    Clemilson souza Responder

    Parabéns vão ter que destinar o dinheiro que serviria para a saúde , ensino , etc .Agora vao arrumar essa lancha que o governo não está nem aí com ela !

  3. img
    Sao tomé poderoso Responder

    Mss que raios!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • img
      Evaldo Wickerhauser Nogueira Responder

      Não forma raios.
      Foram ondas e ventos fortes que danificaram a lancha;

  4. img
    luisó Responder

    Como tudo nessa terra que é bom deixam por incúria, desinteresse pela coisa pública, vingança, falta de responsabilidade, e por aí fora, estragar e estragam mesmo.
    É os autocarros oferecidos por Taiwan ou pelos petróleos que ao fim de 2 ou 3 meses é vê-los encostados porque avariam, são as lanchas, é tudo.
    Faz-me lembrar aquela estória que ouvi que havia barcos “zebro” na GC que estavam “avariados” e depois alguém de fora reparou que afinal era só remendar os furos da borracha como quem remenda um pneu de uma bicicleta.
    Assim é São Tomé………

    • img
      Joana Cassandra Responder

      Esta foi resultado do roubo do Gabriel Costa e Pinto, Alguma vez esta casca custa dois milhões? Sr Gabriel tenha vergonha. aquilo é uma canoa e não uma lancha de patrulha O Sr queria é matar filhos de esse pobre povo no mar.

      Um dia o Sr pagará por isso

  5. img
    Emiliano Responder

    Isso demonstra uma falta de responsabilidade e incompetência ou o deixa andar que graça a País. É triste gastar-se Usd 2.000.000,00 para adquirir um bem público, que bem explorado poderia dar recursos para a Guarda Costeira e hoje totalmente destruído.Se o Estado Santomense gasta-se por excesso dbs 20.000.000,00 para construir um bom amarrador nada disso aconteceria.Mas no entretanto, o tesouro público tem biliões de dobras para mensalmente gastar com deslocações ao exterior com o Sr. primeiro ministro e os seus ministros e não só.Pedimos a Assembleia Nacional para criar uma Comissão de Inquérito para nos esclarecer a situação, embora saibamos que a maioria parlamentar tudo fará para branquear a situação.Povo de são Tomé e Príncipe vamos dizer basta a toda essa incompetência e desmando que se instalou no País.

  6. img
    Geoges da Cruz Responder

    Mas, vocês não entenderam que não existe vontade em manter esta Lancha, e que ela constitui uma ameaça aos negócios do PT.
    Mas tarde ou mais cedo tem-se que chamar responsabilidade.

    Isto é uma acção deliberada do governo do ADI

  7. img
    EX Responder

    Era uma Vez STP.

    Com esse Governos de 1º de Junho, é sofrer e mais sofrer, uma triste realidade e triste a sorte desse misero povo.
    Vamos aguentar, e esperar as “próximas eleições”. !!!

    Volto a perguntar será que haverá mesmo eleições?

    Elas não serão fraudulentas com a ultima?

    Com essa comissão eleitoral que já ganhou experiências em artimanhas, e falcatrua, Porque agora não há nada a fazer se não for reclamar e mais reclamar, e no próximo, vão surgir algumas obras por aqui e por ali para se inaugurar nas vésperas das eleições.

    Por favor explicações sobre os 30 Milhões de Dolores que estavam ou estão na CGD em Portugal.
    Tela Nom corre atrás do rastro desse dinheiro, há um tal advogado em Portugal que tem algumas informações sobre o assunto e havia prometido investigar, faz o Jornalismo de investigação, pra sabermos a verdade sobre os factos tendo em conta que esse Primeiro Ministro não dar o povo nem mínima satisfação.

  8. img
    rapaz de Riboque Responder

    algum pais que tenha algum barco para desmantelar que mande para cá pois cá somos a ilha cemitério das barcos pergunto quantos barcos ja encalharam cá em S.Tomé? isto chama-se falta de pessoal formado para determinados serviços os governantes em vez de roubarem o dinheiro do povo formem melhor os seus funcionários isto é uma vergonha não é de admirar na era colonial havia tantas embarcações na baia de Ana Chaves que pertenciam a Castela e ao Lima e Gama depois da Independência distruiram tudo hoje esta um navio ao largos semanas para descarregar ainda aparece muitos espertos a falar para mim o nosso país sempre governado por incomputes desenvergondos e gatunos

  9. img
    luisó Responder

    Por falar em ilha cemitério de barcos….
    Lembram-se de há uns poucos anos de uma empresa espanhola de pescas que abriu falência e que abandonou os barcos-arrastões, se não me engano 7, ao largo da cidade?
    O que fez o governo acerca disto?
    Podiam ter sido “agarrados” para o Estado e criar uma empresa estatal que conjuntamente com a doca pesca que veio a ser construída dar emprego e trazer dividendos para o País.
    Não, deixaram andar e acabaram por serem incendiados, roubados e acabaram ou por afundarem ou dar á costa em paias onde muita gente faz praia com toda a poluição que trazem, em combustíveis, óleos não tirados e ferro que está a decompor-se com a erosão e a poluir as águas e areias do País.

  10. img
    Ralph Responder

    Não conhecendo nada sobre esta ocorrência, parece que, apenas olhando a imagem, o navio se encontrou à deriva e então ficou encalhado, como se alguém se esquecesse de atar o barco à doca.

  11. img
    Eusebio Neto Responder

    Será que essa desgraça toda que tem assolada a Lancha Infeliz, como correctamente foi chamada, não faz parte de um plano para justificar a necessidade de mais 2 ou milhões de dólares para aquisição de uma “nova” lancha? Na verdade custa-me acreditar que essa lancha fosse vitima de tantos acidente sem que ninguém de direito tomasse providencias para evitar os acidentes posteriores. Sendo nosso pais um conjunto de terras rodeado por mar em todos lados e localizado no Golfo da Guiné, uma zona de elevada importância económica e marítima para o mundo e, ao mesmo tempo seriamente ameaçada pelo terrorismo e piratas, nada me admiraria que os nossos dirigentes, particularmente o sr. Emery Trovoada em breve estaria a pedir dinheiro aos americanos, franceses, etc para comprar até mais 2 lanchas de patrulha. Como é hábito, o valor seria vergonhosamente inflaccionado e/ou seriam adquiridas lanchas velhinhas pintadas a novas. O remanescente iria parar à Europa e Libreville em contas privadas a prazo. E assim vai o nosso pais.
    Voltaremos a falar sobre esse tema, não descuidem, por favor.
    Deus nos acuda

    • img
      Evaldo Wickerhauser Nogueira Responder

      Não conheço os detalhes da lancha. mas pela foto pode-se comprar uma melhor e muito equipada por menos de 800 mil dólares. É só pesquizar na internet.

      Se o governo de STeP gastou 2 milhões de dólares nesta lancha é porque ocorreu um enorme desperdício de dinheiro público.

  12. img
    Vicente Lima Responder

    Kaiê Náutica pode repara-lo.

  13. img
    Policarpo Andrade Responder

    Não Ralph-esta foto é de Março de 2016. A actual não está postada. O barco foi resgatado de madrugada e neste momento está em cima do cais de Ana Chaves

  14. img
    joao manuel da trindade Responder

    Carissimos, aí está a resposta mesmo a frente do nosso nariz:

    ”Afinal a lancha de patrulha marítima que chegou ao país em finais de Agosto de 2015, é mais um caso complicado para o Estado são-tomense.

    Foi adquirido pelo anterior Governo de Gabriel Costa, no valor aproximado a 2 milhões e 500 mil dólares, mas segundo as declarações de um oficial da guarda costeira, a lancha se encontra num estado que não cumpre a sua missão.

    Numa visita a embarcação, o oficial responsável pelas operações da guarda costeira, acompanhado pelo Chefe de Estado-maior das Forças Armadas, o brigadeiro Horácio Sousa, descreveu a lancha como um nado morto.

    Segundo Pedro Barros, o técnico que trouxe a embarcação, recusou realizar os testes. Após assumpção do navio em finais de Outubro último, a guarda costeira realizou os testes e deparou com a situação crítica da lancha construída de raiz, por uma empresa chinesa. «A guarda costeira fez o teste e o navio apresentou várias anomalias. O navio tem sido invadido por água. O navio não correspondeu a expectativa. Tem alguns erros técnicos, numa vaga de 1 metro o navio abana muito. O navio não tem equilíbrio. Entra muita água na casa das máquinas e nos camarotes. Isso põe a vida dos tripulantes em causa. O navio foi construído sem nenhum ferro», detalhou o oficial superior da guarda costeira.

    A embarcação vocacionada para fiscalização marítima, não suporta vagas de 1 metro, quando segundo Pedro Barros, as águas nacionais confrontam os navios com vagas superiores a 3 metros de altura. «O navio ao invés de ter um ferro e ter uma chapa, o navio foi fibrado no convés. Essa fibra não suporta a atracação», acrescentou.

    Mais ainda, a lancha que custou aos cofres do Estado cerca de 2 milhões e 500 mil dólares, foi construído para navegar a velocidade de 22 nós mas só consegue atingir os 16 nós. Partes da embarcação já estão a soltar-se, após a primeira experiência no mar nacional.

    Segundo a Guarda Costeira, o Governo está a par da situação. A empresa construtora da embarcação já terá sido contactada para no quadro do período de garantia definido no acordo, encontrar solução para a lancha.”

    Abel Veiga

    • img
      Emiliano Responder

      Sr. João Manuel da Trindade, por favor não venha branquear a situação com informações infundadas, a guarda Costeira dispões de alguém com conhecimento suficiente para falar de embarcações, segundo o senhor , a Guarda Costeira informou que o navio não suporta onda de 3 metros, como é que o navio veio desde Israel até São Tomé e Príncipe com seus próprios meios e não foi ao fundo, passando por locais de ondas elevadas. o problema que está em causa, é o estado de abandono que esses “responsáveis” da Guarda Costeira legaram a embarcação. Não está em causa a velocidade 22 nós ou 5 nós ou casco com problema . A Guarda Costeira deveria criar todas as condições para ter a embarcação bem ancorada, é só isso. É a primeira vez que a embarcação veio para a costa? Melhor dizendo a Guarda Costeira não tem meios nem pessoas com qualificação para gerir os meios postos a disposição da Instituição. FUI.

  15. img
    Florênco Andrade Responder

    Meus compatriotas. A 3 melhores Lanchas de Patrulha estão na terra. Em cima da Ponte já a alguns meses avariadas. Isto deve interessar a alguém.
    Eu não imagino que negociatas devem estar a acontecer neste período nas nossas ZEE?

Deixe um comentario

*