Destaques

Violência no Hospital Ayres de Menezes

Esta tarde por volta das 17 horas, o Hospital Ayres de Menezes, se transformou num palco de tumultos. Tudo, porque segundo fonte médica, uma mulher que se encontrava no hospital para visitar o seu marido internado com a celulite necrotizante, foi duramente espancada por um agente da polícia nacional.

Segundo a fonte médica que relatou o acontecimento para o Téla Nón , a mulher que foi espancada pelo agente da polícia, vai diariamente ao hospital para viisitar o seu marido, que precisa de cuidados especiais, nomeadamente para tomar banho e outros cuidados higiénicos.

Esta tarde, a mulher que se encontrava dentro do recinto hospitalar, recebeu ordens do agente da polícia para se retirar. A fonte médica, disse ao Téla Nón, que só pelo facto da mulher ter protestado contra a ordem do polícia, foi de imediato espancada. «Olha, decidimos enviar a senhora para realizar exames de radiografia, para analisar o seu estado, após o espancamento», referiu a fonte médica que falou para o Téla Nón.(veja a foto com a vítima de violência policial a ser transportada para o banco de urgências).

mulher agredidaComo consequência da acção violenta do agente da Polícia, os populares que se encontravam no recinto hospitalar, entraram em convulsão. O protesto também violento dos cidadãos que assistiram o espancamento da mulher, obrigou o comando da polícia a enviar para o hospital central, um grupo de força especial de intervenção rápida da polícia.

Tudo aconteceu esta tarde. Durante o contacto telefónico do Téla Nón com a fonte médica, eram audíveis os gritos de revolta, que testemunham o momento de tumulto.

A força especial de intervenção rápida da polícia nacional controla a situação no hospital Ayres de Menezes.

Abel Veiga

    20 comentários

20 comentários

  1. Kwa nom

    17 de Março de 2017 as 19:31

    Obrigado tela non p imparcialidade… Não vejo telejornal d TVS nem escuto a notícia d rádio nacional.

    • explicar sem complicar

      18 de Março de 2017 as 20:16

      Meu amigo Kwa NÓN, INFELIZMENTE,
      A TVS E Radio Nacional não fazem estas notícias, porque LESAM Imagem de Patrice Trovoada.
      Mais não tarda muito vamos tomar posição contra estas duas instituições : TVS e RNacional.

  2. Lupuie

    17 de Março de 2017 as 20:30

    Enfim… Esse Dubai vai nos custar muito caro!
    Que o St°. Tomé todo poderoso tenha compaixão dos Santomenses!

  3. Verdade obrigada a ser oculta

    17 de Março de 2017 as 20:31

    A forca Policial santomense esta a precisar de uma licao de verdade, e uma bomba seria otima. Por que isso so de lamentarmos ja nao vale.carascos eles e seus dirigentes.

  4. Raça taco

    17 de Março de 2017 as 21:23

    Enfim , fico fraco .

  5. derley pietro

    18 de Março de 2017 as 0:34

    O que se passou foi uma barbaridade assisti ao vivo, estava com o taxi psrado , quando vi o agente da policia bater na senhora de uma forma Barbara mais incrédulo fiquei com os seus colegas que vendo que o agente procedia a um acto bárbaro nada fizeram principalmente um barrigudo que nada fez assistiu passivamente, depois do mal feito a senhora teve cerca de 30 minutos no portão a exercer o seu direito os senhores do hospital ainda escorraçaram a senhora, juntou se povo revoltado foi quando chegou o contingente policial de arma em punho, revolta da população a senhora foi assistida andava na cadeira de rodas acompanhada por um agente e o diretor do hospital o policia nem vê lo comentava se que ia ser punido esperar para ver
    Lamentavemente no jornal da noite nem uma referencia ao caso pobre de povo pequeno

  6. hornanamaria

    18 de Março de 2017 as 8:48

    Que situação lamentável, minha gente como é possível manter ordem social desta forma?
    Que tristeza num país onde é considerado violência zero.
    Somos nós mesmos que por qualquer motivo que seja, somos violentos connosco?
    Vamos parar para reflectir um pouco.
    Ppolícia deve ser amigo de população, espancar uma senhora num posto de urgência???????Que exagero………..
    Porquê que só depois do caso, é que houve intervenção de agente de hospital???????????
    Na minha opinião se houvesse intervenção de algum agente do hospital, talvez assim isto não teria acontecido. ……….. Até quando meus irmãos??????????

    Cristo tende misericórdia……. Enfim

  7. Dr.Joaquim José da Costa

    18 de Março de 2017 as 9:02

    Sa quá cu sá telanon? É muito triste que São Tomé transformou-se num país que cada um faz o que e como quiser e nunca é punido pelos actos na base das leis em vigor.
    É verdade meus irmãos, quando num país dá-se poder a pessoas analfabetas é este o resultado dos seus actos. Eu nunca poderia acreditar que em São Tomé poderia ter acontecido algo deste género.
    Este caso deve ser levado ao tribunal e este senhor da Polícia que bateu a senhora, deve responder pelas suas acções, No país deve haver uma ditadura da lei e não da força militar. Isso poderá trazer mais tarde para o país grandes problemas sociais dentro e fora do país.
    Temos que unir e lutar contra estes malditos que estão a gozar com este povo pobre e muito calmo.
    A luta continua meus irmãos.

  8. Netisa Borges

    18 de Março de 2017 as 10:30

    Só com cristo meu Deus, como que as coisas ficaram assim!Já não se pode mais falar. O que esta a acontecer com povo santomense! Que Deus ilumina o caminho dessa mulher.

  9. ANCA

    18 de Março de 2017 as 12:30

    Está situação é lamentável,…

    Existem modo de conduta policial, ao menos que a senhora tenha ofendido, agredido a autoridade, nada justifica o espancamento, sob pena do agente incorrer em crime de ofensas corporal,…lembrem-se do caso do quartel, com o ladrão que foi apanhado e que esteve envolvido o comandante geral das Forças Armadas…a sociedade evoluiu a meios de detenção, de contenção que devem ser utilizado, até ser apresentado a justiça e jamais a força brutal e espancamento,…deve-se averiguar o que se passou de facto e se for caso de excesso de zelo, deve-se mover disciplinar, caso contrario de falta de respeito, insultos, difamação a autoridade policial, a justiça deve pronunciar.

    Tens se alertado, para a questão de organização dos setores de serviços hospitalar, a interdição de entrada de familiares e pessoas estranhas não afetas ao serviços Hospitalares, fora da hora de visita, é uma boa norma é a população deve ser sensibilizada para o mesmo.

    Hospital tem enfermeiro e técnicos, deve ser dotados de serviços de geriatria, de alimentação, limpeza, logística,enfermarias, serviços administrativos, etc, etc,…sob pena de jamais assim ser eficiente na missão a que está destinado, pois que nunca deve ou deveria ser permitido que familiares de doentes internados, possam dar banho ao mesmo, ou cuidar dos mesmos, ou levar medicação, a inversão dos papéis de cuidados de saúde, cuidados de internamentos, ou médicos, jamais devem ser observados dentro recinto hospitalar.

    Que por quanto as pessoas saem do País, para cuidados de saúde no exterior, junta médica, porque respeitam os preceitos e normas por exemplo em Portugal, da Unidade Hospitalar onde são tratados, como a hora de visita, permanência ou não num determinado espaço hospitalar, e no seu próprio País(Território/População/Administração), jamais o fazem?

    Volto a frisar a aposta na educação, formação qualificação de base, aos extratos populacional, faz-se sentir de extrema importância, de modo a inverter o modo de ser estar, pensar, saber e saber fazer, para o progresso a nível social, cultural, ambiental, desportivo, político, econômico e financeiro.

    Temos agentes sociais, econômicos, com nível demasiado baixos.

    O ordem, disciplina, a cultura de organização do trabalho, a justiça, a educação, a saúde, a economia, a finanças, são pilares, estruturante da construção da sociedade Território/Administração.

    Tem confiança em ti,

    Acredita juntos somos capaz

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    • Marques

      19 de Março de 2017 as 22:51

      Polícia palerma não entende nada sobre cidadania. É lamentável a forma como esses governantes corruptos deixam o país andar desse jeito. Até mete nojo

    • luisó

      20 de Março de 2017 as 9:49

      Ao menos que a senhora tenha agredido ou ofendido a autoridade? Então se assim for o policia já pode bater ou agredir?
      Se foi assim o policia sabe ou deveria saber como agir, não é preciso agredir ninguém ou espancar.
      Agora também dou-lhe razão que deveria ser o hospital a fazer aquilo que esta senhora iria fazer.
      Enfim.

  10. Adelino

    18 de Março de 2017 as 12:56

    É normal. Numa saciedade em que os agentes estão quase todos sobre efeito do álcool e que não conseguem relacionar os deveres e os seus direitos ou as suas autoridades, isso não é nada de invulgar

  11. Amo STP

    18 de Março de 2017 as 16:49

    Esses policiais devem ser idetificados e irem presos.
    Bando de selvagens!
    Porque nao existe um horario establecido de visita?
    Porque tem que ser os familiars a irem cuidar dos doentes, darem banho e ect?
    Fogo, em que mundo estamos?
    Nunca conheci Saotomenses com essas caracteristicas agressivas!!

  12. katiana

    18 de Março de 2017 as 23:12

    É uma tristeza. É vergonhoso a maneira como os agentes de autoridade abusam do poder e ficam impunes. Por isso que São Tomé está como está. Cada um faz o que quer e a lei não funciona. Para entrar no (dito) Hospital Central tens que passar por um interrogatório com perguntas como o que vieste cá fazer?

  13. Ovídio

    19 de Março de 2017 as 7:24

    Este agente que acometeu esta bárbara brutalidade deveria ser responsabilizado judicialmente e criminalmente por seguintes motivos:
    1- Espancou a senhora indefesa pelo abuso de poder
    2-Desconhece o código deontológico de um agente da polícia.
    3-Em um estado de direito democrático, não e permitido este tipo de comportamento,
    4-Atacou uma cidadã indefesa ferindo-a com gravidade
    A senhora deverá procurar um advogado paraabrir o processo contra o agente
    E o Estado deveria imediatamente sspender o agente das suas funções imediatamente, que culminaria com a sua suspensão da corporação policial, em vertude de ele ser um criminoso dentro da corporação.

    • luisó

      20 de Março de 2017 as 17:06

      O senhor deve com certeza viver fora de África para falar assim.
      O senhor não pode aplicar estas coisas em países que só o são no nome.
      País sem futuro.

  14. Bódom-Baço-Kúlu

    19 de Março de 2017 as 11:12

    Os Policias normalmente existem para proteger os cidadãos e os seus bens, pois são pagos através da contribuição destes! Mas em STP, os policias estão preparados para proteger os malandros e governantes de ADI!Tudo isso, serve para o povo aprender q não deve dar poder totalitario à um só partido(Empresa -ADI)! Bem-feito, quem mandou votar no arroz?

  15. rapaz de Riboque

    20 de Março de 2017 as 10:37

    o problema é um pais que admite policias nos seus quadros sem uma formação adequada, este XUI deve ser alvo de processo disciplinar e ser expulso dos quadros policias e ser julgado pelo crime nos tribunais comuns e ser punido e pagar uma indeminização a vitima é uma vergonha, meus senhores agentes Policiais violentos, corruptos, mal formados, não se pode tolerar, desejo rápidas a vitima e que a justiça seja feita.

  16. jorpalha

    21 de Março de 2017 as 16:57

    Sao validos todos os comentarios feito sobre esta situaçao.
    Porem, as agressoes cometidas pelos agentes da policia nacional nao e novidade.
    Ainda nas semanas atras, agentes da policia nacional meteu_se em problemas com moradores de Ribeira Afonso, prendeu alguns membros desta comunidade de madrugada e nos serviços hospitalares de Agua Ize e espancou_os ate defecarem no corpo.
    Todos os dias as palaies, candongueiros, motoqueiros,e outros sao alvos da policia que os agridem publicamente e saqueiam os seus bens.
    Esta coorporaçao que era uma instituçao de bem, defensora dos direitos,da ordem e tranquilidade publica, agora tornou _se num covil de ladroes e assassinos, salvo alma que nao merece.
    Nao respeita a lei e nem as decisoes judicias; ate ja chegaram a agredir gravemente um oficial da justiça, impuseram armas aos tribunais judiciais, e desta forma impediram a realiwaçao da justiça.
    O estado perdeu controlo por completo sobre esta instituiçao, que tornaram Estado dentro do Estado.
    Ha registo de que alguns oficiais, orinta os seus inferiores hierarquicos para estas e outras condutas ilicitas e ilegais.
    Tambem ha registos de que os agentes da policia recebem ordens dos politicos para os mesmos fins.
    Ja nao podem ser controlados, infelizmente, para bem servir os interesses colectivos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo