Destaques

Ramadão em STP

Associação Islâmica de São Tomé e Príncipe, está reunida na celebração do Ramadão, o quarto pilar do islão. El Haj Muamed Lima, é o líder da Associação Islâmica no país, e garantiu que o islamismo está a crescer no arquipélago.

paixão limaNo ano 1986, Paixão Lima(na foto) como é mais conhecido na sociedade são-tomense era o único muçulmano no país. Segundo ele, a abertura do regime democrático em 1991, permitiu a liberdade de culto, e então a Associação Islâmica nasceu no país. «Tínhamos dificuldades anteriormente porque não era permitido, mas com a mudança do regime permitiu-nos ter maior liberdade de culto, e estamos a seguir», afirmou.

Seguir sob orientação de Alá, na conquista de um país onde o islamismo era desconhecido. Parceiros internacionais, participam na execução do plano de expansão da fé islâmica em São Tomé e Príncipe. «Nós encontramos apoio externo através da Arábia Saudita, Líbia e outros países. Temos dois estudantes na Arábia Saudita, Um já fez teologia e outro está a fazer a Xaria que é a jurisprudência islâmica, e temos mais um na universidade. Quer dizer que estamos a cooperar com a Arábia Saudita», frisou El HaJ Muamed Lima.

O líder garante que a violência não é doutrina do islão. Paz e amor, são valores de uma religião em ascensão no país. «Nós os muçulmanos temos que ter amor ao próximo», pontuou.

muçulmanosCheik wilton das Neves, é teólogo islamista e tem dirigido os cultos do Ramadão na mesquita de Água Bobô. Questionado pelo Téla Nón sobre, a criação de um Estado Islâmico, que tem provocado tanta guerra e sofrimento no mundo, o Cheik, disse que «Não existe Estado nem existe Islâmico». Mais ainda, considerou que os que apregoam tal ideologia «nem são islâmicos».

No entanto defendeu que o mundo tem que mudar. «Fala-se muito de igualdade, mas eu vejo que o mundo precisa muito mais de justiça do que igualdade. O mundo não é igual, mas deve ser justo», concluiu.

Na Mesquita de Água Bobô, os muçulmanos de São Tomé e Príncipe, já cumpriram a primeira semana de sacrifício e jejum, no quadro do Ramadão, que demora 1 mês.

Abel Veiga

    9 comentários

9 comentários

  1. Maria Silva

    7 de Junho de 2017 as 9:03

    Maldita mudança do regime de 1991, maldito são -tomense que não teve coragem de ter cortado o MAL pela raiz desde 1974……
    Deus ( Cristão ) proteja São Tomé e Príncipe!
    Sumú ê lívlá anca n’boca dí cassô êêê

  2. rapaz de Riboque

    7 de Junho de 2017 as 12:35

    quem diria o nosso povo que era tão cristão agora estarem mudar para esta religião, mas o que havemos fazer é respeitar desde que um dia mais tarde não paguemos as consequências

  3. EX

    7 de Junho de 2017 as 17:53

    La vamos nós rumo ao futuro. kkkkk
    ainda não criaram associação dos LGBT, em STP?
    Todo povo moderniza menos nós kkkkkkk.
    kua sca bi.

  4. Dubai

    7 de Junho de 2017 as 19:50

    Esse pessoal da segunda foto parecem condenados.

    • rapaz de Riboque

      8 de Junho de 2017 as 16:36

      o chefe deles tem cara de drogado naquela foto

  5. fox

    7 de Junho de 2017 as 21:02

    mal conseguimos dormir por causa dessa maldita igreja em agua bobo
    3 a 4 da manha impossivel dormir por causa desses malditos

  6. tonga

    9 de Junho de 2017 as 15:12

    aquele gajo que esta na foto tem cara de mafioso

  7. Felisberto Bandeira

    10 de Junho de 2017 as 12:14

    Para acabar com violência no Islão é preciso erradicar a xaria apenas permanecer com o Alcorão , a xaria está preenchida de violência escrito anti Democracia uma série de atos anti humanos

  8. revoltado com tudo isso

    13 de Junho de 2017 as 17:32

    aquele gajo que aparece na 2º foto é mesmo São-tomense ou é estrangeiro? ele tem um aspeto mesmo suspeito ainda a quem sai da sua casa para ouvir uma figura daquela .

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo