Direito de Resposta – Universidade Lusíada de São Tomé

Face à vossa notícia com o título “Mulher de Ministro sentiu-se mal e a Universidade investigou Noemy” (publicada em 15 de Junho de 2017), cumpre-nos esclarecer o seguinte:

Leia o Direito de Resposta na integra - Direito de resposta da Universidade Lusíada STP ao Téla Nón

Notícias relacionadas

  1. img
    FCL Responder

    Aluna a gravar aula da professora sem consentimento em só em Sao Tomé e so com Messias, vamos parar aonde mama? Só nos resta chorare mama…

  2. img
    Original Responder

    Universidade Lusíada não tem alguém responsável para assinar este documento?

  3. img
    Lupuye Responder

    Gravar aulas hoje em dia e uma pratica muito normal. Isso nao e novo e nao acontece so em STP. So em STP as pessoas podem pensar que isso pode trazer problemas para o aluno.

  4. img
    Stp Responder

    O Tela Non não devia publicar esta carta, tendo em conta que não foi assinada e nem tem carimbo da instituição. Pode ter sido qualquer a escrever.

  5. img
    Ilisio Viana Responder

    Não ha ninguém na Universidade Lusiada que seja capaz de dar o rosto pela institução. Sem assinatura essa carta tem validade zero. Ainda assim é de salientar que embora solidario com a senhora à quem fora feita ameaças fisicas por parte de um ministro, não posso concordar que a gravaçao de uma aula seja uma pratica fora do normal, salvo se na Universidade Lusiada existe um estatuto prescrevendo essa pratica e que o mesmo seja do conhecimento dos alunos.

  6. img
    Stp Responder

    As aulas podem ser gravadas para o aluno estudar em casa, não para fazerem bufaria.

  7. img
    Perto mais distante Responder

    É para ADI aprender não se deve desvalorizar os seus em prol dos outros, denominando os seus de incompetentes e dando ases a oposição! Pensem como quiserem eu penso assim, por tudo por nada Dr Patrice tira e põe a oposição esta com os olhos abertos a verem tudo isso, acho que não ficaram pelo Daio e outros nomes da sua administração! Na administração devem sempre estar pessoas que acreditem sempre em ti, estão depostas a se sacrificar por ti, assumiram o erro como colectivo ora a oposição nunca o fará !

  8. img
    EX Responder

    O país já esta no fundo do posso e agora promove a incompetência associadas a bufaria, e com consentimento de uma Universidade.

    A ULSTP antes de abrir o inquirido deveria apurar em que circunstancia a aluna fez a gravação e com que intuito.

    Mas como o caso envolve Ministros a ULSTP esta com medo da repesarias dos mesmos Ministros então resolveu encostar a Professora na parede.

  9. img
    manuel Responder

    O nosso mal é este. Criticar sem conhecer o fundamento das coisas.
    O que tem a funcionária em comentar vida a leia ou maldizer de uma pessoa que não lhe diz respeito , e numa sala de aula para a turma toda. Qual seria as intenções dela ao falar toda essas barbaridades. Antes de comentar tinha noção do que estava a fazer. Se fez, fez com intenções e ponto final

Deixe um comentario

*