Campanha de Informação e Sensibilização da Sociedade Civil STP

Campanha de Informação e Sensibilização da Sociedade Civilde São Tomé e Príncipe
“Mais Participação, Mais Transparência, Melhor Desenvolvimento”

27 de julho a25 de agosto de 2017

Príncipe, 26 de julho de 2017

No dia 27 de julho de 2017 as Organizações da Sociedade Civilde São Tomé e Príncipe -WeBeto; Plataforma para Direitos Humanos e Equidade de Género; Centro de Integridade Pública e a FONG STP – irãolançar na cidade de Santo António, Ilha de Príncipe, a campanha de Sensibilização e Informaçãosobre o envolvimento da sociedade Civil no ciclo orçamental em São Tomé e Príncipe, sob o lema “Mais Participação, Mais Transparência, Melhor Desenvolvimento”. A campanha vai percorrer todos os distritos do país.

O lançamento da campanha, que terá lugar no Centro Cultural do Príncipe, 14h30, será feito pelo Presidente do Governo Regional do Príncipe, Eng.º José Cardoso Cassandra, na presença dos representantes das Organizações da Sociedade Civil que trabalham com o Pro PALOP-TL ISC na monitoria social das finanças públicas, e demais convidados a participar neste evento.

 

A campanha tem como principal objetivo a sensibilização e o envolvimento dos cidadãos no processo de monitoria das finanças públicas em São Tomé e Príncipe, através da sua capacitação para o acompanhamento do ciclo orçamental, ou seja, o processo que vai da planificação, execução, monitoria e avaliação das Contas Públicas, incluindo na perspetiva do Género. Durante a campanha serão feitas articulações com o Parlamento, Tribunais de Contas e o Executivo, num contexto de troca de experiências e de aprendizagem conjunta entre pares, permitindo assim o acesso à informação para uma maior monitoria social das contas públicas.

Esta atividade enquadra-se no âmbito do Plano de Trabalho de 2017 do Pro PALOP-TL ISC, para a Sociedade Civil em São Tomé e Príncipe, aprovado no contexto II Seminário Conjunto IBP/Pro PALOP-TL ISC sobre o Papel da Sociedade Civil na promoção da transparência orçamental e prestação de contas nas finanças públicas dos países da CPLP, em novembro de 2016.

 

Sobre Pro PALOP-TL ISC

O Pro PALOP-TL ISC é inteiramente financiado pela União Europeia num montante total de 6.5 milhões de euros, dos quais 6.4 milhões administrados diretamente pelo PNUD e visa o reforço das capacidades das Instituições Superiores de Controlo, Parlamentos e Sociedade Civil para o controlo externo, fiscalização parlamentar e escrutínio público das despesas e contas públicas, com ações a serem realizadas num horizonte de quatro anos (2014-2017) em todos os PALOP e em Timor-Leste, tendo o projeto sido objeto de uma extensão sem custo em 2016. O projeto tem como objetivo específico o reforço das capacidades de controlo externo, de fiscalização legislativa e de escrutínio do público às finanças públicas nos PALOP e em Timor-Leste.

Para mais informações, contatar:

PNUD Escritório de São Tomé e Príncipe

Ezequiel Fernandes, PNUD, (+239) 2221122, ezequiel.fernandes@undp.org

Organizações da Sociedade Civil

WeBeto – Waldyner Boa Morte- (+239) 980 8451,waldyrboamorte@gmail.com

Plataforma para Direitos Humanos e Equidade de Género – Rui Seca, (+239) 9817000,ruitrindade-stp@hotmail.com

Centro de Integridade Pública – Deotado Capela, (+239) 9911116,capela.d@gmail.com

FONG STP -Eduardo Elba,(+239) 9908858,eduardoelba93@hotmail.com

Unidade de Gestão do Projeto Pro PALOP-TL ISC

Ricardo Godinho Gomes, Gestore Chefe da Unidade de Gestão Pro PALOP-TL ISC, ricardo.g.gomes@cv.jo.un.org

Ana Cristina Vaz, Oficial de Comunicação da Unidade de Gestão do Pro PALOP-TL ISC, ana.vaz@cv.jo.un.org

Notícias relacionadas

  1. img
    Porteiro do Ceu Responder

    Muito bem e seja bem vindo tudo quanto posso contribuir para o bem estar deste pais no presente e no futuro.
    Espera-se também que esta campanha chame a atenção de cada filho desta terra para a miseria em que fomos mergulhados de forma acentuada desde 2014, altura em que ADI começou a tomar conta deste país.
    Que esta campanha seja um mote de reflexão para olhermos bem para o nosso interior e decidirmos o que de facto queremos. Não há melhor arma para a governação de um país do que a decisão do povo nas urnas. O povo deve ser informado para depois escolher seus dirigentes com a devida consciencia e elevação.
    Já chega de tantas mentiras da ADI e do Patrice Trovoada, já chega de tanta humilhação, já chega de tanto acentuar da pobreza e do discredito, até ao nivel da imprensa internacional STP é considerado um país sem jornalistas e isto é grave, muito grave.

  2. img
    MIGBAI Responder

    Tu deves ser mais um porteiro do céu mas que deve estar bêbado desde 1975.
    STP mergulhou na miséria de forma acentuada desde o dia da independência e não como afirmas desde 2014. Que raio de porteiro és tu que não viste durante tantos anos o afundar de STP.

Deixe um comentario

*