Opinião

Carta Aberta a Patrice Trovoada

Carta Aberta a Patrice Trovoada

Senhor primeiro-ministro:

na irrevogável condição de cidadã são-tomense, venho afirmar a minha mais inequívoca indignação perante o fim do programa ‘’Resenha da Semana’’ da Rádio Jubilar, Emissora Católica de São Tomé e Príncipe.

A extinção, todos o sabem, teve, em Vossa Excelência, o mentor e o mandante primário.

Há cinco anos que o programa vinha sendo semanalmente apresentado pelo jornalista Waldyner Boa Morte, um profissional íntegro, cujos convites nunca haviam sido regateados por altos dirigentes  do actual partido no poder, enquanto opositores. Os rótulos de ‘’agente político’’ e de ‘’agente provocador’’ só saltaram para a praça pública quando o ADI regressou ao governo, trazendo de volta, como principal distintivo, uma implacável repressão da agenda informativa e noticiosa dos órgãos estatais de comunicação social. De canal pluralista e jornalista necessário, a Rádio Jubilar e Waldyner Boa Morte transformaram-se em instrumentos da oposição e “dos seus ocultos desígnios”.

‘Resenha da Semana’’ era, na imprensa são-tomense, o derradeiro espaço aberto ao debate livre e ao livre exercício do contraditório. A sua extinção representa, objectivamente, a total erradicação do pluralismo e da liberdade de opinião nas antenas de difusão em São Tomé e Príncipe, confinando estes fundamentais atributos dos regimes democráticos aos órgãos digitais e às redes sociais. Não há como mascarar ou mitigar a brutalidade do golpe, o seu significado e as suas implicações.

Face a tais constatações, senhor primeiro-ministro, o nível da minha indignação,  afigura-se-me directamente proporcional  ao tamanho da lesão que Vossa Excelência acaba de inflingir aos, já de si, frágeis tecidos da democracia são-tomense.

Os cidadãos com opiniões independentes ou contrárias, ficaram sem espaço. Os cidadãos que não se predispõem a embarcar na infantilizadora glorificação do ‘’XVI Governo Constitucional liderado por Sua Excelência, o Dr. Patrice Emery Trovoada’’, estão, pura e simplesmente, silenciados.

Exceptuando os debates parlamentares, já tradicionalmente transmitidos em directo, a oposição deixa de ter espaço para esgrimir argumentos e sustentar os seus pontos de vista.

A si, senhor primeiro-ministro, fica reservada, em exclusivo, a prerrogativa das longas ‘’conversas em família’’, em órgãos cujo funcionamento é pago pelos contribuintes.

Com o país a entrar em fase de pré-campanha eleitoral, fica-lhe exclusivamente reservado espaço para, regularmente, apresentar as suas propostas e ideias, em longas prédicas que, uma e outra vez, se assemelham a monólogos.

Deixou de existir a única alternativa à propaganda desenfreada, à demagogia e à acentuada tendência para o culto da personalidade, totalizando uma agenda comunicacional de apoucamento e menorização dos cidadãos.

O aparente catalizador foi a censurada entrevista em que Peter Lopes prometia   fundamentar as graves acusações proferidas nas redes sociais contra a sua pessoa, nomeadamente, de ter sido o financiador do golpe militar de 2003 e de ter ordenado o assassinato de Pinto da Costa, Fradique de Menezes e Óscar Sousa. Porém. Ninguém duvida de que foi o culminar de uma longa campanha de hostilização, intimidação e pressões.

Em vésperas das eleições presidenciais de 2017, Vossa Excelência havia já pressionado e forçado o bispo da Diocese de São Tomé a suspender o mesmo programa, após a divulgação, numa publicação que lhe é afecta, de ácidas diatribes contra Waldyner Boa Morte, contra a Rádio Jubilar, contra o bispo Manuel António Santos e contra o Vaticano.

Não está em causa o legítimo direito à indignação. É indiscutível o direito à defesa da honra. O direito de recorrer a todos os meios disponíveis para salvaguardar o bom nome não é disputável. Contudo, quando se acciona contra um acusador, toda uma barragem de refutações, desmentidos e suposições, a saber, as de insanidade e de estar ao serviço de outrém;

quando os desmentidos e suposições são transmitidos através de canais públicos que disponibilizam, prontamente, o direito de resposta a acusações nunca nas suas antenas veiculadas, ao mesmo tempo que se bloqueia o acesso da outra parte a uma  rádio privada, é caso para se concluir que algo não estará bem  no Reino da Dinamarca.

Senhor primeiro-ministro:

O povo são-tomense, que, em quarenta anos de independência, nunca antes fora  subdividido em ‘’povo pequeno’’ e ‘’povos outros?’’, entregou-lhe a tríade uma maioria-um governo-um presidente, mandatando-o a exercer o magistério da governação com a robusta autoridade emanada da artimética das urnas, tendo sempre presente os princípios democráticos. Ora, no que à comunicação social concerne, pode-se dizer que o seu magistério enveredou por uma inflexível marcha paquidérmica, pulverizando tudo à sua passagem.

A insistência em responder às críticas ao seu egocentrismo na comunicação social, evocando a censura do seu triunfal regresso em 2014, após dois anos de exílio voluntário, apouca  e derruba as suas promessas de mudar São Tomé e Príncipe em todas as frentes, fazendo mais e melhor do que os seus antecessores.

Em maior ou menor grau, a governamentalização e as interferências partidárias foram um traço dos órgãos estatais, desde que foi instituído o multipartidarismo em São Tomé e Príncipe. Vossa Excelência pode, porém, reivindicar como feito, o  aprimoramento institucionalizado dos mecanismos da censura, do controlo da informação e da notícia, bem como a partidarização dos órgãos, numa escala sem precedentes, em toda a vigência da IIª República.

Nestes três anos, Vossa Excelência continuou, com tenaz afinco, a cultivar o horror ao contraditório e às perguntas imprevisíveis, restaurando uma herança do seu anterior mandato.

Uma das primeiras ‘’acções afirmativas’’, foi acabar com o programa de debates. A equipa organizadora promovera, durante a campanha, uma série de mesas-redondas com todas as forças concorrentes às legislativas e às autárquicas. Em todas, o seu partido, o ADI, fizera-se representar a alto nível.

Foram abolidos os conselhos de redacção.

Nestes três anos, assistiu-se, por inspiração ou expressas ordens suas, à marginalização dos profissionais mais experientes.

Nestes três anos, foi definida e fixada a identidade dos jornalistas que lhe podem dirigir perguntas. São sempre os mesmos.

Definiu-se e fixou-se a identidade dos jornalistas que não podem pôr os pés no Palácio do Governo.

Durante a campanha para as presidenciais, interditou,  através dos seus seguranças, a participação do jornalista Abel Veiga numa conferência de imprensa na primatura e impôs o seu banimento das instalações.

Regressou a censura às músicas, uma prática do modelo partido-Estado e da qual já se havia perdido a memória.

Consequencialmente e sem surpresas, assistiu-se, nestes últimos três anos, ao aumento exponencial dos índices de audiência da ‘’Resenha da Semana’’.

O programa impôs-se como reduto do exercício da cidadania e da liberdade de imprensa em São Tomé e Príncipe.

Esse reduto foi, pelas suas pressões, por si, abatido.

Mas se algum benefício imediato colheu da imposta extinção do programa, senhor primeiro-ministro, foi o de se auto-coroar, conclusivamente, como um líder democraticamente eleito, inimigo da imprensa livre.

São Tomé, 21 de Agosto de 2017

A subscritora: Conceição de Deus Lima

BI 24181

    49 comentários

49 comentários

  1. vicente

    21 de Agosto de 2017 as 22:40

    Subscrevo na integra a sua carta querida cidadã. Numa das minhas criticas ao silenciamento dos jornalistas, perguntei. Porquê que durante as entrevistas ou conferencias de prensa não se encontra outros jornalistas além da trio habitual. Porque não a senhora São Lima, o Silvério Amorim,o Abel Veiga,o Tomba, que Deus o tenha.
    Ao interditar o programa”Resenha da Semana” e a entrevista de Peter Lopes , só quer dizer uma Única coisa. O Primeiro Ministro é o culpado e financiador do golpe sim.É o autor intelectual e estava pronto a sujar as suas mãos de sangue para ser dirigente deste nosso pequeno paraíso.
    Como dizia o meu Avô “Lagaia pô côndê, mago bossa dê na tê côndêfa.

  2. Alberto d' Oliveira

    21 de Agosto de 2017 as 22:47

    Esse Patrice trovisfa é um bruto, imbecil, arrogante, miserável em pessoa. Desde que foi ao poder, dividiu os São -tomenses, pagando os internautas para lhe venerar. Cidadão são-tomense sem cor partidária não pode exprimir livremente porque senhor Patrice Trovoada monopolizou TVS, Rádio nacional. Se o senhor Patrice Trovoada financiou o golpe de estado de 2003, aproveitou para pagar em dinheiro, o Arlecio e outro elemento do batalhão búfalo, atual deputado de ADI para desmitirem a afirmação de Peter. Esse Patrice Trovoada além de roubar o povo, os 30 milhões de dólares (Chinês ), os 17 milhões de dolares (kwait), aproveita e faz viagem sem retorno, tal como STPin London, vive nos negócios obscuros adquirindo barcos para o país e dar orientações para eliminar-los todos, queimando os registos dos mesmos para não ser perseguido pela Interpol Interpol e o povo pequeno vive desinformado numa ditadura silenciosa. Esse indivíduo é diabo em pessoa. São Tomé poderoso e Santo António não dormem, um dia voltarás para sua origem, seu intriguista e bandido, desgraçado. Quem não sabe que foi o Patrice Trovoada, o financiador do golpe de estado de 2003, recorre ao livro do nigeriano, publicado em Londres. Peter afirmou e confirmou, senhor Patrice trovoada pensa que engana ao povo, manipulando informação ao longo de uma semana com outros caldeus bajuladores, cerca de uma semana na TVS, senhor é todo-poderoso, dono da verdade, omnipotente, omnisciente, porque não, dar oportunidade ao Peter?

  3. Maria Silva

    21 de Agosto de 2017 as 23:11

    Este patrice trovoada ( O PILANTRA ) é um erro na qual vamos lembrar por várias gerações , eu espero de fundo do coração, que um dia, povo de STP ( nós ) consiga descalçar esta bota chamado pratrice emery trovoada…. E que SAN BOM DESPACHO despache este mal para longe de STP , e que o caminho de STP fique escuro para patrice trovoada!!

  4. Nilton garrido

    21 de Agosto de 2017 as 23:24

    Liberdade de expressão sim. Mas transformar uma rádio em propaganda politica e manipular a opinião pública contra o primeiro ministro, governo e partido adi é vergonhoso. Nao se pode aceitar que se use uma rádio, ou jornais para difamar, caluniar e chantagear um chefe do governo de um país. Mas essa política de terra queimada q senhores de MLSTp, PCD e Udd, estão habituados fazer contra o cidadão Patrício trovoada merece o meu repúdio. Os senhores só estão destruir imagem e o bom nome de São Tomé e príncipe. Deveriam mas é ter vergonha da vossa governação.

    • Vexado

      22 de Agosto de 2017 as 0:35

      Senhor devia ter vergonha na cara.
      O senhor peter publicou o seu vídeo como consequência da força de bloqueio aos negócios que queria implementar, como resultado do combinado anteriormente aquando do golpe do Estado.
      Que tem a oposição haver com o negócio?

      Todos sabem que senhor peter e o senhor augerio amado Vaz fizeram campanha e apoiaram Evaristo Carvalho e adi nas eleições. Agora ele é manipulado pela oposição?

      A culpa de todo o mal é a oposição?
      Até kinei dos Santos foi coagido a publicar mensagem de apoio ao Patrice trovoada, algo que subiu a forçado, coação moral está gritante dentro do partido ADI.

      Coisa para perguntar, será Levi Nazaré, abinildo Watson, amantes da ditadura?

      O senhor Patrice trovoada tem 50 e tal anos de idade, quer instalar se no poder a todo custo, é porquê?

      Reparem, ele é mais que todos, está acima do partido…coisa do continente. Cara dele é que importa mais ninguém.

      A não ser que essa publicação do peter foi algo montado para caçar Abel Veiga, dado que já há comentários a dizer coisas sobre o tela non…

      Isto está gravíssimo

    • luxemburg

      22 de Agosto de 2017 as 8:05

      Lberdade de expresao, sim. Liberdade. E liberdade e obrigacao de informar. Simples, sem complicar. E obrigacao de nos dizer que passou con o projeto frances para Monté Café, amigo Nilton.

  5. Sambapito

    22 de Agosto de 2017 as 1:01

    Quem é verdadeiro “Ditador” santomense?

    Patrício Trovada é o maior ditador de todos os tempos que diz ser santomense para roubar a nossa riqueza. Temos que correr com esse “cão” do nosso país.
    Parabéns São Lima, pela coragem e frontalidade. Que haja mais pessoas coragosas neste país para travarmos essa ditadura.
    É por isso que ele tem tanta inveja de “Toze Cassandra”. Oh cão Patrício até vc morrer não vais chegar aos pés e “Toze Cassandra”. Aconselho-te a ir para o Príncipe apanhar aulas ou lição de como se vive em democracia. O Toze vem liderando o governo regional a mais de 3 mandato com maioria absoluta na Assembleia Regional e nunca se viu o Toze mudar qualquer regra do jogo democrático para ganhar eleições no gabinete. Sabe porque Patrício Trovada? Ele é inteligente, trabalhador, maduro não é vadio como senhor. Momento de mostrar trabalho o senhor andou a vadiar com dinheiro do povo agora quer manter o poder a todo custo. Ladrão!!! Devias ter vergonha. Podes chamar toda tropa que vc quer. Dia que povo decidir prender vc aqui em São Tomé vais comer pão de diabo amançou. Vc ajuntou com a egocêntrica “Maria do Carmo” acabou com o banco Equador para barrar o Pinto da Costa nas eleições presidenciais, depois veio com história que é devido falta de liquidez. Essa Maria do Carmo nunca me enganou. Armada em intelectual que de bagagem não tem nada. Já ouvi várias pessoas no estrangeiro dizendo que ela não entende patagina de diplomacia.Tudo só para alimentar o ego. Essa mulher é capaz de ajuntar com Patrício para vender o nosso país. Quer ser presidente da república sem vergonha só se for através da “Vitória” no gabinete como é estilo de teu primo. Levy, Abnildo, Stock, Varela, Padres Daio e Carlos, Agustinho Fernades,Salvador Ramos, como é possível que vocês estão a aceitar Patrício Trovoada fazer uma coisa dessa com a população e o país??? Vocês acham isso certo? Professor Cecílio Quaresma, Zé Manuel… eu não estou acreditando! Tudo tem limites!!! Por amor de Deus não faça parte deste plano venenoso deste estrangeiro que é Patrício Trovoada. Alterar o regime no país que durante muito tempo foi considerando professor em matéria da democracia em África do devido um “covarde” que não sabe conviver com o contraditório que o pluralismo proporciona. Analisem comigo se ADI hoje tem maior absoluta no parlamento está fazendo toda essa calamidade, se fosse maioria relativa (2/3)????
    Patrício cuidado São Tomé poderoso com Santo Antônio não dormem!!!! Todos vamos ver você a pagar o que estas a fazer com o nosso país. Sai fora do nosso país sai… Rua… devias ter vergonha de dizer o “nosso país”… Essa terra não te pertence e já nos provaste isso rua… Vai aprender a governar com o teu chefe Toze Cassandra.

  6. Manuel Vicente

    22 de Agosto de 2017 as 2:42

    Frontal e claro. É pena que a elegancia do texto seja demasiada para Patrice Trovoda. A mente e o coração dele só interpretam valores em dólares ou euros e só estão a trabalhar para a eliminação de todos que parecem ter mais valor que ele. O Homem é muito complexado, não tem sentimentos e não entende a verdadeira mensagem do texto. Mas não te frustres São. Nós entendemos o alcance do texto. Esta carta não é em vão. Ela vai contribuir para que melhores dias cheguem mais cedo que tarde para todos os saotomenses. Bem haja!

    O Sr. Nilton Garrido é igualmente pobre de espirito e de alma miserável. O Sr. Patrice pode insultar e difamar todos os saotomenses. Ele é um imaculado, sagrado e as suas accoes não podem ser questionadas e ele não pode ser criticado. Não é?
    Se não sabe fique a saber que o nome de Sao Tomé e Principe está sujo porque STP tem o PM que tem.

  7. Hintze

    22 de Agosto de 2017 as 2:47

    Hoje colhemos o que outrora cultivamos. O atual Chefe de Governo, está exercendo de forma afincada o monopólio que o povo lhe deu de mãos beijadas.
    Que a precarização da saúde, da educação e os constantes assaltos aos cofres públicos nos façam acordar e corrigir o erro.
    Porque não é admissível esse constante boicote aos que lhe são contra, e principalmente a censura que os orgãos de comunicação têm sofrido. QUE NÃO NOS TIREM A VOZ E A LIBERDADE DE EXPRESSÃO

  8. Sa cada kua

    22 de Agosto de 2017 as 6:20

    Hoje, Patrice Trovoada e os seus bajuladores querem que a radio jubilar transmita apenas terço e missas, considerando que esta radio não deve falar do estado do país.
    Mas esses seres esquecem que foi nesta radio, que iam lamentar as suas dores quando em 2012, mandou -se Patrice Trovoada ir plantar batata. O que mudou nesta radio durante esse tempo? Resposta: apenas os actores.
    Como a radio, O programa já não servem os interesses de Patrice Trovoada, é um alvo a abater.
    Isso tudo que está a acontecer nas ilhas é muito triste.

  9. malebobo

    22 de Agosto de 2017 as 7:01

    este pt é vírus de hiv quando penetram no homem jamais sairá por sao tome e santo antonio de Príncipe hade levar este dinossauro de uma vez por toda

  10. Levy Nazaré

    22 de Agosto de 2017 as 7:16

    Ooh Senhor Patrício Trovão: “quem não deve não teme”. Afinal foi o senhor quem financiou o golpe de estado em 2003. Já não temos dúvida. Não conta comigo. Outra coisa, o senhor é teimoso mesmo: todos demos o senhor conselho para não avançar com a separação do tribunal constitucional porque seria muito suspeito e isso não seria bom para credibilidade da nossa justiça ja frágil. Lembra? Mas como o senhor é o dono da sua empresa política (ADI) ordenou para avançar. Quero ver até onde o senhor irá!!! No Príncipe o Toze Governa com maioria absoluta na Assembleia Regional mas nunca vimos ele a tomar medidas para fazer fraude nas eleições. Porque o senhor não aprende com ele???

    Não conta comigo!!! Fui….

  11. Original

    22 de Agosto de 2017 as 7:59

    Este cenário já havia sido desenhado há muito tempo e como as coisas estão a decorrer,peço-vos que tenham paciência porque Deus está atento e quando Ele entender,Zás.Para quem conhece a história,quantos Patrices não existiram? Qual foi destino deles? Solução para este homem há-de vir do alto que é quem criou isto tudo e é dele que dependemos.
    Este Malandro,vigarista,traiçoeiro,bandido,corrupto,divisionista,malfeitor
    creio ter um objectivo único que é liquidar todos que não lhe prestam vassalagem porque crê ser a única pessoa que conhece o melhor para STP e está disposto a tudo para concretizar os seus objectivos.Não creiam que o problema só está na oposição mas também esta política é aplicada a todos em seu redor que ousam contrariá-lo.Faz-se de cordeiro e é:
    Tubarão porque desfaz tudo à sua frente
    Cobra porque mete veneno em tudo onde passa
    Crocodilo porque choraminga e faz-se de vítima esperando momento para
    atacar as suas presas

    Resumindo,este Sr. é um tirano e como não mede meios para atingir os seus objectivos,os meios utilizados por si para atacar os outros,há-de destruí-lo.

  12. FODEBUDU

    22 de Agosto de 2017 as 8:04

    Quem é Nilton Garrido que foi compreendo para defender PT o pior político e o mais odiado no país? Mesmo o pai dele não é tão odiado no país.
    Esse Nilton Garrido nao acredita que PT mamou os 30 milhões ligados a chines que está preso em China? Não acredita no valor de lavagem de dinheiro ligado a BCGI.
    Já viu, senão nas ditaduras as únicas que lhe dá confiança lá fora, existir um primeiro ministro que selecciona apenas 3 jornalistas para entrevistá-lo, esses desenvergonhados, que fazem isso mesmo debaixo de ódio das pessoas, encabeçado por OSCAR MEDEIRO que anda lá na TV a manipular tudo?
    Esse Nilton, pelo menos publicamente, está a envergonhar a família Garrido.
    Não quero imaginar como é que se Deus todo poderoso ajudar esse povo a expulsar esse monstro da politica, por exemplo ele mesmo ganhando com maioria relativa que nunca iria governar, senão combrando como comprou alguns deputados e como comprou Frota e Zé Maria, como voces os seus lambe-bota como irão passar nesta terra. Será olho por olho dente por dente. Porque o que estão a fazer com esse homem não leva ninguém a tolerar e deixar mesmo os bons técnicos que dão cara como tu. Ele ha-de abandonar o país e ir comer o que já subtraiu do povo de diversas formas, usando seu nome fazendo todo negócio sujo. Ele e o pai estão feitos, desde caso Taiwan.
    Nilton Garrido, cuida-te de ti, aproveita e trata da tua vida, como chefe lá da agricultura.
    Sabe que ele contra minimo bom senso na governação, fez subir (triplicou) o número dos funcionários públicos asfixiando a Administração Pública, metendo-te como um dos clientes do ADI?
    É odioso o que esse senhor faz com comunicação social com cumplicidade do seu pai. porque filho de peixe sabe nadar. Aliás é o pai que deu cabo dessa terra com inversão de valores. Sabe que ele é que inventou o bano numa campanha!?
    Deus há-de despachar esse Patrice Trovoada.
    Vamos tolerar o Evaristo Carvalho que em si era um homem respeitável, mas está a cobrir todas as atrocidades desse Governo.
    Em qualquer país democrático e sério, este governo seria demitido, sem mais.
    Mas há de sobrar para Evaristo, embora ele possa vir a beneficiar de reformar como presidente e com as mordomias. Mas que de bens materiais vive desprezando valores morais e a vida de um povo há-de morrer desanimado.
    Patrice há-de desaparecer desse país!

  13. Sãotomense

    22 de Agosto de 2017 as 8:52

    Antes de tudo, quero felicitar a Sra Conceição Lima pela coragem e pela escolha de palavras certas para caracterizar o absurdo da acção desse primeiro Ministro.De facto perdemos um e único palco onde cada cidadão sobretudo aqueles que não podem falar e exprimir as suas opiniões possa manifestar também o que lhe vai na alma. Fico triste por isso. Quero aproveitar para dirigir algumas palavras ao jovem Nilton Garrido para lhe dizer que como jovem que é e supostamente formado e com mente aberta, que não se deixe embarcar nisso, só pelo facto de estar neste momento com algum privilégio beneficiando com viagens à China, etc, etc. Estamos no sec. xxi e você sabe que em todos os Países democráticos, os governantes são atacados em todas as frentes. Só os verdadeiros democratas, os verdadeiros políticos, os inteligentes sabem lidar com os mídia. Infelizmente o seu “Pastor”, não sabe lidar com isso.
    Espero que não façam o mesmo com o Tela Non, pois estaríamos rumo às políticas de Coreia do Norte ou da Venezuela. Como a Conceição Deus Lima, todos os Sãotomenses deviam se juntar contra esse atentado. Bem Haja a todos!

  14. Arroz Substancia

    22 de Agosto de 2017 as 8:58

    Cá para mim é preciso é muita calma porque aqui cada um esta a defender a sua cor partidária por causa do tacho corremos com os brancos em 1975 para servimos os nossos próprios interesses uns têm tudo a maioria do povo não têm o básico para viver.

  15. anti-ditadura

    22 de Agosto de 2017 as 9:21

    Sr.Nilton Garrido,não se trata de política de terra queimada conforme o senhor diz que os senhores de Mlstp e outros partidos da oposição estão a fazer.O senhor como já faz parte de um dos lambebotas do patricio Tempestade,o senhor já conseguiu o tacho como Director do Gabinete e está aqui a mandar boca.Tenha um pouco de dignidade pá.Eu que estou aqui estou muito,mas muito indignado com essa corja de ADI.O Sr.Patricio Trovoada é dono de S.Tomé ou é 1º Ministro do país? Vejam a onde chegamos senhores lambebotas e bajuladores do ADI. Mandar acabar com um programa tão nobre,onde as pessoas possam opinar as suas ideias,na rádio jubilar,um programa com muita audiência no país todo,em que ponto chegamos. Isto está muito,mas muito mal.Os senhores podem fazer mil estradas,aeroportos e tudo,mas tentar implementar a ditadura aqui,isto é que faltava.Jamais votarei em ADI,porque um cidadão comum pode entender esse jogo sujo de Patricio Trovoada e os seus lacaios de ADI.Isto está demais,muito abuso dom poder,senhores lambebotas está-se a dinigrir a imagem de Patrício Trovoada? De que forma? Quem não deve,não teme.Já estou farto,eu nem vejo mas,nem escuto o que o Sr.Trovoada anda a dizer! Estão a temer o quê? Têm rabo de palha?Olha! Olha! Olha! Tem que haver uma grande mnanifestação,temos que sair a rua!

  16. maria de nazare

    22 de Agosto de 2017 as 9:33

    Bom dia compatriotas

    São Lima, obrigada por seres quem és, por continuares com força mesmo quando os malfeitores tudo fazem para te destruir, mas o bem prevalecerá sempre.
    Vamos deixar o Senhor Patrice dar todos os tiros nos pés, lembrem-se que o povo disse: solte barabás e crucifica Jesus, o mesmo povo que o glorificava e recebia os milagres…..
    O sr. Patrice entrou em 2012 aplaudido e glorificado do aeroporto até a capital pelo povo, o mesmo povo que o vai crucificar++…
    O mesmo que se acha muçulmano e por isso destrespeita toda a religião, é a personificação de Lúcifer e não tem limites, reparem como ele aparece vaidoso quando chega a conclusão que é o homem mais odiado de STP, eu diria que foste amaldiçoado a nascença
    mas o povo merece barabás, vamos aguardando o desfecho de tudo….. Nino Vieira foi esquartejado como Porco, Savimbi esburacado como peneira,o seu amigo Kadaphi Degolado como perú…traçaram eles mesmos os seus destinos, daí que tempos bons virão, verdadeiro tempo da mudança… ter fé e acreditar ” A Deus nada é imposível….

    Bem aja ao povo de São Tomé, o apóstolo incrédulo : Precisa de ver para crer….

  17. Netinho castro

    22 de Agosto de 2017 as 9:41

    Ora nem mais Sao lima. Parabens pela tua carta. Na verdade todos os verdadeiros profissionais da comunicacao social santomense Patrice Trovoada silenciou. Silenciaram Silverio Amorim, silenciaram Jose Boucas, silenciaram Adelino lucas, silenciaram juvenal rodrigues, silenciaram manuel barros, silenciaram voce propria e mataram armindo tomba e Deogenes Cravid. Mas eles quw se cuidem porque a interpol esta a caminho.

  18. minha terra,minha gente

    22 de Agosto de 2017 as 10:12

    Definitivamente, estamos a caminhar para o fim daquilo que se entendeu uma vez como Democracia. Lamento a atitude infeliz e maquiavélico do nosso PM, lamento principalmente a atitude do nosso jovem Nilton Garrido. A ele só lhe desejo vida e saúde, pois aqui se faz aqui se paga. Se por meia dúzia de tostões, viagens e tacho, te vendeste a mais pura ditadura alguma vez existente neste país, acredito que pior poderás fazer. De ti, sinto é pena, como um jovem culto e promissor que és ou podias vir a ser, e ver-te a prestar a este papel, quando a verdade está na cara, isso sim é digno de incensante repúdio. Como eu disse atrás, que Deus te dê vida e saúde e a nós também, pois quem ri por último, ri melhor. Parabéns São, Juntamos a ti para fazermos vozes cerradas contra este fenômeno macabro, contra esses anti-democratas reinantes no nosso belo país.

  19. E. Tavares

    22 de Agosto de 2017 as 10:33

    O mais grave disso tudo não são acusações de senhor Peter, nem censura a comunicação social, nem a tentativa de criação de nova assembleia Nacional e separação de tribunal constitucional com objetivo de fraude eleitoral o mais grave é saber que muitos pessoas que no passado criticava MLSTP e o Pinto da Costa hoje defende cegamente as atrocidades deste homem , é saber que a sociedade Civil e a diáspora não reagem.

    • Tribunal Inconstitucional

      22 de Agosto de 2017 as 12:48

      Nem mais.
      Tudo é culpa do passado, tudo é normal, porque “já houve, já aconteceu, os outros fizeram”, como se tivessem sido eleitos para fazer o mesmo e não melhor.
      Esquecem-se que nenhum outro Governo teve melhor oportunidade para fazer de facto algo para sairmos desse marasmo.

      Nenhum outro Governo conseguiu concluir sua legislatura porque os presidentes não deixaram, nem mesmo com Governo de maioria absoluta.

      Serão os Governos que nunca terminaram seus programas os maiores culpados?

      A esta amnésia de 1991 à 2011, chama-se memoria selectiva e oportunismo.

      A História julgará . . .

  20. Maria Ricardo

    22 de Agosto de 2017 as 10:36

    Subscrevo com muito orgulho a carta aberta tornada publico pela Jornalista Conceição Deus Lima. Sr. Patrice Trovoada, continua semeando horror, ódio e divisão no seio dos santomenses. Ele que aguarde… O seu fim está próximo. Deus escreve firme em linhas tortas.

  21. STP Think Tank

    22 de Agosto de 2017 as 11:10

    STP Think Tank,
    Heleno Mendes

    Uma grande franja da população Santomense, persegue a luz porque faz calor.
    Actualmente, têm as trevas de um imperador nu, para aprenderem melhor a saber escolher no futuro.
    Construamos com as nossas proprias mentes uma Pátria renovada.

  22. boca pito

    22 de Agosto de 2017 as 11:29

    Realmente foi um golpe o silenciamento deste espaço numa emissora que há cerca de quatro cinco anos serviu o actual partido no poder.
    Mas enfim…muitas coisas, muita gente não sabe. Vcs sabem como é que lhe chamam dentro da sua rede, fora de São Tomé e Príncipe? Ele tem outro nome e não esse que conhecemos. Um nome árabe. Ele é também um dos mafiosos no tráfico de armas ai na região do centro de África (Mali, por aí). Mas enfim…este país ficou sem modelo político, nem os do poder, nem os da oposição. A alternativa aí é o partido ABSTENÇÃO ou PARTIDO DE VOTOS EM BRANCO.

  23. Dosreis

    22 de Agosto de 2017 as 12:18

    Quanto ao assunto em epígrafe é caso de se criar um outro tempo de antena em mesmos moldes e com outro nome ao invés de se estar a pedir permissa suplicando ao senhor para que liberte os nossos ideias, se se voltar a fechar, cria-se de novo e assim sucessivamente e fragilizando a posição do governo junto à opinião pública. Somos um povo sofrido e privado da nossa liberdade intelectual em privilégio de alguns que a quando das eleições disfarçaram-se, vestindo de coelhinhos da páscua distribuindo dinheiro duvidoso aos mais distraidos.Pelo que pude ver a quando da minha recente passagem ao país posso categoricamente afirmar que o meu país regridiu,”cria ricos ao invés de riqueza”. Esse ditador não serve aos reais interesses do país.

  24. E. Tavares

    22 de Agosto de 2017 as 12:22

    Ao contrário de demais políticos que já passaram do poder em São Tomé e Príncipe o Patrice Trovada é capaz de tudo para se manter no poder e satisfazer as suas ambições pessoais este homem é frio calculista e sem sentimento. Muito cuidado Levy Nazaré, Abnildo d’Oliveira, Agostinho Fernandes,Nilton Garido, Hélio d’Almeida etc, no dia que o Patrice Trovada não precisar mais de vocês ele será capaz de descartar como lixo, mandar matar etc, toma como exemplo o qual Peter que um dia foi muito importante para dar golpe de estado mais depois foi deitado fora como lixo. Esta é a razão pelo qual ele fez este vídeo
    inclusive

  25. Gerardo Costa

    22 de Agosto de 2017 as 12:26

    OS SONHOS MAÇÓNICOS DE PATRICE TROVOADA:
    1. Fabricar uma Comissão Eleitoral de raiz do ADI para defraudar os resultados eleitorais.

    2. Fabricar um Tribunal Constitucional do ADI para Validar os resultados das próximas eleições autárquicas e legislativas.

    3. Ganhar estas duas eleições de forma Fraudulenta com MAIORIA QUALIFICADA.

    4. Fazer uma revisão constitucional, para alterar o período de todas as eleições que passarão a ser de 7 em sete anos, assim como do Presidente da Republica que passará a ser também de 7 em 7 anos, e até aos 90 anos de idade.

    5. Candidatar-se a Presidências da Republica e ficar lá até aos 90 anos, com o controle de todos os poderes da Republica.

    6. O xeque-mate, está em curso…

  26. Antonia Camila Guedes

    22 de Agosto de 2017 as 12:27

    isto é verdade ?

    • pascoal de carvalho

      27 de Agosto de 2017 as 20:10

      basta prestar atenção pormenorizada aos atuais factos e ocorrências dos últimos tempos.

  27. Zuleide Duarte

    22 de Agosto de 2017 as 12:54

    Andam prá trás, esses malditos. Parabéns, São por se colocar tão elegantemente diante de toda essa Patifaria
    Abençoada Conceição de Deus

  28. Uma Calamidade Tranformada pelo tirano PT

    22 de Agosto de 2017 as 14:23

    Força São Lima!
    És uma cidadã e Jornalista exemplar!
    Gostaria muito que fosse tu na entrevista 50 Minutos que é entrevistado pelo “Bufu” do Mateus Fereira.

  29. João Sousa

    22 de Agosto de 2017 as 14:45

    Amiga São,
    Desculpa que lhe diga, discordo em absoluto com o seu texto. Nunca a liberdade individual ou de imprensa esteve ameaçada em STP. O que acontece é que certos partidos políticos querem fazer uso de Waldyr Boa Morte e sua radio e programação para desestabilizar o país, isso nunca será permitido. Em democracia ha regras serem respeitadas em qualquer seja USA, STP ou qualquer outro país.
    A nossa democracia é jovem, frágil e cheio de lacunas é preciso muita cautela em como gerir os destinos do país porque há pessoas apenas interessadas em prejudicar a boa imagem do país porque estão desesperadas.

    • Uma Calamidade Tranformada pelo tirano PT

      22 de Agosto de 2017 as 15:32

      Nunca mesmo caro João????

    • Voz do povo

      22 de Agosto de 2017 as 16:08

      Hoje porque não serve aos interesses da ADI e do seu chefe, o programa quer desestabilizar o país. No passado, neste mesmo programa, os dirigentes do ADI usavam da palavra para criticar a “Troika” ainda assim, não foram censurados. Convenhamos ó senhor João Sousa. Em que democracia o senhor viu a mandar anular um programa, se não a rádio é fechada?! Quem não deve, não teme. Estão a falar tanta coisa a volta do Peter Lopes, mas esqueceram que ele não foi o primeiro a anunciar isso. Há mais alguém que publicou o livro que fala sobre o golpe. O Senhor Salvador, ex-Secretário-Geral da Frente sabe, o problema é que hoje ele é deputado da ADI. Vários lambe-botas estão a postar no Facebook mensagem de solidariedade ao Patrice Trovoada, uma tristeza.

    • Martelo da Justiça

      22 de Agosto de 2017 as 21:18

      Senhor João Sousa, explica-la então, porque é que este Governo acabou com o programa de debate da São na TVS logo que o ADI assumiu a governação? Como é que num Pais democrático não há um programa de debate livre onde se possa praticar o contraditório? Nós que gostamos imitar o que se faz lá fora porque que não se imita o RDP, RTP, e já agora a Rádio Católica Renascença de Portugal? Aquilo que se pretende instaurar aqui em São Tomé Príncipe tem as características de um Pais ditatorial. É um caso inédito depois da instauração do regime democrático. O Senhor João Sousa ainda não se apercebeu que o Senhor Patrice Trovoada tem tiques de ditador e autoritário? Ainda não deu conta que todos que desafiam o PT sofre represália? Com que direito tem o PT de pressionar o encerramento de um Programa de debate de ideias numa Radio privada e não cria as condições para a plena participação dos Partidos da oposição nos diversos Órgãos de Comunicação Social em que todos nós somos contribuintes? Quem disse o PT que na democracia o facto de um Partido ter a maioria absoluta tenha que decidir tudo sem ouvir a oposição sobretudo em assuntos importantes para a vida da Nação? Porquê que o PT tem o direito de ter todo tempo de antena que quiser e os Lideres dos Partidos quase nenhum? Meu caro compatriota João Sousa, deixo essas perguntas para a sua reflexão. Ao longo da história conhecemos casos em que deixamos ser enganados por ditadores disfarçados em democratas e acabamos por ser vitima dos seus desejos. O Gorgulho também enganou muita gente no inicio ao ponto da população oferecer-lhe uma espada. Viu o que aconteceu depois?? É preciso estarmos atentos!!

  30. Guadalupe

    22 de Agosto de 2017 as 17:07

    Senhor Jõao Sousa.
    Não seria necessário usar uma emissora privada, ainda mais do vaticano para poder trazer apenas algums debates e algumas verdades sobre a vida socio política e cunjuntura económica financeira do país caso a emissora e televisão de todos voces estivesse ao cerviço de todos.
    O senhor quer agora convencer as pessoas de que os partidos que estão actualmente na oposição são os culpados desse desgraçado do teu patrão ter pensado, programado e ordenado golpe de estado e assasinato de antecessores presidentes do teu pau mandado, fradulento presidente?
    Afinal o senhor só é cego prque não quer ver. Calado contribuirias melhor. Só estas a dar provas de ser mesmo não só um povo pequqno, mas também pobre de mente.
    Lamento a sua dor de cotovelo pela carta da São.

  31. António Portugal

    22 de Agosto de 2017 as 17:18

    Assim começam as ditaduras! Lina terra, merecia melhores governantes em lugar de exploradores, a caminharem para um descarado fascismo! Será o Maduro de África? Mas aqui há que criticar mais o povo, do que o homem! Afinal deram-lhe o voto… Agora, há que aguentar!

  32. Adelino Cardoso Cassandra

    22 de Agosto de 2017 as 17:59

    Minha cara amiga São Deus Lima! Subscrevo totalmente o conteúdo da tua carta. Aproveitarem, contudo, para dar algumas achegas relacionadas com o referido problema.

    Começarei por expor alguns factos numerados, não necessariamente na ordem hierárquica temporal como aconteceram, relacionados com a ocorrência do referido assunto, antes de fazer a interpretação dos mesmos.

    Factos

    1- Houve uma rutura institucional repentina ou golpe de Estado, em 2003, levada a cabo por alguns militares em associação com ex-búfalos, contrariando, deste modo, a normalidade democrática e o Estado de Direito estabelecido;
    2- O senhor Peter Lopes, na qualidade de ex-búfalo, participou na referida intentona;
    3- Nunca se descortinou, num Tribunal nacional ou em qualquer outro espaço público ou mediático, os verdadeiros responsáveis políticos pela rutura institucional em causa, para além da assunção temporal, verbalizada pelos próprios perpetradores. Ou seja, nenhum Santomense conhece, até hoje, os verdadeiros responsáveis políticos pela referida rutura institucional até, pelo facto, de ter ocorrido uma amnistia, como expediente para a resolução do referido conflito, que perdoou o facto punível em causa e suspendeu as eventuais perseguições aos perpetradores da referida intentona;
    4- Foi publicado um livro, em 2012, de um escritor Nigeriano, citando fontes dos serviços secretos Nigerianos, que fazia referência ao papel das organizações regionais na mediação de conflitos em África, aludindo ao facto do atual primeiro-ministro de S.Tomé e Príncipe, Patrice Trovoada, ter sido o principal financiador e cérebro do referido golpe de Estado;
    5- Nunca o senhor primeiro-ministro, Patrice Trovoada, desmentiu, em qualquer contexto público ou mediático, tal afirmação, em contraposição às teses do referido escritor Nigeriano;
    6- O senhor Peter Lopes, participante na referida intentona, postou um vídeo nas redes sociais, no dia 15 de agosto, em que denuncia que o senhor primeiro-ministro de S.Tomé e Príncipe, Patrice Trovoada, é, de facto, o principal financiador do referido golpe de Estado confirmando ser ele que dera ordens expressas aos perpetradores para que eliminassem fisicamente, no decurso da referida intentona, três influentes políticos Santomenses , designadamente, Manuel Pinto da Costa (ex-presidente da república) Fradique de Menezes (ex-presidente da república) e Óscar de Sousa (ex-ministro da defesa);
    7- No dia 18 de agosto, o senhor primeiro-ministro reagiu, em jeito de resposta, numa entrevista na rádio nacional e TVS, contrariando as teses do senhor Peter Lopes, tendo afirmando que “apelou aos órgãos judiciais para tudo fazerem para trazerem essas pessoas para a justiça” afirmando, posteriormente, que se trata de “pura, simples e maldosa difamação”;
    8- O senhor Arlécio Costa, (ex-membro dos búfalos) correligionário do senhor Peter Lopes e também participante no referido golpe de Estado dá uma entrevista na rádio e televisão públicas contrariando as teses do seu companheiro Peter Lopes;
    9- A rádio Jubilar (privada), de inspiração católica, é a única no país, que tinha na sua programação, um espaço de debate e reflexão, semanalmente, sobre os principais problemas do país, dinamizado pelo jornalista Waldiner Boa Morte, ao contrário daquilo que acontece com a rádio e televisão públicas;
    10- O senhor primeiro-ministro, a dada altura, segundo as palavras do jornalista Waldiner Boa Morte, chamou-o ao palácio governamental, para que este o explicasse o que estava a acontecer na mesma fazendo-o saber “que não se revia no painel dos comentadores/analistas do referido programa”;
    11- O jornalista Waldiner Boa Morte, perante os factos relatados em 6, 7 e 8, e, até, como forma de estímulo ao pluralismo, ao contraditório, informação aos cidadãos (resposta ao facto relatado em 3) e liberdade de acesso às fontes de informação, decidiu ouvir o senhor Peter Lopes no espaço de debate e reflexão que dinamiza na referida rádio privada da mesma forma que o senhor primeiro-ministro, perante as acusações do senhor Peter Lopes, nas redes sociais, defendera-se das referidas acusações nas rádio e televisão públicas do país. Ou seja, o senhor Peter Lopes era a única pessoa que ainda não tivera a oportunidade de falar sobre o assunto em causa, em nenhuma rádio ou televisão, no contexto nacional, e o jornalista em causa decidiu ouvir o senhor Peter Lopes dando-lhe a oportunidade de esclarecer e, eventualmente, contrapor argumentos;
    12- A referida entrevista ao senhor Peter Lopes é cancelada por pressões do senhor primeiro-ministro às entidades responsáveis pela referida rádio privada.
    13- O jornalista Waldiner Boa Morte perante tantas pressões do governo e das entidades responsáveis pela referida rádio decidiu acabar com o único programa semanal de debate e reflexão sobre os problemas do país.
    14- De acordo com a Lei de imprensa do nosso país, o direito de informar integra, entre outros, além da liberdade da expressão do pensamento, os seguintes aspetos:
    14.1- A liberdade de acesso às fontes de informação;
    14.2- A liberdade de difusão e publicação;

    Interpretação dos Factos

    1- De acordo com o facto narrado em 1, posso concluir que existiu/existe um problema político importante no país, golpe de Estado, que provocou uma rutura institucional, com todas consequências que conhecemos e, até hoje, não conhecemos os principais responsáveis políticos pela sua implementação. Em qualquer sociedade democrática, o livre exercício jornalístico, relacionado com sua análise e reflexão, deveria ser estimulado sobretudo quando aparece, por mais do que uma vez, insinuações sobre a participação do atual primeiro-ministro, (ver factos 4, 5 e 6) na sua organização e implementação. Eu não estou a acusar nem ninguém está a acusar o senhor primeiro-ministro de participação na referida intentona (para além do senhor Peter Lopes e do escritor Nigeriano). O que eu quero, como cidadão deste país, é que este problema político, que o país tem, seja objeto de debate e reflexão tendo em conta a importância e o papel que a referida figura ocupa na nossa sociedade (1º ministro da república). Não podemos ter um primeiro-ministro que esteja, indefinidamente, sob suspeita de participação num golpe de Estado porque isto mina a sua credibilidade, interna e externa, como representante do governo, sobretudo de um país que vive de apoios e doações internacionais e a conduta do seu governo, nos últimos três anos, voluntária ou involuntariamente, indicia um propósito nos antípodas daquilo que é a normalidade num Estado democrático e de direito. As pessoas têm todo o direito de questionar: isto é verdade? O senhor Peter está a mentir? O senhor Arlécio Costa está a mentir? O escritor Nigeriano está a mentir? O senhor primeiro-ministro está a mentir? Isto é democracia!! Para além da intervenção da justiça, (que não é para aí chamada ainda) os cidadãos só podem fazer o seu juízo de valor, bom ou mau, num país democrático, tendo a oportunidade de ouvir todas as partes envolvidas no referido assunto. As palavras do senhor primeiro-ministro e do senhor Arlécio Costa têm, em princípio, até prova em contrário, a mesma dignidade das palavras do senhor Peter Lopes. Têm medo do quê?? A tentativa de transformação deste problema, ainda nesta fase, num problema judicial, transformando, contudo, o senhor Peter Lopes em vilão e o senhor primeiro-ministro em potencial vítima, recusando que aquele tenha oportunidade de explicar as razões das suas acusações, configura, em si mesmo, um ato de censura e privação de direitos numa verdadeira democracia. Seria desejável que tal problema fosse tema de debate e reflexão alargada no país, até pelo facto de, como o demonstra o facto 1, o problema nunca ter sido motivo de análise em nenhum palco, institucional ou mediático, incluindo os Tribunais. Não podemos andar, todos os dias, a fazer julgamentos políticos relacionados com a nossa vida em comunidade, durante a 1ª república, que é legítimo e desejável que se faça, até como forma de minimizar as condições da sua ocorrência em contexto democrático, e, no entanto, impedir que julgamentos, tão ou mais delicados, que ocorreram no contexto democrático, como o referenciado golpe de Estado, sejam totalmente proibidos de debate ou reflexão. Que democracia é esta?

    2- O senhor primeiro-ministro, tendo em conta os factos 10 e 14 condicionou, de forma irremediável, a atividade profissional do jornalista Waldiner Boa Morte. Num Estado de Direito Democrático, um primeiro-ministro não pode nem deve chamar um jornalista ao seu gabinete, quer ele seja de uma rádio privada ou pública, sugerindo-lhe, que não se revê nos participantes de um programa que o mesmo dinamiza. Este é um ato perturbador da atividade profissional e da liberdade do referido jornalista ou, mesmo, de censura política. Quem tinha dúvidas de que no país imperava a censura, esta é a prova cabal. Isto é um crime público que condiciona a atividade dos profissionais desta área, indiciando tratar-se de atentado à liberdade de informação bem como de imprensa. Assusta-me que, perante estas acusações, o senhor procurador-Geral da República mantém-se mudo, surdo e cego criando condições para que a prática em causa continue a disseminar no país sem qualquer tendência para a minimização ou ocorrência. Assusta-me, ainda mais, que no grupo de pessoas que aplaudem a iniciativa do senhor primeiro-ministro, em condicionar a atividade profissional de um colega, estejam também jornalistas. Isto é uma aberração total!!!! Portanto, tudo isto não é um problema judicial, religioso ou de fé, como eu já ouvira falar. É antes, um problema político e é como tal que deve ser, primordialmente, encarado. É incompreensível, também, que aqueles que nunca condenaram o ato de censura existente na rádio e televisão públicas de S.Tomé e Príncipe apareçam agora a condenar um jornalista de uma rádio privada que, simplesmente, quis cumprir o seu papel de verdadeiro jornalista em prol de um país mais democrático e plural, ouvindo todas as partes de um problema preocupante relacionado com o nosso passado recente.
    Adelino Cardoso Cassandra

  33. Izequiel Batista de SOUZA

    22 de Agosto de 2017 as 18:55

    Eu li atentamente o correio publico que foi dirigido ao um certo primeiro ministro da minha sagrada ilha, ou melhor ainda do meu sagrado povo . Eu lamento muito que uma quarantena de anos depois da independência estejamos ainda numa médicridade mental cultural, politica, ecnomica , institucional e social digna da Idade Média. Eu nao quero de forma nenhuma participar naquilo que chamo pseudo debate nas médias sociais sobre os ùltimas cenas carnavalescas a gosto amargo e sujo que tem estado a animar a praca pùblica insular. Eu so venho relembrar a todos meus compatriotas que fomos nos mesmos que direta ou indiretamente criamos esta situacao .Isto tudo é resultado da incapacidade de todos os nossos dirigentes que se succederam no comando das instituticoes locais em nao saberem elaborarem uma politica socio preventiva a longo termo de modo a impedir toda tentacao demagogica e entereceira dos aventureiros politicos sejam eles do interior ou do exterior da ilha. A falta de humilidade a ambicao e o individualismo sao infelizmente caracteristicas principais do individu saotomense o que contribui de uma maneira ou outra a instablidade do pais.Eu vou abster das diambulacoes verbais tanto ou quanto dramàticas de um certo aventureiro e ingénuo PETER LOPES . Porque,acho ser de uma tristeza maquiavelica lamentavel, para esclarecer a todos aqueles que se dizem defensores da democracia saotomense, permita me vous dizer que eu nao sei de que democracia vocês fazem referência na medida em que num pais onde na altura das eleicoes a venda dos votos é um fundo do comercio quase institucional nao se pode e nem se deve falar da democracia . Mas deixemos isto e concentremos sobre as responsabilidades actuais da IGREJA CATOLICA ROMANA .para todos aqueles que se dizem crentes eu tenho a vous informar que a cretianidade engloba tambem aspecto scio educativo hoje em dia. A igreja deve contribuir tambem a lutar contra o obscurantismo dos seus fieis par intermédio das suas atenas ( jornais, radios, associacoes etc…) Num pais que se diz democratico,( atencao nao sou eu que digo isto), a igreja como qualquer outra institucao qualquer deve usufruir de toda a liberdade de se exprimir.E EU FECHO O DEBATE DA MINHA PARTE .

  34. Mira Cardoso

    22 de Agosto de 2017 as 20:36

    Excelente leitura, disse tudo e mais alguma coisa. Como já disse alguém neste fórum, assim começam as ditaduras e pelo andar das coisas STP afigura-se como mais um país desta nossa África subjugada à ditadura de um tirano.

  35. Carlos Almeida CA'mucuço

    22 de Agosto de 2017 as 22:26

    Tudo dito e sem espinhas!
    Subscrevo na íntegra.

  36. Nelo santos

    22 de Agosto de 2017 as 22:56

    Corajosa São!agradêço e felicito-a pela carta dirijida a este senhor e a sua contribuição na luta pela liberdade de se exprimir direito fundamental em democracia que assiste a todos nós em especial os jornalistas de nos informar e criar debates de ideias pois a sapiência se move nas cabeças de gentes sérias e com caracter digno dos seus princípios.agradêço-a também pela solidariedade para com waldiner e os comentadores da radio jubilar e sem temer elaboraste esta singela carta aberta que subscrevo com todo afinco.muclucu fé chintchi matá sun dê,maji ê cá bi pótó ni son plumêlu.fuiii

  37. Diasporano.CV

    23 de Agosto de 2017 as 12:21

    É lamentável… mas, mais lamentável ainda, é a ação de todo esse grupelho do ADI – governantes e políticos – que não agem nem mugem,simplesmente batem palmas, arreganham os dentes para as atrocidades do chefe e se esquecem têm uma família que almeja por uma vida melhor.
    Que asco!!!

  38. Francisco Ramos (PARDAL)

    23 de Agosto de 2017 as 16:33

    São minha irmã e amiga. Parabéns. Peço à Deus para proteger-te das garras dos não democratas, mentirosos e sangue-suga.A minha maior alegria é saber que tudo que está em baixo dos ceus não será eterno. Se assim fosse o reino do Hitler não teria acabado.
    Ao Nilton Garrido, gostaria de aconselhá-lo para não baixar tanto.Com essa tomada de posição, fica claro que queres passar por defensor do mau e do mal para seres premiado com a pasta do futuro mimistro da agricultura. Muitas vezes é melhor está calado do que falar asneira.
    Vida e saúde para todos.

  39. Abílio P. Santos

    23 de Agosto de 2017 as 19:18

    Habitualmente tenho muito cuidado e há que se ter. Mas medo, não. Pode um espertalhão conseguir enganar durante muito tempo uma série de pessoas, mas, jamais esse mesmo espertalhão poderá conseguir enganar por todo o tempo, todas as pessoas. Necessários, são: alguma coragem e alguma paciência

  40. Divino STP

    24 de Agosto de 2017 as 23:32

    Não há dúvidas que a prestigiada jornalista São está ao serviço do MLSTP e companhia.
    Querida amiga São, ainda vais a tempo de acordar e perceber que o MLSTP nunca esteve a altura de levar STP a bom porto.
    A ADI é o presente e futuro, melhor não há.

  41. pascoal de carvalho

    27 de Agosto de 2017 as 20:24

    Lei da rolha é das mais antigas formas de repressão. Daí que sempre se imperou “estas comigo ou contra mim”. Uns aplicam-na de forma intelectual, enquanto que outros de forma musculada. É apenas o informado quem acaba por perder (quer pela sua diversificação, quer pela pluralidade. Enfim, entre os oponentes determinados e os ferranhos defensores, fica o povo no meio de um frio e gélido vazio informativo.

  42. Raul Cardoso

    29 de Agosto de 2017 as 11:03

    Acho que não devemos esconder no anonimato perante a actual realidade do nosso país, devemos ter a coragem de dar a cara e manifestar a nossa opinião. Pois a liberdade de expressão, de opinião e de pensamento é uma garantia do Estado de Direito Democrático e a Constituição Política da República Democrática de São Tomé e Príncipe é muito clara nesta matéria.
    Lamento que muitos se escondem no anonimato porque têm medo, tendo assim receios de exercerem a sua cidadania. É muito triste!
    Parabéns São de Deus Lima, pela tua coragem e pela frontalidade.
    Fico estupefacto quando há leitores que acham que a São está ao serviço do MLSTP/PSD. Caros compatriotas, pessoalmente acho que esta grande jornalista, com esta sua Carta Aberta, prestou um grande serviço ao Povo, à Democracia e à Nação São-Tomense. Disto não tenho qualquer dúvida.
    Força e muita coragem São. Que Deus te abençoe e abençoe todo o Povo de São Tomé e Príncipe!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo