Nigéria: Número de crianças usadas como bombas subiu quatro vezes num ano

PARCERIA – Téla Nón / Rádio ONU

Unicef destaca que tática é usada pelo grupo terrorista Boko Haram no nordeste; dois terços dos 83 casos de 2017 envolveram meninas; agência regista uso de um bebé no tipo de explosão.

Unicef oferece apoio psicossocial às crianças raptadas e apoia comunidades. Foto: Acnur/Romain Desclous

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

Pelo menos 83 crianças foram usadas como “bombas humanas” este ano no nordeste da Nigéria, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef.

Em nota publicada esta terça-feira, em Genebra, a agência revela que o uso de menores pelo grupo terrorista Boko Haram subiu quatro vezes em 2017 em comparação com o total do ano passado.

Vítimas

A agência oferece apoio psicossocial às crianças raptadas pelos rebeldes e atua junto das comunidades para facilitar que as vítimas sejam aceites no seu retorno.

A nota revela que o uso de crianças para o tipo de explosão  é “uma atrocidade e que estas são, acima de tudo, vítimas, e não responsáveis pelo crime”.

As meninas compõem dois terços do total das crianças que se fizeram explodir este ano em comparação as 19 de 2016. São 55 crianças de sexo feminino, na maioria das vezes menores de 15 anos. Os menores usados incluem 17 meninos e um bebé que estava amarrado a uma criança.

O conflito causado pelo Boko Haram deslocou 1,7 milhões de pessoas estando 85% somente no estado de Borno. O grupo atua principalmente no nordeste da Nigéria e nos países vizinhos como o Camarões e o Chade.

Notícias relacionadas:

ONU diz que autores de terrorismo na Nigéria têm de ser responsabilizados

 

Notícias relacionadas

Deixe um comentario

*