Nova inspectora judicial advertiu aos juízes para novos tempos

Os Tribunais vão implementar um sistema de inspecção de proximidade dos juízes. A nova Inspectora Judicial da magistratura são-tomense Juíza Conselheira Alice Carvalho(na foto), avisou aos juízes que doravante trabalho e pontualidade passam a ser a palavra de ordem nos Tribunais. Desta vez o público também vai participar na melhoria da qualidade de justiça, através de livros de reclamações, que vão permitir a denúncia de casos de morosidade processual.

Na última segunda feira quando foi investida como nova inspectora judicial, a magistrada Alice Carvalho, advertiu aos juízes para a nova era que se abre no Palácio da Justiça. «O assunto vai ser sério. Vai ser sério porque cada um de nós aqui nessa sala, temos sido vítimas da morosidade processual. Morosidade processual que muitas vezes provém da nossa lentidão. A justiça para dar resposta aos anseios da comunidade ela tem que ser pronta», referiu a juíza Alice Carvalho.

A morosidade processual deverá ser combatida, com uma inspecção judicial de proximidade, envolvendo o público utente da justiça. «Estamos a pensar em fazer uma inspecção de proximidade. Vamos colocar um livro de reclamações, quem não trabalha toda gente vai saber. Vamos criar um cofre de opiniões», acrescentou.

Os juízes repetentes nos erros, vão ser castigados com a intervenção do Conselho Superior da Magistratura Judicial. «Nós vamos eleger a pontualidade. Nós vamos eleger mais trabalho. O problema aqui não é falta de saber. O problema é dedicarmos mais tempo para trabalhar», pontuou.

Confira na íntegra as declarações de Alice Carvalho no momento de tomada de posse :

A nova inspectora judicial foi investida, na mesma sessão em que o Supremo Tribunal de Justiça, deu posse ao novo Presidente do Conselho de Administração dos Tribunais. Função que passa a ser exercida pelo juiz conselheiro Frederico da Glória. Silvestre Leite, também juiz conselheiro do supremo tribunal de justiça foi eleito como membro do conselho de administração dos Tribunais.

Por outro lado, o Conselho Superior de Magistrados Judiciais, conta doravante com mais um membro. Trata-se da juíza de direito Euridice Pina Dias, que foi investida como membro do órgão de auto-governo da magistratura judicial.

Abel Veiga

 

 

Notícias relacionadas

  1. img
    ANCA Responder

    Muito bem

    Boa notícia

    Mas é necessário passar de palavras a acto, se efectivamente queremos almejar Estado de direito democrático.
    Um dos grandes desafios das sociedades menos evoluídas, com níveis de pobreza extrema elevadas, tem haver com questões das instituições fracas, desorganizados, deficitárias na produtividade, nos procedimentos, no trabalho a desenvolver de modo a serem eficazes nas missões atribuições, para as quais se fazem representar na sociedade.
    Instituições da justiça, sua organização, seus procedimentos, sua produtividade trabalho, rigor e eficiência desenvolvimento de forma a ordenar estruturar implementar a justiça na sociedade a qual pertence, de modo a gerar mais valias sócias culturais de princípios e preceitos de constituição do próprio Estado, Estado este que se quer de direitos, deveres e garantias dos cidadãos.

    De facto é necessário o mais urgente possível, abraçar-mos implementamos a cultura da pontualidade, do rigor, do trabalho, da organização, dentro das nossas organizações instituições, sobretudo da justiça de modo a torná-las instituições fortes e credíveis, tanto no plano interno quanto no plano regional internacional, de modo a dar resposta aos desafios sócias culturais, ambientais, económicos e financeiros cada vez mais complexos, necessário que cada profissional esteja engajado nesta superior missão, para o bem comum.

    Se se queres ver o País Território População Administração bem

    Acredita em ti, juntos somos mais fortes, juntos somos capaz

    Acredita em ti sê pontual, trabalha, produz, sê rigoroso para contigo, para com tua instituição, para com tua sociedade.

    Protege os teus filhos, a tua família

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  2. img
    verhaverdade Responder

    Estado Direito e Liberdade,Soberano

    Vai haver o momento em que a maioria absoluta vai rondar os 99.9 % e os 90 %(é que não chegamos a tocar-mos aos 100 % porque há problema com as gerações Santomenses, que dificultam a compreensão de consciencialização daquilo que nos é objectivo…”soo primo”…antes de 1975 = % > dos pais com 20 a 30 filhos, e complica…). Nós os Santomense temos aí um desafio, para o desenvolvimento,em cada passo que nos é dado solicitado fonte própria da consciência, daquilo que podemos fazer,somos numero de habitantes. E necessitamos de compreender, este momento, o que fazer com as FONTES ENERGÉTICAS que nos chega à todas localidades do país “instalação das correntes eléctricas, canalizações de água”.

    O que fazer com os policias de investigação criminal que perdem toda capacidade factual e racional da competência de investigação e atira a matar, que não são (MP, FM,OS), quando à hospital para tratar os doentes, e ministério publico e tribunal para ajuizar as acções criminosas, o que fazer com os nossos policias de segurança publica que entra em conflitos com os militares por falta de comprimento da legalidade da lei, em duas instituições da soberania, onde deve atribuir os seus servidores os melhores principio dotado para melhor servir a nação.

    E hoje não podemos deixar de ver há verdade! Durante os 40 anos do nosso crescimento,devíamos estar bem capaz de compreender consciencializar que muitos que passaram pela Rússia ex: URSS,Cuba, Germany,França,Portugal,Brasil,Macau e alguns pela China, e tantos outros países,e tiveram resultados excelentes na conclusão das suas licenciatura- a que consciencializar, ao fazer o nosso caminho caminhando há muitos pedregulho, e fazemos o descalços e só por si obriga a muito sacrifício. E que 1 % ,2 % dos “só primos” não comprometa as maiorias absolutas proveniente das urnas.

    É preciso ter em atenção! FONTE DE ENERGIA, electricidade, para beneficiar-mos dele o homem teve que dar ao trabalho cientifico, Á é uma dádiva da natureza em que o homem teve que dar ao trabalho para ter com melhor qualidade para consumo humano.dai a consciência de o que fazer com as fontes de energia que nos vai chegando!
    NO parlamento há pessoas que tem família em todas dimensão do nível social! Então as famílias das com “poder” façam tudo com consciência para não complicar o desenvolvimento da nação!

Deixe um comentario

*