Destaques

Holanda e STP iniciam estudo para requalificar a marginal 12 de Julho

Uma delegação do ministério dos negócios estrangeiros da Holanda composta por duas pessoas, veio a São Tomé para testemunhar a determinação do Reino dos Países Baixos na execução do projecto.

Uma delegação da empresa que vai trabalhar directamente no projecto também se juntou a cerimónia que decorreu no Ministério das Obras Públicas, Recursos Naturais e Meio Ambiente.

O entendimento entre o Governo são-tomense e o Reino dos Países Baixos, para a realização dos estudos com vista a requalificação da marginal 12 de Julho, foi celebrado em Dezembro do ano 2016. Na altura as partes anunciaram para 2017 o início dos Estudos.

Na quinta feira 19 de Outubro de 2017, o Ministro Carlos Vila Nova, reuniu-se com as delegações da Holanda para anunciar o início dos Estudos. «Estudos que nos permitirão definir concretamente que projectos vamos executar no âmbito da requalificação da nossa marginal. É nossa intenção alargar o âmbito desse projecto de Pantufo ao Aeroporto de São Tomé», afirmou o ministro.

Segundo o ministro, os estudos serão repartidos em duas fases, cada uma com duração de 4 meses. «Teremos uma fase em que se tomarão em conta aspectos no domínio social no domínio do ambiente, que é o sector transversal em toda esta matéria», pontuou.

Carlos Vila Nova explicou que a segunda fase será de definição em concreto do âmbito do projecto, a sua extensão e a sua composição financeira.

Após os estudos que vão durar oito meses, e a definição do valor financeiro que deverá ser aplicado, os Países Baixos, vão garantir parte do financiamento do projecto de requalificação da marginal 12 de Julho. O Governo São-tomense deverá assegurar a outra parte do financiamento.

A marginal que contorna a capital São Tomé, da Vila de Pantufo ao Aeroporto Internacional, tem uma extensa de cerca de 12 quilómetros. estende por

Abel Veiga

 

 

    4 comentários

4 comentários

  1. Carlos Mendes

    20 de Outubro de 2017 as 9:46

    Sinceramente. Tenho pena deste povo e vergonha dos dirigentes que tenho.Então só o lançamento do estudo se faz com Champanhe? Se não conseguirmos dinheiro para fazer a Obra, como então? Se o estudo revelar muito caro como?
    Que gente fundamentalista. É mesmo verdade que o ADI é uma seita.Está confirmado. Cada um que se cuide

  2. Quidide

    20 de Outubro de 2017 as 10:13

    Já só peca por tardia, essa decisão de requalificação da Baía. Depois não venham vangloriar- se que fizeram melhor do que os outros porque foi nas últimas duas décadas que a marginal se deteriorou. Mesmo ao lado do paraíso dos grelhados (esta esplanada que de requinte nada tem para merecer o nome de lhe deram, pois nem sequer uma casa de banho tem), há metros de acesso direto para o mar sem muro. Um indivíduo que abuse de umas garrafas corre o risco de se afogar ali num dia de maré cheia. Mais adiante em direção ao hospital ou à Praça outras lacunas quer no passeio (enormes buracos), quer na vedação com o mar. Isto é uma vergonha nacional. ” Ó minha baía de Ana Chaves, minha baía natal, quem te viu e quem te vê!”

  3. DITADURA DA PEDRA

    20 de Outubro de 2017 as 16:34

    Pagamos Audiovisual para ouvir e ver asneira, os Panfletistas, Egoísta, TVSadista RNadista, até do nojo de ouvir Radio e Televisão sempre as mesmas coisa, onde anda o pluralismo, queremos diversificação de opinião politico-economico-cultural, estamos farto dos mesmos protagonista que de novo não trás nada a não ser bajular lamber bota e preparar os coitadinho nas inaugurações para falar (estou gostado, há 40 anos não tínhamos luz e água, deus paga senhor Mísseis) jovens esperto de burrice… esquecendo que politico são mero gestores de coisa pública, deve fazer em nome do povo.

  4. Martelo da Justiça

    21 de Outubro de 2017 as 16:45

    Patrice Trovoada, o seu Partido ADI e toda maquina administrativa montada por eles são especialistas em propaganda barata. Até dá nojo. A comunicação social estatal dá a entender que já há financiamento para as obras da marginal, quando na verdade, existe apenas financiamento para os estudos. Para o inicio das obras ainda há um longo caminho a percorrer e não será com este Governo. O ADI quer enganar os mais distraídos e em certa medida estão a consegui-lo. É triste ter um Governo assim!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo