À LUZ DA ELEIÇÃO PRESIDENCIAL: URGENTE REFORMA POLÍTICA NO PCD

No próximo momento em que o PCD se organizar para acolher o seu próximo Congresso Nacional ordinário ou não, valerá a pena que se discuta a Reforma Política dentro da casa, pois julgo importante expor a importância que os seus militantes têm no processo de afirmação,
reputação, valorização e participação no desenvolvimento democrático.

Para preservar e proteger os direitos e as liberdades individuais, uma sociedade democrática deve trabalhar em conjunto para modelar o governo que escolher.

E a melhor forma de fazer isso é através da mobilização dos seus militantes e das suas bases, que são organizações voluntárias que ligam as pessoas aos seus líderes. Os militantes
recrutam pessoas e fazem campanha para elegerem líderes a cargos públicos, e mobilizando a nação para participarem na escolha dos governantes, de forma mais acessível a qualquer cidadão bem-intencionado.
Os partidos políticos devem, na óptica política de transparência, proporcionar um fórum para que os cidadãos versus militantes se responsabilizem os dirigentes do seu Partido pelas suas acções no governo, na direcção das estruturas partidárias quer distritais ou nacionais, muito mais que isso, permitir que pessoas que não conseguem espaço nas grandes escadas dos partidos, ao menos, encontrem condições e liberdade eleitoral.
Os militantes são, geralmente, mais democráticos nas suas actividades, acreditam nos princípios da democracia partidária nacional (se existir!), reconhecem e respeitam a autoridade dos seus eleitos, mesmo que os seus líderes partidários não estejam no poder.
Frequentemente, os militantes se questionam quanto à confiança que oferece aos seus dirigentes. O facto dos Partidos do meu país não darem provas visíveis de democracia e transparência de política democráticas, sejam pequenos movimentos ou grandes coligações
nacionais, deveriam ter valores comuns de compromisso e tolerância.

Será difícil compreender que só através de alianças e cooperação mútuas com seus militantes ou com partidos políticos e organizações sociais é que eles podem proporcionar a liderança e a visão comum que ganhará o apoio da população de São Tomé é Príncipe?
A existência de muitos partidos é inerente a qualquer democracia. Significa que todos os lados no debate político – por mais profundas que sejam as diferenças – partilham os valores democráticos fundamentais de liberdade de expressão, de religião e de protecção igual, assentes nos valores sagrados na Constituição. Os partidos que perdem as eleições devem passar para a oposição – e deveriam estar confiantes que o sistema político continuará a proteger o direito de organizar, fiscalizar e denunciar. Certamente, o meu partido – o PCD
-, terá a oportunidade de fazer novamente campanha pelos seus ideais n (memórias da década 90!) pelos sagrados votos do povo.
Aos que desprezam um militante pelo seu tamanho, fica permanente a questão: – Se um partido, que por menor que seja conta com milhares de filiados e com dezenas de mandatários eleitos pelo povo merece desprezo nas urnas, qual a opinião dessa pessoa sobre a importância de um trabalhador, de uma dona de casa, de um estudante?
Numa democracia, a luta entre partidos políticos não é uma luta pela sobrevivência, mas deverá ser, necessariamente, uma competição para servir o povo. E, o povo é também um militante que se esquece, que se empobrece moral e politicamente, que se perde ou que se vai embora. Pois, na verdade, é o povo quem sempre ganha com essa saudável disputa.

Viva os MILITANTES do PCD pela firmeza das suas posições nas Presidenciais 2011!

Júlio Neto, militante do PCD, Distrito de Mé – Zóchi

  1. img
    lino Responder

    este partido nem devia existir.
    foi fundado por corruptos e gatunos.
    vê-se pela sua cara que voçê tb é um dos sem vergonhas desse partido.
    o povo anda a dormir.
    depois de tantas porcarias que o delfin já fez, ainda dão -lhe votos!!!?
    sinceramente!!…o povo tem o que merece.!
    ignorância é que faz isso.
    andam cegos e vendem-se por um prato de comida.
    lamentável.!

    • img
      Julio Neto Responder

      Caro Cidadão,
      Respeito a sua opinião; mas saiba que não me faço conduzir pelos outros. Sempre fui, sou e serei um homem digno
      do nome e, confesso-lhe que não sou corrupto. E para sua informação, não votei no Candidato Delfim Neves, mesmo pertecendo ao PCD.
      Obrigado pela sua crítica e só assim nos revelamos ao mundo.

      Julio
      E

  2. img
    JOSE TORRES Responder

    Talvez voce deveria se candidatar tambem.
    oefercias melhor que Delfim que participou na divida que estou a pagar de cinco milhoes. ou nao e isto?

    • img
      Julio Neto Responder

      Caro José,

      Obrigado pela sua apreciação.
      De momento, não me sinto tentado para me sentar no cadeirão! Já basta os 10 candidatos… Mas o futuro só a Deus pertence. Ou não?!?
      Abraços

      Julio

Deixe um comentario

*