Opinião

S.Tomé e Príncipe = Futuro incerto ?

Ficou para trás o ano 2011 que se supunha ser segundo os discursos, o de esperança, melhores dias, mais trabalho, menos corrupção, mais justiça, mais união, mais atenção aos problemas sociais, diminuição da pobreza, crescimento económico, isto é, um ano que seria marcado por um salto considerável no que concerne ao desenvolvimento.

REFLEXÃO

São Tomé e Príncipe um pequeno país com apenas pouco mais de 160 mil habitantes, situado geográficamente no golfo de guiné, encontra-se no momento mais conturbado da sua historia após 36 anos de independência.
Ficou para trás o ano 2011 que se supunha ser segundo os discursos, o de esperança, melhores dias, mais trabalho, menos corrupção, mais justiça, mais união, mais atenção aos problemas sociais, diminuição da pobreza, crescimento económico, isto é, um ano que seria marcado por um salto considerável no que concerne ao desenvolvimento.

E, portanto quê avaliação pode-se fazer face a estes objectivos antes estabelecidos ? Pois foi mais um blablablabla… e a camada social que vem sofrendo com tudo isto qual é ? Si a memória não me falha, é a camada desfavorecida (constituida pela maior parte da população com grande ênfases na juventude).

Tantos são os discursos (mas nada de concreto), tantas são as viagens (mas não há financiamento para isto ou aquilo), tantos são os convívios de comes e bebe (e temos é que trabalhar) , tantos são os famosos Q.I. (quem indica) à todo nível ( e as selecções de quadros são efectuadas de forma imparcial).

A minha pergunta é: este é o país que os políticos alegam  que o povo conhecerá dias melhores em 2012? Tenham piedade deste povo e saibam honrar ao menos o sangue derramando pelos que lutaram para a liberação deste pequeno país… tenham um pouco de dignidade e carácter para com vosco mesmo…

Estamos no pleno século XXI onde as novas tecnologias de informação, a formação, a competitividade, etc, vêem dominando o mundo e alterando o seu modo de ser e superando todas as expectativas. Ora pois, será que São Tomé e Príncipe está condenado a fugir a regra? Como quereis então desenvolver o país?

Carros políticos, me digno em fazer-lhes recordar que sois a esperança deste povo que vem sofrendo ano trás ano. Uma vez, o internacionalista Che Guevarra disse “ A actuação dos directivos podia resumirse em: dominar as contraposições dialécticas da teoria e a práctica, discurssão e decisão, orientação e direcção, analise e sínteses…”

Por ende, recordar -vos-ei que: estejais onde estejais “ POR MAIS LIMPO E BONITO QUE ESTEJAIS E POR MAIS QUE VIAJAIS, SI O SEU POVO ANDA RASGADO, VOS TAMBÉM ESTARAIS RASGADOS”…

Por último, quero citar uma frase do Apóstolo José Martí  “ Quem  não vive para servir, não serve para viver”.  Será que os políticos santomenses servem para viver? Deixo esta interrogante para a reflexão público leitor.

MSc. Lic, Emery Narciso
emerynarciso@yahoo.com.br

    23 comentários

23 comentários

  1. psiu!

    13 de Janeiro de 2012 as 15:41

    Meu querido jovem;

    Da forma que te expressaste ou quiseste expressar, primeiramente, te diria que, cometeste muitos erros ortográficos, pelo que isso ainda pode duma forma em geral, manchar o nome dáqueles que contigo estudaram, que sabem escrever bem o portugues, aos quais podias te dirigir para efectuar a merecida correcao antes de o publicares.

    No entanto, quero que saibas que as ideias chaves lá estao no teu discurso e devia-se meditar nelas. Pois és um jovem que pessoalmente conheco e és inteligente!

    Nada mais que dada a conjuntura actual da corrupcao cá reinante e que a cada dia escala montes com pernas mais longas que de um veado, pois, muitos te marcarao a partir de hoje e te farao repudio visual e em muitos sectores vao marcar teu nome para nao darem-te emprego e oportunidade.

    Outros e a maioria dos elementos do grupo de Cuba que demonstrou alguma inconformidade com a situacao do nosos país, foram prácticamente lapidados, manchados em praca pública e até hoje muitos nao teem emprego ou se encontram em situacoes penosas em sentido laboral.

    Eu estudei na ex Uniao Soviética já lá vao 34 anos, mas tenho profunda pena de ver cá dia a dia áquilo se se faz aos nossos jovens recém chegados, e sobretudo os provenientes da ilha de Cuba, aos quais se tende mais a manchar hoje em dia em relacao aos demais, quando se sabe que outrora e muitos dos até entao dirigentes de toda África de expressao portuguesa, e a maioria dos bons e grandes quadros do país em particular também daquela ilha provieram!

    Portanto jovem, como mais velho e solidário contigo, te felicito por te teres expressado, critico-te apenas por nao teres antes revisado e corrigido a escrita e ortográfia, e por fim, desejo-te sorte, nesta emaranhada aventura em que te meteste ao te teres exprimido nesse país de governacao xenófoba e divisória!

    Abracos!

    • De Longe

      13 de Janeiro de 2012 as 16:06

      Se não tomamos iniciativas de eviatr situções sociais que constituem o cancro do desenvolvimento, devemos, pelo menos, ajudar os que iniciam a não se sentirem sós e lançados às feras.

    • Ai se eu ti pego

      13 de Janeiro de 2012 as 17:30

      Caro amigo psiu ! Comentaste sobre a redacção do nosso amigo MSc. Lic, Emery Narciso, que existe muitos erros, o que de uma maneira em geral até tens razão, mas quero aqui, ti adverte que o teu comentário pela minha análise ,não fez sentindo nenhum tu criticares o erro no inicio anterior do amigo Emery visto que fizeste-o ainda mas do que ele ,espero que compreendas á análise ortográfica feita, como uma critica construtiva, mesmo sabendo que o tema principal abordado não recai nos erros da escrita, mas sim no que toca ao futuro desse meu ,nosso, vosso São Tomé e Príncipe
      .

      • OLHO

        15 de Janeiro de 2012 as 2:05

        A critica em relação aos erros é benvinda, ate porque trata-se de um cidadão formado ou em vias de se formar. É inadimissivel que se aceite erros tão grosseiros, ainda mais sabendo ele que estava expondo a sua figura. Isso compromete os outros colegas, mas é preciso que os apressados prestem atenção ao facto de que aprender qq coisa q seja depende do interesse de cada individuo, n estando isso necessariamente ligado ao local onde se tenha adquirido o conhecimento.

      • psiu!

        16 de Janeiro de 2012 as 10:53

        Agradecia que me-os apontasse, por favor! estou disposto a ser corrigido também, como qualquer ser humano.

        obrigado!

      • sunpepe

        16 de Janeiro de 2012 as 16:31

        pois é emeri congratulo-me contigo e tens razao em tudo que dises como eu digo sempre se ouvesse mais 10 pessoas so no nosso santome como tu seguro que as coisas melhorariam mas infelismente o nosso povo é conformista gosta de se conformar com a podresa, nao procura saber da realidade das coisas e acredita segamente mas desculpas disfarrapadas que aqueles governantes con carra de lata vem ao publico dizer ou justificar.
        digo que porque nao me conformo como é que em tempos um enorme barco encostou na costa santomense onde se podia ver desde a praia perigosa e todo mundo parvo a admirar a belesa do barco claro porque “nunca virao algo assim” depois de tantas duvidas admiração e incertesa o sr Patrice Trovoada vem a T.V.S dizer que o barco so estava a fazer travessia e parrou no nosso mar pra abastecer, cuando dias depois pra meu espanto a R.T.P africa veio informar que o barco estava dias e dias no mar santomense a fazer pesquisa petrolifera e sei la mais oque? acham normal uma coisa dessas os sr. governantes fazem do povo santomense otario, passam manteiga e levao ao lume deicha escorrer sen dar cualquer satisfação. fazem as suas vidas atraves do esforço da população e ainda por cima mete todo mundo ou maioria da população dedo nos olhos e mesmo quem da conta da trambiquece nao reaje ou seja ve e cala com medo de nao ser marginalizado ou persiguido. assim que emeri te apoio en tudo que diseste porque eu sempre digo nos os santomenses temos razao suficiante pra fazer manifestações e greves nacionais. mas como tdo mundo é conformista assim estamos. vasei

    • Emery Narciso

      20 de Janeiro de 2012 as 21:04

      Pois gostaria de dizer-lhe que não fugisse o tema central, isto é uma tentativa para desviar a atenção do tema tratado. Não obstante quero dizer-lhe que ainda persiste a influência do espanhol… o tema não é o erro ortográfico que é obvio pelo espanhol mas sim…

    • Emery Narciso

      28 de Janeiro de 2012 as 18:41

      SI A VIDA É UM DESAFIO, ACEITA-O

      Antes de mais, gostaria de agradecer à todos em geral que fizeram o comentário, especialmente à todos aqueles que desejam um S.Tomé e Príncipe melhor seja qual for a sua posição económica e/ou social.

      São Tomé e Príncipe, necessita de mulheres e homens trabalhadores, e criadores de novas idéias, que possam realmente conduzir o país ao desenvolvimento, e não de mulheres e homens que dedicam toda uma vida, simplesmente apontando… com intenções de desviar a atenção dos usuários do tema em foco, e influir deste modo, na sua forma de pensar. Mas infelizmente foi uma tentativa falida porque há provas através dos comentários, que a mensagem passou claramente com os erros existentes. Pois, era esse o objectivo; mas a tentativa foi boa meu caro.
      Desculpa-me, mas a sua forma de actuar, só me leva ao caminho da dúvida, e necessito que me aclares o seguinte: serás membro da elite corrupta da nossa ilha? Parece-me que pisei no seu dedo, e não apercebi. So, I feel so sorry.
      Vamos criar e trabalhar em prol de um São Tomé e Príncipe melhor caro formado em Rússia há já a 34 anos atrás. Não obstante, estarei sempre sensível e aberto às críticas construtivas porque em definitiva, só assim podemos ultrapassar os obstáculos que a vida nos oferece. Mas, a ética demostra, que existem caminhos e formas adequadas para o fazer e sobretudo quando se dirige à um profissional.
      Si um dia tiver que dar a vida por uma causa justa ou pelo meu povo ou ainda pela pátria que viu-me nascer, o farei em primeira linha meu caro. E saiba que esta, é uma afirmação. Sou e sempre serei Emery Narciso (o mais conhecido por Narciso) que São Tomé e Príncipe viu nascer um belo dia. E si necessário for, enfrentarei as mais temíveis tempestades para despertar as mentes adormecidas… E uma vez mais repito, esta é uma afirmação.
      A marginalização está na mente e no pensamento do homem, isto é, si a sua mente lhe proporcionar um sentimento de marginalização, por parte de indivíduos corruptos e destruidores da nação, e do povo ou ainda por parte de qualquer cidadão, saiba que, ainda que não constituísse a verdade (na prática), sentirás marginalizado si ela te proporciona por ficção este sentimento de repúdio. Com o poder da mente, tudo é possível. Em definitiva, quero dizer-lhe que, si dominas a sua mente, enfrentarás tempestades que hão de vir…
      O respeito pode ser exigido, mas para tal é necessário merecer e cultivar este direito… caso contrário meu caro, ninguém te respeitará ainda que o exijas.
      A vida é bela, mas muitas vezes conturbadas pelos sucessos que em ela hão de vir. Si nós sentirmos, inibidos de prosseguir com as nossas ideias e pensamentos por esta ou aquela represália, estaremos perdidos como um pequeno bote à deriva, no imenso mar que nos envolve. Si a represália não vem hoje, virá amanhã com certeza, porque como se costuma dizer, a verdade doi. De modo que, a vida em si é feita de desafios.
      E si ela é um desafio- aceita-o; si é uma oportunidade- aproveite-a para servir a sociedade, porque só assim serás digno de ser o filho da nação que te viu nascer…
      O que está dito está dito, e si houver necessidade poderei repetir. Alguém tinha que o fazer…
      – A cobardia, pode ajudar a evitar uma desavença, mas nunca deixará de ser o sinónimo de cobardice (aquele que tem medo).
      – A cobardia, não te deixa ver o que há por detrás da porta… e si o que está ali, é precisamente o que andavas buscando dia pós dia? Perderás a oportunidade de saber-lo concerteza.
      – A cobardia, é um sentimento que te impede de enfrentar os desafios que a vida te oferece… e talvez, até poderás perder os teus princípios e convicções.
      – A cobardia, quando te envolve… poderás fazer parte de um universo perdido. Já pensaste na hipótese?
      Si hoje as portas estão fechadas para ti, caro amigo e compatriota, não te intimides porque amanhã, estarão abertas e terás a possibilidade de escolher por qual entrar. Então porquê a cobardia?
      – A valentia, não necessariamente implica Victória, mas com certeza te dará possibilidades de enfrentar o mundo.
      – A valentia, não significa fortaleza, mas será um motivo para que possas enfrentar as tempestades que hão de vir.
      – A valentia, não implica sabedoria, mas certamente te dará a possibilidade de expressar as suas idéias, em um universo confuso como o nosso…
      Caro amigo e compatriota, nunca se sinta abalado por esta ou aquela opinião com espírito… e muito menos, das represálias que poderão advir por expressares as tuas opiniões, consoante factos visíveis e concretos. Mas sim, sirva-se destas, para seguires o seu caminho rumo ao despertar das memórias adormecidas… e assim, poderás ser útil à Pátria que te há dado a honra de seres o seu filho. Porque pelo contrário, poderás correr o risco de perder os teus princípios e convicções (deixarás de ser tu). Nunca te faças escravo dos pensamentos dos outros, isto é, dê-te também a possibilidade de reflectir e pensar por ti mesmo caro amigo.
      Antes que me corrijas a ortografia (que será sempre bem-vindo, e desde já agradeço), peço-te por favor que primeiro corrija-me a situação socioeconómica deste país, tão lindo e maravilhoso, de modo que alcancemos de uma vez por todas, o desenvolvimento que todos desejamos, caro amigo formado em Rússia há já a 34 anos atrás. São Tomé e Príncipe, conta com vários profissionais da língua portuguesa há mais de 36 anos atrás, isto é, desda sua independência, mas ainda é considerada de precária a sua situação socioeconómica. Quê está sucedendo então, caro formado em Rússia há já a 34 anos atrás? O problema é a ortografia? Obviamente que não.
      São Tomé e Príncipe, necessita de Mulheres e Homens trabalhadores e decididos a conduzir o país rumo ao desenvolvimento, e não de Mulheres e Homens que lêem discursos vagos dia pós dia e ano pós ano… Necessitamos de factos concretos, e não de fatos de várias cores.

  2. Voz da razão

    13 de Janeiro de 2012 as 17:05

    Compreendo a frustração porque também sou jovem e sinto-me como tal.No entanto tenha mais cuidado com o português!Temos que começar a dar exemplo em falar e escrever melhor a nossa língua oficial.

    • peter man peti

      14 de Janeiro de 2012 as 10:56

      Por isso que existe frustacao por causa de escrever bem o portugues, e so isso que os sabedores de sao tome sabem, dizer que nao estudas te ou nao sabes escrever o portugues, o pais nao se construe em escrever o portugues, ja tivemos doutores que sabiam escrever o portugues e portugal levaram este pais a espanha.
      precisamos que o governo dea a oportunidade aos jovens a praticar aquilo que aprenderam em cuba, uniao sovietica e mesmo portugal, neste momento o pais nao precisa de portugues mas sim de trabalhar na pratica e construir sao tome, eu trabalho numa das maiores mina de outro em tanzania nao seu falar o Swahili, mas aprendi com os mais velhos e contribuo para a maior producao do Geita Gold Mine(GGM)O QUE O JOVEN ESTA A DIZER E criar condicoes para que haja emprego e que cada um possa comencar a por em pratica aquilo que aprendeu para o pais, somos um pais com potencialidade em agricultura, e temos enginheiros agricolacom degrees,temos gestores, temos tudo naquele pais, mas todos vao a politica porque e a maior empresa da terra porque??
      o governo de dar oportunidade aos joven formados.

      • peter man peti

        14 de Janeiro de 2012 as 10:58

        quis dizer OURO, NAO OUTRO

      • Voz da razão

        16 de Janeiro de 2012 as 8:37

        Quando se critica com erros ninguém dá valor…

  3. rapaz de riboque

    14 de Janeiro de 2012 as 11:12

    meu caro realmente tens razão mas enquanto se manter a mentalização dos governantes e a população nada vira de melhor porque não temos politicos a altura de governar o pais, não temos bons gestores, não temos ninguém neste pais capaz de exercer um cargo com dignidade sem pensar nos seus interesses pessoais.Também nós povo de s.tomé não temos vocação para o trabalho ninguém quer trabalhar, tudo esta ao abandono e destruido em 37 anos destruimos não construimos assim não vamos a parte nenhuma temos muita riqueza mas pouco trabalhador, deixemos de falar vamos trabalhar, deixemos de invejas, de festas,bruxedos só assim podemos alcançar algo exemplo cabo verde

  4. quaresma

    15 de Janeiro de 2012 as 3:26

    Muitos vêm aqui neste espaço não para ler, ou ajudar, mas sim para corrigirem o que os outros escrevem, S.T.P. é um País de professores de Português e de corruptos, pelos vistos, que coisa, ninguém faz um comentário estruturado só fofoquices, aonde vamos parar………………

  5. O não preconceituoso-rosario

    15 de Janeiro de 2012 as 14:22

    Boa mensagen e bom convite a reflexão. A sublinhar :”quem não vive para servir não serve para viver…”Os que um dia juraram honrar,cumprir e fazer cumprir devem ser honestos,conscientes,sem preconceitos e acima de tudo valorizar o todo e não o eu ou uma elite.Ser cumpridores do que prometem e não mentirosos. Esquecer o vicio pela propaganda enganosa. S.Tomé e Príncipe pós independência tem sido uma quinta onde dos políticos injustos ,desfrutam ,comem tudo e não deixam nada.É o povo a trabalhar para os governantes ,o que não deveria ser ,mas sim os governantes a traçar os objetivos sérios e cumpri-los na integra. Nós exprimimos o nosso descontentamento e esperamos um dia que as nossos desabafos toquem na sensibilidade dos políticos e os faça converter em pessoas sérias ,humanas e que saibam colocar-se em posição dos desfavorecidos. Aqueles que criticam os erros ortográficos em artigos publicados e não consideram o conteúdo deixa-me confuso. ( será arrogância,preconceito,falta de ética?!)Trabalhemos em conjunto e esperemos pela boa colheita,mas para isso será preciso cumprir o prometido nas campanhas politicas com seriedade. Quea corrupção seja vista como alvo a abater.Comam mas não se empanturem e usem consciência na gestão da coisa pública .Dignidade e justiça social que o povo são-tomense há muito espera ansioso tem que ser prioridade a nível dos senhores do poder mediante a verdadeira governação.Que 2012 seja um ano de mudanças sérias para o bem de todos nós. Bem haja.

  6. Rabujento

    15 de Janeiro de 2012 as 17:35

    Se preocupam tanto com o desenho da capa do livro ao enves de prestarem atencao no seu conteudo. Santomenses abrem olho e deixem de ser complicados!

  7. O não preconceituoso-rosario

    15 de Janeiro de 2012 as 21:02

    obs:os nossos

  8. Lusitano

    15 de Janeiro de 2012 as 21:08

    Admira-me a grande consternação aos erros gramaticais e a falta de ojeriza aos rumos que a atual política são-tomense. Devo avisá-los que vizinhança ao redor de nossa pequena ilha, vem corrompendo monetariamente nossa política, o que me assusta, visto que, após anos exilado de minha terra, percebo, com grande pesar, que minha pátria é vítima da burra ganância oligárquica que nos aflige. Milhares de cidadãos tem a sua qualidade de vida tolhida para a satisfação de uma minoria. Pretendo nunca mais voltar a minha terra, com tristeza no coração, por perceber que meu país agora é uma grande pocilga legislativa. A qualidade de vida que desfruto e a liberdade da qual gozo deveria ser o principal bem aqui em debate. Percam-se na ortografia e na confusão das figuras de linguagem, mas não esqueçam da doença que corrói nossa bela terra: corrupção. Triste saber que bilhões ficarão nas mãos desses porcos, enquanto nossa gente sofre para conseguir as migalhas que caem da mesa.

  9. Voz da razão

    16 de Janeiro de 2012 as 8:34

    Por isso mesmo não iremos ao lugar nenhum.Um dos nossos males é não aceitar críticas e achar que tudo está bem. Temos que acabar com essa mentalidade de “panhá pê”. O Sr. Peter Man peti trabalha na tanzânia e diz que não sabe falar Swahili. Mas olha lá que se um dia estiver numa situação de que tenha necessidade de se defender com bons argumentos vai ter que se desenrascar o Swahili. Por outro lado se a sua empresa porventura seleccionar técnicos para ensinar aos outros vai ver que terá dificulades em ensinar ou nem será escolhido. Por isso eu quando falo de redigir bem o português, estou a falar para alguém que já tem algum nivel como o Sr. E. Narciso e que quer transmitir ideias que trás consigo. País precisa de gente assim, até porque não existe elite de opinião porque ninguém gosta de ser criticado. Viva STP

    • Voz da razão

      16 de Janeiro de 2012 as 8:41

      melhor dizendo-“…traz consigo…”

  10. Feijoada

    16 de Janeiro de 2012 as 8:54

    Força meu caro amigo, é um desafio em todas vertentes. Muitos criticam e não publicitam, muitos agradem pela coragem, e outros sem ameaçado por terem lançado sem qualquer conhecimento solido, científico.

    E assim vai o nosso país sem espírito de congratular os nossos compatriotas.

    O importante é que a mensagem passou. E a reflexão está sendo feita.

    Mas chamo-te atenção: Não sou pessimista, mas não vai dar em nada…..

    Sou capaz

  11. rapaz de riboque

    16 de Janeiro de 2012 as 10:48

    quaresma muito bém pergunto-te o quê que comentaste de bom nada

  12. Mabutú

    18 de Janeiro de 2012 as 11:37

    Enfim. Uns criticam erros ortográficos e cometem-nos,afinal de contas, há erros que são cometidos pela própria tecnologia, isto é, a net é lenta e podes estar a digitar mais rápido que ela o que consequentemente descontrola as palavras, quando na tua intenção era de escrevê-las bem. Outros desviam do objectivo da abordagem feita acima.
    Bem, como disse alguém ali em cima, as críticas são bem-vindas ao passo de que podemos aprender sempre alguma coisa a cada dia que se passa.
    E quanto ao “coment” do nosso amigo quero congratular e desejar força e coragem nesse nosso STP LINDO, que os nossos dirigentes fazem dele um arquipélado de bandidagens e acertos de contas.
    Espero que quando cada um e/ou qualquer um de nós estivermos oucupando algum lugar na eminência, não venhamos a esquecer de somos aqueles que tanto gritamos enquanto não estávamos onde provavelmente estaremos. Força e abraço à todo POVO SANTOMENSE. Averiguem e aponte-me um erro se encontrarem, por favor.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo