Basta de fazer de conta que não existem leis para punir os corruptos

Basta lermos e aplicarmos o código penal, [que estava en vigor ao tempo dos fatos].

O artigo 327 do Código Penal de 1886, sobre o conceito de empregado público, diz “ para os efeitos do disposto neste capítulo considera-se empregado público todo aquele que, ou autorizado imediatamente pela disposição da lei, ou nomeado por eleição popular ou pelo rei, ou por autoridade competente, exerce ou participa no exercício de funções públicas civis de qualquer natureza.

Este artigo e os demais citados do código penal de 1886, em vigor em stp, cujos artigos e aplicação só deixarão de vigorar e aplicar-se quando for promulgado pelo senhor Presidente da República e depois de publicado o novo código penal já aprovado pela assembleia nacional, aplica-se plenamente, sem prejuizo da aplicação da lei avulsa penal que exista no nosso ordenamento jurídico.

O capítulo a que se refere o artigo é todo o capítulo XIII, onde estão previstos entre outros os “crimes dos empregados públicos no exercício das suas funções”, que prevê e pune o crime de prevaricação, art. 284, para punir os juizes, com penas de prisão de 2 a 8 anos, além de suspensão de direitos políticos por 15 anos, que profiram sentenças injustas, [mas também se punem magistrados do ministerio público e advogados,] todos os crimes de abusos de autoridade, art. 291, com pena de prisão de 3 meses a 2 anos, os crimes de excesso de poder, art. 301, em que se podem punir os mandões que abusam do seu poder, e ainda outros crimes cometidos no exercício de funções públicas, e sobretudo, para a nossa discussão ampla, os crimes de peculato e concussão, do art. 313, dos seguinte teor: [t] odo o empregado público que em razão das suas funções tiver em seu poder dinheiro, títulos de crédito, ou efeitos móveis percententes ao estado, ou a particulares, para guardar, despender ou administrar, ou lhes dar o destino legal e algumas coisas destas furtar, maliciosamente levar, ou deixar levar ou furtar a outrém, ou aplicar a uso próprio ou alheio, faltando à aplicação ou entrega legal, será condenado na pena correspondente ao crime de roubo, nos termos do artigo 437. E o § 2º deste mesmo artigo, que reza, [s] e der ao dinheiro público um destino para uso público diferente daquele para que era destinado, será suspenso até seis meses e condenado na multa de 500$00 a 3.000$00. E ainda o § 3º, do seguinte teor, [a] s disposições deste artigo e seus parágrafos compreendem quaisquer pessoas que pela autoridade legítima forem constituídas depositárias, cobradores ou recebedores, relativamente às coisas de que forem depositários públicos, cobradores ou recebedores.]

Por isso, como pode dizer-se que os senhores ministros e diretores gerais que se locupletaram à custas de desvios de verbas públicas, seja de taiwan, do falecido cadafi, do zedú, da tia mais velha, doado ou emprestado, do brasil, china, ou conchichina, não podem ser acusados pelos crimes referidos e punidos, ? não podem sequer ser acusados e levados a julgamento pelos furtos e utilização particular dos dinheiros públicos, em penas de prisão ? esta tese de que não podem ser acusados, julgados e punidos não pode ter sustentação, pois execendo embora “função de natureza política” a função de governar, no caso dos ministros, quem é o órgão político é o “governo”, este é que é o úncico órgão político, ver a constituição, e os ministros são meramente pessoas que integram o governo, como seus membros, como seus titulares, nomeados pelo primeiro ministro, que por sua vez é empossado pelo PR, para exercer e participar numa função de natureza pública civil, a de ser membro do governo, ministro ou secretário de estado e ainda no caso de ser “nomeado por eleição popular”, o primeiro ministro, que sai diretamente da escolha do povo, como cabeça ou chefe do partido ganhador ou do mais votado, [ver a lei eleitoral e a constituição] obrigatóriamente assume o governo como seu chefe.

Os diretores gerais, executivos, chefes de gabinetes, demais funcionários, juizes, estes caem que nem peixe voador nas malhas destas leis.

Então porque não são feitas as respectivas acusações dos crimes que se sabem ter sido cometidos e porque não são levados a julgamento, para serem exemplarmente punidos e aprenderem que devem saber viver com o que já é muito, os ganhos de ministro ou diretor ? porque é que se nãoa diz de uma vez por todas, Basta ?

Diz um velho ditado que, “ou há moralidade ou comem todos”, porque é que em stp à vista de tanta gente, durante tanto tempo, por tanta gente, se mostra tanto dinheiro, sem que mostrem onde o ganharam e como o ganharam ?

O exemplo de outros “ricos”, que roubam os seus outros países, e o seu próprio povo, não nos importa, nós é que temos de olhar por nós e para nós, e do tanto que tem sido doado a stp porque é que só alguns são gente com muito dinheiro e não existe sequer para para um ordenado que dê, sem esquemas, para pagar a polícias, funcionários publicos em geral, pais e mães que labutam para ter uma miséria de dobras por mês ?

Vamos ter coragem de dizer e mostrar que o rei vai nú, que somos todos primos e por isso, a boca do dinheiro tem de chegar a todos e para todos, mesmo o pouco que chegue aos menos felizes ou mais honestos mas menos espertos, que vivem no esquema dos esquemas para os filhos não morrerem de fome, possam aspirar a ter futuro decente e não vestido de farrapos ou de barriga colada ás costas.

Basta. Vamos dizer todos a todos que basta. Vamos lá começar a ser honestos  vamos discutir todos, com insultos ou sem insultos, com melhor ou pior português, em forro ou em qualquer língua, estes temas e acabar com o tabú dos grandes e dos pequenos. Somos todos da mesma carne, mesmo sendo de côr mais escura ou clara, todos temos o sangue vermelho e por isso, devemos asprirar todos a viver melhor. Santomenses gritem Basta. Façam em coro e uníssono ouvir a vossa voz, falem, discutam, esclareçam, peçam esclarecimento, mas denunciemos para acabar com a pouca vergonha. Basta. Vamos todos ser honestos.

Carlos Semedo

Notícias relacionadas

  1. img
    Augerio Dos Santos Amado Vaz Responder

    Se houvesse efectivamente justiça em S.Tomé e Príncipe, o Leite já estaria há muito tempo atrás das grades. Mas, quem poderia intentar a acção penal é seu cúmplice a Raposa nova, estamos feitos. Viva a Republica das bananas!

    • img
      HLN Responder

      Por favor refrescam me a memória, A Raposa Velha é o Leite, e por acaso a nova é Roberto Raposo???????????????

  2. img
    ANCA Responder

    Sr Presidente da República, Sr Presidente da Assemblei da República, Sr Primeiro Ministro, Srs Ministros, Sr Presidente do Governo Regional, Srs Presidentes das Câmaras Municipais, Srs Deputados, Srs Líderes dos Partidos Políticos com ou sem Assento na Assembleia, Sr Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Sr Procurador da República, Srs Juíses, Srs Advogados, á Sociedade Cívil Organizada.

    Caros cidadãos

    É tempo do rigor na Administração da Justiça.

    É tempo da prática da Justiça, no seio do Território/População, ser efectiva, na aplicação dos príncipios e leis da República, de modo célere e transparênte.

    O sentido de Honestidade, da Responsabilidade, da Justiça, da Transparência e do Rigor na Administração e Gestão Pública bem como privada, deve fazer sentir, custa o que custar, no seu do Território, População

    A nossa sociedade deve modernizar-se tendo como norte a aplicação dos príncipios orientadores, leis que nos gerem, enquanto cidadãos, enquanto sociedade, enquanto País, Território, Mar, População.

    A aplicação da Justiça deve ser clara, rigorosa, efectiva, célere e transparente.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  3. img
    José Silva Responder

    Caríssimo Carlos Semedo

    Junto a minha voz a sua e peço a união de todos os Santomenses e que de forma concertada gritemos BASTA. Basta a corrupção, a impunidade, as falcatruas que pairam no ditame público. As leis foram feitas para cumprir e o exemplo tem que vir de cima, caso contrario é tempo de revoltar-se contra o sistema que tem prejudicado o povo Sãotomense em detrimento dos corruptos.
    Basta é a palavra de ordem.

    • img
      De Longe Responder

      José Silva
      Na disciplina de Psicologia tive uma aula de dramatização em que estivemos confrontados com uma situação parecida com a que nos incomoda como filhos de STP. Não vou reproduzir o que foi a aula mas pergunto:
      Se dissermos “basta” enquanto do outro lado os outros dizem “os cães ladram e a caravana passa”?
      Quem irá fazer o quê, quando, onde e como?
      As respostas poderão ser o renascer de um país, ou melhor, o nascimento do país sonhado.
      Pelas conversas de alguns antigos dirigentes cá neste jornal,podemos concluir que o país desejado só estava na inocência do povo. Poderemos mudar algo? Queremos de facto? Saberemos direccionar a força do nosso querer?
      Todos os pequenos defeitos da sociedade revelados nos artigos do Horácio Will, constituem fortes obstáculos para uma união entre os são-tomenses. É preciso superá-los. É preciso avançar para o bem de todos. Inclusive daqueles que não querem que assim seja.

    • img
      zuchi dletu Responder

      meu caro JS,
      sim vamos todos ter a coragem de dizer e gritar bem alto BASTA. Veja não me repugno que levem a vida e façam pela vida aqueles que governam. Ponto é que percebessem que o nosso sofrido e pacato povo contenta-se com uma camisola, umas calças, ou um vestido de chita e uns chinelos, com pouco para matar a fome e a sede. Todavia, desde que nos “libertamos” do dito jugo do “colonialismo” que nos vem sendo imposta uma forma mais “negra” de colonialismo aquela dos nossos próprios contra nós mesmos. desde a nossa “independência”” que nos impusemos a forma mais feitorista de mandar, “eu é que digo eu é que sei porque eu é que mando”, logo eu e os meus é que se governam, e elegerem, por mal dos nossos, a ignorância e a pobreza da maioria como forma de governar e a boçalidade e a governança como modo de estar na vida e os outros que mendiguem ou tentem fazer como nós chegar ao governo e à mandança. já chega. poderemos ser dos melhores do mundo, dos mais cultos se nos deixarmos de “mandarinices” e nos concertemos para educar e fazer crescer no nosso país e depois procurarmos a especialização fora, Que invistamos a sério nos nossos jovens e nos capazes de fazer, não só de “comer” ! Não quero nem tenho já vontade pois a idade pesa, para saber de tudo ou querer fazer de tudo. Posso contribuir na e ara a justiça, coisa que ainda sei um pouco fazer ! sei que tenho de contribuir e depressa porque os anos fogem e já vivi mais do que tenho para viver! por isso, fiquem contra mm ou digam mal de mim, vou contribuir, tanto o podia fazer no nosso país, mas os que “não querem ou não gostam” fizeram tudo para impedir a minha colaboração ! felizmente agora posso dizer o que quero e vou mostrar-vos. estou convosco para dizer basta ! basta afastarmos os corruptos, basta deixarmos um pouco para o povo comer, basta não querermos comer nós tudo, basta julgar mos bem !basta termos vergonha e sermos honestos!

  4. img
    Augerio Dos Santos Amado Vaz Responder

    Aproximadamente três anos atrás, tive uma discussão publica no Jornal ” A semana” com o Senhor Procurador Geral da Republica, em que este defendia que não existia na Republica Democrática de S.Tomé e Príncipe, Crime de corrupção. E ele manteve a sua teses, embora eu tivesse fundamentado juridicamente a minha posição contrária. A verdade porém é que passado todo esse tempo, nada alterou, o Procurador Geral mantém no seu cargo, a corrupção grassa, e ficou moda falar – se na corrupção. Não será que quem de direito que devia agir em vez de estar com discursos de ocasiões vazios de materializações seja também beneficiário e cúmplice desse ststus quo?

  5. img
    Frank Responder

    Um dia disse o Fernando a uma amiga: Depois de ter-me deslocado do País, é que apercebi quão este é belo!
    Exclamou à amiga! Então. Diz o Fernando- O desenrascar para não passar a fome, acabou por ofuscar-me o sentido que levasse a visualização da beleza destas; avançando ainda dizendo: Mas para se comparar, a que ter duas realidades. Nasci numa das Ilhas, e nela tenho levado a vida- Para mim, está tudo bem. É o contrário da sua, que vem doutro mundo com uma visão diferente, exigente e, etc.
    Não sendo essa peça introdutória equiparada ao artigo exposto, está sem dúvida, todo um conjunto de Leis e normas para se assentar numa justiça séria, punindo os prevaricadores e, criar o respeito entre homens e para homens. A fragilidade dos Tribunais tem a ver com as pessoas que permitiram espezinhar Leis para levar a cabo os seus objetivos. Assim lido o exposto, nem o Trovoada pai escapa a barra da Justiça por ter levado em seu proveito mobiliário do Palácio do Povo.
    NB-Artigo do Código Penal datado de 1886
    É de repara que as Leis que vigoram quando as Ilhas estavam sobre a dominação Colonial Portuguesa, “ Portugal Ultramarino”, foram todas elas revogadas ao mando do governador na altura, na noite do dia 11de Julho de 1975. Mesmo a lei de Naturalidade não escapou aquela força brutal que teve o efeito imediato. Se assim não fosse, todos nascidos em São-Tomé e Príncipe desse a data da descoberta até o dia 11 de Julho de 1975 seriam Portuguese. É no meu entender que as tais leis devem ser adaptas às realidades atuais.
    Para STP melhor

    • img
      zuchi dletu Responder

      meu caro, essa da nacionalidade é outro tema de discussão muito interessante. Se STP foi colónia portuguesa até 1975, se no direito português da nacionalidade, era português quem nascia de pais portugueses em território português, se todos os santomenses nascidos em STP antes da independência eram de nacionalidade portuguesa por terem nascido em território português e não terem antes outra nacionalidade que não fosse a portuguesa do território em que nasceram [colónia ou província ultramarina] porque admitem que não lhes seja concedida a nacionalidade que não perdem com a simples declaração de independência do território. reivindiquem e se lhes for negada vão aos tribunais [que acreditem em portugal são mesmo independentes e julgam de acordo com a lei], mas senão ganharem vão para as instâncias internacionais para condenarem portugal a ver reconhecida a nacionalidade a que não renunciaram.

      • img
        Frank Responder

        Não querendo colocar-me em desafio, mas apraz-me respondê-lo. No que toca a questão de naturalidade. Para referir a lei de 1886 Código de Proc. Penal se foi ou não revogado. Não a nacionalidade, porque esta adquire-se e, consequentemente perde-se. Como bem deixou claro num dos anteriores artigos seu, trabalhou alguma temporada nos tribunais em Portugal, ainda que não neste diretamente, mas como advogado. É ou pelo menos, devia ser do seu conhecimento que os cinco Países de expressão Portuguesa perderam a naturalidade pela tais declaração que puseram fim a soberania Portuguesa. Posto isso, à aquisição da nacionalidade mais tarde, veio a ser usado com sendo a ferramenta política, isto é: passou a merecer da opção política.
        Tanto se fez, e sem sucesso para que fosse reconhecido o direito retirado. No Bate- bate até que fura, à aquisição da nacionalidade passou a obedecer às regras de permanência no território Português por um período de 6 anos efetivo, com o desconto para caixa de Segurança Social, etc, etc. Como em resposta deixou claro que a simples declaração de independência do território não pode deitar por terra o direito consagrado, este é um caso que não deixa qualquer dúvida. Não só é o caso de STP, mas é de todos da língua Portuguesa em África. O único advogado que defendeu caso relacionado a esta matéria, foi o atual Presidente da Câmara de Lisboa “ Drº António Costa” pelo facto de uma cidadã angolana ter sido notificada para abandonar o território Português, alegando encontrar-se na situação ilegal, o que lhe deu enorme visibilidade. A sua intervenção apenas ilibou-a da extradição.
        Se estas leis ainda vigoram então, é urgente que se faça a reforma nos Tribunais
        Para STP melhor

  6. img
    Augerio Dos Santos Amado Vaz Responder

    Aliais que não se podia acusar os políticos por crime de Corrupção por falta de legislação. Teses do Senhor Doutor Roberto Raposo, Procurador Geral da Republica da Republica Democrática de S.Tomé e Príncipe, que foi acusado publicamente e na Sala de audiência do Tribunal de 1º Instância, pelo Advogado Adelino Izildo, de crime de corrupção passiva dentro este confessado de livre espontânea vontade ser corruptor activo no referido crime. Só mesmo em S.tomé!

    • img
      gadhafi Responder

      Meu caro,

      Sinceramente, acho que muito JB esta a lhe subir a cabeca e a fazer com que perca os sentidos das coisas.
      Somente em STP e que um ex juiz, faz abertamente ataques contra um procurador do estado sem que nada lhe aconteca.Ainda se esses ataques fossem verdadeiros, este nao seria o meio indicado para o fazer. E o Sr. Gege, conhecedor da lei, devia, mais que ninguem ter em atencao estes pormenores.

      • img
        Augerio Dos Santos Amado Vaz Responder

        Qual Republica? Qual procurador? Quais quê?

        • img
          Perola Responder

          Ola, Dr. Augerio, forca essa gente da raiva eh, mas e procurador CAÇO de OVU, a po keme boca cu ovu, xi e be ovu e ca fe vabu…..

      • img
        haha Responder

        Se ninguém acredita nos tribunais, alguém que saiu desse meio sabe o que aquilo vale, se calhar o melhor é expor a calamidade na comunicação social para agitar as coisas do que correr correctamente para um lugar de onde não se espera correcção.
        Uma boa revolução devia começar a partir das revbelações do Augério e do Carlos Semedo. Nessa altura as pessoas como tu estariam a fingir que pertencem o lado do povo.

        • img
          Augerio Dos Santos Amado Vaz Responder

          Ainda não saí dos Tribunais, estou suspenso e esperando para que concluam todos processos disciplinares e criminais que intentaram contra mim, e como é óbvio, pedirei a minha demissão, independentemente de qualquer resultado. Quanto a fazer revelações das calamidades existentes nos tribunais, é chover no molhado, porque toda gente sabe o que se passa nos Tribunais. Os poderes instituídos, fazem ouvidos de mercador, porque a ideia que tenho é que lhes convêm que o sistema, continue como está, para poderem fazer o que lhes vem a gana. O sistema Judicial neste momento está refém dos políticos são inimputáveis. Só com Cristo! Cada um sabe de si e Deus para todos.

      • img
        Perola Responder

        Ai, nao tenho nada a ver com isto, mas o Sr Procurador Geral Gadhafi, atica raiva de quem nao tem nada com as vossas brigas, esta ameacar o Sr. Augerio, porque esta na posicao de Procurador, qual e a tua nao vais ficar la a vida toda, e nao vale a pena estar ai a dizer besteiras porque todos sabem que andava a sacar dinheiro dos outros fazendo chantagens,e cada vez que as pessoas ti encontrarem a passar vao se lembrar ke es um cao de ovo, porque pelo menos Adelino Izidro, pode ter seu jeito de provocar essas coisas, mas uma coisa lhe garanto ele jamis diria ke o sr. lhe sacou grana, conheco ele ja a anos nao ia brincar com uma coisa desta, agora quem me surpreendeu muito e o sr. filho de uma mae honesta educada, a chantagear as pessoas, e outra coisa o gege bebe seu jB, nao vejo mal nenhum , ele nao usa de chantagem para sacar grana pra seu jB, nao vale a pena estar ai a querer se passar de menino fino porque ja estas queimado, esta foi educacao que o sr Raposo ti deu, ke Deus o tenha, faca me favor…

        • img
          Augerio Dos Santos Amado Vaz Responder

          Para mim, não constitui ameaças nenhuma, porque o dito cujo não tem autoridade moral para fazer o que quer que seja, pois, conheço – o muito bem e ele a mim, e há momentos na vida que o mundo fica pequeno e não cabe muita gente ao mesmo tempo.

      • img
        Cola daua Responder

        Ora, vejam so, ate deu me vontade de responder este senhor, pois tambem digo com tantas acusacoes que pesam sobre se e continua Procurador Geral, so em S.Tome e Principe.

  7. img
    Takimo Responder

    Obrigado compatriota. A nossa terra precisa de si. Precisa de gente para dizer as verdades. Infelizmente, existem muita gente com vontade de agir, de fazer mudar as coisas mas são pessoas que não gozam de independência financeira e o medo de perder o pão nosso de cada dia faz com que elas, como eu, se refugiem no anonimato, Mas que Deus o de vida e saúde e muita coragem para continuar a expressar as suas ideias e não se preocupe que somos muitos. Somos mesmo muitos e havemos de vencer a corrupção, os aldrabões e estas espécies de sanguessugas que andam por ai.

    • img
      zuchi dletu Responder

      takimo, obrigado pelas palavras de coragem e força que manifesta. não precisa de dar a cara, só apoiar com a sua consciência de que deve criticar quando está mal e apoiar quando achar que esta bem. assim começamos gota a gota e formaremos um rio que lava e leva a porcaria e limpa as consciências mostrando os mais limpos. está a chegar a hora de um Movimento Renovador [de são tomé e principe] onde possam estar brancos, negros e mulatos, forros, todos os e as santomenses de bem. Deixemos os que agora governam governar, julgaremos em breve ! o voto é secreto !
      bem haja.

  8. img
    Gé Borges Responder

    VIVA STP…
    Abaixo a corrupção…
    REFORMA DA JUSTIÇA É URGENTE…
    PORQUE TEMOS QUE SER PROFISSIONAIS…
    É DISSO QUE STP PRECISA

  9. img
    Kebla Responder

    Meu caro! Meus parabéns mais uma vez, pelo seu artigo.
    O problema é que quase todos os ditos dirigentes deste País têm telhado de vidro.
    Meu caro, sinceramente não o conheço muito bem. Indica-me por favor um Juíz não corrupto em STP? Um politico não corrupto em STP… É a mesma coisa que procurar agulha no palheiro.
    Daí que a sua intensão apesar de ser muito boa, no entanto aplicá-la nesta conjuntura é missão impossivel. Sabe perfeitamente que com estes responsaveis STP não tem solução.
    Cito-lhe a bela frase dos hipócritas ” Tenha esperança que as coisas vão mudar”. Digo, ok, resta saber até quando. Ainda na minha gerçao ou na geração dos nossos tetranetos? A ver vamos….
    Acredito que deve haver excepcções entre esta escumaha de corruptos, mas devo lhe dizer que não conheço. Sou santomense e conheço cada um dos dirigentes desta terra.
    Fui…

  10. img
    F. Delicia Responder

    Pessoas bem educadas são aquelas que sabem adquirir tudo o que precisam para serem felizes na vida sem passar por cima dos seus semelhantes. Para surpresa de muitos,na nossa terra, grande parte dos político e magistrados estão muito longe de serem considerados educados. O compatriota Semedo seria um bom professor de educação. Obrigado. Estamos consigo.

  11. img
    Ze Responder

    Obrigado, pela contribuição.

  12. img
    zuchi dletu Responder

    Caro Kebla, as coisas no nosso país são de fazer chorar a rir, para nos mantermos sãos de espírito. Você tem toda a razão, pois os “mesmos” – continuam enquanto não estivermos dispostos ao sacrifício. assim é que tanta corrupção se verifica a olhos de toda a gente mas os que agora mandam, esperando tirar o seu nates que o governo seja derrubado, como os outros fizeram e deste modo perpetuam o jogo. toca-nos a nós mostrar-lhes que podem ser diferentes e trabalhar honestamente para engrandecer o povo enquanto conduzem os destinos do nosso país à modernidade e com sabedoria. A lógica que tem de parar é a de que temos de encher enquanto é tempo, o mais depressa que pudermos, agora cabe-nos a nós comer, pois entra uma crise, quase sempre artificial, inventada pelos que perderam a mama, e não sabemos mais o que fazer. deste modo, não se querem acusações contra os que todos sabemos que se apoderaram à vista de todos do dinheiro que devia ser para todos! por isso não existe força política para a reforma da justiça e dos tribunais, porque esperam ficar debaixo do cobertor da justiça! leiam a lei [do indulto e do perdão] que os senhor fradique publicou quando saiu do casa cor de rosa ! leiam e vamos depois todos comentar.. eu voltarei…para dizer basta!!!

  13. img
    falapouco Responder

    Caros amigos em s.tome deicha de haver justiça Senhor Presidente da Republica tem vindo a convidar empresarios estrangeiros para investir em s.tome´em primeiro lugar o senhor tem que restruturar os tribunais depois dizer o senhor primeiro minstro para respeitar os tribunais e nao interferindo nas decisoes dos tribunais ele e chefe do governo e nao chefe dos tribunais na calada da noite quem manda no pais e o senhor primeiro ministro mas o seu moçucata mas o nosso panina comandante da policia de Agua Grande estamos ca para ver ate a onde vai isso.

  14. img
    Bodon Kulu Responder

    O problema de santomense é praga e alguma já vem dos atos cometidos por nossos pais e avós. Imagine-se que os “meninos” comiam e bebiam e de barriga cheia pegavam no “bodón” e saiam por aí fora à procura de “gabón” para darem “pau” e davam mesmo caso vissem algum. Não será que o castigo por esses atos se estendem por gerações e gerações. Isto é apenas um pequeno exemplo e é bom que não caia no esquecimento.
    Pretendo dizer com isso que a coisa já vem de longe, somos MAUS, RANCOROSOS, INVEJOSOS e se tivermos oprtunidade para pisar, pisamos sem dó nem piedade, um diz mata outro diz engole e de tal forma que já se tornou genético.
    “SOMOS MAUS, RANCOROSOS E INVEJOSOS”. Temos que mudar a nossa mentalidade e modo de agir, senão…

  15. img
    Filipe Samba Responder

    Ao
    Sr. Meritíssimo Juiz Carlos S.
    Nestas condições, queria fazer-lhe umas perguntas
    Portugal utilizou mao-de obra dos escravos (angola, Cabo-verde, Moçambique) quando serão indemnizados e com direito as nacionalidades de origem angolana dos avos, e pelo nascimento numa colónia portuguesa.
    Porque não foram voluntariamente à S.T.P
    Meritíssimo, por favor estude e analise estas questões
    S.T.P é sempre maior que seus líderes, as palavras dos duendes de S.T.P (7)

  16. img
    Herminia Responder

    Ao Senhor Semedo,
    Os seus temas me animam e me insectivam a leitura, mas o meu receio, é saber de facto, o que senhor pretende com tudo isso. Se faz isso com verdadeira intenção de ajudar o povo a encontrar outro rumo, conte comigo como mais um aliado. Mas duvido muito, não há fumo sem fogo.Não será que está a precisar de apoio para atravessar o deserto e depois de atravessar, adeuá congo, o povo e entraras nessa familia..
    ´Ao Senhor, Bodon Culu, Não diga somos,porque não sou, não há regra sem excepção.É verdade que isso foi o fruto de colonização, dividir para reinar, os efeitos eram brutais, violentos, como disse.Com a poliferação de partidos politicos, grupos religiosos, as coisas, tendem para mesmo rumo, mas com efeito mais suave, afastamento de cargo, marginalização, etc. Mas espero que isso com tempo vai mudar.

  17. img
    Jorge Souto Responder

    Caro Amigo
    Carlos Semedo

    Bem hajas pela objectividade e actualidade critica sobre a aplicação da justiça no tempo e no espaço.
    STP tem tudo para ser um dos mais promissores países da lusofonia em qualidade de vida -” DEUS QUER, o HOMEM SONHA, a OBRA NASCE” Fernando Pessoa.
    BEM HAJAM OS HOMENS ( e MULHERES), de BOA VONTADE

  18. img
    feijoada Responder

    Na maravilhosa ilha ja temos uma equipa de jurista e advogados pronto para ataque: Juristas Carlos Semedo, Gegé JB, O advogado Adelino Izidro e eis Presidente da comissão eleitoral nacioanl.

  19. img
    HLN Responder

    Obrigado,

    Todos sabemos de quanto é enfermo o fenómeno corrupção no nosso país;
    Todos conhecemos mais ou menos o historial de cada corrupto ou seja o que fez, o que roubou, e o que tem feito para desgraçar a terra.
    Todos, de uma forma ou de outra conhece ou ficou a conhecer a lei e os respectivos artigos para os punir.
    Temos faca e queijo na mão, deixemos de orgulho, inveja,e de bla, bla, bla.
    Reunamo-nos numa só voz e sairemos a rua , para se tudo e gritemos como gritaram a 37 anos atrás exigindo o que temos direito.

    O povo unido jamais será vencido.

Deixe um comentario

*