Análise

Carta aberta ao P. M. Gabriel Costa

E AGORA, Gabriel?  Ou  A Hora de Gabriel

Por : Filinto Costa  Alegre

Com títulos idênticos dirigi cartas abertas aos dois últimos Primeiros Ministros, não me tendo apercebido se qualquer delas teria chegado ao respectivo destinatário principal. Esta circunstância longe de me desencorajar, incentiva-me a procurar e  identificar o que haverá de comum e de divergente entre o actual Primeiro Ministro e os dois últimos.

Sr. Primeiro  Ministro,

Todos sabemos que ascendeste ao cargo porque os principais actores políticos, partidos e individualidades, convieram que eras o mais bem colocado para, nas circunstâncias actuais, gerir os interesses e as expectativas, por vezes desavindos, por vezes contraditórios,  por vezes, ainda, excludentes de uns e outros. Para além disso, terás que ter em conta os interesses  e expectativas dos são-tomenses, em geral, que muito raramente se compaginam com os dos partidos e demais actores políticos que, talvez a contra gosto, depositaram em ti a sua confiança. Isto sem falarmos dos interesses e expectativas do partido que ganhou as últimas eleições que, nas suas gesticulações, até agora, não foi capaz de explicar de forma plausível, a razão porque decidiu, de forma aparentemente patética,   “ entregar” o poder à então oposição. A diversidade e envergadura dos interesses em confronto, a exigirem uma boa e sã  gestão da tua parte,  são um bom indicador dos desafios com que te confrontas.

Tendo em conta as circunstâncias particulares em que V. Excelência se tornou P. M. de São Tomé e Príncipe,  interrogo-me se não será mais apropriado mudar o título desta carta, passando o mesmo a ser “ A HORA DE GABRIEL” .  Isto porque parece não ter existido da parte de V. Exª a intencionalidade, a vontade e a luta que vem caracterizando a ascensão dos cidadãos ao posto de P. M. Por isso, poderá não parecer descabido que as pessoas comecem a pensar que V. Exª é P. M. porque “ soou a sua hora “, porque tem uma missão a cumprir! Esta dimensão mística adensa-se ainda mais quando associada ao seu nome: – GABRIEL !

Mas os trabalhos de V. Exª, Sr. P. M., os trabalhos  de GABRIEL começam logo no momento da definição da sua missão. Cada uma das forças que de uma forma ou de outra, contribuiu para a sua nomeação, tem a sua particular visão sobre a missão, os objectivos e as prioridades de V. Exª e do seu Governo. Por isso, é fundamental que diga ao país de forma clara, precisa,  audível e em tempo oportuno, quais os seus objectivos e prioridades para os 18 meses de governação que tem pela frente. E deverá fazê-lo de forma equilibrada, sintetizando aquilo que no essencial nos une e nos identifica como uma comunidade em busca de um destino comum. A sua missão, será potenciar ao máximo os factores de coesão e de progresso  entre os são-tomenses.

Enquanto dirigente da Ordem dos Advogados, V. Exª. contribuiu para que se lançassem as bases de uma visão alternativa para São Tomé e Príncipe mais justa, em que o acesso às oportunidades está à disposição de todos e cada um dos cidadãos, em pés de relativa igualdade. Uma visão em ruptura com a situação actual em que o dinheiro e só o dinheiro é a medida de todos os valores, em que tudo se compra e se vende, a começar  pelos votos necessários para se ser eleito para qualquer cargo político e não só. Uma visão que passa por um longo, complexo e penoso processo de moralização da vida política, económica e social, baseado na reapropriação renovada da nossa identidade cultural, no trabalho árduo e perseverante, no combate à exclusão e na solidariedade. Não podem alguns poucos continuar a comer e a empanturrar-se de forma ilícita, enquanto a grande maioria vai sendo excluída em consequência do empobrecimento total e sistemático a que está submetida.

Sr P. M., V. Exª tem agora a oportunidade de contribuir para que esta visão alternativa ganhe foros de cidade, participando no moldar de São Tomé e Príncipe do futuro. V. Exª tem a oportunidade de suavizar o tormento de são-tomenses ilustres e abnegados como Alda do Espírito Santo, Francisco Silva, Edmar Carvalho, para me cingir apenas aos mais recentes e mediáticos, que do Olimpo seguem os desvarios impostos ao seu país por políticos que só se querem servir do país para atingir os seus interesses pessoais.

Sr. P. M., saiba que bem precisará da mística de GABRIEL bem como da inspiração dos nossos antepassados ilustres e abnegados pois, V. Exª não tem o direito de errar. E não tem este direito absolutamente humano porque, os são-tomenses estão extenuados e à beira do desespero, mostrando-se pouco propensos a contemporizar com os erros e desenganos das últimas décadas. Saiba igualmente, que poderá contar com o apoio interessado de TODOS nós para a ingente tarefa de restituir a fé, a esperança e a auto-estima aos são-tomenses.

Não te vou desafiar a fazer a declaração dos teus bens, a ser transparente e a prestar contas, a manter as oportunidades ao alcance de todos os cidadãos, a contribuir para a refundação da justiça, tornando-a, justa, acessível e ao serviço dos são-tomenses, como o fiz, em vão, diga-se, em relação aos teus predecessores, porque sei por vivência própria, que tudo isto faz parte do teu ideário, do nosso ideário, do ideário da Ordem dos Advogados.

Por outro lado, sei também que a oportunidade criada com a ascensão de V. Exª poderá ser um presente envenenado, pelos riscos enormes que  comporta. Por isso,  nunca será demais recordar-lhe que fazendo jus à argúcia, competência e experiência que lhe são reconhecidas, deverá eleger o diálogo, a concertação, a tolerância e a inclusão como estandartes, criando assim um ambiente favorável à sua governação. Mas atenção: esteja muito atento às OPOSIÇÕES! Sim , é mesmo de oposições que se trata! Pois, terá que lidar com a oposição oficial e com aquela que se for orquestrando, dentro do seu próprio “ grupo de apoio “, logo que se tornar claro que V. Exª não se revê no regabofe que vem prevalecendo no país, por isso, pretende algumas  rupturas e a introdução de determinadas reformas.

Tem 18 meses para mostrar obra! Por isso, a minha sugestão vai no sentido de que eleja, no máximo,  duas ou três prioridades para a sua governação e que conte com TODOS os são-tomenses para a sua materialização: – os que têm partido e os que não os têm,  os que vivem no país bem como os que se encontram no estrangeiro.  Não se esqueça de manter as mãos sempre estendidas à oposição. Faça-os sentirem-se parte do processo. Com as suas críticas eles vão ajuda-lo a governar cada vez melhor.

As oportunidades não podem ser apenas para os que sejam da maioria, tenham  cunha, ou acalentem o ego dos dirigentes!

Mas, voltando às prioridades, permita-me que lhe sugira as três seguintes:

1 – Reforma/refundação da JUSTIÇA – É uma das condições de sobrevivência da Nação e do seu Sistema Democrático. Tem toda a dignidade para ser a prioridade nº 1.

2 – Melhoria das condições de vida dos são-tomenses, focalizada na criação de emprego e auto-emprego e no fomento de actividades geradoras de rendimentos.

3 – Aplicação de medidas de credibilização e moralização da vida pública, com especial realce para as que visem contrabalançar a predominância do dinheiro como medida de todos os valores e a militância partidária como critério único de ascensão económica e social. Aposta na competência, no trabalho e no mérito como critérios privilegiados de ascensão social e económica.

Finalmente, permita-me um último desabafo: Mantenha-se igual a si mesmo! V Exª é um Advogado prestigiado, um cidadão responsável, participativo e solidário; um amante da sua terra e das suas gentes, um bom pai de família.

O poder subverte, corrompe e desumaniza , sobretudo quando exercido como um fim em si mesmo ou com vista à realização de objectivos pessoais. Mantenha-se vigilante, questione-se, que neste sentido, toda a cautela, é pouca.

Encare a responsabilidade política de primeiro plano que hoje assume como um meio privilegiado para servir   STP e os são-tomenses. Mantenha sempre viva a alternativa profissional para o caso de se virem a esgotar as premissas da sua participação política.   Não procure perpetuar-se no exercício de cargos políticos nem tão pouco  tente substituir a sua profissão de Advogado pela de Político. Quando sentir que cumpriu a sua missão, passe o testemunho a outro.

Bem haja.

    48 comentários

48 comentários

  1. Luso

    28 de Dezembro de 2012 as 17:18

    Em poucas palavras : não cometa os mesmos erros que cometeu o Sr.Patrice Trovoada

    Creio ser extremamente importante que :

    1-Encare a responsabilidade política simplesmente como um meio privilegiado para servir STP e os são-tomenses.

    2 – Demostre capacidade de trabalho e resultados.

    2-Mantenha sempre viva a alternativa profissional para o caso de se virem a esgotar as premissas da sua participação política.

    3-Não procure perpetuar-se no exercício de cargos políticos nem tão pouco tente substituir a sua profissão de Advogado pela de Político.

    4- Que respeite os cidadaos Santomenses

    5-Quando sentir que cumpriu a sua missão, passe o testemunho a outro.

    • Ernestino Mota

      3 de Janeiro de 2013 as 15:20

      Caro Compatriota Filintro Costa Alegre estou tão admirado e quero saber o porquê que ñão estás do Sistema politico do MLSTP, sabendo que foste o Fundador da Sede da sede do partido em 1974 em Riboque Capital em que associação cívica era controlado Si o nome mais felado na altura, conseguiram dominar todos colonos, até a chegada do ONÈ , LEONEL MÀRIO DÁLVA,MIGUEL TROVOADA E o ùltimo O SR. PINTO DA COSTA que asumiu o cargo e o Srº Filintro até hoje , nunca teve cargo politico Porquê , explique esta situação ao ao povo de STP da minha geração, que tinha na altura 14 anos e o meu pai que construiu a sede nos fim da semana , já não faz parte deste mundo.

      Porquê que o MLSTP excluiu a sua pessoa qual a causa? Fazias parte da Maria do Carmo , Albertino Bragança que queriam ser dependência de Portugal e se não quriam agora já é dependente de Portugal.

      A sua carta é importantíssimo para RDSTP porque a Justiça é fudamental e base de confiança e credibilidade para qualquer investidor e para todos Santomenses.

      A situação de Portugal neste momento é a péssima justiça e problema social e desemprego em que os politicos têm controlo total dos juizes e esses têm medo de tomarem certas decisões, para não perder casa gratuito , Água, Luz, Gaz, e outras regalias que lhes são dados, faz com que ficam refém do Sistema politico.

      Todo nome que estão a imputar, pelo proprio conterâneo Santomense, deve-se as criticas forte que eu tenho feito ao Governo Português como o Militante do PS
      , algumas reformas que o Governo tem feito no sistema policiais e da Justiça e muitos outros foram alvos de criticas conastante, temos que lutar pelo interece da nação.

      Graça a minha ação politica de forte coragem mudou muito quanto à sugurança das pessoas e sei que tem me prejudicado e quem fica a ganhar são as mães e os pais que sentem-se segurança com os seus filho.

      Os que não querem mudança na justiça são os que quereem estar a reber trocos para distruir a vida de proprios conterâneos e manterem na impunidade.

      Dou-vo um exemplo a morte do meu cunhado que coloquei no facebook eu conclui que foi morte encomendada,por este ter sido drogado e para não voltar à STP decidiram liquida-lo.

      Por isso quando alguns Santomense querem dar-me o nome, por eu ter levado o caso a JUSTIÇA , porque estão em Cúmplice com alguns elementos da PJ E PSP isto é a toda verdade deste FACTO de ASSACINATO MACABRA, Cito doa a que doer.
      Ernestino Mota

      Força Filintro mereces estar na fileira da politica Santomense

      Ernestino Mota

  2. Farinha do mesmo tacho

    28 de Dezembro de 2012 as 17:36

    Dr. Filinto Costa Alegre, li com atenção a sua Carta Aberta e não tenho muito que dizer se não: EXCELENTE. Mas sem querer menosprezar a capacidade de alguém, eu acho que o seu pedido feito ao Sr. Primeiro-ministro constitui uma utopia para o mesmo. Se já nasceu um santomense capaz governar o país assim como o Dr. Filinto Costa Alegre pede e aconselha, então este não está na política. Também estou de acordo com a primeira prioridade “Reforma/refundação da JUSTIÇA”. A minha questão é: como reformar/refundar uma justiça na qual tem a sua cabeça elementos apoiantes por completo do atual sistema de ilegalidades, de corrupção e que serviu de trampolim para o próprio ascenso do Sr. Primeiro-ministro? A terceira medida torna-se de igual modo uma ilusão já que nas intervenções do Sr. Primeiro-ministro só se denota expressões de exclusões e raiva do anterior governo e do ADI como se fosse que o UDD esteve diretamente ligada a crise política. Enquanto se mantiver o sentimento de vingança partidária e familiar, o Sr. Primeiro-ministro aproveitará para tentar pisar os outros de oposição oficial. De todas formas, continuo a dizer que a reflexão do Dr. Filinto Costa Alegre é muito útil e um dia em que um Primeiro-ministro as considerar, aqui sim seremos um grande país.

  3. cidadão

    28 de Dezembro de 2012 as 18:01

    Está tudo dito.
    2 ou 3 prioridades
    Bem haja

  4. Quá ê dá ê dá

    28 de Dezembro de 2012 as 18:46

    Palavras, meras palavras, características e próprias deste espírito corporativista e fisiológico que inunda a alma do homem público santomense, por acaso o atual primeiro ministro, quando lá esteve da outra vez, os prblemas eram diferentes dos atuais? Não. Meras verborragias.

  5. Olimidê Teixeira

    28 de Dezembro de 2012 as 19:07

    bem dito

    ” As oportunidades não podem ser apenas para os que sejam da maioria, tenham cunha, ou acalentem o ego dos dirigentes “

  6. minu ye

    28 de Dezembro de 2012 as 19:23

    Um excelente artigo, ha de se tomar em consideração, e refletir bem profundamente sobre estas palavras.

  7. Direito

    28 de Dezembro de 2012 as 20:00

    Um bem haja,Dr.Filinto Costa Alegre
    Ao Dr. Gabriel,digo: Uma única ocorrência não estabelece tendência,no entanto enraizou-se no nosso subconsciente colectivo,fruto da repetição da tendência o dito por”São Tomé”é preciso ver para crer”mas isto tem sido um engano,daí que lhe exorto uma inversão,” precisamos crer para ver.
    Porque se continuarmos a esperar até ver para crer,estaremos sempre a chegar tarde.
    E isto implica a adopção de comportamentos que suscitam a mobilização de todos,explicando o que pretende para o país,desfazendo-se com o paradigma de estender a mão para pedir e que os parceiros estrangeiros sejam somente parte no nosso processo de desenvolvimento,e não alavanca deste,estamos numa situação de emergência social,esta em causa a nossa existência colectiva,e este desiderato deve ser obtido com trabalho ,trabalho,e responsabilização de todos que o pretenderem sabotar…

  8. E agora.?!...Falo eu

    28 de Dezembro de 2012 as 20:38

    E pena este caro senhor, Dr. Filinto Costa Alegre, não ter audiência suficiente para nos transmitir mais as suas ideias de forma a que seja mais conhecido na nossa praça…sem duvida que seria um excelente presidente da republica.

  9. Odair Baía

    28 de Dezembro de 2012 as 20:50

    Simplesmente excelente Filinto Costa Alegre. Espero que o PM tome em conta esta carta aberta que aponta o caminho sensato para ser seguido pelo PM.

  10. Martelo da justiça

    28 de Dezembro de 2012 as 22:36

    Meu caro Dr. Filinto,
    O ultimo Primeiro-Ministro falhou porque tinha uma agenda pessoal. Ora o Pais não prcisa de Primeiros-Ministros com agendas pessoais mas sim que tenha uma agenda para o Povo de São Tomé e Principe. Por iss é que se o Dr. Gabriel Costa for capaz de cumprir 1/3 das suas propostas, será o melhor Primeiro-Ministro de todos os tempos em São Tomé e Principe.

  11. jorge desalmado

    29 de Dezembro de 2012 as 10:06

    Sábias palavras, dr Filinto. Primeira prioridade “Reforma/refundação da JUSTIÇA”. A questão é: como reformar/refundar uma justiça com actual ministra totalmente desenquadrada e fora do sistema?

  12. Santomé Plodôsu

    29 de Dezembro de 2012 as 11:12

    A única chaga no atual governo é um determinado sr. que trata os santomenses a bofetadas, quando bem entender. Trata-se dum fulano que sempre foi violento mas é visto como um “rambo”.
    Uma coisa é certa, “super homem” de carne e osso é pura ficção, possível só nos filmes, acredito que um dia vai aparecer alguem capaz de pôr este “fulaninho” em KO.
    É lamentável que num país que se pretende democrático apareça gente dessa como ministro.
    Tenham compostura.
    Bem haja a todos.
    Que Deus vos abençoe.

    • Quá ê dá ê dá

      2 de Janeiro de 2013 as 18:25

      Tinhas que aproveitar o fato de usares um pseudônimo para dares nomes aos bois. Não é ser metido a valentão, mas alguém tem que por as coisas em ordem, a começar da base, alguém tem que combater este estado de anarquia em que nos encontramos, alguém tem que ser sério e menos verborrágico como o que temos vindo a observar nos últimos tempos.

  13. Altino Antonio Saramago

    29 de Dezembro de 2012 as 11:52

    Se ha coisas boas no Dr. Filinto e que aprecio, e a sua frontalidade de linguagem. Mas, meu Caro Dr., vai ser muito dificil para o Primeiro-Ministro Gabriel Costa, pessoa honesta, competente e seria. O problema e que o Governo nao e do Gabriel. Ele foi posto la um pouco a contragosto de seus supostos apoiantes.
    Os factos que estavam preparados e que nao sairam dos guarda-factos, como e fica tudo isso. Sera que o Governo do Gabriel vai conseguir manter o arroz do Japao nos armazens do Porto?!…Sera?!…apenas um exemplo! Como reformar a Justica com Juizes militantes de partidos politicos?!…Como?!…A ver, vamos!….

  14. João

    29 de Dezembro de 2012 as 20:52

    então é normal que o Dr. Filinto escreva um artigo e que na primeira metade trata o P.M por tu e na outra por você, olha quando tiver tempo diga que terei todo o prazer em dar alguma dica da língua Portuguesa. fora isso acho muito bem o que diz gostei do artigo.

    • Pão com Chouriço

      29 de Dezembro de 2012 as 23:30

      Repare na organização da sua frase, do ponto de vista da sintaxe e concordância, antes de falar dos outros. Ainda por cima se acha um especialista na Língua Portuguesa. Que tristeza, meu Deus!!!! É por isto que este país não avança. Em vez do senhor falar sobre o conteúdo do referido texto resolveu falar da Língua Portuguesa dando calinadas que um miúdo da quarta classe não daria…O que é que querem que eu diga mais… Pobre país…

    • Quase lá

      30 de Dezembro de 2012 as 18:57

      Sr. João,
      Por acaso também reparei nessas duas formas de tratamento no mesmo artigo e fiquei com a sensação de que na primeira parte Dr. Filinto Costa Alegre trata o Primeiro-ministro como alguém que lhe seja muito próxima, talvez um grande amigo, mas na segunda parte, mesmo mantendo a consideração e amizade, o vê como primeiro-ministro e o trata como tal, “V. Excelência se tornou P. M. de São Tomé e Príncipe”.
      Se for correta a minha leitura, mais um motivo para tirar o chapéu ao Dr. Filinto Costa Alegre, pois mantendo a sua amizade, realça a nova função do amigo, respeitando-o como tal e se dispondo para o apoiar em prol do país e do sucesso individual.

      Tenho ainda um “feeling” de que o Dr. Gabriel Costa é suficiente para digerir com avidez as suas palavras e dar o seu cunho pessoal, que julgo não estar longe das suas nem das nossas espectativas, para o orgulho de todos nós.

  15. A luta continua

    30 de Dezembro de 2012 as 11:21

    Enfim, falar não pode. Vamos dar tempo a tempo…

  16. Cabujura

    30 de Dezembro de 2012 as 11:52

    Bem dito, Dr. Filinto.
    Só espero que por de traz do seu discurso não está mais uma daquelas cantadas dos “bom homens de palavras” da nossa praça que falam em nome do “bem comum”, mas que na prática/intenção está o seu, e exclusivamente, interesse. Ou seja, não será que o Dr. Filinto está a procurar uma sombra em baixo dos braços do Dr. Gabriel Costa, Primeiro-ministro?
    Falo isso por conhecer alguns.

  17. Revolucionario

    30 de Dezembro de 2012 as 12:40

    Muito obrigado por essas reflexões DR.Filinto Costa Alegre

  18. TOny de MATO BRAVO

    30 de Dezembro de 2012 as 13:30

    teria 80 pontos se situasse bem o respeito pessoal ou gramátical. Queira ou não é Senhor Primeiro Miniístro Gabriel Costa

    • Quase lá

      30 de Dezembro de 2012 as 19:02

      Sr. TOny de MATO BRAVO,

      Sem querer contrariar, recomendo-lhe que leia a resposta ao comentário do João relativamente a esse ponto.

  19. Barão de Água Ize

    30 de Dezembro de 2012 as 17:07

    Bastam quase zero palavras, numa carta:
    Sr. Primeiro Ministro, revitalize Economia, atire para trás das costas a politica ideológica, para combater com denodo a pobreza na nossa Terra.

  20. crédo

    30 de Dezembro de 2012 as 18:40

    sem palvras caro Filinto Costa Alegre.

  21. original

    30 de Dezembro de 2012 as 19:34

    Sr.Dr.Filintro,sou de opnião que em vez de estar fora a ver os problemas dentro,o Sr.deveria tentar dar o seu contributo implementando a sua visão e conhecimentos em pról da nossa sociedade estando no Governo.Assim o que o Sr.acha que outros deveriam fazer,o Sr.teria possibilidade de ser o protagonista.

  22. Argenezio Antonio Vaz

    30 de Dezembro de 2012 as 22:01

    Bom, muito bem. Alias na nossa praça , jurista como o senhor ainda não vi, e posso dizer que ja tenho 55 anos. Conheço bem o senhor, mas como vê todo mundo reconhece as suas competências, mas o senhor é uma pessoa não grata, é que em STP as pessoas serias, não valem nada.Os partidos politicos não gostam de si? Vimos o que passou nas eleições presidenciais. Enfim…
    Mas o Senhor PM, vai ter muitos problemas para além desses que apontou.
    1. Um PM com apoio de 5 partidos, isto é, MLSTP, PCD, MDFM PL, todos com assentos parlamentar e o seu proprio partido o UDD,sem assento, como distribuir tachos em apenas 18 meses, deficil e quase impossivel de resolver.
    2. Uma vez o Patrice ficou no Governo, apenas por três meses pois, ele tinha apenas 11 deputados, pelo menos. O PM actual tem zero deputados. Sera que a sua ideia passara ou vai obedecer ordens apenas? Mau, pois precisamos de um chefe e não um ministro a mais. Ou então diga-nos quem é verdadeiramente o PM.
    3. Justiça. Não, tenho a certeza absoluta que o PM nada vai fazer, pois não pode fazer, vai sim conviver com a situação e ponto final. Lembremos que o Presidente que é o MAIS ALTO AGISTRADO DO PAIS disse na sua entrevista em Portugal citamos” blu blu na ça luta fa”, isto é, temos que ir com calma. Então em 18 meses sabemos que vai ser impossivel. No fim vão nos dizer que não era possivel fazer algo, e todos vamos dizer que sim.
    4.Criação de empregos, em 18 meses, não acredito, pois, mesmo se arranjarmos dinheiro no exterior, as condições ja sabemos. Bom os empregos serão para os do partido, os da coligação, como sempre. Directores, membros de Concelhos de Direcção, chefes de departamentos, etc.
    5.Aplicação de medidas de credibilização e moralização da vida pública. Essa ainda é pior, pois em STP, valoriza-se a incompetência. Basta sermos de um partido, pronto esta feito, o saber, a honestidade, a competencia não fazem parte de termos de refêrencia para sermos trabalhadores. Triste, mas é a nossa constactação e infelizmznte o PM nada vai fazer. Mais para quem apoia esse governo, que fazer com os actos que não ficaram claros durante anos, e hoje são os que dizem ser os verdadeiros santomenses?
    O que vamos fazer? Continuar assim?
    Eu acredito que é necessario quebrar com actual situação,so assim STP podera mudar. Mas como quebrar? Com quem?
    Sera que, com aqueles que tudo fizeram para se enriquecerem a nossa custa? Aqueles que vivem em STP so para ganhar dinheiro? Aqueles que têm dupla nacionalidade e vão se embora quando as coisas estão escuras?
    Com quem? Não vejo como, na conjuntura actual, pois temos que ser geridos por partidos politicos. Isso é que é o problema.
    Esse Pais, STP não tem futuro, é um Pais adiado e falhado, os politicos não querem esse pais, pois poêm os interesses pessoais e dos estrangeiros em primeiro lugar. Vimos quando um deputado , que diz ser representante do povo, na RTP, aconcelhando os investidores a não investirem em STP. Olha como mudou o governo, seria bom que esse deputado viesse a RTP e confirmar a sua ideia. Enfim… dentro de 18 meses ca estaremos, se Deus quizer, para fazermos a sintese.

  23. Franco

    31 de Dezembro de 2012 as 3:13

    Sr Dr Filintro!
    Na realidade o sr disse quase tudo. Entretanto, a forma como o fez e principalmente nos primeiros paragrafos onde trata o Primeiro MInistro por tu, ‘e deploravel. Agrava-se ainda mais, quando vem de alguem que outrora concorreu para o alto cargo da Nacao.

  24. Santomense

    31 de Dezembro de 2012 as 5:26

    Sr. Filinto C. Alegre.
    Li, o vosso artigo. Muito extenso, cheio de termos “Eruditos” q. as pessoas c/nivel primario de Educacao nao vao entender. O Sr.,e GRANDE Patriota. me lembro d’Associacao Civica(pre-independencia,1974/75).Onde estao os teus “Antigos Companeros”??? MPCosta,voltou ao poder.
    Gabriel, nao e o problema!!!(QI)nao significa,”Quoficiente d’Inteligencia”porem…Quem Indicou!!!
    O Povo/Eleitores Santomenses,ainda naoaprenderam a elegger os seus Dirigentes. Portanto, “quem c/porco dorme…farelo come.

    • Bô Buia

      31 de Dezembro de 2012 as 10:43

      Dr.Filinto,meus parabéns pelo o artigo.Acredito que o nosso país precisa de pessoas que têm inspirações patrióticas o que fica muito a desejar.
      Gostaria de deixar um pequeno contributo que vem da seguinte fórmula: TRABALHO + CULTURA x LIVRO = PROGRESSO.
      O nosso país precisa disso.
      Boas festas!

  25. Camboté

    31 de Dezembro de 2012 as 10:16

    Não tenho muito mais a dizer! Apenas reforço, que a 1ª prioridade é urgente! JUSTIÇA!!!!

  26. dizer umas coisas

    31 de Dezembro de 2012 as 10:42

    Uma e única pergunta ao Sr. FILINTO COSTA ALEGRE:

    Será que só pode fazer algo por esse país aquele que estiver no poder?

    Será que um cidadão anónimo não pode fazer nada?

    O que o Sr. tem feito ultimamente pelo país, para além de escrever e exigir dos outros, enquanto cidadão comum?

    • Pão com Chouriço

      31 de Dezembro de 2012 as 13:52

      O facto do senhor Filinto disponibilizar o seu tempo escrevendo e participando nos assuntos do nosso interesse coletivo já é muito para um país onde as pessoas têm medo e pouca disponibilidade para o fazer.
      Agradeço-lhe bastante este gesto patriótico e de cidadania.
      Agora pergunto eu: o que é que o senhor já fez para o país que tem legitimidade para criticar aqueles que pelo menos escrevem e dão o seu contributo para o desenvolvimento do mesmo? O senhor não escreve, não fala, não vê, limita a vegetar ou a viver de forma inerte na sociedade e, ainda por cima, acha-se com legitimidade para criticar aqueles que pelo menos escrevem e participam na discussão dos assuntos do país. Mas que vergonha e desconsideração. Nós forros somos maus, porcos, feios e desgraçados. Ou seja, não fazemos nada pelo país e ainda entendemos que aqueles que fazem algo não deveriam fazer. Nunca vi nada assim em nenhum outro país do mundo.

      • passos Trovoada

        2 de Janeiro de 2013 as 9:20

        Por exemplo,

        1. O Dr. Filinto foi candidato nas últimas presidenciais.
        2. A SOCOGESTA emprega 300 pessoas. De longe um dos maiores empregadores do país. Por acaso, a CST e o BISTP juntos não empregam tanta gente como a empresa do FIlintro.
        3. O Dr. Filinto tem ideias sólidas. Não vira casacas, mantém os seus valores até hoje. Encontras algum exemplo igual?

  27. pantufas

    31 de Dezembro de 2012 as 11:10

    O Dr. Filinto devia tb dizer ao Anjo Gabriel,que o presente q lhe deram está envenenado.Os camaradas e companhia,se as coisas correremlmal vão dizer q a culpa é do UDD.fui……

  28. abaju radio da cidade

    31 de Dezembro de 2012 as 11:55

    cota filintro tu podias ser o novo procurador geral da republica com esses discurço todos , sera que ponhas na pratica.

  29. alfredo

    31 de Dezembro de 2012 as 19:42

    Pude leer atentamente o artigo do Dr. Filintro e os comentários deixados pelos leitores e ficou explícito que o denominador comúm é `TRABALHO`.Isto levou-me a seguinte reflexão:
    Antes de mais, sou um acido leitor das notícias publicadas pelo tela nón e lembro-me muito bem de um artigo publicado pelo jovem quadro, Dr. Emery Narciso em que a chave do mesmo reflectia sobre o TRABALHO e os supostos críticos refugiaram-se na ortografía ao invés do tema, desviando o foco do manuscrito. Hoje, ao ver comentários com o denomenador comum TRABALHO, faz-me interrogar sobre, que tipo de SER HUMANO É O SANTOMENSE? Porque claramente que fazem uma confessão, dando razão ao manuscrito do jovem quadro. Alguém disse que em S.Tomé não se alcança os cargos por competência e por mérito e eu gostaria de perguntar aos dirigentes de S.T.P se desconhecem essa alarmante situação. Obviamente que vós sois os mentores desta nova corrente que reina neste país interrogado face ao seu futuro. Por último devo fazer-lhes lembrar que S.T.P é um país onde se constata que quanto mais nível académico e conhecimento se tem, mais obstáculos são postos no caminho, ao contrário de todos os outros países. Esta é uma das razões do atraso deste pequeno país insular onde os valores desapareceram de uma forma asustadora. Soube a días que este jovem quadro, quem foi o autor do referido artigo, está na sede da prestigiosa instituição financeira fora de São Tomé e Príncipe.

    Qual é a moral deste caso? Deixo ao critério de todos.

    Um bem haja à todos os santomenses e que um dia este país recupere os valores perdidos.

  30. alfredo

    31 de Dezembro de 2012 as 22:10

    Quis dizer ler e não leer.

  31. Furtado

    31 de Dezembro de 2012 as 23:12

    Faço votos para que aquela Bela Jornalista Costa Alegre esteja bem e que tenha um BOM ANO!
    Furtado

  32. Vane

    1 de Janeiro de 2013 as 23:30

    Muita fala e pouca obra!

  33. LEVE-LEVE

    2 de Janeiro de 2013 as 9:02

    Caro amigo Filinto,
    De ti só poderiamos esperar essas orientações sensatas. Continuo a achar que o povo perdeu a oportunidade de ter-te como PR. Mas o importante é que continues o mesmo de sempre.
    Boas festas.

  34. Carlosceita

    2 de Janeiro de 2013 as 11:27

    Meus amigos li a carta aberta do meu compatriota Filinto Costa Alegre e tenho muitas duvidas para não dizer quase a certeza de que muito do que lá está não seja tomada a sério. Ver para crer como diz o apostolo Tomé curiosamente o mesmo nome que é baptizado a ilha maior.
    Mais uma vez digo oxalá me engane.
    Até lá deixem-me acreditar no Toze Cassandra e na sua ilha do Príncipe que tem um plano e pensamento do país a longo prazo.
    Um Primeiro Ministro sem legitimidade do voto popular e como alguém já aqui referiu acorrentado por partidos supostamente com visões diferentes só pode resultar em muita confusão.
    Mas sendo ele um advogado brilhante e com epítetos de pessoa seria como alguns o apontam não entendo como coloca lá uma figura sinistra como o Ministro da Defesa e tenha escolhido como a primeira visita a TVS um local para todo tido de propaganda de presidentes e governos deste nosso querido país. para não dizer do famoso cofre que esta sempre vazio quando alguém chega perto dele.
    São todos diferentes é verdade mas parecem todos igualzinhos.

  35. Petroleum

    2 de Janeiro de 2013 as 11:53

    Uma autêntica utopia de palavras soltas e avulsas de um homem que estrategicamente pensa e escreve bem, a semelhança dos grandes pensadores e políticos que nunca dizem o que pensam…, ou não seria ele mesmo também um candidato ao banquete da vida fácil, em que se assenta num cadeirão palaciano para fazer a vidinha, enquanto se veta e promulga-se favoravelmente as leis, ao sabor dos apetites de cada receita encomendada, ou a que nos dá mais jeito….
    O candidato das panóplias literárias, famoso em escrever cartas Best-seller aos PM do País, foi derrotado presidencialmente nas últimas eleições, com alguma insignificante % de votos, e por ser de carne e ossos como todos os seres humanos, sabe bem que o poder corrompe a todos, sendo que, como a mais comum das “mercadorias”, cada uma tem o seu preço. E só perdeu porque quis saldos, enquanto os outros estudaram bem o mercado e pagaram caro pelas encomendas.
    Desde a pré-história sabe-se que a justiça é a lei do mais forte, e cá no País esta máxima assenta-se tão bem como uma luva, e nem mesmo ele seria a excepção a regra, neste banquete da corrupção, que graça para alguns milhões e para outros tostões, e para outros ainda algumas migalhas no dia do banho.
    A excepção seria se ele ao contrário dos outros espertos destas ilhas aceitasse o desafio de começar já a escrever mais cartas aos políticos em geral para rejeitarem a famosa blindagem do “efeito de Estocolmo”, ou se quisermos, a imunidade parlamentar que todos os políticos condenam e amam ao mesmo tempo, claro está em função do momento e da fase da lua dos seus interesses.
    Esta carta vale o que vale, porque depois de 37 anos de independência, o Povo só se verá livre desta falta de respeito, por esta casta longa de escumalhas que já governaram STP, quando acontecer, como dizia o outro, o SOBRESSALTO CÍVICO.

  36. Madalena

    2 de Janeiro de 2013 as 18:50

    As suas palavras são como agua da freguesia de Madalena, Agua Clara. Por isso sempre vi nesta nomeação, como chefe dos Ministros e não 1ºMinistro. Qualquer coisa, qualquer medida deste senhor, haverá vozes como: “Eu vou queixar o Presidente…”
    Gabriel Costa portou-se como aqueles alunos excelentes, durante o ano e por azar é apanhado com uma cábula nos exames. “Teorema de pitagoras”. A morte do artista.
    Dr Filinto, que nestas coisas não destrai e nunca lhe prestou senhor Gabriel grande apoio agora, medite!!. Falata ao Dr Filinto, uma coisa só!! Comunicar para a maioria deste país, infelizmente gente com pouca instrução. Doa a quem doer!

  37. Madalena

    2 de Janeiro de 2013 as 18:53

    As suas palavras são como agua da freguesia de Madalena, Agua Clara. Por isso sempre vi nesta nomeação, como chefe dos Ministros e não 1ºMinistro. Qualquer coisa, qualquer medida deste senhor, haverá vozes como: “Eu vou queixar o Presidente…”
    Gabriel Costa portou-se como aqueles alunos excelentes, durante o ano e por azar é apanhado com uma cábula nos exames. “Teorema de pitagoras”. A morte do artista.
    Dr Filinto, que nestas coisas não distrai e nunca, lhe prestou senhor Gabriel grande apoio agora, medite!!. Falta ao Dr Filinto, uma coisa só!! Comunicar para a maioria deste país, infelizmente gente com pouca instrução. Doa a quem doer!

  38. Barão de Água Ize

    2 de Janeiro de 2013 as 23:10

    Que responsabilidades tem a Ação Civica na situação actual do nosso País?
    O Sr. Filinto Alegre era associado?

  39. seabra

    10 de Dezembro de 2013 as 17:06

    …você pode fazer melhor que o Gabriel da Costa? Tens ideias que podem salvar STP? Proponha, afinal você é saotomense. Quer o bem de STP? Em vez de criticar, faça algo de bom, em vez de criticarn, estupidamente!!!

  40. seabra

    21 de Janeiro de 2014 as 14:09

    …quero completar algo, que é de uma importância capital.
    Onde é que se encontra o Patrice TROVOADA, depois de ter sido demitido?
    Afinal, STP, para o Patrice Tovoada, é um “bon plan” para obter dinheiro, sem muito trabalhar, gerir o pays, como se fosse a Roça da Familia…e quando o mundo observa que o povo saotomense lhe dà um enorme apoio!!!Que escândalo!!!
    Espero , que este povo ABRA BEM OO OLHOS, que tir e a liçao, sobre a conduta deste VAGABUNDO, que é um grande CAMBALACHEIRO, creio ser dos mais perigosos que o continente conheceu…é um VADIO nato!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo