Conversas di Féla Má-Lungua

Para que não fiquem de fora e haver por aí quem maldizer, dois convidados são nomeados a sentar a nossa conversa. Abílio Neto, voz de São Tomé e Príncipe no Debate Africano da RDP-África e Ambrósio Quaresma, director do Parvo, o jornal digital e cronista desde as ilhas do Equador nas manhãs da mesma rádio.

As ilhas santas assistiram serenas e impávidas aos tumultos políticos desencadeados pela ADI a reclamar-se de mais deputados no Parlamento são-tomense que lhe pudessem sustentar as obras a mistura com as manobras de Patrice Trovoada, 17º Primeiro-Ministro de 21 anos de democracia insular. Nisto de Chefes de Governos nenhum democrata dos PALOP, nem de Portugal cujo texto constitucional, somos a cópia, tem lições a dar aos são-tomenses. Somos a mais avançada das democracias. Dúvidas?

O povo são-tomense, neste período de duas décadas, na paz e no sossego ou seja ao seu leve-leve elegeu para governar o seu destino, quatro partidos de diferentes apetências políticas: PCD, MLSTP, MDFM e ADI a associar a conta, mais três Presidentes da República. Questões?

Com feridas por sarar do passado, quer um e quer o outro, as vozes na RDP-África, a nossa amiga radiofónica (Festas Felizes e um Bom Ano!), não pouparam a maioria parlamentar acasalando os direitos de oposição em censurar o executivo ao pensamento do palácio presidencial. Má-fé!

O que o Presidente da República teve com a intenção ou melhor, com a manobra frustrada de ADI em matematicamente querer antecipar as eleições para ter a maioria no Parlamento acreditando que agora e já, as obras sociais e os números estariam do seu lado sem qualquer necessidade de casamentos prematuros?

O Presidente da República apenas cumpriu constitucionalmente a missão atribuída aos médicos vocacionados de assinarem as certidões de óbito. O Governo fugiu a Moção de Censura. Tombou depois de Patrice Trovoada ter orientado as suas tropas para fazerem barulho no Parlamento e, com o sangue a subir-lhes pela cabeça foram mais longe e chegaram a vias de facto. Soco para aqui, pontapé para lá e cabeça mesmo que pensa e para ler a Constituição e o Regimento da Casa, pronta a dar cabeçadas.

A primeira coisa que fiz a visionar o filme e com as facilidades de comunicação e informação, foi correr atrás dos países em que estávamos a fazer cabulas para ter os seus nomes na ponta de língua e defender-me de mangação de colegas estrangeiros. Ucrânia, Argentina e Correia do Sul são exemplos feios que ficaram gravados.

As duas vozes convidadas dos programas da RDP-África nunca estiveram em paz com o palácio presidencial. Pisaram a Constituição da República vezes enes, subvertendo os ditames constitucionais em obrigar o Presidente da República a obedecer a agenda de ADI.

Com uma outra interpretação e aprofundamento constitucional do representante de Cabo Verde no programa, finalmente, graças a Deus, o Abílio Neto, confessou na manhã de domingo, 16 de Dezembro que o maior obreiro e viajante pelas exigências dos novos tempos, (1º Ministro tem de ser um homem de negócios e viajar, fez-lhe vontades várias vezes), esticou muito a corda, sim, reconheceu tardiamente que Patrice Trovoada extremou por demais a guerra com o palácio presidencial. Nunca é tarde dizer-se a verdade. Parabéns Abílio Neto!

Não era preciso Patrice Trovoada perder o jogo para se lhe reconhecer o menos elegante e o pior, dar de borla o poder a oposição.

A ADI começou mal desde a interpretação errada que fez dos resultados eleitorais de 2010. Faltou democracia na Acção Democrática. Sendo o partido político de apetência governativa que esteve duas décadas, desde a sua formação em 1992 a espera que o povo lhe certificasse a governação das ilhas, o poder subiu a cabeça do seu líder, Patrice Trovoada, que assumiu governar em minoria sem qualquer sustentáculo parlamentar. A oposição de telhados de vidro corroborou dos desejos de ADI e a necessidade de estabilidade política e, deixou o Governo trabalhar, sim senhor. Mais de dois anos. Porque não a legislatura completa? A ADI fugiu do Parlamento.

Patrice Trovoada disse na primeira comunicação pós tumultos e a seguir a bênção recebida dos manifestantes de que era a primeira vez que o povo saía a rua espontaneamente para defender um Governo, claro, tombado por culpa própria de fugir aos esclarecimentos normais na democracia.

Ao subscrevermos de que a política é a arte de mentir, esteve bem, ou melhor, politicamente correcto. Esqueceu-se de que o banho sim, extemporâneo deu jeito a muitos participantes. Não disse que os motoqueiros e taxistas encheram os depósitos a conta de porem o povo na rua a gritar Patrice sai, Pinto sai. Esqueceu-se de que o comando das operações esteve entregue ao Secretário-Geral de ADI que mandava largar bomba no palácio presidencial com as palavras atómicas que lhe explodiam da boca em nome do país que tinha de entrar em caos sem a responsabilização da Acção Democrática Independente.

O Presidente da República não mediu palavras para contestar o acto de Evaristo Carvalho em abandonar a presidência parlamentar aquando do peito ao peito dos deputados. Quantos estômagos, quantos precisou Pinto da Costa para aguentar aos fuzilamentos de Patrice Trovoada e Levy Nazaré?

Se é assim que se faz a democracia na casa de ADI, quantos terão sido exigidos ao Evaristo de Carvalho para aguentar aquela miudagem desesperada e “formada” que Patrice Trovoada garantiu vida melhor em troca de tudo valer?

As obras foram feitas, o primeiro supermercado do país e as estatísticas, valendo ao que valem, subiram as ilhas no ranking de transparência e de gestão da coisa pública. E daí?

Não são obras de palacetes em Praia das Conchas, Favorita ou nas novas quintas dos nossos ricos da democracia. O país queria saber das obras do Estado, cujas contas são prestadas aos representantes do povo no Parlamento, mesmo sendo alguns acusados de corruptos e fugitivos da justiça refugiados na imunidade parlamentar.

Patrice Trovoada disse na sua grande entrevista ao moderador do Debate Africano, última e dias antes da escapadela do PM a Moção de Censura no Parlamento, de que não falava publicamente dos acordos secretos com aqueles políticos nem na comunicação social, porque o país é pequeno, as pessoas conhecem-se e encontram-se regularmente nas conversas di Féla Má-lungua e falam-se dos dossiers do Estado. Mais! O seu gabinete estava aberto a qualquer cidadão que quisesse saber dos negócios do Estado. Aberração!

Mandou provocação a oposição. ADI é partido formado por gentes novas e não a oposição que é de figuras caducas. Oh!

O XVº Governo Constitucional chefiado por Gabriel Costa, bastante heterogéneo com gente jovem e de gestão reconhecida veio a praça dizer que encontrou os cofres vazios. Devia ou não mostrar as calças rotas? Claro que sim! Qual é o mal? Se não o fizesse, o que o deposto PM viria dizer do estado em que deixou o tesouro público? Cheio de cacau. Né?

Com o Estado Social naufragado, o Estado Económico padecendo de enfermidades múltiplas e o Estado Político aos muros não se podia esperar de algum vintém nos cofres.

A ADI que ainda não sabe se é a oposição da oposição veio cedo demais reclamar de que a comunicação social estatal não lhe tem dado voz nas suas campanhas nos distritos. Esteve em Mé-Zóchi e não compareceu em Cantagalo, dois feudos do partido. Ké-Kúa!?

Os deputados de ADI devem regressar a casa do povo e sem um novo ring mostrarem quanto são praticantes da democracia para daqui a ano e meio o partido dar banho, infelizmente, ao povo que lhe agradecerá pelo tchiquila e pelas saudades de Patrice Trovoada que disse não largar o povo pequeno.

Li Carlos Graça «Memórias Políticas de um Nacionalista Santomense Sui Generis» e renovei a minha confiança nos são-tomenses e o ego dos meus pais terem optado pelo meu nascimento no canto sereno das ilhas santas e no meio do Mundo. Mais uma tempestade. Chegaremos ao bom porto!

Os políticos e mais gentes da sociedade profissional, juvenil e cívica das ilhas não o fizeram ou no mínimo não viram entre as letras o orgulho do homem são-tomense. Os negros das ilhas foram os primeiros a dar bailes do saber nas universidades portuguesas e comandavam o sentimento anticolonial dos cinco PALOP ainda no início do século XX. Pena!

O mundo permanece em suspense fazendo tudo para alongar a vida do maior dos Homens. Meditemos nas suas lições de prisioneiro e de reconciliador. Nelson Mandela devia ser o exemplo para todos nós, os africanos.

A ADI tem pela frente mais um desafio. Dentro de dias o Presidente da República recebe as Boas Novas do Ano dos cidadãos nacionais e estrangeiros. O partido não vai para lá mandar um qualquer pé rapado, fugindo os olhos nos olhos com Pinto da Costa. Patrice Trovoada e Levy Nazaré nas imagens a ficar na História devem ser os enviados de ADI a cumprimentar o Presidente da República, assinando com esse gesto, a tela da paz e da democracia.

Se o Abílio Neto em contramão com a República enxergou e já largou Patrice Trovoada com as suas cruzes, o que espera Ambrósio Quaresma, o director do “Parvo” para se despir da máscara?

Por tudo isso, nas manhãs de rádio houve quem viesse por paixão, sanzalice ou gosto de presentar juntar alho com bugalho e até dizer mal do meu país, ao ponto de retirar o nome santo no documento de nascimento. O que dizer se a democracia é isso mesmo? Liberdade de pensamento, de expressão e do contraditório. Talvez, como dizia o outro: Senhor! Perdoai a pobre criatura!

Bon Zuano ô!

José Maria Cardoso

31.12.2012

  1. img
    Levy Sanzaleiro Responder

    Abílio e Ambrózio,
    São vergonha do bom nome SANTOMENSE.
    Obrigado Zé Luís o Caboverdeano do DEBATE AFRICANO.
    Ajudaste a Democracia Santomense.
    RECONHECEMOS.

    • img
      povofala Responder

      Governo gasta 3 mil dolares com aluguer de aviao para ministra de negocios estrangeiros ir ao Principe passar natal com os seus familiares.Natalia Umblina que se encontrava numa extensa reuniao de trabalho,perdeu o voo normal de segunda feira dia 24/12/2012 para ilha do Principe,onde iria passar a noite consoada com os seus familiares.O governo achou por bem desembolsar 3 mil dolares do cofre do estado,para garantir a viajem da ministra Natalia Umblina a sua ilha natal.Sabe-se ainda que a ministra teria pedido ao piloto que a aguardasse durante 30 minutos ,Mas o piloto recusou o pedido.Natalia foi a unica passageira a viajar no Dornnier 228 aviao de fabrico alemao pertencente a um empresario Holandes alugado a companhia STP-airways companhia de bandeira Saotomense,quando neste momento dezenas de pacientes,com alta hospitalar desesperadamente por uma oprtunidade de regressar a casa.Estas noticias o Jornal Tela-Non nunca esta presente para nos informar.Se fosse falar do Patrice Trovoada seriam os primeiros a falar de viajens do primeiro ministro e esbanjamento do dinheiro do estado com viagens.Eu espero que o Gabriel Costa fique ali a espera que as ajudas vem ca ter.Estas noticias passam sempre ao lado e voces nao publicam estao ca pra ver.

      • img
        Afonsinho Responder

        Meu amigo, voces de ADI mais é estão todos frustrados.Não venha com estas falações.NINGUÉM mais acredita em nenhum de vós,disciplos de Patrice TROVOADA,tá bem?
        Agora sim são VOCES QUE DEVEM DEIXAR O GOVERNO DE GABRIEL COSTA TRABALHAR.
        ADI—————RUA!!!! ADI era uma vez..

  2. img
    são tome Responder

    Fantástico, José Cradoso!
    Se puderes, envie uma cópia deste maravilhoso texto aos comentadores da RDP africa.Quem sabe assim podem colocar a sua consciencia na balança.

  3. img
    Camboté Responder

    Muito bem sr. José Maria Cardoso! Não duvidaria nada que o senhor realmente frequentasse a Féla di Má-Lungua em Pantufo. Gostei!

  4. img
    Côcô com Voador Responder

    Muito bem Sr. Zé Maria Cardoso.
    Boa reflexão. Desejo-lhe um ano novo com muitas realizações, quiçá, regresso a Terra Natal!…

  5. img
    Fiô Glósso Responder

    O Abílio Neto, eu gostava muito das suas intervenções e dos seus comentários na RDP África, mas nos últimos tempos ele tornou-se “mais um deputado de ADI” e os seus comentários perderam toda e qualquer razão. Nunca ouvi este senhor dizer ke foram os deputados do ADI o maior causador da instabilidade, e fikei perplexo kuando ouvi este senhor dizer sem explicar ke este governo é do presidente da república e muitas outras coisas que considero um autêntico disparate.

  6. img
    Maria Livramento Responder

    Que lindo comentário!!!Quando os podres do PT começarem a vir a superfície é k vão ser elas.
    Um feliz 2013 para todos.

  7. img
    Doca/snecia. Responder

    muito bem comissários politicos do MLSTP, fico grato pelo comentário na tua óptica, espero que não faças cometários da atuação do pai grande. Este país é sugeneris, só conhecendo as pessoas o seu relacionamento, magúas, para entender o porquê dos comentários..tanto o abilio, quaresma e o ze cardoso, sabem a magua, tristeza e angústia carregam….ném só sê bê ângi de qûe cû scá sobê….prosperidade e sucessos a todos no ano 2013..

    • img
      Horácio Will Responder

      Peço aos são-tomenses que criemos todos um país onde cada um possa cuidar de si contribuindo para o bem de todos. Isto implicará um estado controlador de fugas ao direito de oportunidades iguais, orintando a participação dos cidadãos no controlo consciente dos actos que possam prejudicar a democracia. Nessa altura, não haverá espaço para mágoas. Não poderemos criar esse país de sonho que digo, nem nada próximo se partirmos das mágoas para termos a nossas intervenções. Podemos partir delas para assegurarmos que devam ser evitadas. Nunca para destruir quem no-las tenha causado mesmo que esse alguém já esteja a trilhar um melhor caminho. Se não confiarmos nesse alguém, estejamos vigilantes para denunciarmos pontualmente os seus passos em falso. Condenar permanentemente pelos nossos sentimentos será solução para o país?

  8. img
    Afonsinho Responder

    Nem:
    ABÍLIO NETO
    AMBRÓSIO TORESMA nem…. são todos um monte de mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm.
    do ADI

  9. img
    António Raposo Responder

    Abílio Neto e Ambrósio Quaresma são capangas de Patrice Trovoada. A RDP-África prestou o pessimo serviço à S.T.P. no governo de Patrice Trovoada. Ele Pagou bem ao Oscar Medeiros, Gete Moniz, Carlos Menezes, Nilton Medeiros, Ambrósio Quaresma e mais um chefão da RDP-África. Por isso durante dois anos do governo P.T., só coisas boas de S.T.P. ouvíamos.

  10. img
    Sabiá Responder

    Para o senhor Cardoso, em busca de tacho, saiba que o povo será novamente chamado a se pronunciar, e ai veremos aonde chegaremos com essa malandragem toda, larapio, bandido

  11. img
    justino couto Responder

    Hum… este José Maria Cardoso não é o mesmo homem que não queria entregar as chaves do gabinete ao entao ministro do comercio Helder Paquete??? Aqui realmente não se esquece. Hum… desculpa o engano. Vingança serve-se frio né Zeca???

  12. img
    Fala pouco Responder

    Amigos da comunicação social que recebia as comissões na mão de Patrice Trovoada ,Abílio Neto , Ambrósio Quaresma, Gete Moniz , Carlos Menezes , Nilton Medeiros e Oscar Medeiros os Judas sem vergonha , que chega vender o CRISTO por causa de dinheiro. E agora ? vão tirar as mascara , vocês nao tem vergonha até o Carlos Menezes já mais velho nao tem conselho para dar os outros .Agora a mama acabou de dar leite para os bandidos vão trabalhar .Afonso Varela como ministro da comunicação social sabia desse dinheiro que os senhores recebiam?

  13. img
    Luis Responder

    Zé á muito anos que leio seus trabalhos escritos,nunca duvidei das suas qualidade. Excelente trabalho muita imparcialidadea medida que se lê parágrafos por parágrafos percebi-se. Senti sua ausência do seu trabalho,espero 2013 tenha entrado em força. Bom ano

Deixe um comentario

*