Precisa-se de iniciativas de combate à infoexclusão

Quando pretendemos uma informação é bom saber que a podemos obter num determinado “site institucional” sem a necessidade de telefonar ou de nos deslocarmos para ter esta mesma informação.(Interessante análise do cidadão Verónico Neves).

Por isso, no caso concreto de S. Tomé e Príncipe, é de louvar iniciativas que contribuem para diminuir o isolamento e a infoexclusão que o país atravessa. Por isso, tenho acompanhado com especial atenção, dentre outros, a criação da página oficial do Instituto Nacional de Segurança Social (http://seg-social-stp.net/); a página oficial do governo de S. Tomé e Príncipe (http://www.gov.st/index.php); a página oficial do Ministério da Educação, Cultura e Formação – São Tomé e Príncipe (http://www.portal.mecf.gov.st) e a página oficial da Embaixada de São Tomé e Príncipe em Portugal – http://www.emb-saotomeprincipe.pt/index.html.

Só que, a data de 06 Outubro 2013 | 19-52:

  1. Na Página Oficial do Governo de São Tomé e Príncipe, se eu “clicar” em Contactos, informa-me que: “Primeiro-ministro e Chefe do Governo é Joaquim Rafael Branco” – (http://www.gov.st/content.php?intMenuID=8;
  1. Parece que a Página Oficial do Ministério da Educação, Cultura e Formação está desativado: “Pity. This website is currently not active” – (http://www.portal.mecf.gov.st). Fico sem saber o ponto de situação sobre a iniciativa “Visão 2022 Todos pela Educação” ou, ainda, como está a ser protegido os dados dos Estudantes Bolseiros que se cadastraram eletronicamente no Sistema Nacional de Bolsas de Estudos (SINABE).
  1. Parece que ISP- Instituto Superior Politécnico De S. Tomé e Príncipe não tem página oficial;
  1. Na página Oficial da Embaixada de São Tomé e Príncipe em Portugal, quer na rubrica “ACTUALIDADES” como na descrição do país ainda consta que o Primeiro-ministro é Patrice Emery Trovoadahttp://www.emb-saotomeprincipe.pt/governo.html
  1. Ao procurar informações sobre as últimas iniciativas do Instituto Nacional de Segurança Social, a agenda na página oficial do INSS – http://seg-social-stp.net/spip.php?rubrique1 tem a data de 2011.

Ora, será que se trata mesmo de falta de financiamento que leva o Estado santomense a não atualizar os seus “sites” ou, pelo contrário, trata-se de pouca força de vontade e de “querelas” politica?

Se o problema é financiamento, por que não criar uma bolsa de voluntários com este objetivo? Porque não criar estágios curriculares e profissionais?

Assim, no meu entender, esta situação não pode continuar até porque não dignifica o próprio Estado e constitui uma falta de respeito para com os cidadãos.

Verónico Neves 

  1. img
    Leopaldo Responder

    Caro Senhor,
    Infelizmente o governantes deste PAis não têm noção do poder de tecnologia de informação….aqui não ligam nada ….é um deixar andar das coisas que fico surpreendido….O governo não tem noção das coisas infelizmente…. E existe técnicos cá em ST com capacidade de conceber um site e actualizar. Existe coisas básicas que se deve fazer…. Tudo é uma questão de vontade de querer fazer as coisas.

  2. img
    António Silva Responder

    Caro compatriota. Este seu assunto também reflecte a minha preocupação/indgnação. Não se consegue encontrar um site de jeito deste nosso país; quase tudo está desactualizado ou mesmo desactivado. O país está parado no tempo e só há ideias para perderem tempo tentando mexer nos acessórios. Existem sites fantasmas e é uma vergonha deparar-se com sites, como por exemplo do governo do país e de lá só se vê “palhas”.
    Ainda funcionamos à carvão e puxando a charrua.

  3. img
    Deodato Capela Responder

    INIC – Instituto Nacional de Inovação do Conhecimento deveria ter aí um papel fundamental. Os governos teriam a oportunidade de transparecer as suas ações nos portais.

    • img
      Karlley Frota Responder

      True…

  4. img
    CEITA Responder

    Se calhar isso não lhes interessa, essa gente anda todos perdidos e inclusive perderam de dia, Nota bem: porque quando se perde de noite procura –se um lugar pra conchegar(dormir ) até amanhecer pra continuar a viagem, infelizmente meu caro amigo eles não querem que não avancemos quanto mais bruto nós formos esperando Banho é melhor, estão preocupado em acumular avultada soma para dar banho na próxima eleições , só com cristo…

  5. img
    stp Responder

    Boa visão! Somos um país em via de desenvolvimento?sim. Mas não somos um país pobre de conhecimento.Temos um índice elevado de alfabetismo, de cidadãos bem instruídos e formados. Pessoas preparadas para melhor servir o país. Porque não aproveitar essas pessoas para de uma forma ou outra contribuírem para difusão correta e actualizada das informações? Ao invés de deixarem o País em maus lençóis -parece que somos tão pobres até na maneira de pensar e agir,parece que o governo não quer manter os cidadãos informados . Tanto o Site como os serviços prestados na Embaixada de STP em Portugal e administração publica em geral em STP é uma tristeza. Todos os sectores públicos do País precisa de uma reforma profunda e urgente,de modo a terem pessoas e equipamentos capazes de dar respostas com clareza e inequívocas aos cidadãos.- Na outra face da mesma moeda, o governo os parceiros sociais e não só devem criar um mecanismo de reforma para a SEGURANÇA SOCIAL.Começando a pensar seriamente no futuro das crianças ,jovens e idosos.Deve-se reestruturar o sistema contributivo da segurança social, há pessoas que trabalharam e descontaram a vida inteira e hoje já na velhice não recebem qualquer apoio financeiro,alimentar ou medicamentosa por parte do Estado-para onde foram esses descontos? Não existe subsídios de desemprego,embora a pessoa passasse a vida inteira a descontar para a caixa.Milhares de jovens trabalharam e fizeram descontos durante alguns anos,actualmente encontram-se no desemprego,muitos desses jovens têm mulher e filhos. O governo não se importa com isso,nem com os país, muito menos com as crianças . E Também, para não falar na criação de abono para as famílias mais carenciadas. afinal somos contribuintes e declaramos o nosso rendimento ao estado.Onde está o retorno.? (…) Essas medidas também torna a economia nacional mais dinâmica. EXEMPLO DIRECTO:-CABO VERDE.Nunca foi um país rico,mas tem hoje, uma economia sustentável.

  6. img
    santola01 Responder

    Em pleno sec. XXI é inadimissível permanecermos ainda no sec. XX, ou seja, o desenvolvimento tecnologico não é apenas para os países desenvolvidos. O país tem de colocar a disposição dos cidadãos as informaçoes necessarias e a Internet (sites) é a melhor forma de as obter. STP actualizem sff!!

  7. img
    Roça Monte Café Responder

    Mais um crânio, desculpa enganei… Enganei-me mais um cromo.

  8. img
    António Menezes Responder

    Meu caro,
    Infelizmente é o Pais que temos. Mas somos nós os santomenses os verdadeiros culpados dessa situação. Os políticos que estão no poder, somos nós que votamos e por essa razão estão lá fazendo tudo isso. Não são penalizados, continuam com uma incompetência incrível e nada passa, tudo continua na mesma. Só sabem criar regalias para si e suas mulheres e famílias e os do partido, nada mais. Assim vai o nosso STP

  9. img
    fiá luxinga Responder

    Meu caro compatriota e amigo é de louvar a tua ideia(visão)mas não passa de utopia, os nossos governantes não preocupa com isso por causa de vários fatores:

    1º Para que interessa nossa informação no exterior, assim ninguém saiba as necessidades e condições da populações, facilmente podem efetuar alteração estatística
    2º Para quê interessa saber o que se passa no interior de uma cadeia ou um quartel, tem de haver sigilo total, assim as informações são imperfeita entregue a radio boca – boca

    Verba nunca faltou naquele país, se nas campanhas presidenciais passada ouve individuo que trabalhou e recebeu 40€, onde esta falta do dinheiro?
    sabem é brincar com população

  10. img
    Ponta Mina Responder

    Eu sou bastante ligado ao pessoal do INIC e pelo que pude saber, o INIC elaborou um website para o Governo (www.governo.st) já a mais de 2 anos, mas os dois ultimos governos nunca disponibilizaram informação para actualizar o mesmo. O problema en STP, é que as coisas não têm seguimento, faz-se hoje e fica assim. O site do Ministério da educação é um exemplo, quando era o Olinto Daio, estava sempre actualizado, agora esta desactivado.
    O problema, não é conceber, si não manter o que já existe

  11. img
    3 macucu Responder

    Parabéms meu caro tens uma boa ideia ,mais sao esses senhores que estao là em cima que nao se iteressa de boas coisas ,vejà somente o preço que pagamos a nossa comunicaçao telefonica alguém compra um saldo de 100mil dobras nao cocegue falar pelo menos 5 minutos para exterior ,tudo em STP; é cadà um por si

  12. img
    ajavidacu Decu Responder

    Eu concordo com o ESTADO S.Tomense em ignorar essas site, site e nada menos nada mais ,uma das formas de governo Americano ter acesso a controle de muitos países , Eu Aprovo a ideia do Governo de S.Tome e Príncipe ignorar …

  13. img
    tico Responder

    Meu caro Verónico Neves
    Subscrevo em 100% a sua preocupação. Eu também sou um cidadão decepcionado com os acontecimentos semelhantes nesse País. Só pra lhe dar outro exemplo: O País agora já dispõe de caixas “ATM” que se denomina de “Dobra 24″. O nome parece sugerir um serviço 24/24h, mas engane-se. A partir das 17h30, todas as máquinas estão bloqueadas, sábados a tarde e quase todo o domingo. Nos dias feriados é preciso ter muita sorte para ver uma máquina a funcionar ou uma alguma que tenha dinheiro. Ninguém diz nada, ninguém explica, ninguém esclarece nada, enfim…

  14. img
    Helder Leitão Responder

    Sinceramente, senhor ajavidacu esse comentário nem parece de quem raciocina. Vamos elogiar a reflecção do sr e dar nosso contributo ao País.

  15. img
    Barão de Água Izé Responder

    Não se dá importância à agrinclusão, turinclusão ou pescainclusão.
    Não são estas inclusões que darão base para a infoinclusão? Se não há base real, Economia, para que serve a infoinclusão?
    As tecnologias de informação são muito importantes, mas têm que ter uma base real em que possam operar. A informação importante é que gera e tem riqueza mínima na sua base.

  16. img
    Aristides Barros Responder

    Desculpem lá mas não é o Primeiro Ministro nem os Ministros é que vão actualizar os sites. Existem técnicos, funcionários do Estado que têm informações e que devem fazer este trabalho. Infelizmente são poucos os funcionários públicos em STP que trabalham e claro que por via disto as informações não são carregadas.Nós que temos o dever de fazer este trabalho não fazemos e por tudo e por nada culpamos os dirigentes.

Deixe um comentario

*