Opinião

“Comece desde já a plantar. Se já começaste a plantar encoraje também teus vizinhos” – 30 anos depois!

A terra e o solo secos e rachados sem água, rios secos sem água, árvores secas sem folhas, aves famintas caindo ao solo de fome e sede, filas enormes á porta dos estabelecimentos comerciais sem muito para comprar, campos abandonados sem banana, fruta ou matabala. As ilhas de S. Tomé e Príncipe sem chuva! Chuva que já não cai nem chove. Esperanças moribundas olhando para o céu, rezando e suplicando pela água da chuva.

Assim foram os dias vividos durante CRISE e SECA de 1983

Em 1984 a chuva caiu, finalmente! Regou as esperanças, lavou os rostos, molhou o solo e alimentou os rios. A magia da chuva fez brotar sorrisos e flores. Devolveu o verde às florestas e aos campos e fez germinar bananeiras e fruteiras.

A ausência da chuva também demonstrou que a parceria exclusiva com o campo socialista/soviético não nos iria salvar. Assim, os dirigentes de então sabiamente começaram a abrir-se e a mudar o sistema económico. Os acordos com FMI e Banco Mundial surgiram nos anos seguintes e com eles a famosa “Reestruturação Económica” e as primeiras desvalorizações do Dobra… para nossa graça ou desgraça! -Memórias dos meus 10 anos de idade!!-

Após 30 anos daquela época de “esquema e de saco de plástico escuro”, gostaria de recordar e render a devida homenagem a célebre frase: “Comece desde já a plantar. Se já começaste a plantar encoraje também os teus vizinhos”.

As fruteiras e outras árvores de frutos que fazem jardim em quase todos os quintais nossos, são reflexos vivos de como os santomenses abraçaram aquele apelo.

Hoje, passados 30 anos, pergunto-me; Que lições poderemos tirar daquela passagem? Não temos seca nem escassez de produtos mas a crise grassa-nos em todos os sentidos, formas e géneros. Principalmente a crise de identidade, de nacionalismo e de bravura.

Minhas desculpas por estas últimas palavras, mas dói observar e com alguma frustração e impotência, como nos afundamos colectivamente quando temos tantas “coisas” que podemos começar a plantar. O patriotismo, por exemplo.

Que Sto Tomé e Sto António nos ilumine e nos salve, para que não haja outro 1983!

Osvaldo Abreu. 30.10.2013

“People thinking together for good”

    34 comentários

34 comentários

  1. hermano Castro

    31 de Outubro de 2013 as 21:59

    Sim jovem temos muito para plantar. Respeito e honestidade por exemplo que secou na mente das pessoas. Parabens pelo regresso as escritas neste espaço. E por recordar aquela passagem. Tens escola para isto. Osvaldo Abreu, puto delfim d Pinto. Acompanhante do PR nas principais visitas d Estado nem se imagina o que os baroes estao a tramar a volta dele. Dinamico, inteligente e bem formado converteu-se em lider indiscutivel da ala jovem reformadora do PSD como em tempos foram Tiny Rafael Posser Vaz Almeida ou mesmo J Amado. Nacionalista convicto da escola da Alda E. Santo sua vizinha de Chacara com quem aprendeu as primeiras licoes. Falta ao mesmo mais humildade. Mas o quebra cabeça para os mentores esta em como manter e moldar este jovem nesta brincadeira de Partido pois seus proximos comentam seus desabafos em querer abandonar td aquilo. Alias ja o fizera uns meses atras mas o Gabriel conseguiu dar a volta. Deixar uma carreira international com rendimentos e regalias q tinha por esta brincadeira esta sair carro. Nao foi por falta de aviso. Eu fui um dos q desaconselhei. Ahora compay es seguir palante que el pais te lo agradece. Pero cuidate de tus camaradas y de alguns que dicen ser tu amigo. Aqui esta o meu desabafo

    • Budu daua

      1 de Novembro de 2013 as 9:44

      Disparates para fazer boi dormir.
      Fale sobre a inergia, estradas, infra-extruturas, obras publicas, como vai o petróleo, telecomunicações, a EMAE, essas coisas, está a ver?
      É para isso que o senhor foi nomeado e é pago. Parece ser um jovem inteligente sim senhor, mas tem sido um ministro muito apagado e apático. Mexa-se, Osvaldo, mexa-se para o povo ver. Mostre que é capaz de FAZER.Não sei se é falta de meios, mas até agora mostrou muito pouco. Obrigado pela atenção.

  2. ritinha

    31 de Outubro de 2013 as 23:36

    muito bem cidadão e compatriota,,,,,adorei esta cronica,união faz a força,,,

  3. Sensa

    1 de Novembro de 2013 as 7:35

    Sempre longe de casa, recordamos a mami e a papi, e os mais próximos queridos…
    Hoje, cumprido a meta mínima do saber, orgulha-nos sobremaneira de voltar e sentir o clima, as aguas, comer as frutas dessas abençoadas Ilhas de nome Santo.
    Cheio de entusiasmo de dar a “nossa” contribuição para o País melhor, STP!
    Lendo as palavras do então, e um dos dirigentes do País, sinto indiferente, porque deles inspiram e ao mesmo tempo nos enganam devido atitudes dos “nossos” próprios dirigentes!!!
    Esperam que os outros é quem deve dar o pontapé de arranque?!!
    Acho que não… porque a muito que pensam, ou melhor pensamos até então que o Governo é a iniciativa, o pontapé de arranque.
    Falou: “os dirigentes de então sabiamente”, essas palavras são enganadoras, pelas consequências que trouxe consigo. Quem não conhece bem a “nossa” historia é que diz que os dirigentes de então foram sábios!!! Ou talvez sábios para os seus próprios interesses!!!
    Ainda pior quando menciona: ” Hoje, passados 30 anos, pergunto-me; Que lições poderemos tirar daquela passagem? Não temos seca nem escassez de produtos mas a crise grassa-nos em todos os sentidos, formas e géneros. Principalmente a crise de identidade, de nacionalismo e de bravura”.
    Pergunto ao Sr. Ministro, sabe qual é o lema de STP?
    Sabe o que significa isso?
    UNIDADE-DISCIPLINA-TRABALHO
    Quem sabe a frase que mencionou, que também mereceu uma atenção na altura exitosa “Comece desde já a plantar. Se já começaste a plantar encoraje também os teus vizinhos”.
    Somente que as pessoas já estão com os olhos demasiados abertos Sr. Ministro, para ouvir os dirigentes mandar plantar, muita das vezes sem incentivos, quando eles vêem e ouvirem malabarismos na coisa publica, feitos pelos próprios dirigentes… burlando a coisa de todos, e dizendo sempre que o País não tem recursos, comprando e esfregando na cara do povo altos carrões, altas pensões… sem ao menos resolver o mínimo do que necessita o País.
    Falta-nos remédios nos hospitais… os professores pedem melhor condições, a sociedade chora por dias melhores… e nós vemos e vivemos numa sociedade corrupta por uma minoria, achando que o povo não vê!!!
    Bem haja este País

    Sensa Comissário

  4. jotinha

    1 de Novembro de 2013 as 7:57

    Cade os historiadores e sociólogo deste país? Como querem que jovem geração conheça história se não ensinam. Este assunto pode ser matéria para palestras ou debates. Um desafio para Sao Deus Lima fazer algo de jeito. Abreu muito obrigado. Mas o povo jovem também quer plantar obras. Cade Hidroeléctrica e projecto de habitação que falaste durante o encontro que JSD organizou no Asas de Avião? Não nos defraudes por favor. A JSD está contigo

  5. Juca Valentim

    1 de Novembro de 2013 as 8:30

    Afinal a pasta do Ministro Abreu é a pasta da Agricultura? Preocupe-se com os seus pelouros, senhor engenheiro, porque a Agricultura está em boas mãos.
    António Dias é, de longe, o melhor membro deste governo.
    Fui e não volto mais.

    • pensadora

      2 de Novembro de 2013 as 15:15

      Nota-se que não entendeste nada. De um texto metafórico e de transposição da história recente resumes em agricultura e o ministro. Aquilo passou se ha 30 anos com resultados visiveis até hj e mostra que quando se esta unido por una causa colhe se frutos colectivamente. E atenção. Frutos não é necessariamente frutas. Tdos achamos q Ministro dos projectos agrícolas esta gerindo bem o seu pelouro que bem conhece. Aliás ele sempre trabalhou nos projectos de agricultura. Nao se pode dizer o mesmo na pesca por exemplo. Mas nao é isto q está em causa.

  6. Cosa nostra

    1 de Novembro de 2013 as 8:32

    Mas o que é que lhe passou pela cabeça quando escreveu isto? Em que é que estava a pensar? O que foi que tentou dizer?

    • sem complicar

      2 de Novembro de 2013 as 15:22

      A mesma pergunta serve para ti. O que é que tens na cabeça? Pelos vistos para reflectir não parece

  7. Santa Mukambá

    1 de Novembro de 2013 as 9:19

    Muitos ñ entenderam a mensagem. É uma outra forma de aconselhar o povo São-tomense a plantar pq ñ teremos mais o petróleo q sempre sonhou. Acho q deveríamos ter apenas um Ministério no Governo(Agricultura) em vez de mts a comer dinheiro sem fazer nada. Se tds nos começamos a plantar, este país nosso seria o melhor no mundo. Passamos o tempo a pedir do estrangeiro. Se os reclusos possam ter campos pra plantar, o q estamos a esperar? Sera q estamos a esperar dinheiro de campanha (banho)? Isso é absurdo. Vamos tds plantar!!!!!!!!!!!!!!!!!

  8. filho da terra sofrida

    1 de Novembro de 2013 as 9:30

    o problema é que o homem já está arependido de falar parte deste governo desnorteado, por lado de deixar a sua careira internacional e fazer a parte da classe curupta, já é tarde pk o seu nome tambem ja esta manchado.

  9. Cua Tela

    1 de Novembro de 2013 as 9:37

    O Ministro António Dias acaba de encontrar um adjunto…heheheh!

  10. va plega

    1 de Novembro de 2013 as 9:49

    Fatalismo!?
    Once o nosso país chehou…os dirigentes a dizerem publicamente que nao ten soluçao Para is nossos males…é de tal forma surpreendente, que esta declaraçao venha de um dirigente homem das ciencias.

    Lembro me de um tal Osvaldo Abreu que escreveu quando nao tinha poser nem era muito influence “Um Liceu ja”.

    Agora no poser parece dar conta que as coisas nao Sao Tao faceis.

    Mas nada é fatal. Now escavamos a nossa propia sepultura.

    Solucao Para nossos problems:
    O ministerio de rducaçao ten que tee uma estrategia de formaçao e parar de rnviar estudantes em economia, direito…

    Precisamos de medicos especialistas, engenheiros e tecnicos agronomos e da pecuaria.

    Temps que ter uma real politica de transformacao e exportacao de productos agricolas.

    Nada é fatal!!!

  11. lede di alami

    1 de Novembro de 2013 as 10:04

    Tudo e fruto do sistema que o pais adoptou, sistema esse carregado de: Alguns exageradamente ricos, enquanto a maioria vive na pobreza extrema, obrigando a populacao a ser crimonosos, prostituicao em massa, procura de consolo no consumo abusivo do alcool, e a introducao da droga na nossa pequena sociedade..desculpa

  12. Frank

    1 de Novembro de 2013 as 11:38

    O sentimento de culpa nos toca a todos. Antes os nossos pais eram sincreticos; isto e, diziam sim antes de refletir sobre determinada materia com o medo de nao ser acusado, pois a consequencia seria pra este gravissima. O Nacionalismo foi a pouco e pouco diliundo com a crese. E de recordar que na altura, somente os elementos do partido tinham o direito a frangos, vinho e outros, enquanto que, as pessoas que nao pertencessem a tal teia pernoitavam na fila para comprar 0,5kg de fuba.A partir dai, comecou a surgir a” cubica”. O vizinho sentia-se inveja do seu proximo, que se posicionava como sendo superior.Os que tinham algum nao se partilhavam com o outro, proferindo guardar para o dia seguinte, pois,nao havia a garantia do genero alimenticio para o dia seguinte.Passou-se a ser menos toulerante para com o outro e e o que se verifica hoje.Ja ha quem tarfica crianca no nosso Pais,ha filhos do pais a importar a draga para intoxicar o seu familiar, tendo este a plena consciencia que a droga e nocivo para qualquer sociedade, a prostituicao,etc coisa nunca antes visto; acabou a vergonha e o medo. Tudo comecou a pouco e pouco,hoje e o se ve.

  13. António Menezes

    1 de Novembro de 2013 as 12:04

    Esse senhor, fruto do MLSTP. Foi plantado e deu bom fruto, queres mais?

  14. Fernando Castanheira

    1 de Novembro de 2013 as 13:20

    Este artigo nao ficou nada bem para ti Senhor Osvaldo. Fale da tecnologia actual sobre a exploracao do petroleo ou coisa assim. Felizmente o Povo Santomense tem dedicado a ter qualquer coisa de jeito neste ramo agricula e o Senhor Ministro da Agricultura e un verdadeiro expert neste sentido.

  15. Kanimambo

    1 de Novembro de 2013 as 13:47

    Vai mas é trabalhar Osvaldo! Preguiçoso!

  16. Beto

    1 de Novembro de 2013 as 15:03

    É preciso plantar, sim senhor. Vamos todos plantar de novo. Obrigado.

  17. madalenas

    1 de Novembro de 2013 as 15:49

    já não sei o que pensam, entres estes, todos são poderosos, querem mandar toda a vida, sem do nem piedade. Aonde estava este senhor(menino em 1983), nunca foi a bicha, nunca dormiu a relento, nunca ficou sem jantar. Campo de ferias, etc. Rei do petróleo. Antes todos os resultados eram bons, a TOTAL, muito petróleo, agora, fala de uma pequena, seca de 1983. A seca continua, meu senhor, esta é mais dura. a seca de viver!!

  18. Leopaldo

    1 de Novembro de 2013 as 16:10

    Gostaria de ouvir da parte do Senhor Ministro, um artigo sobre a estrada de Madre Deus que esta a mais de 1 ano inoperante.

  19. Genha PIPI

    1 de Novembro de 2013 as 16:11

    OK

  20. Martelo da Justiça

    1 de Novembro de 2013 as 16:33

    Eu acho que muito dos participantes neste fórum não perceberam bem o que o Ministro Osvaldo quis dizer. Talvez porque muitos não viveram a crise de 1983 a que ele refere, por serem ainda muito novos, ou por não terem ainda nascido. Realmente a crise de 1983 serviu de lição para nós todos. Acho que depois disso os São-Tomenses ganharam mais consciência no que concerne a segurança alimentar e a importância da agricultura para o nosso Pís. Hoje, os São-Tomenses encaram a atividade agrícola doutra forma. Podemos mesmo dizer que já começamos a ter excedentes nalguma produção agrícola nacional. Daí que o Governo tem que envidar esforços no sentido de dar apoio aos agricultores na exportação e na transformação desses produtos.
    Se nessa área as coisas não vão muito mal, sou também de opinião do Ministro Osvaldo que devemos começar a plantar outras coisas como; espírito patriótico; a solidariedade; a tolerância; amor ao trabalho e ao estudo; a honestidade; o dever cívico; espírito democrático; enfim, tudo o que possa contribuir para o desenvolvimento sustentado do nosso querido Pais. Se os outros povos foram capazes porque não nós??
    Um bem haja a todos!!

    • Jovem STP

      4 de Novembro de 2013 as 8:50

      Muito bem explicado…..

  21. helder Leitão

    1 de Novembro de 2013 as 20:47

    Meu carro colega e amigo isto é a verdade, foste sempre um patriota acredito em ti, sei que teremos que ser mas Santomenses coisas que ainda não vi com nenhum dos nossos dirigentes, há necessidade urgente dos nossos políticos unirem e esquecerem as magoas e vinganças, só isso é que somos bons em ódios invejas ….Vai em frente gostei da coragem, foi uma mensagem clara, da descontos aqueles cegos.

  22. Barão de Água Izé

    2 de Novembro de 2013 as 12:06

    Plantar tomates e couves para subsistência
    ou ir vender ao mercado, para compradores que não têm poder de compra?
    Se Osvaldo Abreu falasse em plantar nas roças que estão nacionalizadas e já não deveriam estar, para termos agriculturas de escala que exportassem, aí sim, teríamos um futuro político esclarecido que quer combater a pobreza sem ser pela “poesia ” agrária.
    Caro Osvaldo, não alinhe na defesa muitas vezes inconsciente de “é normal ser pobre, logo tenhamos ideias pequenas e pobres”.

  23. Uma Parte de Nós

    3 de Novembro de 2013 as 4:01

    Parabéns Sr ministro, a reflexão é boa.

    • rapaz de riboque

      3 de Novembro de 2013 as 23:14

      parabéns de que? falar não custa passar a ação é que são elas desde 12 de julho de 1975 que falam e escrevem tanto mas não vejo nada feito tudo que foi deixado na era colonial foram vandalizados era uma terá que tinha tudo chuva em abundancia Deus esta a castigar a maldição dos malfeitores

  24. Vane

    4 de Novembro de 2013 as 1:17

    Boa matéria, aliás parece-me bem atual…plantar empreendedorismo para colher desenvolvimento econômico e auto estima…STP é paradise e tem td p dar certo! Viva STP força, fé e ação!

  25. Verdade

    4 de Novembro de 2013 as 8:47

    É pena e triste ver certos comentários que em nada contribuem para o desenvolvimento deste País. Nós os santomenses somos maus, não somos capaz de debater ideias sem ver o autor da mesma, não interessa a ideia, mas sim quem a teve. si não é da nossa simpatia, por melhor que seja a ideia, ela é reprovada.isso é falta de patriotismo, falta de nacionalismo, falta de colectivismo.
    Pensemos no País, deixemos de culpar os dirigentes. de alguma forma, todos nós somos dirigentes e somos nós que os colocamos para dirigir o País. É muito fácil culpar os outros. Por acaso já pensamos qual foi a contribuição de cada um de nós para o desenvolvimento deste País?
    Si os dirigentes são todos falhados, isso significa que os mais falhados somos todos nós, que não fomos capazes de escolher os que servissem os nosso interesses colectivos.
    Nós escolhemos os dirigentes porque nos ofereceu um gerador, ou porque nos ofereceu 300 mil dobras e depois reclamamos da corrupção e da desgovernação do País, quando nós somos os maiores corruptos porque ajudamos a eleger corruptos.
    Meus senhores, pensemos colectivamente no País, quem nos dá o gerador na campanha, quando ganhar não nos vai dar combustível… de que servirá o Gerador?
    Pensemos no bem colectivo de todos os santomenses, plantemos o patriotismo, plantemos o nacionalismo, sejamos santomenses de verdade. Sintamos-nos orgulho de ser filhos destas maravilhosas Ilhas do equador que de alguma forma todos temos a culpa do estado em que se encontra.
    Não culpemos os outros, tomemos uma atitude diferente e tenhamos a coragem de dizer aquele amigo que a sua ideia não é Boa e de reconhecer as Boas ideias sejam de quem for.
    Sr. Ministro, Obrigado pelo artigo e pela reflexão que nos chama a fazer.

    Por um STP melhor
    Todos juntos, seremos capzes.

  26. Vivi

    5 de Novembro de 2013 as 12:01

    Osvaldo,

    depois de reler, compreendi a sua mensagem. Um apelo a união de forças. Abraço.

  27. Toni

    5 de Novembro de 2013 as 23:29

    Caro Sr Ministro,
    Por favor entenda o seu cargo e a importância que pode ter na história , porque os Grandes Homens definem-se pelo que deixaram de feitos, não pelos cargos que lhes são atribuídos , Você tem o potencial para fazer feitos e alterar a história , desde que tenha coragem. De facto a terra pode dar muito e dá mesmo, mas hoje temos um Pais pobre, sem qualquer perspectiva de crescimento, e isso, desculpe, deve-se aos Governantes que STP tem tido, seja em democracia seja em partido único .
    Você sabe que é quase impossível que os investidores singram em STP , por muitas razões e as principais porque o sistema é complicado, não deixa , sem alguém ganhar.
    Você é daqueles que tem formação e é da geração dos que podiam mudar o estado das coisas em STP , mas mais uma vez desculpe, não está a conseguir chegar lá .
    Por favor tente fazer história !!!!!!!
    Todo o Povo de STP agradece aos Grandes Homens

  28. laurinha de carvalho

    25 de Novembro de 2013 as 20:31

    pomba branca;eheeeeeee os trabalhadores trabalhào, e os perguesosos, vào robar!!!!! onde que foste fazer este contra-to;agora ja nào é preciso enganar o povo de sào tome e principe,,,,a umamusica que cantaram em lingua de sào tomé para gente;curtivar o seu terreno é preciso gouverno ,ajoelhar e peder favor para plantar-mos hoje ja nào é preciso

  29. laurinha de carvalho

    25 de Novembro de 2013 as 20:39

    vamos pedir a deus que os nossos governo deixam das bricadeiras,lutar para o seu povo com uma so fè,en uma so natureza porque os nossos velhos e as crinças do povo esta a sofrer;omeu senhor nào poi o povo pequeno com cabeça ardida mas que ja estào obrigada abraço para todose

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo