Opinião

Diálogo Nacional – Finalmente um diálogo “de Príncipe”

Ora vejam se existe ou não a tal participação dos partidos no diálogo nacional pelas figuras dos partidos  políticos que estiveram presentes na Ilha do Principe. Sabendo-se que  o Presidente do MLSTP viajou para Angola,  para a reunião no Príncipe indigitou em sua representação José Viegas que usou da palavra! O PCD fez-se  representar pelo próprio presidente Xavier Mendes que  também usou da palavra.

O MDFM, esteve presente pelo membro da comissão política José Monteiro.

Finalmente soube-se que os financiadores do Diálogo Nacional sao a  UE, PNUD e o GOVERNO, e mais, que  os Hotéis Pestana, Club Santana, Residencial Avenida, Cocoa Residence, tem generosa contribuição, pois patrocinam as estadias dos delegados da diáspora, -2 de Portugal -2 de Angola -1 de Gabão -1  da Guiné Equatorial. -1 do Reino Unido.

O PNUD financiou  e produziu toda a documentação e meios necessários para o DN.

O Príncipe far-se-á representar por 15 delegados.

Outra nota de salientar, a participação,  em todas as reuniões, de vários conhecidos  militantes do ADI, que têm estado a participar e com intervenções dignas de realce, serão estas pessoas os únicos corajosos desta coloração partidária que pessoalmente acham nobre e valioso dar o seu contributo para uma ideia nacional dos problemas que afligem a sociedade santomense ?

E por participarem num visível cumprimento de civilidade e respeito pelas diferenças de opinião política devem ser  dignos de maior realce! assim deveria ser sempre o espírito do diálogo nacional. Penso que, não obstante as críticas e acusações e de tudo o que foi dito e escrito, sempre vale a pena que se realizem debates, sejam nacionais ou locais, posto que o diálogo seja sempre o objetivo, pois contrariamente ao que dizem, penso que da discussão não nasce a luz, as vezes pancadaria, outras vezes zangas monumentais, mas a luz nasce e brilha melhor com o diálogo civilizado, sobretudo com acaloradas e acesas ideias e palavras de diversas e diferentes línguas e diversas e diferentes colorações!

Bem hajam os dialogantes

Carlos Semedo

    34 comentários

34 comentários

  1. Verdade

    19 de Março de 2014 as 16:44

    Gostei!

  2. manuel soares

    19 de Março de 2014 as 17:13

    Meu caro Dr Carlos Semedo, por amor de Deus, só agora a participação dos políticos e influentes dirigentes partidários, vamos ser sérios, busca o conteúdo das declarações dos 3 partidos políticos que suportam o governo de Gabriel Costa no debate sobre o tema diálogo nacional no cartas na mesa da TVS, o sr Dr não viu nem ouviu este debate, por amor de Deus, o diálogo nacional já era, vai ser realizado e não vai trazer nada de novo, é só gastar dimheiro e mais nada, que desperdício, deviam os partidos políticos nesta altura estarem a desbruçar sobre o seu programa político à apresentar as populações (eleitores) para as proximas eleições legislativas de julho de 2014, deixemos de brincadeiras e de diálogos de surdos.

    • Anzol sem isca

      20 de Março de 2014 as 12:01

      Manuel soares,

      Qual é teu problema? Falta de humildade para estar calado ou estais zangado?

      blá, blá, blá não resolve nada …

      Quando a falta de competência não nos capacita fazer melhor pra nosso povo, temos que ter hombridade de deixar que os outros tentem encontrar solução para graves problemas que afectam o desenvolvimento de STP mas com essa tua frustração é que não se vai a parte nenhuma.

      Vamos contribuir com energia positiva e sópositiva.

      • Martelo da Justiça

        20 de Março de 2014 as 13:24

        Pois é meu caro,
        Esses indivíduos, mensageiros da desgraça andam com um binóculo sofisticado a procura de motivos para justificar que o Diálogo Nacional é uma coisa inútil. Estão a sentir que estão a ser ultrapassados pelos acontecimentos, porque estão e persentir o sucesso do Diálogo.

        • Olhos bem abertos!

          20 de Março de 2014 as 16:00

          Meus caros, é que há pessoas que só gostam de viver na confusão. Com a confusão eles tirarão melhores benefícios. É mesmo bom que o DIÁLOGO se realize e que as decisões por saído sejam bem-vindas e tomadas em consideração. Mas se repararem, são esses mesmos que tem vindo a contrariar tudo e todos, é que reaparecerão como cordeiros reivindicando os lugares de destaques VENHA DIÁLOGO, VIVA DIÁLOGO.

  3. manuel soares

    19 de Março de 2014 as 17:13

    dizia “dinheiro”

  4. Aureliano de Padaria

    19 de Março de 2014 as 17:44

    Bem visto senhor Semedo. Também constatei isto mesmo. Quando as pessoas querem mesmo paz, respeito e urbanidade as coisas acontecem com naturalidade apesar de existirem sempre pedras no caminho. O país não pode ficar nas mãos de meia dúzia de malcriados e ressabiados que o correm acorrentar para transformá-lo em propriedades privadas de A ou B.
    Tenho dito.

  5. Barão de Água Izé

    19 de Março de 2014 as 19:23

    Caro Carlos Semedo: Estou de acordo consigo na importância do diálogo e se, se consegue o consenso, maravilhoso.
    Mas sem alteração do modelo económico agrário instalado no pós-independência, assunto que creio ninguém abordou, pois parece um tabu politico, o nosso País não ressurgirá.

    • Martelo da Justiça

      21 de Março de 2014 as 15:51

      O que é que está a espera para dar a sua contribuição??

      • Barão de Água Izé

        21 de Março de 2014 as 20:57

        A questão agrária é um problema muito delicado e exige análise cuidada depois de tantos erros cometidos baseados no idealismo de ” a terra a quem a trabalha”.
        Como corrigir e neutralizar a deseconomia verificada após as nacionalizações? Como pode, quem não tem sementes, adubos, pesticidas, ferramentas e até capacidade física para trabalhar no campo porque não se alimenta correctamente, garantir produtividade agrícola?
        Um País é democrático quando a propriedade privada da terra agrícola com potencial exportador é inexistente ou residual? Concessões não são propriedade privada. Este é um ponto muito importante que não foi debatido no chamado Diálogo Nacional.

  6. gente

    19 de Março de 2014 as 20:36

    ótimo,
    devemos sempre pensar positivamente e o que falta e nos resta também, é o diálogo… Quando ninguém deposita confiança e credibilidade em ninguém,aí sim, estaremos no fim do túnel, porque não haverá mais nada a fazer, tratar-se-á de um jogo de soma negativa…e com as duas parcelas negativas…

  7. Bem Dito

    19 de Março de 2014 as 21:47

    Sejamos claros e positivos, problemas e soluções, seja ela positiva ou negativa. Fui.

  8. badiudisãotomé

    20 de Março de 2014 as 8:24

    Gostei o Diálogo Nacional também já fala crioulo de Cabo Verde ” Nôs nu sta li na São Tomé e Príncipe dja ten mas di 50 anu, nu ckrê facilidadi pa nu adquiri nacionalidadi di São Tomé” – palavras de uma cidadã cabo-verdiana residente na Região Autónoma do Príncipe proferida no dia 18 de Março a quando da última auscultação no âmbito da preparação do Diálogo Nacional. Apelo ao Senhor Presidente da República para usar a sua magistratura de influência no sentido de facilitar aos cabo-verdianos residente em São Tomé e Príncipe a obterem a nacionalidade Santomense, tendo em conta o contributo que deram e continuam a dar para este país maravilhoso.

    • Luis Neto

      20 de Março de 2014 as 19:47

      A lei santomense sempre permitiu.

  9. RDP-Africa

    20 de Março de 2014 as 9:02

    Senhor Carlos Semedo, procure escrever também sobre o “Gigante adormecido” que vem ai. Esse Gigante chama-se MDFM.
    Cuidado minha gente! O Partido do Fradique poderá vir a ser uma surpresa do tipo que se observou em 1990. Cuidado!

  10. Realidade

    20 de Março de 2014 as 9:22

    Lá vem de novo este senhor com equívocos e parcialidade e sua paixão por alguém. Quando se quer comentar um facto, deve-se munir de elementos e circunstâncias para o juízo final!! Ora vejamos: os três partidos que sustentam o governo e que, junto a comissão organizadora do diálogo nacional tinham já definido os temas e os demais termos de referência deste diálogo, foram surpreendidos, segundo os seus representantes no programa “cartas na mesa”, com a rejeição por parte da presidência, de tudo quanto tinha sido já, de forma consensual acertado entre eles. E houve garantias que a participação desses partidos só seria possível se a presidência voltasse a trás na sua decisão, porque se tratava de uma decisão muito grave, que fere os princípios democráticos. No entanto viu-se na região autónoma do Príncipe representantes desses partidos, dois dos quais a fazer uso da palavra! Se já houve da parte da presidência a tal mudança de posição, observando o princípio de respeito pelas decisões soberanas das partes, tinham no mínimo que fazer uma comunicação ao país, duma vez que tudo se tornou público depois do programa cartas na mesa. Pergunta-se: Pode-se ou não desconfiar de práticas de obscuras para que esses partidos participassem no diálogo? Onde é que está a seriedade e responsabilidade desses partidos, que podem ser e são alternativas ao poder? Como pode alguém confiar nesses partidos, quando tudo quanto fazem e dizem é sempre suspeito??!!Eles próprios assumiram no programa cartas na mesa que esse diálogo é merca perca de tempo, visto que as suas decisões não podem ser vinculativas!!! Por tudo isso é que acho que o seu artigo não se sujeitou a uma análise sequencial dos acontecimentos!!!
    Por um STP sério e digno, um bem haja a todos!

    • Martelo da Justiça

      20 de Março de 2014 as 13:42

      No meu ponto de vista estamos num processo de Diálogo em que cada um pode concordar ou discordar. O que interessa no fim é que se encontre pontos convergentes para criar consensos com vista ao desenvolvimento do Pais. De certeza que não vai haver concordância em todos os aspetos, pelo que tratando-se de um processo que não vai esgotar-se nos dias 24 à 28 de Março, os outros consensos virão depois.

  11. Kanimambo

    20 de Março de 2014 as 10:23

    Esse ai é apaixonado pelo PdC, só pode. Já agora, quando o sr. estava cá na rua da amargura, reza a história que foram os Trovoadas que lhe deram uma mão, nomeadamente a incansável D.Helena Trovoada. Agora aparece todo excitado como o speaker do DN. Vai dar uma curva sr Carlos Semedo e já agora leve consigo o aldrabão do seu irmão, o Luís.

    • Semedo

      20 de Março de 2014 as 20:11

      Não lhe devia responder pois se sabe o que quer dizer kanimanbo você não da graças de nada, além de estar ignorante de fatos pessoais, como o de que a Exma. Sra D Maria Helena Trovoada ter sido uma grande amiga de minha mãe, foram vizinhas, e de me conhecer desde pequeno. O respeito que tenho pela Senhora D Helena Trovoada não tolda o meu direto de criticar pelos juízos que faço e opiniões que emito! Não me rebaixo ao seu nível pois escrevo e crítico não o Patrice filho da D Maria Helena, mas unicamente a ação do político e nada me move contra a pessoa. E para seu governo nunca estive a trabalhar para o governo Patrice nem aceitaria ser o que quer que fosse, apesar de para si poder servir qualquer migalha! Fui em comissão de serviço, se sabe o que isso e, para fazer um serviço nos tribunais de santome e que era para ser por 3 anos, mas não suportei ficar senão por um ano! E como o bom santomense sabe fazer, governos incluídos, quer o de Patrice, quer agora este que lhe sucedeu, ficaram a dever me dinheiro! assim o governo Patrice e os Tribunais Patrice estão com um grande calote que me pregaram de mais de 400 milhões de dobras para sua informação! Se me pagarem o que me devem, dou-lhe a minha palavra que lhe emprestava 1000 dobras para você comemorar pela minha saúde com uma crioulas! Valeu?

  12. Carlos Semedo

    20 de Março de 2014 as 11:00

    Oh meu caro realidade, o que escrevi foi precisamente para mostrar que a “prática” dos partidos ás vezes é bem diferente da realidade anunciada. e saiba uma coisa, apesar de não ser de “paixões” sou homem de ideias e sentimentos, e é por São Tomé que, se assim posso afirmar, contraditoriamente, tenho alguma paixão, pois não posso ficar indiferente.
    Vejo a realidade e comento, sendo que sou livre nas minhas opiniões e gostos, e sujeito-me ás criticas mesmo que não fundadas ou pertinentes, pois sou defensor da diversidade e pluralidade da expressão de pensamentos livres.
    Concorde ou não comigo, e olhando calmamente mas com opinião critica sobre a “realidade” do nosso país, penso que a única instituição segura hoje em STP é a presidência e PdC, goste-se ou não do senhor, é a pessoa de referencia, em que todos batem, e critica, ou apoiam, ou renegam, mas a pessoa a quem todos pediam e pedem, embora com algumas reservas de alguns, que intervenha e que segure o pais. e de fato tem segurado, de tal modo que o ADI sem outras soluções do que se afirmar o “maior partido da oposição, mostrou necessidade de chamar o “passado” como única arma de arremeço contra a solução de equilíbrio que o PR representa neste momento. e como bom pai que seguramente é, veio em socorro do ausente para “segurar” as pontas de uma corda que lhes pode estar a escorregar das mãos, por ineficácia e ausência de soluções que não sejam, como já afirmei , “mais do mesmo”.
    Estamos a escassos meses de uma eleição, qual é a soluçâo do ADI ? Chamar pelo “Pai” que não apresentou qualquer solução, a não ser criticas ao presente com exemplos do passado. Veja que penso que não é só o ADI, que nada me move de pessoal contra o partido, nem contra Patrice, nem contra Biro ou Bino ou Levy ou outros ilustres, pois penso que enquanto governou não apresentou soluções para a governabilidade séria e de crescimento do pais, mas que é também parte do problema de STP, como são e foram os outros “partidos” que já governaram e ainda esperam voltar governar.
    Onde estão os programas de governo, onde estão os dossiers que antes tiveram em mãos, e que soluções tiveram ou tinham para resolver e acabar com a pobreza, com a miséria económica e para um harmonioso desenvolvimento do país ? onde estão tais figuras e figurões da política ? que soluções apresentam de novo e que explicações estão dispostos a dar ? veja esta receita aplica-se a todos, de todos os quadrantes partidários.
    A oposição mostra-se com criticas construtivas, com presença efetiva, com justificação da diferença, não com meras demagogias populistas. a opção critica apresentando soluções para resolver a situação, e com comparações de atuações, de coisas feitas, e para obrigar a que se façam coisas boas.
    Acredita mesmo que é isso que estão a fazer ?
    Será que o pai Miguel vai concorrer as presidenciais ou só quer abrir caminho ao filho ? veja-se que para quem ainda tem um cargo da mais alta importância para os assuntos africanos, e para quem refere ter reservas em “não” se mostrar ingerente nos assuntos internos, a sua conferencia de imprensa resumiu-se á critica de soluções em curso, num evidente “manifesto político”, falando mais do presente do que a esperada reposição da verdade histórica do passado. Porque só agora ? porque não o fez e disse quando esteve 10 anos a conduzir os destinos do nosso país ? Durante todo esse tempo, de presidência de MT, PdC teve alguma intervenção da mesma natureza ? esteve fora do país, com altos cargos ou como negociante de qualquer coisa ?
    Acredite que como é meu direito unicamente tenho manifestado a minha opinião.
    Mas também pergunto, onde estão o MDFM, o PCD, o MLSTP ? como resolveram durante os respetivos governos a justiça, a saúde, a economia, as finanças, a educação e a cultura ?
    Quando vamos deixar de ser STP [Somos Todos Pedintes] e traçarmos o caminho do desenvolvimento social e económico, do progresso e do bem estar das populações ? ?
    Meu caro “realidade” está é que é a realidade.

  13. Mussakavu

    20 de Março de 2014 as 14:34

    Já agora, o senhor SEMEDO é convidado da diáspora para o DIÁLOGO NACIONAL!
    Ahahahahahahahahah!

    • Semedo

      21 de Março de 2014 as 4:58

      mussakavu e se fosse convidado qual era o mal? O que verias nisso ? Adesão a que partido, ADI, MDFM,PCD ou MLSTP, ?
      Gostava de te ver falar mostrando a tua cara, ah e dizendo qual e a tua ideia, pois todas interessam, mesmo as que não teem valor!
      Vamos contribui com alguma coisa de positivo e válido!

  14. Realidade

    20 de Março de 2014 as 15:04

    Meu caro Semedo, pelo respeito que devo ter por si, como devo ter por qualquer um outro Santomense, não falo com simpatias políticas, mas parece-me que lhe caiu a máscara! O partido ADI tem sido o seu alvo! Mas repito, que continua equivocado, porque acima de tudo em democracia, está a vontade popular!

    • Semedo

      20 de Março de 2014 as 20:24

      O realidade falsa, e tu a dar lhe!
      Se me conhecesses saberias que do tenho uma só cara, aquela que vês na foto que o tela non publica!
      Crítico a ineficácia governaria e a incompetência de alguns dos seus ministros, cujos nomes nomes não digo, na saúde, na justiça, nas pescas e agricultura, na educação e por aí fora !
      Crítico Rafael Branco o antecedente apesar de o ter como amigo e de lhe nutris respeito pessoal, como tenho reparos a fazer a ineficácia do governo Gabriel nalguns dos aspetos! Como também já elogiei e veja – se o bom trabalho que um jovem ministro está a fazer na agricultura e pescas!
      Sabe que a atuação dos governos e dos governantes sujeitam – se a isso mesmo, as críticas dos cidadãos, isso e saber estar em democracia !
      Também em prático tiro ao alvo contra pessoas negativas com tu! Maldizentes e ignorantes qb
      Fica bem,

  15. Sousa Sintra

    20 de Março de 2014 as 16:07

    O individuo que postou com o nome de “rdp-africa” disse algo que os internautas não deram tanta atenção. Ele fala do gigante adormecido que pode despertar. Na verdade acabo de regressar ao país e tudo indica que esse gigante está mesmo a despertar, ao ponto de ter equipas de trabalho bem montadas reconquistando a sua velha guarda ou ainda mesmo “seus” militantes que haviam baldado para ADI. A ser verdade, o gigante poderá de facto vir a produzir alguma surpresa em todo esse cenário politico.

  16. romario

    20 de Março de 2014 as 16:47

    Senhor semedo Um juiz de direito nao pode fazer politica….

    • Semedo

      20 de Março de 2014 as 20:28

      Oh pá Romário não sei se tens jeito para futebol, mas criticar e ter opiniões e participar em debates e diálogos não e fazer política, pois não me vês filiado em qualquer partido ou em qualquer cargo dos políticos em STP
      Estou a exercer um direito de cidadania o de manifestar a minha opinião com respeito pelas dos outros!
      Pensa nisso

  17. Luis Neto

    20 de Março de 2014 as 19:31

    Simples e claro.

  18. Antonio Costa Carlos

    21 de Março de 2014 as 9:06

    Oh Semedo, falaste do bom trabalho do ministro da agricultura, o que é verdae mas também deve-se associar a bom trabalho e humildade do ministro das finanças e o secretário de estado da comunicação social. Parecem ser pessoas com alguma integridade e sem complexos dispostos mesmo a trabalhar. Esse tipo de quadros é que o país precisa.

  19. Saudoso Francisca

    21 de Março de 2014 as 9:41

    Senhor Semedo,

    Não se meta nesta sujeira, isto é mais um faz de conta, para que estivessem presentes, foi necessário um encontro no Mouro da Trindade no sabado passado por volta das 11 horas em que foram chamados por Pinto da Costa, isto não significa que as coisas vão bem entre eles, eles vão se remediando até um dia marcarem eleições.

  20. romario

    21 de Março de 2014 as 11:04

    Desculpe me senhor doutor juiz sou jogador de futboll sim…mas nao é pela aparencia do nome..porque nao jogo nada em comparaçao a ele….mas sei marcar é a data das eleiçoes….todo esse problema senhor dr. É nao respeitarem as regras do jogo…e o senhor como homem de lei sabe…os seus argumentos nao sao convicentes…um juiz tem reservas e limitaçoes decorrentes do cargo…nao pode estar ai emitir juizo de valores sobre partidos individualidades…imagina se o senhor vier a ser chamado para emiritir parecer ou julgar um desses cargos….ja agora o seu conselho tem conhecimento das suas intervençoes….ja agora a sua opiniao sobre a constitucionalidade deste governo…no sentido de k o presidente nao poder indigitar o 1 ministro …como sabe o 1 ministro e nomeado tendo em conts os resultados das eleiçoes…ou seja quem ganha governa….isto para lhe dizer …que o erro k estamos todos a pagar decorre da nao convocaçao das eleiçoes naquela altura….e a palhaça da deciçao judicial k legitimou todo esse carnaval e o senhoe conhece bem o nivel decisorio dos nossos juizes ….imcompetentes e politicos….quero sua resposta …

  21. arelitex

    21 de Março de 2014 as 12:03

    caro Carlos semedo ,estou a gostar da sua contribuição no nosso diálogo ,aqui na Téla Nón .a sua atitude está a ser forte e positiva , e esclarecedora de certas trapalhadas .o que sâo bastante fortes na nossa cultura sâotomense .em contar histórias para todos acreditarem ,mas ninguém investiga a sua veracidade .embora em certas assuntos nâo concordo muito consigo .porque no diálogo nacional vai-se falar muito mas nâo ,da origem dos nossos problemas .porque ninguém têm coragem para falar deles .vão-se contar muitas histórias .para ser mais concreto vou-lhe dar um exemplo .faça uma experiência .coloque no meio de uma estrada uma pedra um pouco grande .vai ver que vâo passar mil pessoas de mota ,mais mil pessoas de carro e mais mil pessoas a pé no passeio .vai ver que ninguém vai tirar a pedra do meio da estrada .vão-se todos desviar dela .a nossa cultura têm grandes problemas de origem .como este simples exemplo e outros como (têm dificuldade em se organizar ) (porquê que nâo gostam de trabalhar ), e muitos outros problemas que prejudicam o desenvolvimento de s tomé . têm que haver coragem para pôr este tipo de cartas em cima da mesa .e descobrir como ultrapassa-los .

  22. Eterno Madiba

    21 de Março de 2014 as 14:42

    O senhor Carlos Semedo, dentro de alguns meses, o senhor estará a criticar o diálogo nacional, pela sua inoperância e montes de papéis amontoados, feito lixo, numa gaveta qualquer! E depois não diz que não avisei!

  23. Pedro Lima

    21 de Março de 2014 as 15:43

    Romário, não perca teu tempo com esse juiz, ou ele vive na lua, ou s. tomé e príncipe é o da cabeça dele ou o mais grave ele é pago e bem pago para perseguir desnecessariamente os trovoadas. O sr. dr. juiz que faz política a olhos de todos sabe que em S. tomé e príncipe todos sabem para quem está desesperadamente a trabalhar. Força doutor, terá um bom prémio breve, vir julgar os trovoadas e condena-los. Aconselho baratamente o dr. para descansar e pensar no que anda a fazer. É muito stress, quando faz esse esforço todo e resultado é decidido pelo povo. Bem haja dr. juiz

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo