O Cavalo, a Égua, o Potro e a Mula

Há um conto popular russo, se não me engano no nome do país em causa, que ridiculariza, de forma soberba, a mentalidade submissa, por um lado, e tiques de chico-espertismo, por outro lado, um pouco disseminado na nossa sociedade, momentaneamente em transformação acelerada, que caracteriza muito bem aquilo que somos como povo.

Diz o referido conto, em termos sintéticos, que um homem rico e um outro muito pobre viajavam juntos numa grande caminhada. Neste propósito, o homem rico montava um bonito exemplar de um cavalo castrado e o homem pobre seguia montado numa velha égua.

Durante a viagem em causa, numa noite, numa paragem específica para descanso, a égua do homem pobre pariu um potro. Sem que ambos dessem por isso, o potro em causa deslizou para baixo do ventre do cavalo do homem rico. Este, sem cerimónias nenhumas, de imediato, aproveitou a ocasião para dizer ao homem pobre que o seu cavalo tinha parido o potro em causa reclamando-o, portanto, para si.

Alguns acontecimentos recentes, passados em S.Tomé e Príncipe, refletem a realidade retratada acima, configurador da forma como o governo nos trata como cidadãos. Ou seja, somos uma espécie de tolos de um reino chefiado por Chicos-espertos que entendem que a realidade política, social e económica do país depende, em grande medida, somente das informações que recebemos, nalguns casos, de forma interesseira, por parte deste mesmo governo.

Num contexto como o nosso onde os instrumentos que permitem a informação pública constituem, simultaneamente, uma propriedade privada, torna-se difícil que a inteligência individual nos proteja das idiotices e chico-espertismo compagináveis com as atuações do homem rico e do homem pobre na história narrada acima.

O primeiro acontecimento, passado recentemente em S.Tomé e Príncipe, amplamente divulgado, pela generalidade dos órgãos de comunicação social nacionais e alguns estrangeiros, informa-nos que uma estrada que se começara a fazer, há doze anos, só agora foi concluída pelo governo do ADI. A notícia em causa, passada diversas vezes nalgumas rádios, tentava passar a ideia de que o governo atual do ADI, fora reformador neste domínio, quando comparado com outros governos da república. Só que todos nos esquecemos, de repente, que o ADI esteve no governo, durante dois anos, recentemente e, provavelmente, também se esquecera de concluir a referida estrada, naquele contexto temporal concreto.

Da mesma forma, a missa, um pouco por todo o país, em torno da iniciativa relacionada com o famoso “orçamento do cidadão” reflete, de forma fiel, todas as incongruências deste estilo político. Ou seja, com o dinheiro dos outros, que andam a financiar o nosso orçamento de Estado, o governo andou a perguntar aos cidadãos o que querem para as suas respetivas freguesias incluindo, nesta autêntica brincadeira, todos os devaneios e luxos populares, em detrimento de criação de condições, paulatinamente, para a produção de riqueza internamente que minimize, no médio e longo prazos, a nossa quase total dependência do exterior. Comportamo-nos, neste caso, como ricos e donos do potro, sabendo, todavia, que ele provém de éguas alheias.

Imaginem o que seria uma família, constituída por um pai, mãe, filhos, netos, avó, avô, etc., tecnicamente falidos, pedirem dinheiro emprestado a alguém e utilizarem-no, como meio de saírem desta situação de falência crónica, solicitando a cada membro da família em causa o que queriam fazer com o dinheiro em causa para satisfação do luxo e ambição pessoal, em detrimento de um plano de investimento familiar inclusivo que, no médio e longo prazos, acabasse por resolver ou minimizar todos os problemas da família em causa. Duvido que alguém, no seu perfeito juízo, daria, sistematicamente, dinheiro emprestado a esta família.

Temo que, decorrente deste autêntico luxo com o potro dos outros, no futuro, aqueles que têm assegurado, sistematicamente, as nossas necessidades orçamentais, comecem a refletir sobre as consequências da nossa insanidade neste âmbito e ponderem a utilidade e prosseguimento deste ato.

A corrida governamental desenfreada, para inauguração de chafarizes, um pouco por todo o país, é o retrato mais pálido e inconsistente desta política de um governo montado por cima de um cavalo castrado reivindicando os potros de éguas alheias.

Também sei que a política é feita destes atos simbólicos e que a posição voluntária do atual governo do ADI, querendo-se mostrar, desde o princípio da legislatura, elegantemente, como um rico por cima de um cavalo castrado, o que foi determinante para a assunção do slogan “Vamos Construir o Novo Dubai”, não deixa alternativas para outra postura política mais humilde, inclusiva, realista e pragmática que o país necessitaria nesta fase do seu desenvolvimento.

Só que quem tem uma postura tão assertiva e reivindicativa neste e noutros domínios, aparentemente em defesa dos interesses do país, tem que generalizá-la transversalmente noutros contextos.

De repente, desta vez, uma mula apareceu debaixo do ventre do cavalo castrado do homem rico e este fingiu que não era nada com ele comportando-se como os três macacos sábios: cego, surdo e mudo.

De facto, foi este o comportamento do governo do ADI relativamente ao navio Thunder, segundo as informações dos diversos órgãos de comunicação social, perseguido pela Interpol, que acabou por naufragar, de forma súbita, na nossa costa, depois de solicitar apoio logístico às autoridades nacionais para fazer o transbordo da sua mercadoria no país, mudança de tripulação e, eventualmente, adquirir um novo registo para continuar a sua prática predatória nas nossas águas.

Custa-me muito compreender que um governo que reivindica a propriedade de todos os potros alheios que lhe aparecem pela frente e, neste caso, perante uma boa mula recém-nascida, finge que não viu nada, não sabe nada e nem fala sobre nada.

Ninguém pede ao governo proclamações rocambolescas ou precipitadas sobre o assunto em causa. Não é isto que nos interessa como cidadãos. Todavia, perante um caso desta gravidade, esperava-se que, passados sensivelmente oito dias da ocorrência deste caso, o governo nos informasse coisas simples sobre o referido assunto. Desde logo: o navio em causa estava ou não sendo perseguido pela Interpol como sugere as notícias? Se tal facto estava, de facto, a ocorrer, e mediante o desfecho do mesmo que contactos o governo em causa já estabeleceu com a referida organização como parte integrante, voluntária ou involuntariamente, no mesmo?

Informalmente, o governo, ou a instituição vocacionada para o efeito, aparentemente, preparava-se para dar apoio logístico ao referido navio, permitir o transbordo da sua mercadoria no país bem como a mudança de tripulação e, eventualmente, permitir um novo registo para que o referido navio continuasse a sua prática predatória nas nossas águas. Perante as informações ulteriores, relacionadas com a perseguição do navio em causa pela Interpol, continua a ser esta a atitude e disponibilidade das entidades governamentais envolvidas no caso perante a situação em causa?

Deve ser esta a prática recomendável ou modus operandi, em termos de autorização para transbordo de mercadorias, registo de navios e decisão sobre a pesca nas nossas águas, por parte das entidades nacionais, demonstradas neste processo, bastando para tal o contacto informal e distante com as entidades interessadas negligenciando-se, todavia, outras informações mais pertinentes que nos proteja de práticas indesejáveis com eventuais consequências criminais e ambientais?

Que consequências ou impactos ambientais terá o referido naufrágio nas nossas águas? O governo tentou saber junto do comandante e da tripulação em causa a carga do referido navio e eventuais efeitos ou impactos ambientais decorrentes do referido naufrágio que possa contribuir para tranquilizar os cidadãos nacionais?

A resposta para estas e outras questões seriam importantes para o sossego e tranquilidade das pessoas. É para isto que o governo foi eleito. Mas, a impressão que dá, voluntária ou involuntariamente, de acordo com a postura do governo no assunto em causa, é que o comandante do navio e respetiva tripulação são vítimas da atuação da Sea Shepherd Conservation Society ou mesmo da Interpol e estes é que são os carrascos desta história. Ou seja, voluntária ou involuntariamente, transmitimos a ideia, perante a comunidade internacional, de um Estado frágil, permeável, ligeiro e condescendente com os eventuais infratores, onde, aliás, estes procuram refúgio mediante perseguições de entidades não-governamentais vocacionadas para o efeito ou mesmo policiais.

Tudo isto parece contraditório com a promoção de palestras, conferências e outras iniciativas em prol da atração de investimentos estrangeiros para o país. Quem vai investir num país que trata assuntos sérios e perigosos com esta ligeireza? Até que ponto a publicitação internacional deste assunto, sem esvaziamento oportuno do mesmo pelo governo central, coloca em causa os esforços de alguns empresários estrangeiros e do governo regional do Príncipe, decorrentes de uma estratégia organizada e implementada, em prol da inclusão do Príncipe na rede biosfera da Unesco e opção estratégica assumida para um desenvolvimento regional sustentável?

Quem vai assumir os estragos que a mula, recentemente nascida, está a provocar no reino? O governo não pode só assumir a paternidade dos potros. As mulas também têm que ter donos.

Adelino Cardoso Cassandra

Notícias relacionadas

  1. img
    Maria silva Responder

    Senhor Adelino Cardoso Cassandra meus parabéns , sempre a nos brindar com artigos com nexo ( cabeça, tronco e membros ) !
    É muita pena a nossa posição diante dos olhos da comunidade internacional , efetivamente estamos de mal a pior!
    Sem querer ferir a sensibilidade de niguem ,, a conclusão que eu cheguei sobre o famoso navio, é que o chefe do governo esta feito com estes PIRATAS sem sombra de dúvida !
    I ‘m sorry aos lambe-botas do Pt

  2. img
    Chateado com Tudo Isto Responder

    Muito obrigado por este artigo. Como sempre uma boa análise da situação que vivemos. A minha revolta com estas situações, o senhor não imagina. Como é possível que um barco que anda a ser perseguido por entidades policiais estrangeiras nós vamos correr com esperteza dar guarida como coisa que somos a favor destas coisas. Eu já não acredito em nenhum político deste país. Isto já ultrapassa todos os limites do razoável. O pior somos nós que vivemos cá dentro e não temos por onde ir. Nunca vi tanta irresponsabilidade neste país. Até hoje o governo não vem dizer nada sobre o assunto. Não se sabe o quê que o barco transporta nem porquê que o governo autorizou que ele viesse para cá nem qual.Eu estou muito chocado com tudo isto.

  3. img
    VM Responder

    Caro Sr. Adelino Cardoso Cassandra,

    Uma vez mais, parabéns, pelo seu artigo. De facto já nos acostumou a mensagens de relevo social e de grande interesse público. Quando vi a sua publicação, li com interesse e, de novo, não me arrependi.
    Claro que aparecerão aqueles que, de costume, sem qualquer sustentação, tentarão lançar críticas arruaceiras contra si, na esperança de acalentarem o seu íntimo desejo de que o Sr. não escreva mais, pois sempre que o faz, acerta em cheio no alvo. Mas diga-se em abono da verdade que, no meu entendimento, as suas críticas nunca foram destrutivas ou levianas (como temos vindo a ver muitas), mas fundamentadas quer em termos de factos quer em termos de raciocínio. Assim, estas suas críticas bem que poderiam servir de guião aos que neste momento governam o país, pois dessas críticas teriam a oportunidade de corrigir comportamentos, alterar estratégias e melhorar a prestação. Se o não fazem é porque não conseguem ser democráticos, por mais que digam o contrário.
    E àqueles que, obcecadamente, afirmam que o Sr. fala apenas mal do ADI (o que não é verdade de todo), posso afirmar que se esqueceram espontaneamente dos textos de um indivíduo que responde por Mário Bandeira, dono de uma crónica semanal no pasquim “O Parvo”, que ao longo de mais de 2 anos, apenas sabia, este sim, falar mal de Pinto da Costa e alguns poucos por ele selecionados, mas nunca tendo apresentado qualquer sustentação que fosse séria ou digna ao ponto de convencer. E este mercenário, Mário Bandeira,subitamente, tão logo o ADI assumiu o poder e a esposa do mesmo foi nomeada ministra, calou-se que nem um rato molhado. Mas acredito que tão logo o Presidente da República tome algum acto legítimo contra o Governo para que as crónicas de Mário Bandeira dêem à estampa no “O Parvo”.
    Concluo portanto que as suas críticas/crónicas, Sr. Adelino Cassandra, de tão elucidativas que têm sido, fazem falta nesta fase da sociedade santomense, em que reina completa balbúrdia em termos de pensamento e um seguidismo esquizofrénico da elite dominandante, facto que poderá levar a uma alienação colectiva não tarda.
    Bem haja.
    VM

  4. img
    F.A Responder

    Gostei e só o peço para continuar a nos brindar com estas palavras. Nem todos somos parvos e estúpidos neste país.
    Um abraço grande.
    F.A

  5. img
    Estamos com problemas Responder

    Parabéns pelo excelente e interessante artigo senhor Adelino Cassandra, o senhor como sempre retratou muito bem a situação desta actual República das Bananas.Creio que a médio/longo prazo o povo de STP que deu maioria absoluta ao ADI e ao Patrice Trovoada vai colher a desgraça que plantou.
    Tenho quase a certeza que a credibilidade de São Tomé e Principe a nível mundial, vai ficar abaixo de lixo. Digo isto porque um país que defende piratas, um país que é sócio de piratas não pode ser considerado um país sério. Se a INTERPOL tem aquelas pessoas e o barco sinalizados como piratas é porque são piratas. De certeza que a investigação da INTERPOL não começou no dia do naufrágio, é algo que já vem de meses ou mesmo anos. Acreditem meu povo que se já havia santomense na mirra da INTERPOL, a lista de investigados aumentou. STP não quer ser Dubai da pirataria. STP quer desenvolvimento sim, mas não por vias tortas, onde cada um faz negócios utilizando nome de STP.
    Um governo que elege como prioridade das prioridades oferecer carros novos e caros aos juízes e ao Ministério Público, num país que vive de ajuda externa, deixa muitos pontos de interrogação ???????para se refletir.

  6. img
    Thais Responder

    Enfim… Só com Cristo. Quem viver verá.

  7. img
    Sinceramente Responder

    - ADI voltou e os barcos também voltaram…….

  8. img
    Juven Responder

    E assim se vai construindo o nosso Dubai. Com potros e mulas. Viva a democracia.

  9. img
    Dondo Responder

    Uma fabulosa analise.
    De facto, voltou o homem, voltou consigo o barco. Nao me parece que este esteja a quem da historia. O que resta e uma investigacao ao pormenor. Quem e sujo, por mais que procura ser limpo a sujeita o acompanha para la a onde esteja.
    Sem mais palavra, o nosso Pais esta no lixo.
    E pena, e muita pena saber que Sao tome e Principe tem a frente um homem lixo a condizir o distino deste.
    Quem diria.

    • img
      Rubim dos Bosques Responder

      Senhor Dondo eu até anteriormente tinha muitas dúvidas que o senhor primeiro-ministro estivesse envolvido em algum processo menos claro relacionados estes problemas. Pois nunca vi provas disto nem tão pouco ele veio para cá apresentar-se diante do ministério público para limpar a sua imagem. Tudo se passou como habitualmente as coisas se passam cá em S.Tomé. Só que eu não posso compreender que acontecendo agora o que aconteceu este governo não age de maneira nenhuma para esclarecer o problema? Que raio de coisa é esta. Eu admito que o governo não tem nada a ver com isto. Parece-me razoável e de boa fé pensar assim. Mas não dizer nenhuma palavra perante um problema desta gravidade já é demais. O que é que querem esconder? Para quê que querem esconder? Não podem deixar o povo sem explicações sobretudo num país onde as pessoas na sua maioria não têm outras fontes de informação. E ainda por cima dizem que o navio foi perseguido pela interpol. É esta a imagem que querem para S.Tomé? Sinceramente, isto é muito triste.

  10. img
    DESCAMIZADO Responder

    CARTÃO VERMELHO AOS MEMBROS DO GOVERNO
    Dou cartão vermelho ao governo liderado pelo Primeiro Ministro, Patricie Trovoada, como chefe do governo, Ministro da Justiça e dos Direitos Humanos,Senhor Ministro de Administração Interna, o Bófia, Sócio da Agência Equador que tem comandado as operações, Ministro da Defesa e do Mar e ainda o Procurador Geral da República que tanto este caso como o outro, os dois envolventes no Governo do ADI nunca se pronunciou nada.Trata-se de um procurador Mudo.
    O governo convocou de imediato o filme de pontapés, propndo a exoneração do Brigadeiro. O assunto tão delicado e melindroso que deve ser resolvido com sensatez, entregue aos militares.
    Aliás,num País s´werio o Senhor Carlos STOK não deveria ocupar o cargo do Ministro da Defesa.Quando foi Director dos Regitos e Notariado praticou uma Gestâo danosa, assim como o Senhor Elísio Teixeira.
    O outro trata-se do Senhor Ministro da Administração Interna que na outrora foi chefe Secreta do Estado durante o Partido único.Deveria estar reformado com todas as condições e regalias e deixar da Política activa.Foi na altura em que os secretas eram donos da Terra.Estes Ministros devem responder por este barco Pirata nas nossas águas.Daí compreende- o silêncio do Governo. E se fosse o outro governo?O ADI e o Senhor Levi mais os companheiros culpabilizariam o Senhor Presidente Pinto da Costa que conhece o seu canto e age de acordo com a lei em vigor no País. Já viu mesmo com prorrogativas que tem o Senhor Presidente,assim como oposição, as populações começariam a gritar Lá estão esses senhores que não deixam trabalhar o Governo liderado pelo Primeiro Ministro, Patricie EmerY Trovoada, mesmo que o País está entregue aos Piratas Por isso o governo não concorda com o Investimento para aquisição de uma nova lancha Patrúlha, alegando não ser prioritário.

  11. img
    Riboqueano Responder

    Quem tinha dúvidas que este partido vinha resolver os problemas do país, construir um no Dubai para nós, term uma política de transperaência e ser diferente dos outros partidos anteriores ai estão os resultados. Aquilo que estamos a assistir neste momento cá em S.Tomé é a repetição da história só que com outros protagonistas. O pior é que esta versão da história é bem pior que algumas anteriores. Quem viver verá. É triste tudo isto. Um líder que promete transparência e faz exatamente o contrário. Promete mais democracia e faz exatamente o contrário. Promete união e faz exatamente o contrário. Que coisa é esta?

  12. img
    Diogo Responder

    Meus parabens! Bonito.

  13. img
    Santola Responder

    Governo que defende piratas, só pode ser pirata. É pena que o povo “pequeno” que votou ADI+Patrice, não tenha acesso a informação como ela realmente é. A TVS e a Rádio Nacional que deviam informar a população sobre o que realmente está a contecer no país, só transmite o que for do interesse do ADI e Patrice Trovoada. É BOM QUE ESSES CONSTRUTORES DO DUBAI AFRICANO SAIBAM QUE O PAÍS NÃO LHES PERTENCE, O PAÍS É DE TODOS OS SANTOMENSES.
    A má imagem do país no estrangeiro, provocada pela mordomia dada aos piratas procurados pela INTERPOL vai custar muito caro a STP. Este governo vai nos construir um Dubai parecido com o México e/ou Colombia.

  14. img
    SEABRA Responder

    Senhor Cassandra, o seu artigo é excelente, pois que retrata bem a politica e o governo que dirigem STP, na hora actual…espero que aqueles que nao votaram pelo ADI-PT, tenham a força e a coragem (como outros povos nos têm mostrado como lutar para desfazer o mal que vai nossa sociedade), de sairem à RUA para manifestar contra este GOVERNO CAMBALACHEIRO que està no poder….é pô-los todos na rua. Nao hà nenhum MELHOR do que o outro.
    Certo, é o Patrice Trovoada o pm, mas ele é apoiado pelo seu braço direito, ex militante da JOTA, na pessoa do “camarada” Afonso Varela, que do mais revolucionàrio tornou-se o mais reacionàrio e VADIO na politica de STP.
    Dizia eu num comentàrio, hà tempos, que o PT deixarà a pior parte na pelos seus maus actos…segue o A.Varela.
    Nenhum destes elementos do ADI é exemplar, mas nhenhum andou na cabeça da politica desde o tempo da independência, como é o caso do Varela…militante “ferrenho do MLSTP”, que era capaz de matar, se alguém falasse mal do Pinto da Costa ou do partido…certo, que evoluiu, é normal, mas nao a este ponto de tornar-se VIGARISTA, um verdadeiro “tutu”do PT, ele que nao suportava os Trovoada. Que lavagem de cérebro!!!Incrivel! Quem o ouviu e quem o ouve.
    O PT-ADI, vao vender STP, e o que restar, serao as làgrimas do povo(bem merecidas, para aqueles que votaram PT)…lamento, por aqueles que nao participaram a afundar STP. Ainda nao é tarde, por isso, aqueles que sao conscienciosos, podem participar nesta luta que é de destituir o PT-ADI, saindo nas ruas de STP, é pra jà.
    Tornou-se muito URGENTE, quem espera nao alcança e até desespera.
    Vamos, força…sigàmos o exemplo do Brasil, da Tunisia e de muitos outros paises e povos.Jà é mais do que tempo de pôr fim a esta longa caminhada catastrofica. BASTA!!!!!!

  15. img
    Quilixe Furtado Responder

    O Governo do Patrice Trovoada? É um Governo mafioso e sem rumo. Um Governo que tem como única saída a PIRATARIA e outras coisas ilícitas que havemos de conhecer.
    Que acolhe os seus comparsas piratas com os braços abertos e coloca-os em colchões de mola. Será que o Patrice ignorava que se tratavam de piratas procurados pela INTERPOL? O Governo maioriário deve ao Povo, que lhe deu legitimidade, esta explicação com urgência.
    Temos que nos unir e exigir uma reorientação deste Governo “maioritário” para que o mesmo não use o seu poder legítimo, alcansado com falsas promessas, para nos levar ao Inferno ao invés do Novo Dubai.
    Estamos sim interessados num País onde se promova as atividades turísticas, agrícolas, pesqueiras e outras de que temos potencial, ao invés do “arroz de treze mil dobras”, hospedagem aos piratas e outras anormais que só servem os interesses do príncipe Patrice.

  16. img
    Roça Nova Moca Responder

    Estamos no caminho certo. Sempre a subir. Inauguração de chafarizes e casas flãmpega, inauguração de estradas de 3 km mal feitas, entradas de navios perseguidos pela interpol no país, desmandos, falta de autoridade, violações, roubos, incêndios,etc. Sempre a subir rumo ao Dubai. Que Deus nos proteja, principalmente as nossas crianças.
    Para frente é que é o caminho.

  17. img
    quilike furtado Responder

    Tenho repugnância pela morosidade da Justiça, sobretudo quando se trata de casos atinentes aos “delinquentes de colarinho branco”. Consequência: reedição de barcos piratas.
    Um desses delinquentes subiu ao púlpito do poder e tende agora “comprar” os fazedores da justiça. Sim, e não me venham dizer que isto não corresponde a verdade!
    Quando num País onde tudo falta e uma das primeiras medidas do Governo é a de comprar carros de luxo para juízes e magistrados, ou ainda a promessa de nova sede para o Tribunal Supremo…Uhmmm isto cheira a compra de consciência. Espero que estes juizes e magistrados recebam estas “ofertas” e apliquem, de seguida, a justiça, sem complacência.
    E o senhor Ministro da Justiça, Raposo, embora seja seguidor acérrimo do P. Ministro Patrice Trovoada, que aconselhe com urgência ao senhor Procurador Geral da República, Samba, no sentido de se tirar das gavetas todos os processos dos “colarinhos branco”, incluindo os do Ptrovoada, porque esta samba esta virar Djambli.
    Muita chatice está para acontecer. É melhor começar a chamar gato de gato e cão de cão. Deixemos de faz de contas ou ouvidos de mercador.

  18. img
    Luciano Mendes Responder

    Com pena digo isto. Não votei neste governo do ADI porque vivo fora do país. Conseguiram-me convencer com a sua mensagem de mudança e reforma para o nosso S.Tomé. No entanto aquilo que eu tenho visto não me agrada nada. Somos um pequeno ilhéu com 150 mil almas e não havia necessidade para este clima de perseguição que o ADI tem movido aos militantes de outros partidos correndo com eles do trabalho. ADI andou a criticar porque foi vítima disto mas está a fazer igual. Isto é mau. Quando o ADI e seu líder criticava isto eu estava convencido que eles iriam mudar esta prática. Infelizmente não é isto que está a acontecer. Dizem que até jardineiros e serventes de outros partidos o ADI está a mandar para a rua. Para quê estas coisas? Isto não contribui para pacificar S.Tomé e mudar as coisas. Eu estava convencido que o ADI iria contribuir para pacificar o país, mobilizar o povo, escolher os melhores para tarefas de responsabilidade governativas independentemente de ser ou não deste partido, mudar a mentalidade que existe em S.Tomé de divisionismo e ser um partido mais transparente nas coisas do país. No entanto, nesta caso do barco o ADI portou-se muito mal. Até parece que existe qualquer coisa escondida que não querem contar. Eu sinceramente esperava que o ADI iria fazer como o governo da guiné bissau está a fazer e ganhar credibilidade interna e externa. Assim como estão a fazer não vão a lado nenhum. Como Sãotomennses somos gozados cá fora por causa destas coisas que se passam no país. Hoje em dia já estamos na causa ao nível da CPLP. A guiné bissau já estabilizou, fez um grande sucesso no leilão recentemente cá fora, os dirigentes do país são respeitados, o povo está unido em torno dos seus governantes e dá gosto ouvir um dirigente da guiné a falar. Sabem o que estão a fazer. Existe pessoas no governo da guiné que segundo dizem não são do partido que está no poder. Não andaram a correr com pessoas de outros partidos como jardineiros e serventes dos serviços. Só peço aos dirigentes do ADI que mudem de política e trabalhem para o povo. Para ter sucesso não é preciso andar a perseguir as pessoas sobretudo aquelas que são pobres. É preciso unir o país e mobilizar o povo. Infelizmente não vejo isto nesta governação.
    O meu obrigado a todos.

  19. img
    Aníbal Responder

    Mais um excelente artigo que todos membros do governo deveriam colar na vitrina ou na parede dos seus gabinetes para que pudessem ler todos os dias.

  20. img
    Fernando Castanheira Responder

    Isto e ainda documentario. O filme esta por comecar.

  21. img
    pagaguno Responder

    Monte de palhaços, frustrados, continuem a uivar que a caravana vai passar.Vós tendes um ódio de estimação por Patrice, não deram conta que o homem nem fala do Gabriel, Foi por isto que perderam as legislativas e da mesma maneira perderam as Presidenciais.

    • img
      hummmm! Responder

      A caravana vai passar sim. Com toda a legitimidade. O abismo já está à vista. Vamos! Palhaços são os que não querem vir connosco, não é irmão?

    • img
      Seabra Responder

      Ö senhor Pagano, a pessoa que você defende, PT, nao lhe interessa ninguém em STP,nem você que està -lhe defendendo…o que lhe interessa a ele, é os bens que STP podem permiti-lo obter, sem cansaço.
      Quanto ao Gabriel, quero apenas dizê-lo, hoje você defende o PT, mas nao foi você quem mobilizou o povo de STP e que preparou o terreno para o regresso dos TROVOADA para STP…foi o Gabriel da Costa, que hoje esta maldita e ingrata familia oportunista e corrupta, virou às costas e até fazem-lhe campanha. Ora que mais patriota em STP,que o Gabriel, eu nao conheço!!!
      Aqueles que apoiam hoje o PT, foram aqueles que ontem deitaram pedras à familia TROVOADA tratando-lhes de todos os nomes (que bem merecem). Um deles é camaleao Màrio BANDEIRA ( o fumador viciado…), outro é o VARELA, hoje é o braço direito do PT.
      Uma coisa é certa, quando a canoa afogar, o PT vai salvar-se e vai deixar os marinheiros dele no mar…e serà muito bem feito!!! SALVA-SE QUEM PUDER!

  22. img
    Desesperado Responder

    Grande artigo. Eu sempre achei que esta coisa de orçamento de cidadão é uma palhaçada autêntica. Como é possível que nós andemos a pedir dinheiro emprestado lá fora e outros países dão-nos dinheiro de borla tirando dos seus contribuintes e nós, arrumaddos em espertos andamos a perguntar as pessoas de luchans e bairros o que é que eles querem fazer com este dinheiro. Isto é de facto uma brincadeira. Isto é andar a fazer paleio com dinheiro dos outros para além de não existir garantia que aquilo que as pessoas estão a pedir em cada bairro e luncha contribui para criação de riqueza para o país. É preciso ter uma mente muito pequena e nenhum sentido de estado para fazer estas coisas e envergonhar o país.

  23. img
    Diasporano Responder

    Isto está pior do que eu imaginava. É melhor entregar este país para Nações Unidas dirigir. Pouca vergonha já é demais. Entra governo faz porcaria, sai e entra outro de novo só faz porcaria.

  24. img
    Fé cu Deçu Responder

    Minha gente, quem tinha dúvidas agora está ai a realidade. Ainda temos muito sofrimento pela frente. Isto ainda agora começou. Eu sempre disse que estes nossos partidos são todos iguais. Até acho o ADI o pior de todos porque lá não existe um equilibrio interno. Só uma pessoa é que manda naquilo. Portanto ele faz do partido aquilo que ele quiser. Nos outros partidos passa-se a mesma coisa só que existe maior equilibrio interno porque estes partidos não têm dono como o ADI.

  25. img
    Farto Disto Tudo Responder

    Estes dirigentes são uma anedota. Quando o país necessitava de esperança dão-nos confusão, separação, divisionismo, pouca vergonha, trapalhadas, desconfiança e tolices.
    Vão mas é para ….

  26. img
    Martelo da Justiça Responder

    O que é feito dos Partidos Políticos da oposição deste Pais?? Desapareceram ou foram todos comprados pelo Patrice Trovoada?? Sendo assim, é muito mau para a democracia e o Pais é que perde com isso.
    Tendo em conta a falta de credibilidade dos Partidos Políticos, Não me admira que brevemente possa surgir um Movimento de Sociedade Civil forte, com vista a defender os interesses da população. Haver vamos!!!

    • img
      secretaria Responder

      Martelo da justiça a Oposição não desapareceu, não foi comprado pelo PT. Estão calados porque sabem que também são peixe podre, são grandes corruptos, PT apenas é mais inteligente que os da oposição. podemos dizer é o bandido e o chefe de bandido. Neste país não temos Santos todos uns bandos de corruptos. pelo menos o PT faz o mínimo que o povo precisa. Ladrão com Ladrão oposição tem que calar durante 4 anos para pagar por tudo que é hoje o nosso querido STP. Viva Democracia, Povo põe povo Tira.

      • img
        Martelo da Justiça Responder

        Faz sentido então uma Organização de Sociedade Civil forte porque não se pode confiar nos nossos políticos. Alguma coisa tem que ser feita. Isto está de mal para pior.

  27. img
    Secretaria Responder

    Qual é a diferença entre Tó Ze Cassandra e o PT? Nenhuma!, os dois são malandros, mas pensam no Povo fazem o mínimo para o Povo. Enquanto que os outros nunca pensaram no Povo, por isso o País esta como esta. Nunca vi esse sujeito a falar do seu Irmão. Deixa o PT, daqui a 4 anos chegamos a conclusão. POVO PÕE POVO TIRA. POVO MANDA NAS URNAS. VIVA PINTO DA COSTA, VIVA DEMOCRACIA.

  28. img
    Genebra Responder

    Aguentem meus irmãos. Nós votamos neste partido para nos governar. Já não há nada a fazer. É comer e calar. Toda a gente com alguma informação sabia das artimanhas deste senhor. Eu admito que as pessoas menos esclarecidas não tinham esta possibilidade porque não têm acesso a informação. Agora as pessoas que estão minimamente atentas deveriam estar informadas sobre a qualidade do homem que ganhou as eleições. Mesmo assim preferiram dar um voto de confiança ao homem agora aguentem.

    • img
      Viva a Democracia Responder

      Meu caro amigo Genebra, eu não votei neste homem nem em nenhum outro partido porque eu conheço estes meus conterrâneos que têm curso de política. Fui aldrabado 1, 2 e 3 vezes desde o início da democracia cá em S.Tomé e nunca mais votei em nenhum destes aldrabões. Eu avisei muita gente aqui em Londres e também em Lisboa onde estava para as consequências que este homem representava para S.Tomé como político. Houve colegas e amigos que me chamaram nomes e pensavam que eu tinha alguma coisa pessoal contra este senhor. Agora alguns deles é que me dão razão. Só quem não conhece este senhor primeiro-ministro e as histórias dele pode cair neste contos de Dubai e outras coisas. Eu estive envolvido na criação do ADI desde o início e sei o que passei e o que eu vi com os meus próprios olhos. Muita traição, ambição de poder e até humilhação. Não existe ADI nenhum existe Miguel Trovoada e Patrice Trovoa que têm um partido deles e os militantes são bonecos nas mãos deles que eles usam e deitam fora. Eu sei o que a casa gasta.

  29. img
    Deodoro castro Responder

    Sabiam quem agência este NAVIO?

    É a AGÊNCIA EQUADOR do Ministro da Administração Interna Senhor ARLINDO RAMOS.

    não há fumo sem fogo!

    • img
      Ponto Mais Alto da Subida Responder

      Afinal a agência é do ministro Arlindo Ramos? Sinceramente, eu estou estupefacto. Que país pode resistir tanta impunidade e irresponsabilidade? Não vamos a lado nenhum com estas pessoas. Podem crer naquilo que vos digo, meus irmãos. Isto atingiu o ponto mais alto da nossa subida. Quando cairmos duvido que haverá muitos sobreviventes. Todos os dias estes políticos conseguem surpreender-me.

  30. img
    Viva a Democracia Responder

    Kidalêoooooooooo. Este senhor merece um prémio por estas maravilhas que ele anda a escrever. Tiro o meu chapéu, sim senhor. O meu muito obrigado senhor Adelino Cardoso Cassandra

  31. img
    Indignado Responder

    Esse so pensa no ADI e no PT! Brinda nos com um retrato da gorvernacao do seu irmao na ilha do Principe. Estamos aguardando!

    • img
      Indignadíssima Responder

      O Cassandra é que pode com vocês. Ele aperta-vos o rabo até doer. É isto mesmo. Que raio de coisa é esta. Meu caro amigo dá-lhes bem, com toda a artilharia, para aprenderem. Esta gente tem cabeça dura para além de serem maus e porcos. Nós estamos entregues aos bichos numa selva. Estes nossos dirigentes não têm piedade nenhuma do povo. Subscrevo totalmente o seu artigo.

    • img
      Vencislau Responder

      Indignada, eu vivo aqui no Príncipe desde que nasci em 1959. Nunca sai da minha terra a não ser para ir para S.Tomé e voltar. Eu sei o que passei no tempo do senhor Damião Vaz de Almeida e do senhor Osório Umbelina. Tratavam-nos abaixo do cão. Conheço pessoas que foram presas por estes senhores. Havia miséria demais. Houve pessaoas que saiam de canoas para Gabão para fugir a esta miséria e morriam na altoi mar. Havia perseguições políticas. Não se podia falae sobre política. Agora a senhora vem me dizer que o Príncipe está pior. A senhora está a brincar comigo? Eu sei o que eu passei aqui e o que os meus familaires passaram no tempo do senhor Dmião Vaz de Almeida e do senhor Osório Umbelina. Vocês deveriam colocar uma estátua para o Tozé tendo em conta o trabalho dele aqui.
      Muito obrigado.

  32. img
    Teresa Responder

    Isto está bonito de se ver. Quem diria que o meu S.Tomé, após a promessa do Dubai continuaria assim. É só desilusão por cima de desilusão. Estes políticos nem merecem o solo em que nasceram.

  33. img
    Tristeza Responder

    Vamos acreditar que ele consegue fazer o Dubai para nós. Já temos chafarizes, casas de madeira com dois andares, estrada de Sãm Fenícia que mais parece um caminho de mato. Só nos falta pouca coisa para Dubai.

  34. img
    Alberto Castro Responder

    A festa está a começar .
    Afinal o Ministro da Justiça e Direitos desumanos está cheio de problemas,segundo a auditoria de Tribunal de Contas.
    GESTÃO DANOSA durante o mandato co Procurador Geral.
    Mer…..muito.

  35. img
    Aníbal Responder

    O Dubai ainda não foi erguido porque todo o material e equipamentos necessários para tal, afundou com o navio THUNDER. Temos de esperar novas encomendas.

Deixe um comentario

*