Do cu dos pedófilos

Não sei por que raio de motivo a minha avó recorria sempre a um palavreado bastante romântico para me explicar como introduzir uma linha no buraco da agulha. A sábia velhota dizia: “filho, lambe, chupa e enfia, volta a lamber, a chupar e a enfiar  e, se necessário, lambe uma terceira vez e volta a enfiar com jeitinho. Mas chupa antes”. No que concerne ao enfiar com jeitinho, ela não me dava novidade nenhuma. Qualquer pessoa habituada a remendar a breguilha das calças enfia a linha com jeitinho.

Proponho que, inspirando-se neste complexo método da minha avó, as autoridades são-tomeses adoptem um novo tratamento médico para os pedófilos e os homens que matam as mulheres por causa de ciúmes. Ou por amor(?). A solução consiste em abrir-lhes o cu e enfiar pelo orifício adentro a noção da vida e o valor das crianças e mulheres em sociedade. Isso mesmo, abrir-lhes o cu e enfiar. Lá para fundo. Ponto. Não dói nada. Quer dizer, deve doer um bocadinho. Mas só um bocadinho.

Nós, homens, temos perdido pontos. Nãos nos espantemos quando as mulheres começarem a se casar com os cães. Ou com os gatos. O leitor já pensou no porquê de muitas mulheres dizerem no Facebook “ando à procura de um gato preto” ou “quero um cão fofinho”? Pois. Da minha parte, não opor-me-ei se uma mulher pretender namorar o meu cão – Bobinix. A minha resposta será: “oh querida, siga que, pelo andar da carruagem, estarás melhor servida”.

Convém já não se ficar indiferente à ternura que os animais podem provocar nas mulheres são-tomenses. Há uma explicação científica. É que os políticos são-tomenses introduziram uma prática amorosa peculiar – a político-filia. Ou seja, adoptam sexualmente as adolescentes das escolas secundárias e fazem delas as donzelas da segunda linha. De vez em quando, da primeira. É uma versão infantil do fenómeno “a segunda mulher é que manda”.

Diabo, porque tinha de ser o meu cantor preferido, Camilo Domingos a prever esse distúrbio sexual num dos seus inesquecíveis albuns? Bem, o certo é que as crianças são-tomenses estão debaixo de um fogo cruzado. De um lado, os políticos sexualmente desequilibrados e, de outro, os pedófilos anónimos incuráveis. Isto é muito azar, caramba! Isto é uma fraude contra as crianças.

Toda esta fraude tinha um código secreto: 393! Calma, não se trata de feitiçaria. 393º é o artigo do antigo Código Penal são-tomense que proibiu, durante décadas, sexo apenas com menores de 12 anos. A partir dos 13, tínhamos donzela da escola secundária. Os 55 deputados mais os outros sex symbol políticos da praça conheciam este esquema. Não é verdade, sotôr Hilário Garrido? O leitor tem de ler o artigo do sotôr Garrido, intitulado “Pedofilia”. É elucidativo.

Ludmilo S. Rosa

18 de Maio de 2014

 

Notícias relacionadas

  1. img
    comentador Responder

    Isto não é linguagem decente que se use num texto para criticar este fenómeno.

  2. img
    Seabra Responder

    Caro senhor,o seu texto tem palavras muito “carregadas”,digo duras . Embora eu tenha compreendido a sua intenção, assim como a sua boa mensagem,sobre o assunto que abordou.
    Até porque, o seu artigo choca tal como o assunto em questão”pedofilia”, choca “buè”…daí,a sua linguagem dura. Afinal, o raiva cura-se com a raiva (vacina).
    Quanto aos homens políticos que vao à procura de jovensinhas da escola secundaria, para fazerem “boquitas” ou esposas, é óbvio que Sao perversos,por um lado,mas por Outro lado, essas “kandengas” São viciadas e sabichonas, mas São mais fáceis de manipular,visto à idade, falta de experiência e sobretudo,faltas de instrução e de educação.
    Há o exemplo desta conduta da parte do vosso ex.p.m. Gabriel da Costa, que casou-se com uma dessas jovens…ora que ele mesmo vivia com uma mulher em França,mais de 10anos, tomou a tal pequena fez-lhe esposa sem romper ou pelo menos prevenir à outra, que soube do sucedido,informada pelos terceiros.
    Os homens politicos de STP, não São sérios,nem dignos de confiança,
    infelizmente!!!

  3. img
    João do Rosário Responder

    “A solução consiste em abrir-lhes o cu e enfiar pelo orifício adentro a noção da vida e o valor das crianças e mulheres em sociedade. Isso mesmo, abrir-lhes o cu e enfiar. Lá para fundo. Ponto. Não dói nada. Quer dizer, deve doer um bocadinho. Mas só um bocadinho.”
    Para os que se sentem melindrados,ofendidos com um simples “cu” ,talvez prefeririam anus,orifício retal,mas a indignação incomensurável,a grande revolta que causa esse tipo de práticas em pessoas equilibradas este não seria de ser considerado um palvrão ou falta de postura.Preconceituosos há muitos e muitos são os que demonstram ser “santos”,que só sabem conviver com as boas maneiras são os piores.Os ensinamentos da avó em como enfiar a linha estabelecendo conexão com o enfiar no “cu” adentro terá muito a ver com punições severas que devem recair sobre os infratores,os criminosos deste calibre.Eu atrevo-me a dizer que se lixe os direitos humanos,para casos que envolvam crimes brutais como é o caso de pedofilia e em muitos casos seguido de morte ,aqui sou a favor de castração química e pena de morte.Só apelam ou referem aos direitos humanos quando crimes hediondos,bárbaros não envolvem os da sua família.Os pedófilos são como dependentes químicos,muitos são internados para a desintoxicação mas dificilmente deixam do vício. O pedófilo não fica por um único crime…Todo o homem tem um pouco de louco mas o que tem que prevalecer é o bom senso e ser equilibrado.
    Caro Ludmilo S,Rosa,o seu a vontade,o seu jeito muito peculiar,livre,irônico e não só ,em abordar os mais diversos temas
    faz de si um digno opinador,apreciado por muitos e mal entendido por outros.Olha ,ignorando as forças de bloqueio continue fiel a sua maneira de dizer as coisas,prefira ficar com os seus “defeitos”
    que as pessoas dizem que você tem,do que fingir ser alguém que vc não é.Bem haja.Gostei

  4. img
    Jose Rocha Responder

    O Milo escreve sobre pedofilia, catorzinha, casamento com caes e gatos, e para quando nos ira brindar com artigo que ilustre o seu pensamento sobre a Homossexualidade? tem medo e?

    Os Homossexuais sao poderosos e temidos e por isso nem uma palavra de Ludmilo S. Rosa. Dos outros pode-se falar a vontade porque so esses sao maus mas inofensivos, dos homossexuais nao se pode dizer sequer uma palavra.

    • img
      João Rodrigues Serôdio Responder

      Sr.José Rocha,o Senhor demonstra ser homofóbico.Desde quando a orientação sexual,seja de quem for,lhe leva a afirmar,que são gente poderosa e temida.Será que este artigo,de algum modo,mexe com a sua consciência?Vai-me desculpar mas,confundir homossexualidade com, pedofilia,catorzinhas,etc.,é de bradar aos céus.Diz o Senhor,que dos outros pode-se falar,porque só esses sao maus,mas inofensivos.Em que mundo o Senhor vive?Quem viola sistematicamente crianças,ou toma catorzinhas como suas concubinas ou objectos sexuais,obviamente são maus,agora serem inofensivos,é não ter noção,do mal físico e psicológico que é infringido para o resto da vida destas crianças.O facto de alguém ser homossexual,não é sinónimo de depravação ou atitudes desviantes,ou de pessoas poderosas ou temidas.Tenho amigos homossexuais,pessoas competentes nas suas profissões,cidadãos de pleno direito,e dos quais nunca tive dúvidas ou preconceito em os receber em minha casa,em são convívio com os meus filhos e restante familia.Se quer melhor exemplo,veja o caso do Luxemburgo,cujo 1ºMinistro é homossexual assumido.Será que foi eleito por ser um homossexual poderoso e temido?Somos todos diferentes,mas somos todos iguais,só assim podemos combater preconceitos.

      • img
        Jose Rocha Responder

        Caro João Rodrigues Serôdio tolerarei um verdadeiro homossexual mas nunca o falso. Para mim um falso homossexual e equiparavel a um pedofilo em termos perigosidade para a sociedade.
        Fie-se na sua e deixe-se acomodar na casa de um homossexual porque o senhor sabe-se defender. Peco-lhe apenas que nunca se fie deixando o seu filho/a a guarda de um/a falso/a homossexual.

        O grande problema e que nem se consegue diferenciar o verdadeiro homossexual do falso.

  5. img
    Nuno S. Rosa Responder

    Caro Senhores,

    Li e com muita atenção a mensagem de Luimilo S.Rosa, Não só li , como também percebi a mensagem que ele quis passar ao utilizar certos termos que causam estranheza a certas pessoas.Devem é perceber o sentido da mensagem e não os termos,bons alunos são aqueles que fazem interpretações de acordo ao texto, e não, ao termo. Bem haja a liberdade de expressão.

  6. img
    Eusebio Neto Responder

    Exmo Senhor Ludmilo S. Rosa

    Todos devemos aplaudir e defender com garras e punhos a liberdade de imprensa e de expressão em vigor no nosso “pequeno” pais. Isto pressupõe que cada um de nos individualmente e todos nos colectivamente temos de ser e parecer pessoas responsáveis e dignas dessa liberdade, particularmente, de expressão. Ou seja, não podemos, com expressões tao levianas como as que o senhor, infelizmente usou, defraudar o respeito que os leitores merecem quando lhes dirigimos. Va com calma e confronte a agressividade do seu texto com a dos pedófilos. Nenhum parece merecer nossos aplausos. Coitadinha da sua avo (que Deus a tenha se e que já não morra neste planeta) deve estar horrorizada e morta de vergonha pela como forma tao obscena como o seu querido (?) neto interpretou/uso as suas orientações. Acredita que os seus exemplos foram um estrondoso desastre e próprios de uma mente incapaz de pensar normalmente. Outra das suas violências verbais foi o facto de colocar nos pensamentos e bocas de todas mulheres aquilo que, talvez, seja a pratica e ideias das mulheres que o rodeiam a quem apresento previamente as minhas mais puras desculpas pois, como diz o sábio povo santomense,PLOVIA MA MINA MANDA A LUMIA FAMILIA. Ninguem deve ficar inerte perante os crimes de pedofilia e domésticos que tem acontecido no nosso pais mas, não sera com linguagens (sem ideias) como a sua que derrotamos esses desumanos! Afinal, somos (sr também?) diferentes daqueles selvagens pelo que temos e que nos organizarmos para os enfrentar e derrotar dentro do rigoroso cumprimento das imposições legais aplicáveis: justiça mais dura mas sem violar os direitos humanos, a educação para a cidadania e o respeito pelos DH, exibir os rostos dos agressores nos meios de comunicação, institucionalização de estruturas especializada na prevenção e combate a esses tipos de fenômenos, com a participação da sociedade civil, nomeadamente a igreja, ONG’s, lideres de opinião, sensibilização e apoios para a criação de movimentos populares nacional, distritais e de luchans especializadas em identificação e apoio a famílias vulneráveis, etc.
    Afinal, se não sabe, já estamos no seculo XXI e os desafios que a sociedade nos impõem já não podem ser resolvidos com comportamentos tao rústicos que o senhor ainda teimam em aplicar.

    Para terminar desafio-o a pedir desculpas publicas as mulheres em geral e santomenses em particular pela forma tao estupida e desrespeitosas como as tratou. Quanto ao seu cão seria melhor que tivesse mais atenção com ele porque em vez dele vir a ter a sorte que o senhor lhe deseja, poderá ter (não desejo) ter o azar de cair nas gracas de cidadãos asiáticos que não faltam no nosso pais.

    Lutar contra pedofilia e violência domestica e uma exigência nacional.

    Justiça as vitimas da pedofilia e paz a mae e suas filhas assassinadas na Trindade.

    Bom resto do ano a todos.
    Eusébio Neto

  7. img
    Quidide Responder

    O Sr. Ludmilo S. Rosa fez um retrato duro da nossa sociedade chamando os bois pelos “BOIS.”Inicialmente até achei-o obsceno, mas continuando a ler seu artigo percebi que o Sr. apenas pretende alertar-nos para um flagelo que nos assola infelizmente. Então o repugnante caso do cidadão francês alegadamente seropositivo que sendo expulso de Cabo-verde por prática de pedofilia é acolhido por STP como se nada fosse continuando a praticar as suas maldades com as nossas crianças, como pediatra eu levo as mãos a cabeça! Isso está de mal a pior. Mas quem pode colocar um travão nisso? Pois é urgente agirmos para o bem da sociedade que está a degradar-se exponencialmente.

  8. img
    Nuno Prazeres Responder

    Meus caros amigos e compatriotas, oram vejam,o Ludimilo, que é um jovem que conheço por acaso muito bem, sempre foi um jovem ao contrario de muitos, que sempre expôs as suas ideias, sem medo, sempre foi um jovem santomense preocupado, ainda que muito pequeno, com a sua pátria, sempre soube diferenciar, então no meu entender, percebo que o autor quis dizer com este pequeno texto que devemos acelerar a nossa justiça, a fazer-mos qualquer coisa que estiver nos nossos alcances claro sem ferir a lei dos direitos humanos, e mesmo que tiver-mos que ferir para por o cobro de uma vez por todas estes males que tendem a assolar a nossa pequena pátria.

  9. img
    AFRICA Responder

    Caro Milo
    As suas cronicas têm sido verdadeiramente um “stand up comedy” e agradeço por isso. Apesar de abordar um tema muito importante como a pedofilia, a linguagem ” grosseira ” utilizada desvaloriza o texto.
    Aceite muito respeitosamente esta crítica construtiva e continue a brindar-nos com as tuas cronicas originais que sacode as amarras de uma sociedade obsoleta.
    Africa

  10. img
    Joâo Rodrigues Serôdio Responder

    Para se chamar a atenção,que a todos deve preocupar,por vezes é preciso dizer de forma nua e crua,o que muitos pensam mas têm medo de dizer em voz alta.Contudo,não creio,que o Autor deste artigo,seja apologista na forma de tratamento a dar,a este tipo de gente.Este artigo,é duro e preciso no alvo a atingir,quer nos políticos,quer a quem deve aplicar a justiça.Políticos que se comportam como autênticos predadores sexuais,como Juízes,que em artigos de opinião,defendem uma coisa,mas em sede de julgamento,aplicam precisamente o contrário.O caso do “francês”,é esclarecedor.O Superior Interesse das Crianças,das Nossas Crianças, para estes senhores,isso agora não interessa nada,porque são as filhas e os filhos dos outros,pobres e ignorantes.De vez enquando,é preciso despertar consciências,e chamar os bois pelo nome.

  11. img
    Maria silva Responder

    Aprecio a meneira como o Senhor Ludmilo S Rosa relata ( ou nara ) a nossa triste realidade, relativamente ao texto em questao de em vez quando temos mesmo que abrir o VERBO falar as coisas como elas sao!
    Espero que esta menssagem chegue aos ouvidos de fazedores da LEI, e que a lei seja forte e pesada para estes criminosos.
    Em relaçao ao Senhor Ludmido um muito obrigado por estar sempre a nos brindar com estes artigos maravilhosos.

  12. img
    Jose Rocha Responder

    Caro João Rodrigues Serôdio tolerarei um verdadeiro homossexual mas nunca o falso. Para mim um falso homossexual e equiparavel a um pedofilo em termos perigosidade para a sociedade.
    Fie-se na sua e deixe-se acomodar na casa de um homossexual porque o senhor sabe-se defender. Peco-lhe apenas que nunca se fie deixando o seu filho/a a guardar de um/a falso/a homossexual.

    O problema e que nem se consegue diferenciar o verdadeiro homossexual do falso.

Deixe um comentario

*