O Estado Confessional

A capacidade dos protagonistas políticos da nossa Terra em surpreender-nos é fantástica. Quando menos se espera aparecem, todos os dias, sinais de autêntico desnorte e inaptidão que contribuem para a degradação das instituições da república e amplificam os sintomas de pequenez, irrelevância e anarquia associado ao nosso país.

Acabei de tomar conhecimento, através do jornal Transparência, que a Igreja Universal do Reino de Deus inaugurou a sua sede central, na cidade de S.Tomé, no domingo passado, e que o ato em causa foi protocolarmente “presidido ao mais alto nível” pelo senhor presidente da república, Evaristo de Carvalho, na presença de representantes da referida Igreja vindos de muitos países africanos bem como de pastores, bispos e milhares de fiéis.

Segundo, ainda, o referido jornal, durante a atividade inaugural, o chefe de Estado, que presidia o ato em causa, usou da palavra e agradeceu aos responsáveis da Igreja pelo convite formulado para a referida atividade, manifestando a sua disponibilidade em promover a igualdade de tratamento entre as religiões existentes em S.Tomé e Príncipe.

A cerimónia em causa terminou com uma oração feita pela voz do Bispo, segundo o referido jornal, dirigida ao Presidente da República.

Só posso entender este comportamento do senhor presidente da república associando-o ao facto do mesmo não ter nada que fazer no palácio presidencial e ter que aceitar estes embaraços, para entreter e alegrar o povo, como eu prognosticara logo após a sua eleição.

Ninguém, de facto, compreende, que estando o país a arder todos os dias com acusações e críticas, por parte dos partidos da oposição, dos sindicatos e da própria sociedade civil, ao governo e ao senhor primeiro-ministro em particular, sobre o rumo que o país está a tomar em diversos domínios, o senhor presidente da república comporta-se, no entanto, como os três macaquinhos sábios que não querem ver, ouvir nem falar sobre o assunto em causa.

Todavia, o mesmo presidente da república que não quer ver, ouvir nem falar sobre o país, para o qual foi eleito, disponibiliza-se para presidir a inauguração da sede central de uma Igreja comportando-se como um novo Henrique VIII.

Estamos, a partir de agora, informalmente, diante de um Estado Confessional. É o Evaristo de Carvalho, presidente da república, eleito pelo povo, que: preside a inauguração da sede central da Igreja Universal de Reino de Deus; reza, junto com os crentes, em nome do povo; agradece, protocolarmente, o convite, para um ato de Estado tão digno; expressa a sua alegria pelo convite tão prestigiante e, por fim, é abençoado pelo Bispo da referida Igreja para que as suas funções sejam exercidas num contexto de paz, e harmonia entre todo o povo de S.Tomé e Príncipe, sob desígnios do expoente máximo da referida Igreja.

Eu sou católico praticante e não tenho nada contra a Igreja Universal de Reino de Deus, muito pelo contrário. Todavia, como cidadão, não posso aceitar que o princípio de laicidade ou da não confessionalidade do Estado possa permitir que um presidente da república, eleito pelo povo, se possa submeter a este espartilho confessional, que descaracteriza completamente as suas funções, comprometendo, eventualmente, a isenção e o direito de reserva dos titulares de cargos públicos numa matéria tão sensível.

Ao presidir o referido ato de inauguração da sede da Igreja Universal de Reino de Deus, com todo o ritual protocolar do Estado e confessional que o caracterizou, Evaristo de Carvalho comportou-se como um chefe da Igreja Universal de Reino de Deus ofendendo, desta forma, todos os crentes de outras religiões do país, transformando o Estado Santomense, informal e episodicamente, num Estado Confessional. A partir de agora sabemos que há uma Igreja no país que tem privilégios especiais na sua relação com o Estado e que nem todos somos iguais em termos de igualdade confessional.

O senhor presidente da república tem o direito, como qualquer outro cidadão, de professar em público as suas crenças religiosas mas, não pode usar o seu mandato popular, para criar condições de autêntico privilégio de uma confissão religiosa sobre todas as outras, até pelo facto das próprias comunidades religiosas terem, também, um dever simétrico de reserva que as impede de intervir em atos ou acontecimentos políticos. Eu aceito e compreendo que o senhor presidente da república professe a sua crença, mas, deve fazê-lo, sempre, numa condição de neutralidade estatal manifestando alguma indiferença em termos de valoração ou de facto religioso, coisa, que, tendo em conta os factos narrados, não me parece que tenha acontecido neste processo. Um dos valores do laicismo é exatamente a igualdade dos cidadãos em matéria religiosa.

É óbvio que, por exemplo, a Igreja Católica, em acontecimentos similares, não iria convidar o senhor Presidente da República para presidir uma cerimónia de inauguração da sua sede ou coisa parecida, com toda a carga protocolar e confessional que se constatou naquela cerimónia, porque está inscrito no seu cânone e modus faciendi, entre outras coisas, o respeito pela liberdade daqueles que professam outras religiões bem como o principio fundamental da separação entre o Estado e as Igrejas. Não o podendo fazer, neste âmbito, ficará sempre em situação de desvantagem em relação às outras confissões religiosas, como, a Igreja Universal de Reino de Deus, por exemplo, que tem no nosso presidente da república o seu maior divulgador e mobilizador de vontades.

Com tantos problemas que o país tem para resolver o senhor presidente da república resolveu ocupar-se, de forma incompreensível, daquele que seria menos conveniente que o fizesse. Quem representa a república e garante a unidade da nação? Isto é, de facto, uma forma criativa de destruir um país.

Adelino Cardoso Cassandra

Notícias relacionadas

  1. img
    Soares Responder

    Fiquei surpreso quando li esta notícia. Como é que um presidente vai inaugurar uma igreja sabendo que ele é presidente de todo o povo independentemente da religião que cada um tem. Na minha humilde opinião acho que um presidente deve ficar longe destas coisas para demonstrar imparcialidade e isenção. Mas o país virou bobo e estas coisas estão cada vez mais a acontecer e as pessoas ficam confusas. Qualquer dia a religião começa também a dividir-nos como a política já está a fazer. É triste mas é verdade.

  2. img
    Loló Responder

    Fantástico senhor Adelino Cardoso. Meus parabens.

  3. img
    ZEMÉ SÓ Responder

    Obrigado mais uma vez pela reflexão

    próximo convite será Igreja Mohamed al habi Trovoada (Islão)

    Fui

  4. img
    Protestante Praticante Responder

    Se Sua Excelência senhor Presidente faz parte da igreja universal de REINO DE DEUS ele pode e deve frequentar esta igreja como qualquer crente. Eu só não percebo porquê que ele tem que inaugurar a Igreja como presidente da república. Isto é falta de consideração e respeito para com os crentes de outras igrejas. Ele pode ir para a missa nesta igreja, rezar e até conviver com outros fiéis mas na minha opinião fica mal um presidente de um país ir inaugurar uma igreja com pompa e circunstância como se tratasse de um acto de estado. Só cá em S.Tomé é que estas coisas acontecem.

  5. img
    Trindadense Responder

    O país bateu no fundo. Nunca vi o país numa situação tão lastimável. Estamos num buraco tão grande que para sair de lá torna-se muito difícil para não dizer impossível. Eu sei que muita gente não acredita nisso mas irão ver o que vai acontecer no futuro. Se os dirigentes mais destacados do país têm comportamentos tão miseráveis o quê que esperam do povo. É só merdas com certeza.

    • img
      Realidade Responder

      Os ditos intelectuais foram corrompidos com o dinheiro e agora è a vez dos burros governar.

      • img
        Treta Responder

        Concordo consigo. Estamos no meio de intelectuais corrompidos e de burros no governo. Qual deles é melhor é que eu não sei. O pior é que muita pouca gente já se apercebeu disto. Estamos f…… Só Deus é que nos pode ajudar.

  6. img
    Realidade Responder

    Sao tome e principe esta a caminhar para algum lado qualquer na qual nao faço a menor ideia, de uma coisa digo-vos com cuase toda a certeza que o meu paìs esta a tornar cada vez mais numa miseria, pobreza extrema. Para inverter esta situaçao pode demorar mais de 40 anos, isto tudo devido erros cometidos pelos derigentes espertos (politicos,directores quadro do estado)q ao longo de decadas andaram a dar cargos importantes a cidadaos sem competencia geral (cunhas politicas e familiares )e hoje eis as consequencias, fome corrupçao generalidade, todos de rabo preso uns com os outros e o resultado è posso ver e saber q estas a roubar eu nao consigo fazer nada pk tbem sou LADRAO..caso ENASA .. q miseria se tornaram os homens desta naçao. Por fim os tribunais… acho devemos dar formaçao a TODOS aqueles q entram naquele edificio (poderia ser chamado de faz de conta ou confuso ) sobre o papel deles a desempenhar na sociedade q deveria ser justiça mas eles so fazem asneiras pra nao dzer porcarias… levaram tantos anos a formar q esqueceram os objetivos do curso… normal mta materia…
    O futuro de Sao Tome e Principe sera brilhante quando houver advogados e juizes SERIOS… fzer de tdo pra prender os fora da lei.. basta um q a sociedade se endereita caso contrario meus senhores abismo e nao preocupa q os senhores tbem serao vitimas.

    Vamos todos repensar meus senhores

  7. img
    Maria Silva Responder

    Senhor Adelino Cardoso Cassandra não percebo o porquê de estar indignado ( sou fã das tuas crônicas/ das suas escritas ), todos nós já sabíamos de anti – mão das mediocridades , patetices, caso o tal senhora viesse a ser presidente de república, ou seja, simplesmente esta a se confirmar tudo o que já províamos !!
    E pior que o patrice trovoada, é este senhor chamado evaristo de carvalho que sabia e sabe perfeitamente que não tem condições académicas , etc….para esta função, mas ainda assim aceitou por má fé!!

  8. img
    Gulosa Responder

    PRESIDENTE sem principio nenhum. onde se viu uma coisa desta. País de brincadeira mas é. É muito triste.

  9. img
    Atento a Tudo Responder

    Evaristo de Carvalho deveria ir para Bispo desta Igreja em vez de presidente da república. Ele dava um melhor bispo do que presidente. Um presidente não tem que estar a inaugurar igrejas minha gente. Por amor de Deus. Que país é este afinal. Não é para isto que ele foi eleito. Os Bispos, Padres e Vigários é que inaugura igrejas. Se o Evaristo de Carvalho que ser Bispo e Presidente ao mesmo tempo ele tem que decidir o que é que ele tem mais jeito.
    Bem haja a todos.

  10. img
    Tó Chiguandidi Responder

    Absolutamente ridículo a presença do presidente nesse acto. Só mesmo em São Tomé.

  11. img
    malebobo Responder

    senhor Adelino Cassandra agradecemos imenso pela tua obra de reflexão, meus parabéns, contamos consigo sempre a nos brindar com coisas maravilhosas

  12. img
    Fernando Ceita Responder

    Meus Parabens!

  13. img
    explicar sem complicar Responder

    EVARISTO CARVALHO foi só “Mostrar Cara” e “Cortar fita só”.
    É a única coisa que sabe fazer, por isto ele foi imposto por Patrice Trovoada, com objectivo apenas de :
    MOSTRAR CARA.

    Enquanto Patrice Trovoada vai viajando, Evaristo Carvalho vai MOSTRANDO A CARA.

  14. img
    Estou Triste Responder

    Esse senhor só vê mal nos outros o seu irmão To Ze Cassandra não larga o poder na ilha do Príncipe? As porcaria que ele tem feito porquê que o senhor não escreve? Corrupção e outras coisas! Aonde é que já se viu tó Zé mandou a,sua irmã fatita e benita fazer comida para 17 janeiro pagando as rios de dinheiro! Corrupção na secretaria dos assuntos sócias dinheiro arecado para as pessoas que sofreram com a cheia está a ser comido de forma vergonhosa! Estou farto da Tó Zé e sua equipa. Tenho uma critica a fazer ao meu primeiro ministro, pensei que senhor podesse pôr esse To Zé na ordem mais nada. Viva Nestor quero Nestor Presidente…

  15. img
    Rodrigo cardoso cassandra Responder

    Caro senhor Estou Triste muito bom dia.
    Eu relativamente a sua nota só quero apenas o chamar atenção para dois aspetos.
    1-A comissão de festas tanta quanto sei abriu um concurso para grupos vocacionados para realizar receções apresentarem propostas.
    2-A comissão recebeu duas propostas, sendo uma do Mira Rio e outra da Sociedade Fátima e Arzemiro Eventos.
    3-A segunda proposta alem de ser devidamente descriminada a proposta financeira ficou muito mas abaixo da proposta do Mira Rio.
    4-Por isso para seu conhecimento não se verificou qualquer beneficiação.

    Nota: Eu lamento algumas coisas que escrevem aqui a momentos para tudo mas é preciso dizer o que se sabe o que se conhece e o que se viu. Eu não quero que todos estejam de acordo com uma ou outra pessoa mas temos que ser mas razoáveis

    • img
      Arzemiro dos Prazeres Responder

      Só para clarificar e sossegar as mentes tresloucadas, O Arzemiro em questão naõ é o Arzemiro dos Prazeres.

      • img
        Santo Amaro Responder

        Bano fica sossegado. Toda a gente cá em s.tomé conhece o teu currículo nestas coisas. Kê kuá… você é ultima a pessoa a falar destes problemas. Fui

  16. img
    Original Responder

    Alguém só dá conta de recado se cresce por dentro independentemente da idade.O Evaristo foi um embuste do PT e não sabe o que é ser PR.Se continuar assim,o povo vai esquecer que temos um PR em função e ao passar em qualquer lado,é visto como um funcionário da Presidência enquanto o PT vai representando o mesmo.

    • img
      Anjo Responder

      Subscrevo a sua ideia. O Povo pode começar a interiorizar a ideia de que certas coisas que o Evaristo de Carvalho faz como presidente da república são coisas normais no modo de atuação de um presidente. E isto é muito mau para o futuro do nosso país. Qualquer dia teremos no futuro os próximos presidentes da república a irem inaugurar casas de curandeiros também porque isto é uma coisa normal que um presidente pode fazer. Há formas de estar que os presidentes devem por em prática para ir consolidando no tempo uma certa forma de atuação embora eu entenda que cada presidente deve ter o seu estilo próprio mas dentro da normalidade. No entanto eu não acho normal um presidente ir inaugurar igrejas com todo o protocolo de estado que é normal.

  17. img
    Carlos dergunto Costa Responder

    mas como então? Se o Patrice não lhe deixa fazer mais nada. Nem viagem lhe dá. Ele devia ir para funeral de Mario Soares e aproveitar para fazer alguns contactos não foi. Mas o Patrice já comeu varias bocas. Umas 3-4 ainda em Janeiro. Foi a Portugal, Rwanda, Gabão…

  18. img
    17 Janeiro Responder

    Senhor Adelino Cassandra, brinda-nos com qualquer coisa escrita sobre o seu Irmão Tó Zé que não sabe fazer outra coisa se nao ser Presidente do Governo Regional, eu que sempre votei para Tó Zé mais desta vez nem contem comigo… Escreva algo sobre a gestão danosa que a UMPP tem feito no Príncipe! Acha normal a Benita e a Fatita transformarem em cozinheiras do Governo Regional? Uma vergonha nunca esperei que a União pudesse transformar do propriedade privada do senhor Tó Zé e fomos nós que o que convidamos para ser Presidente da União! Viva outros filhos do Príncipe!!!!! Tó Zé Rua 3 mandatos já chega…

  19. img
    Fernado guê dos santos Responder

    Falta de conselheiros a altura de um Estado que se prese. Os assessores que lá estão são fraquíssimos.
    Assim vai a ADEIZAÇÃO do país.

  20. img
    Ribeira Forca Responder

    TÓ ZÉ, meu amigo fico muito triste saber que ainda vais candidatar para Presidente do Regional, eu sinceramente não vou votar mais para si. Tens que dar lugar a outro 3 mandato é muito. Deixa outra Pessoa ninguém é insubstituível sai vai descansar e vai fazer coisa na vida.

  21. img
    Costa Pedro Responder

    Parabéns meu primo Adelino Cassandra pelo brilhante artigo. Mas uma coisa que meu primo tem que saber, não podemos esperar melhor desta presidência. Vejamos só os assessores: Gége Amado vaz um deliquente nato, sujo, porco corrupto, burlador, falsificador de assinaturas. A assessora de imprensa uma jornalista fraquíssima e muito mais coisas que não aqui dizer…

  22. img
    Mandelax Responder

    O Estado é republicano, laico e a-confessional ; não se entendem estas manifestações do poder público, muito menos do Chefe de Estado. Falta de coerência e até violação da constituição.

  23. img
    Padre Zeca Responder

    Perdoai-lhes Senhor, que eles não sabem o que fazem

  24. img
    Guida Gostosa Responder

    Compatriota Adelino Cassandra,

    Que Deus lhe abençoe! Artigo de opinião 5 estrelas!
    O cargo de presidente da república deve ser exercido por alguém que por vontade e convicção próprias se predispõe a candidatar-se ao cargo e não por quem é imposto por vontade de outrem, para depois não saber o que anda a fazer no exercício do cargo, metendo os pés pelas mãos. É no que dá ser Páu Mandado!

  25. img
    Peneta Responder

    Com tantos assessores, diretores, chefes de gabinetes, consultores e outras porcarias o presidente da república faz uma asneira desta. Que país é este afinal? Andaram a criticar tanto o senhor Pinto da Costa e agora temos a pior porcaria que só nos dá vergonha. Eu imagino o que é que os embaixadores que estão em s.tomé a ver estas coisas vão pensar do país. Uma pouca vergonha. Tenham mas é juízo.

  26. img
    Ajudante de Padre Responder

    Tudo isto é consequência de poder absoluto no nosso país. Agora só temos de aguentar e chamar a Deus para que a situação passe rapidamente possível. Se isto continuar + 10 anos o país desaparece. Já não basta falta de moral e ética que existe na sociedade para juntarmos mais estas poucas vergonhas todas.

  27. img
    Gabriel Furlani Schultz (Rio de Janeiro - RJ) Responder

    Aqui no Brasil posso afirmar que tal preocupação não é só em STP. A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) é brasileira, assim como eu, e seu poder e ingerência nas questões políticas brasileiras é alvo de preocupação. As Igrejas da IURD no Brasil são verdadeiros Palácios. Seus maiores templos no Brasil comportam, cada um, entre 5 mil a 10 mil pessoas. A Igreja Universal detém hoje a Rede Record, que tem filial em Portugal, sendo a segunda maior rede de televisão brasileira, atrás somente da Rede Globo.

    A IURD é poderosíssima, uma das igrejas protestantes mais ricas do mundo. O Bispo Edir Macedo, fundador da Igreja, tem um patrimônio pessoal de 2 bilhões (mil milhões) de Reais (moeda local). É maior do que o Orçamento nacional anual de STP. Aqui no Brasil a Universal tem deputados e senadores no Congresso Nacional na capital Brasília e busca ditar parâmetros evangélicos no processo legislativo.

    Como maior exemplo de sua preocupação em adentrar nas fileiras políticas, ditando o rumo da governança, a cidade do Rio de Janeiro (2a maior cidade brasileira, com 6 milhões de habitantes) tem como prefeito eleito o Bispo da IURD e ex-Senador Marcelo Crivella, que passou a governar a cidade em Janeiro de 2017, o que a meu ver é um retrocesso.

    Por outro lado, a IURD como Igreja multimilionária que é, investe pesadamente em programas sociais, sobretudo para os fiéis mais pobres, e pode ajudar cidadãos são-tomenses nesse sentido. Portanto, irmãos são-tomenses, fiquem atento às práticas da Universal, pois aqui no Brasil é a mesma coisa.

    Abraços e um 2017 de paz e felicidade para nós.

Deixe um comentario

*