Opinião

Botandji Liscadu

Dizia  Ivo Teoriang que a prática da injustiça dissimulada pela impunidade, é tão nefasta que destrói aquele alento do fundo da alma, para o trabalho honesto, o exercício do bem, promovendo com isto a inspiração maléfica para a delinquência, a contravenção e a corrupção.  Com democracias relativas e corrupção quase que absoluta à semelhança dos resultados eleitorais, enfim, Bala zunindo por tudo que é canto, mísero e desgraçadamente vai comendo em todas os  lucháns – fogooo! Que idiossincracia das nossas comunidades..!  Mas o manto nas paredes esburacadas mostram o quanto a magia é antiga. Desavença aberta de brejeiros, sendo que um deles está a dezenas de centenas, cen-te-nas, de quilómetros, abarracado, trancado, mas com telefone –riem– e que funciona, por onde escreve,  sossegadamente, em paz e dá ordens.

Zudê, prestas atenção? Por acaso, ouviu os assobios das tropas do Exército que desfilavam com o “verde-moleque”,  só nas redondezas,  -naié mén- até que o General os mande ir descendo ver Quem vai ali na ladeira do Hospital?  E os comandantes? Rio-me. Há comandantes na Rés-pública? Só Coma-Andantes. Ou andantes em coma..! Vi Luvón Só, na praça de táxis. Já lá foram os tempos da palavra  Capitania era sinal de respeito..! Kikikiki..! Um Botandji Liscadu ousa dizer que está tudo pacificado enquanto a pobreza faz metástase nos bairros do “zé-povinho”, vizinhos da capital. Um outro escreve no perfil que vai pedir ajuda, enfurecendo um vassalo ministro que tranca o rosto porque quer um sapiciente mas infame ofício com envelope timbrado, sabe como é, né..! Ele é o tal Poder.

Para combinar, tudo isso em plenos dias, gente há, que no país tentava afrouxar com a Gala Miss 2017 que, em simultâneo, resolveu a pedido que se transformasse num documentário, intitulado Li Só. Combinado, êh sá pótdji..!  Surpreendente, a mania que esse país tem de gosto pelo programa Vi Tua Cara na TVS! Não é por menos que os internautas e alitas como o personagem Um Sá Pan Piá Bô estão crescendo e se multiplicando, graças aos mal-parados negócios. O país é palco só de piadas. Os maiores humoristas, estes muitos já estão no poder. E pretendem, parece-nos, tudo pressume ser, com certeza, continuar com suas piadas de Modu Kun Sá Cá Piá Bô… Vislumbrando da janela abaixo: Raiva, muita raiva..!

No entretanto, a comunicação social (com milionários contratos de Nguê Mún Ô) dos comparsas e compadres dando passos mais largos em direcção à penúria quase que criteriosa da Nação. E vai dando “bips”… Quer um exemplo? Vá aos principais sites (penavidanón.com, cuásámalimuntu.com e sumúnêpodanón.com) e veja quais são os factos mais lidos, às lufadas. Diz-se que é a situação económica, a falta de empregos, de  dinheiro, de medicamentos –inclusive básicos– nos postos de saúde, a indigência moral e ética, as mortes premeditadas daqueles poucos  previlegiados de tardias juntas médicas com diagnósticos (quase mais de 70% com cancro) nos hospitais portugueses, e nossas famigeradas estatísticas moribundas, sem estudos relevantes a este propósito, associada a mísera representação, onde tudo é quase desolador.

Não! Mas é. Acreditem.

Com a ajuda de uma díspara diáspora que diariamente abrem mais as pernas e a mente, fazem questão de dizer que têm paixão pela vida. Ora, se era pelo grande ou pequeno, resta-nos saber. Em contraste, se cortaram ou se deixaram, para não citar estórias de factos ainda mais cretinos, tudo virou teatro neste Bombom-de-Nós. Todo “Finguí”  cobiça ser poder, novo e “moderno” do que o outro. Mais avançado, mais arrojado, mais diplomático (depois verão porquê), mais “up-to-date”, tique milionário, com mais seguidores e coligações (só visto!) até com o inimigo, até no inferno. Infelizmente, Riboque hoje já não é  lugar de respeito. Compreendem? Porque Riboque, politicamente, sempre viveu uma vida de luta e batalhas prescindindo viver uma vida de mentiras cheias de trágicas alianças. Que insólito cenário…

Um estratega, um Regabofe, muito esperto, conhecido pela sua indiscutível ambição, que estudou(?), lá nas pomposas Universidades Sabe Onde & Tudo Sei, sujeito grande, sempre grande, como continuamente fez questão de ensombrar. Com diversas qualidades, e religiosamente incerto(?), sublinhe-se, de cortês à francesinho, aparece para se ultrajar e judiciar a censura, mexendo com todos os artistas irreconhecíveis da forma mais chula que vi nos últimos tempos. Com recados.  Até o pequenino “laba-ôvo” Zemé resolve declarar que a ditadura não foi “tão ruim assim”. Bem dito. Franqueza de espírito. Hoje, afinal de contas, acha que os tempos são muito mais dúbios e tenebrosos.

Bom ser como sou “zé-povinho”, e como sempre fui, vou arranjando paciência para escrever aos meus estimados leitores. Quero ver se outros vosmecês venham me dizer algo ou me chamar de pérfido, de bobinho ou de reacionário. Se reclamo do Governo Ano-de-Aranque, tenho sido chamado de vil opositor, e na lista de inimigos. Certo é que nunca pedi nem jamais aceitarei alianças nem coligações, por mérito próprio, e porque acho que tenho demasiado bichos de vergonha na cara. Vejam só..! Dizem tudo que me faz rir muito com meus botões em contraste com a presente história e estórias do quotidiano são-tomense.

Faz e sai, dizia Mé Fonó. E, sem surpresa respondia Loló Dedu: -Cuuuuumá..!?!

Querem saber? Estou farto de oportunistas que agarram os assuntos de Estado por egocentrismo próprio, para se promover, vagabudeando, sem diafaneidade, com má qualidade de resultados. Com o episódio do juiz  e da cura dos mundanos, procuram tratar da questão como se especialistas fossem, pegando o assunto aos dentes, a troco de um monte de tostões. No palco da noite de Stleva, estava o Cornélio com direito a flores e beijinhos. É tempo de despertar, pois cada vez mais rápido eles chegam e vão.

Porventura,  Mé Zaua e Sún Stlacá que há décadas revolucionavam, têm tiques de real, com qualidades e cultura, pois bem, são coisas raras. Não acham? É imperativo mostrar determinação e interesse quer interno ou externo acerca dos ditames sobre questões cruciais do Estado, por exemplo, os golpes de Estado,  dando visibilidade e celeridade às causas.

Mas à todas as causas.

As acções presentes determinam o futuro, não se esqueçam. Um acto de particular urbanidade deve ser dada aos jovens na guarida, que influenciados por ímpetos insanos andaram de louvores, fazendo significativas modificações mentais,  e estão por aí arrependidos. Ou doentes por descontrolada oxitocina, ou por se terem estado na pinheira dos seus mandantes com riscos malfeitos e toxicados psiquicamente. Ou… mais não digo..!

O que é importante não é a graça que tudo isso traz. A piada nem sempre se limita a experiências pessoais de famosos, celebridades e magna celebridades. Precisamos consagrar os nossos interesses, posteriormente, concordam? Pois, a grandeza vem quando somos realmente testado, quando sofremos alguns golpes, algumas decepções, quando a tristeza chega. Porque se apenas   estivermos nos mais profundos vales, poderemos um dia saber o quão magnífico é se estar no topo da mais alta montanha. É compreensível que há pessoas que merecem  serem ignoradas, que deveríamos cobrar por todo desprezo que lhes damos.

Dá-me sempre muita vontade de rir.

Caros leitores, há um silêncio. Aproveito para ligar ao meu antigo Presidente da República Dr. Manuel Pinto da Costa. Pi…pi….pi…pi.. Ele não atende..! E, porque não? Vou tentar o meu antigo Presidente da República Sr. Fradique Melo de Menezes. Pi…pi…pi…pi.. Também não atende. Que chatice, aonde andam? Preocupo-me, com as notícias dos meus “mais velhos”. Os meus antigos Chefe de Estado – dignos são-tomenses. Por esta razão, e porque sou as minhas frases, as minhas letras, os meus sentimentos e as minhas ideias, há em mim o imperativo de dar-lhes um “bip”, para lhes saudar, antes que seja tarde demais.

Merecem, não acham? Pena que a maioria dos seus inimigos não consigam enxergar o próprio umbigo. Hoje, sinto dó de quem lhes critica, porque a inveja é sempre mais dolorosa para quem a pratica!

Do ut facias..!

Júlio Neto

17.10.2017

    14 comentários

14 comentários

  1. WXYZ

    22 de Outubro de 2017 as 17:46

    Oh meu caro professor! Tendo em conta o estado em que o pais se encontra urgia dar um pontape de saida fosse de que lado fosse. E inquestionavel de que a vitoria dessa maioria liderada pela tao por si odiada figura nao se deveu apenas aos seus proprios esforcos, senao, tambem ao descontentamento que muita gente tinha dentro daquele que foi um verdadeiro marrasmo em que nos iamos mergulhando cada vez e cada vez mais. “As acções presentes determinam o futuro, não se esqueçam”. Gostei imenso dessa sua citacao. Pra dizer que o texto por si transcrito serve tanto pra epoca outra como a corrente. E um texto que merece ser preservado. Depois de ler o texto chego a conclusao que ninguem e mais Santomense do que outro apesar de ser sido usada nomes supostamente tradicionais da nossa vossa que e de todos nos querida terra. Quem diria que o programa “Anda Pligu” pudesse vir a ser assim tao popular perante essa figura? Enfim…

  2. Toussaint L'Ouverture

    22 de Outubro de 2017 as 20:49

    WXYZ,
    Os nomes usados no artigo não são ”supostamente tradicionais.” São tradicionais. São nomes crioulos são-tomenses.
    E São Tomé e Príncipe não é uma terra que é”vossa, nossa que é de todos.” São Tomé e Príncipe pertence aos são-tomenses.

  3. Vicente

    22 de Outubro de 2017 as 21:03

    Os meus sinceros parabéns Sr Julio Neto. Grande texto à Santomense, porque quém não o é não entenderá nada.
    Como dizia o meu Avô. A ca côlê tlachi sombla, ba da cala pê oca.

  4. WXYZ

    22 de Outubro de 2017 as 21:48

    Antes de responder gostaria que o Sr. Toussaint L’Ouverture chegasse ali ao chamado “Jardim de Pensamento” (assim como quem nao quer nada), por pelo menos 20 a 30 minutos e parasse ali vendo e abservando pr os rostos, feitios, comportamentos, etc… das pessoas, homens, mulheres, pretos, brancos, mulatos, etc… E depois defina. E pra si quem sao os Santomenses? Como definir um Santomense baseando num criterio de bom senso? O Sr. se lembra do famoso video em que o Dr. Carlos Tiny quis himilhar o Sr. Patrice questionando a sua nacionalidade e ate mesmo a sua natividade e o seu patriotismo. E hoje quem esta no ridiculo?

  5. Toussaint L'Ouverture

    23 de Outubro de 2017 as 8:57

    WXYW, fému favôlô na fla von von, fa. Sun na sa mina santomé fá, sun sá xtrangêro. Antê ségu ka bê kuma sun sa xtrangêro. Xi sum mêsê flá di kwa San Tomé, sun ka pô flá. Magi sun na ka bi fla kuma San Tomé non, sá tela di tudu nguê fá. Kada tela tê dónu dê. Isé sá uã ”critério de bom senso para saber quem é são-tomense.”

    • WXYZ

      23 de Outubro de 2017 as 16:22

      Na ssa punda boo sebee subli po kw’ ami na sebee fa manda ee bo shka fe poco muo

      • Toussaint L'Ouverture

        24 de Outubro de 2017 as 15:16

        Mundu bilá, kasô kumé kola. Santomé non ska bilá mirandês…

  6. MIGBAI

    23 de Outubro de 2017 as 13:57

    Toussaint L’Ouverture
    És um hipócrita, nojento, racista. Borra e excumalha como tu, não deveriam sair de cima das palmeiras, devias ali permanecer até te caírem os dentes para deixares de morder e não infetares quem te rodeia.
    Fazes parte daquela gente mais inútil a São Tomé e Príncipe.

  7. Toussaint L'Ouverture

    23 de Outubro de 2017 as 19:03

    À Atenção de WXYZ:
    Acarinhamos e queremos cá todos os cidadãos estrangeiros que escolheram viver em São Tomé e Príncipe, que aqui trabalham e contribuem para o progresso do país, respeitando o seu povo e a sua cultura.Não é a comunidade do Jardim do Pensamento que define quem é e quem não é são-tomense. Essa classificação, aqui como em outras partes do mundo, é estabelecida pela Constituição da República, a lei fundamental da República Democrática de São Tomé e Príncipe.

    • WXYZ

      23 de Outubro de 2017 as 23:15

      Okay. Ja vejo um pouco de lucidez por sua parte. Tentando um pouco convergir ao meu ponto. Mas, face a tua citacao – “Acarinhamos e queremos cá todos os cidadãos estrangeiros que escolheram viver em São Tomé e Príncipe, que…” – Gostaria de acrescentar que nao so acarinhamos e queremos mas tambem atribuimos lhes a nacionalidade Santomense, admitindo lhes no nosso seio como cidadaos nacionais gozando dos mesmos direitos e deveres. Trata se de um acto sublime e deveras honoroso pra qq criatura divina.

  8. Paulo Miguel

    23 de Outubro de 2017 as 21:18

    Excelente artigo. Mais uma narrativa forte para todos aqueles que duvidam que o país vai mal. Não há dúvidas que o senhor Julio Neto, prova mais uma vez, o seu interesse por um STP melhor, com a sua modesta forma de ver e escrever sobre o país e o seu povo. Ele é mesmo um santomense que se preocupa com o seus irmãos. Não vejo nele nem ódio nem coisa de género como outros querem aqui dizer. Ele apenas diz a verdade. E a verdade dói, e é amarga. Nós precisamos de políticos fortes e responsáveis. Pessoas que dão visibildades à todas as causas. Seja sempre assim e ajuda-nos a vencer todas as maldades que entrou neste nosso STP. Obrigado

    • Democracia

      24 de Outubro de 2017 as 9:27

      Caro Paulo Miguel! Ao contrário do Senhor Patrice Trovoada, elucida-me, dizendo quais são os políticos fortes e responsáveis para dirigir o destino do nosso país?

  9. Guadalupe

    24 de Outubro de 2017 as 17:57

    Já que a conversa é pública, eu lhe respondo sr democracia:
    Estariam em condições de dirigir os vossos destinos quaisquer de vós que: A prior não vos separasse, que fosse mais onesto com os mais desfavorecidos, que não tivesse uma política de separar-vos por conveniencia partidária, que banisse entre vós a corrupção, as fraudes, eleitorais, que não violasse a própria Constituição da República, que priorizasse o mais importante e sucessivamente por ordem decrescente, que respeitasse os poderes constitucionalmente estabelecidos, que respeitasse a todos vós, que encarrasse com responsábilidade todo o processo governamental e soubesse renposabilizar todos voces, em fim… Infelizmente, este que sitaste está muito além dessas exigências.
    Procura outro mano, este não serve e já dava provas disto antes de ser.

    • Democracia

      25 de Outubro de 2017 as 17:20

      Senhor Guadalupe! Infelizmente não foste capaz de responder a minha questão. Gostaria que o Mano, me dissesse, quais são estes políticos sérios e responsáveis? Aurélio Martins, Delfim, Rafael Branco e companhia limitada serão alternativas válidas ao Patrice? Elucida-me melhor meu caro amigo.
      Continuação de boa semana laboral a todos.
      Fui…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo