Destaques

Plataforma do turismo responsável e sustentável entra em marcha 

O projecto lançado há 4 meses, pelos operadores turísticos, organizações da sociedade civil e o Governo, criou uma comissão de dinamização.

Comunidades limítrofes a zona tampão do parque natural Obô de São Tomé e Príncipe, é o principal alvo da Plataforma de Turismo responsável e sustentável. A comissão indicou os valores que norteiam a sua actuação. « Incutir, ensinar e sensibilizar a nossa população, sobretudo a população das comunidades a volta dos parques naturais, que eles podem ser a peça fundamental do desenvolvimento do turismo o país», declarou um dos membros da comissão.

p inhamePara atingir tal objecto, a comissão de dinamização da Plataforma de Turismo Responsável e Sustentável, pretende desenvolver e promover de todas as formas o turismo sustentável. «Preservar custe o que custar as nossas heranças culturais. Dar a conhecer os nossos hábitos e costumes. Tentar fazer com que a população se sinta envolvido neste turismo que se quer, o turismo sustentável», precisou.

A fileira de turismo responsável e sustentável vai ser desenvolvida no seio das comunidades rurais vinhas ao parque natural Obô de São Tomé e Príncipe.

O parque natural Obô, conserva a maior riqueza do país em termos de fauna e flora. Um produto que alimenta o Turismo, e que tem que ser explorado de forma responsável e sustentável.

Abel Veiga

 

    7 comentários

7 comentários

  1. Ralph

    25 de Julho de 2014 as 3:08

    Este é um desafio difícil que todos os países do mundo enfrentam. O meio ambiente é importante e deve ser protegida para o usufruir das gerações futuras. Ao mesmo tempo, a exploração dele pode criar emprego e ganhar renda, dando riqueza a um país. Por isso, a sustentabilidade é importante para assegurar que uma nação possa beneficiar de ambos a preservação do meio ambiente e a exploração sustentável dele para dar frutos ao povo. Encontrando o equilíbrio entre os dois é a parte mais difícil.

  2. PITEU

    25 de Julho de 2014 as 7:53

    Falar de turismo em STP ainda parece uma miragem.
    O Portugal que era o maior mercado emissor de turista para STP, o nome do nosso país nem sequer aparece em 11º lugar da lista dos países onde eles irão visitar este ano.

    Em 1º lugar encontra-se Cabo-Verde.

    STP(São Tomé e Príncipe) nem sequer aparece por ter uma preferencia muito diminuta, num mercado que já foi o principal emissor de turistas para o nosso país.

    Não existe um plano de acções concretas para dinamizar o turismo. Existe sim fala barato dos dirigentes que não sabem para onde pretendem ir ou chegar.
    Turismo em STP está cada vez pior.

  3. Reflexão

    25 de Julho de 2014 as 9:48

    Para complementar, os políticos, certos empresários e algumas ONGs, so queren servir-se dos recursos exisntentes no nosso Páis unicamente para seus benéficios. Pergunto: Como se pode fazer turismos sem a Direção do Turismo? Como querer tusrismo sustentável se não estou disposto a cumprir com os requisitos básicos para o funcionamento do meu estabelecimento? Como faze-lo se me escondo por detras de ONG, para lancar produtos e serviços no mercado sem alguma contribuição para a economa nacional? Como desenvolver o T. Sustentável se continuo a praticar salário de pobreza aos meus foncionários? Como, se diáriamente firo as regras básicas respeitantes aos satisfação dos clientes, e os meus foncionários trabalham em situações inadequadas? Pensemos sériamente ……

  4. Justino Matos

    26 de Julho de 2014 as 0:06

    … e isto pra não falar do espetáculo que assistimos entre as 4h e as 6h na rota para Sul passando pela Vila Maria, Pantufo e Praia Melão. E queremos falar de turismo… brincadeira tem horas.

  5. arelitex

    27 de Julho de 2014 as 15:58

    seja como for , têm que se começar por algum lado .o turismo pode vir a ser um dos pilares da nossa economia .o nosso povo têm características e costumes de bem receber ,e sabe receber e agradar . que por um lado deixam os visitantes maravilhados e apaixonados por nós .mas por outro lado em STP existe toda uma conjuntura que choca os nossos visitantes . a pobreza visível ,salários de miséra ,o nâo haver interesse em cuidar de nada ,todas as roças destruídas , a própria cidade que devia ser um bonito cartão visita ( até arrepia saber que foi a cidade mais limpa de africa , e a mais porca e nojenta neste momento ). povo existe e maravilhoso mas nâo existe vontade politica para nada .o povo de STP só funciona debaixo orientação e acompanhamento ,o tomar iniciativas na positiva nâo é o forte deste povo . ( vai ser sempre necessário que alguém chame a atenção ,para se fazer isto ou aquilo ) . mas na vida nâo se pode ter tudo . vai ter haver um equilíbrio e votade politica . ( os políticos sâo sem duvida os grandes culpados das situações menos agradáveis )(nâo têm espirito para nada ) (se os próprios políticos sâo uns incapazes como é que vâo ter ideias para educar um povo )

  6. Batepapo

    29 de Julho de 2014 as 3:24

    É certo que muitos olhares e pensamentos interrogam sobre a forma como tem-se vindo a desenvolver todo o processo para o desenvolvimento do turismo em São Tomé e Príncipe.
    São tantas as fragilidades que temos, mas entretanto, essas linhas servirão apenas de alerta para pequenas pontuações, mas fulcrais no ponto de vista pessoal.
    As condições básicas não estão garantidas, não é novidade!
    Parece que só aproveitamos das dádivas que a natureza nos proporcionou, enfim, devem ser aproveitadas! O bom de tudo é que estamos conscientes da exploração sustentável e responsável. Será que os objetivos preconizados serão perenes?
    O turismo pode ser aproveitado de diversas formas, e pelo que vejo em São Tome e Príncipe ultimamente tem-se optado por um turismo verde, digamos assim, dada as características do país, mas entretanto existem factores subjacentes que têm grandes implicações para qualquer forma que se venha a explorar.
    Com um simples e rápido diagnóstico, é só dar uma piscadela nas ruas da capital, que nota-se uma deficiência profunda de saneamento do meio, ou na marginal 12 Julho, que ultimamente graças a algumas mãos, consideremos benditas, têm estado a ajeitar os muros de protecção que a contornam. Será que estamos a pactuar com a ruina do pouco que nos resta acrescentada a falta de higiene ou a ruina será mais uma oferta ao turismo?
    O único hospital “operacional” no país, se não estou em erro, tem a sua principal via de acesso interdita pela queda de uma muralha mal concebida e que a sua recuperação foi suspendida, sem falar das capacidades do próprio hospital. Será que existem clínicas privadas e devidamente apetrechadas para qualquer eventualidade, e é só pelo turismo que devemos manter essas infraestruturas?
    O sarcasmo dos políticos e de alguns cidadãos indecentes vêm afectando as escassas e humildes virtudes que caracterizam o povo dessas ilhas (pacificista e hospitaleiro). Será que o respeito mútuo e os bons custumes não contam?

  7. Antonio Fernandes

    29 de Julho de 2014 as 14:55

    Turismo em STP, qualificado como um dos 10 melhores destinos para 2014….
    O que fizeram ?? Vistos, resolveram… Aeroporto com filas demoradas, resolveram… Sistema de saúde para um problema com um turista, resolveram…
    Não fizeram nada, simplesmente apoiam alguns pseudoempresários apoiados por ONG e pelo Estado para fazerem hotéis ao desbarato e sem qualidade, em detrimento de alguns EMPRESARIOS (que pagam as suas contas), enfim negócios á STP e que normalmente acabam por morrer e o que fica, nada acaba em 2 anos no máximo.
    Agora falam em Cabo Verde, sim tem turismo á serio, com qualidade, onde os turistas podem pagar as suas contas por ATM, com aeroportos condignos, sem problemas de vistos e logicamente com hotéis de qualidade e serviços de hotelaria de qualidade, com preços acessíveis, ao contrário de STP em que as viagens são mais caras que um voo para o Rio de Janeiro ou New York.

    Srs Governantes sei que convém viajar de borla, agora é somente os Srs olharem para a frente e não para o hoje.

    STP é muito bonito e pode um dia ter uma receita pelo Turismo muito importante é só quererem.
    Obrigado

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo