Política

“Pirataria marítima, cada vez mais, se aproxima da nossa costa”

O toque de alerta contra a entrada das acções de pirataria marítima nas águas territoriais de São Tomé e Príncipe, foi dado ao governo, pelo Chefe das Operações da Guarda Costeira.

O Tenente Hamilton Sousa, participou nesta semana numa reunião do conselho de ministros, para apresentar ao governo o quadro actual da Guarda Costeira. Um quadro traçado com base nos acontecimentos do dia 13 de Novembro na zona económica exclusiva de São Tomé e Príncipe.

No referido dia a guarda costeira registou um ataque de piratas no mar territorial santomense. O navio mercante “Zhen Hua 7” , que circulava cerca de 80 milhas ao largo de São Tomé, foi o alvo do ataque pirata.

A notícia do ataque foi dada exclusivamente pelo Téla Nón, através de uma nota publicada pelo Adido de Defesa da Embaixada de Portugal em São Tomé e Príncipe.

«O ataque, que ocorreu a cerca de 80 milhas náuticas a Noroeste da ilha de São Tomé, levou ao rapto de 14 dos 27 tripulantes do navio mercante e fez um ferido, resultante do disparo de armas de fogo», referiu a nota de imprensa publicada pelo Téla Nón.

O navio Zaire da marinha de guerra de Portugal que se encontra destacado em São Tomé desde o ano 2018, foi chamado a intervir na operação de socorro ao navio atacado por piratas.

«O NRP Zaire foi ativado em resposta a esta situação, que contou ainda com a presença no local da fragata italiana ITS Martinengo e do patrulha oceânico espanhol ESPS Tornado. O navio português acompanhou a situação junto do navio mercante, enquanto a fragata italiana prestou assistência ao tripulante ferido e procedeu à evacuação do mesmo para o Hospital de São Tomé», detalha a nota de imprensa divulgada pelo Jornal Téla Nón.

Uma situação que mereceu reacção do Governo santomense que pediu socorro a Guarda Costeira, para ter mais detalhes sobre o acontecimento de 13 de Novembro.

«Para não ficar apenas as Forças Armadas e a Guarda Costeira com essas informações, nós decidimos partilhar com o Governo, no sentido de entenderem que é um problema que está a nos aproximar, e temos que olhar para ele de olhos bem abertos», afirmou o Chefe das Operações da Guarda Costeira, à saída da reunião com o Governo.

A situação é grave e complicada. A segurança nacional está ameaçada, e a guarda costeira diz que o país não tem meios para lidar com este tipo de ameaças.

«Nesse momento, nós não tendo meios, só podemos contar com os nossos parceiros de cooperação. Temos aqui o Navio Zaire, com o qual partilhamos essas informações e contamos com a ajuda deles», frisou o Tenente Hamilton Sousa.

O Chefe das Operações da Guarda Costeira, deixou claro para o governo, que pela garantia da defesa e segurança do território santomense, o país tem que ser independente. «Mas não podemos ficar ligados ou inteiramente dependentes dos outros para resolver os nossos problemas. Temos que bater de frente com eles e procurar solução, para em pouco tempo estarmos prontos para responder», concluiu o oficial que comanda as operações da Guarda Costeira.

Recorde-se que poucos dias, após São Tomé e Príncipe ter renovado a sua intenção de ser um “Gateway na região do Golfo da Guiné”, os piratas começaram a atacar embarcações e a sequestrar tripulantes, exactamente nas águas nacionais.

Abel Veiga

    7 comentários

7 comentários

  1. jfernandes

    27 de Novembro de 2020 as 20:51

    meus senhores voces adimiram da pirataria ?
    As ilhas atraiem desde os tempos remorto os piratas .
    ainda mais agora que ha um associacao criminosa no interior das ilhas?
    Os nossos politicos tambem sao outros piratas no interior das ilhas .
    So nos falta pirata aerios .
    Sera que os nossos piratas internos estao preocupado ?
    quem viver vera .

  2. bom só

    28 de Novembro de 2020 as 9:33

    atenção temos de ter com esses governante!!!

  3. SEMPRE AMIGO

    28 de Novembro de 2020 as 11:10

    O chefe das Operações da Guarda Coteira, á saída da reunião com o Governo,t e r i a declarado,(não tenho certeza!)á imprensa,eu cito:”PARA NÃO FICAR APENAS AS FORÇAS ARMADAS E A GUARDA COSTEIRA COM ESSAS INFORMAÇÓES,NÓS DECIDIMOS PARTILHAR COM O GOVERNO(che!? …será que esqueceram de partilhar prioritariamente a notícia com o senhor ministro da defesa, membro do Governo?),NO SENTIDO DE ENTENDEREM (imaginem!..) QUE É UM PROBLEMA QUE ESTÁ A NOS APROXIMAR,E TEMOS QUE OLHAR PARA ELE DE OLHOS BEM ABERTOS”. Depois de ter lido as declarações do Chefe da Guarda Costeira,uma temerosa preocupação me invade.Fico ainda mais preocupado quando se sabe que a pirataria marítima nas águas territoriais de STP aconteceu no dia 13 de novembro e a “partilha da informação com o Governo” foi feita só no dia 25 de Novembro.O Governo tem por obrigação informar ao PÚBLICO sobre os sucessivos ataques da pirataria marítima no Golfo da Guiné e nas águas territoriais de STP.

  4. Povinho

    28 de Novembro de 2020 as 20:01

    A pirataria está cada vez mais perto da nossa costa porque os militares tanto da Marinha como do exército estão na boa vida e o estado a sustentá-los. O problema não é só a pirataria, é que estão todos nos quartéis e o shr ministro da defesa que está gordo cada vez mais não faz nada. Onde é que estão as fragatas ofertadas para patrulha? Onde é que está na prática, o fruto daquilo que tem implementado na cooperação brasileira exercícios navais e outros apoios dados? Só resta o governo anunciar aos santomenses que o país foi vendido. Um governo que só governa no gabinete e o país é gerido pelos estrangeiros através das cooperações. Digam ao JBJ para arregaçar as mangas que ele tem apelado nos discursos bonitos.
    Não venham com essa.

  5. Zagaia

    29 de Novembro de 2020 as 20:28

    Poxa, digam me por favor, em quê que STP de 1001 kms no mundo é conheciddo de forma positiva e que tem tirado dividendos disso??

  6. Seabra

    30 de Novembro de 2020 as 0:39

    …são consequências das negociatas da ERA do ex 1o ministro(pasta não entregue) Patrice Trovoada. Eís o quanto este marmanjo prejudicou STP…e ele pretende ainda querer usufruir da confiança do povo e de um cargo máximo no país. Patrice Trovoada, vá mas é dormir…por instante😡

  7. Clemilson brasileiro

    1 de Dezembro de 2020 as 15:50

    É brincadeira se o governo disse que não tem meios de resolver a pirataria então esperar o que ?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo