Análise

Estamos perto do fim de uma era…”O Apocalipse”

O que era dmario-graca.jpge esperar, está acontecendo. Os factos dizem por si e pelos vistos estamos em vias de ter uma “segunda independência”.

Podemos verificar que nos últimos tempos há conflitos no seio dos Senhores que estiveram no Palanque na praça da Independência no dia 12 de Julho de 1975, juntamente com os seus seguidores e amigos, por coincidência ou não, são os mesmo que  (des) governaram “Tela nón” desde a independência até hoje.

Vivemos num país onde todos se conhecem, tudo se vê e tudo se sabe, não consigo entender como há pessoas que ainda pensam que o que fazem está em segredo ou as maldades que se comete, é esquecido com facilidade.

Então vejamos: Depois de 12 de Julho de 1975, um grupo de “Inteligentes e Intelectuais” Conduziram São Tomé e Príncipe com base da impunidade, amizade e familiaridade, ignorando os Santomenses em geral que directa ou indirectamente ajudaram também na conquista da Independência e fazem parte da sociedade.

Depois surge o Multipartidarismo, o que muita gente decidiu chamar de “Democracia”, podemos constatar que as pessoas que destruíram o país após a independência, foram os mesmos que apresentaram como alternativas para corrigir o mal que tinham cometidos anteriormente. Por educação, simplicidade e bondade, o Povo lhes deu essa oportunidade, mas o que consta é que já vamos em mais de 19 anos, conseguiram fazer o pior, destruir o pouco que faltava, deixando a população mais pobre, desmotivada e cada vês mais sem esperanças.

Houve-se falar na hipótese de importar Magistrados, tomemos em conta que Situação Judicial Santomense é o reflexo do Sistema Socio-político, Económico, etc. Tudo está relacionado. Se a ideia transformar em realidade, chegaremos ao ponto de importar também Políticos, Deputados, membros do Governo e não só. Por isso é melhor adaptarmos o que temos porque há pessoas com muita capacidade e qualidade no País, mas o que falta é incentivo, organização, coordenação, iniciativa, resumo (liderança). Aliás, antes deveríamos pensar se o país tem recursos para recorrer aos Magistrados estrangeiros. Não esqueçamos o caso dos médicos especialistas que abandonaram o país sem dar qualquer satisfação.

O que se pode concluir, é que esses senhores sempre foram sustentados por todos cantos do mundo com apoios, donativos e nunca pensaram em como fazer o país produzir, e o que se pode verificar é que os amigos e parceiros fecharam a torneira. Como consequência, é o que vemos “Conflitos institucionais” sem precedentes. Depois pedem compreensão, espírito de sacrifício, calma e que os dias melhorem virão. Será que precisam de mais 34 anos! Da forma como o país foi conduzido nos últimos anos, em 2043 São Tomé e Príncipe deixará de ser habitada.

Muitas vezes pergunto “O que querem ainda fazer com o País?” Com as situações que estão a decorrer nos últimos tempos, creio que esta classe vai abandonar em bloco a vida “Política” activa porque são Humanos e têm um pouco de vergonha. E o melhor dia para anunciarem este acto, seria no dia 12 de Julho, no mesmo local que há 34 anos a trás Proclamou-se a “Independência Total” de São Tomé e Príncipe. Se não o fizerem, só pode ser por dois motivos: Têm medo da punição por actos ilícitos supostamente cometidos ou porque são Masoquistas. São 34 anos de Poder nas mãos das mesmas pessoas, sem Projectos nem objectivos e eles próprios estão cansados de saber que não conseguem soluções.

Orgulho é bom, mas quando somos ignorantes, ser humilde é muito melhor.

Santomenses, Juntos Podemos.

Recentemente

Topo