Economia

SATOCAO inaugura Centro Industrial e Tecnologico em Morro Peixe

Num comunicado a empresa SATOCAO, anuncia a inauguração esta sexta – feira do centro industrial e tecnológico. A empresa diz que vai aproveitar a oportunidade para apresentar o seu projecto para o país. É uma empresa virada para produção, compra e exportação de cacau.

A SATOCAO, diz que o seu principal objectivo é aumentar a produção de cacau em São Tomé e Príncipe até 6.500 toneladas em 2020.

Para saber mais clique – SATOCAO – Morro Peixe Inauguration – Press release (1)

    22 comentários

22 comentários

  1. Lito

    2 de Maio de 2013 as 13:30

    Vamos ser mais ambiciosos um pouco. Esta forma de exportar o cacau, ja vem desde os tempos imemoriais. Porque não, triturar o cacau e depois exporta-lo. Cacau em pó.
    Pequenas industrias de transformação.
    Como esta previsto o Porto de aguas profundas em Fernão Dias, então a deslocação é estrategica.

    • Gualter Almeida

      2 de Maio de 2013 as 17:07

      Porto de águas profunda ah ah ah a quanto tempo falam nisso já dava para fazerem 100 portos espera sentado para não te cansares pelo porto é como o dito petróleo quando é que começam a extracção do petróleo?

  2. tluki sun dêçu

    2 de Maio de 2013 as 14:15

    isso mesmo se for preciso gente da cacaueiro barriga pa ele pai mais

    pais tem qui aumentar a produão

    • olavo

      2 de Maio de 2013 as 22:48

      ó rapaz que raio de linguagem esta

    • rapaz de riboque

      3 de Maio de 2013 as 14:29

      amigo podias-me fazer o favor de traduzir o teu comentário?

  3. tonga

    2 de Maio de 2013 as 14:24

    acham que esses malandros vão trabalhar não preservaram o que os colonos deixaram agora é que vão trabalhar duvido mas poça ser que haja um milagre o que não acredito

    • paul

      7 de Maio de 2013 as 7:57

      porque não ter pensamento positivo
      temos que ser unidos, e ter fé em nossos dirigentes acham fácil dirigir um pais??
      falar é fácil mas fazer é difícil, vocês fogem todos para Europa e depois ficam a reclamar da situação do pais , porque fugir e nao lutar e ajudar o nosso pais rumo a um porto melhor!!

  4. rapaz de riboque

    2 de Maio de 2013 as 16:04

    para esses forros trabalhar nas roças ? não acredito se fosse para comerem e beber desgraça estavam todos prontos por isso estão na miséria extrema

  5. PINTO MARTINS

    2 de Maio de 2013 as 16:10

    Para o Telanon , até falar sobre a satocão parece um esforço colossal, a forma como relatam a noticia deixa antever a malicia por detras, gente o país é nosso, e confesso que jamais pensei que o Telanon pudesse se transformar tanto, enfim, é por essas e outras que continuo céptico em relação a nossa gente.

  6. Telavive

    2 de Maio de 2013 as 17:48

    Isto é bom.Só que precisam ter mais terras como reza o contrato.Neste país existe ainda muita terra abondonada. É de recordar que uma só empresa agrícola do pós-independêcia empregava mais de 1000 pessoas.

    • rapaz de riboque

      3 de Maio de 2013 as 14:25

      empregar 1000 pessoas mas era preciso que queiram trabalhar e a vontade de trabalhar onde esta? são todos um bando de parasitas

    • jackson

      3 de Maio de 2013 as 16:28

      pois o estado deveria conceder mais terra pra satocao em vez de deixa-las abandonadas….

  7. Mé Pó Feladu

    3 de Maio de 2013 as 9:41

    trabalhar cacau como epoca colonial numnca mais

    • rapaz de riboque

      3 de Maio de 2013 as 14:28

      tudo dito como é que um pais pode aguentar com mentalização desta com certeza este patriota ainda não tinha nascido na era colonial e vem para ai dar opiniões destas como este a muitos ai por isso ta tudo dito

    • jackson

      3 de Maio de 2013 as 16:31

      o maior rendimento de são tomé vem de onde meu compatriota?

  8. Lito

    3 de Maio de 2013 as 14:43

    TEMOS ZEE, MAR, não para produzir cacau??
    Quali, Ababababababab eee?

    • rapaz de riboque

      3 de Maio de 2013 as 17:12

      LITO traduz melhor o teu comentário de maneira que todos os leitores possam perceber o que queres dizer

  9. Barão de Água Izé

    4 de Maio de 2013 as 18:39

    É importante pensar na transformação do cacau em STP. Continuar apenas como se fazia no0 tempo colonial, a exportar matéria-prima em bruto, é um erro.
    STP tem de produzir cacau em pó e produtos dele derivados como chocolates.
    A exportação é vital para STP e se se puder trabalhar toda a vertente vertical do cacau, a pobreza diminuirá drasticamente sem necessidade do petróleo.

    • Pléto Lúlúlú

      7 de Maio de 2013 as 22:47

      Sr. Barão de Água Izé….tudo isto é muito bonito, mas o principal é mesmo trabalhar muito, plantar novos cacaueiros e tratar dos que ainda ‘resistem’. No chamado ‘Tempo Colonial’, S. Tomé produzia e exportava 9.000 a 11.000 Toneladas de Cacau e 3.000 a 4.000 Toneladas de café. E agora com as Roças abandonadas e destruídas, quanto é que produzem ???? Pelo que sei são 2 a 2.500 Ton de cacau e 300 a 400 Ton de café. Será que estou correcto ???

  10. Trinta Mil

    5 de Maio de 2013 as 12:45

    Muita gente e boa gente, gosta de ligar o cacau, sua plantação e produtividade com o trabalho escravo. Será que apenas se consegue o sucesso com trabalho forçado, não!!
    Brasil, Costa do Marfim, Gana são produtores de cacau e nem por isso recorrem ao trabalho escravo. Mas devemos por em pratica bons hábitos e banir a velha pratica.
    Estas expressões, UNIDADE; DISCIPLINA E TRABALHO.

  11. fuzileiro guerra94@hotmail.com

    6 de Maio de 2013 as 3:46

    estou a ver que muitos so comentam para mostrarem a esperteza….so falam mesmo e merda…..

    • rapaz de riboque

      7 de Maio de 2013 as 11:11

      cala te fuzileiro de agua doce cheio de fome para ser fuzileiro só ai para fuzilares banana com peixe alguma banana roubada não percebes nada disso inocente

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo