Economia

“A retoma do turismo é um imperativo nacional..”

A constatação é do Presidente da Associação de Turismo de São Tomé e Príncipe, Hamilton Cruz(na foto).

A associação que congrega as empresas hoteleiras e demais serviços ligados ao sector do turismo, está determinada em promover nesta altura do ano, que coincide com as estações de primavera e verão na Europa, a retoma do sector do turismo santomense, que por causa da pandemia da Covid-19, paralisou as suas actividades desde Abril do ano 2020.

«A retoma do turismo é um imperativo nacional. Quanto mais cedo se iniciar, mais rapidamente a economia nacional recuperará. A retoma não se efectivará de forma adequada sem o envolvimento dos privados e das suas estruturas associativas..», declarou Hamilton Cruz.

A Associação de Turismo, organizou no Hotel Praia, uma cerimónia para o lançamento das suas acções com vista a promoção da retoma do sector.

Com apoio do PNUD, foram produzidos 5 vídeos promocionais do destino São Tomé e Príncipe, como sendo seguro. Os vídeos que têm também o objectivo de sensibilizar a comunidade nacional e internacional, sobre a prevenção contra a Covid-19, vão ser exibidos nos principais órgãos de comunicação social, nacionais e estrangeiros.

«O próximo passo é a reabertura de forma gradual, faseada e alternada do sector, com propostas concretas e resistentes, que gerem segurança às empresas e aos trabalhadores e transmitam confiança aos turistas que elegem São Tomé e Príncipe como seu destino de férias», sublinhou o Presidente da Associação do Turismo.

Segurança e confiança são as palavras-chave, da Associação do Turismo para definir o actual cenário. «Temos que assegurar a segurança sanitária do destino e ganhar confiança nos mercados», frisou Hamilton Cruz.

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento-PNUD- considerou que é tempo de tornar o turismo nacional mais atractivo e mais competitivo. Katarzu«yna Wawiernia, representante do PNUD no país, renovou o empenho da comunidade internacional no combate ao inimigo que pretende eliminar o turismo.

«Reverter os impactos negativos desta pandemia é uma tarefa que devemos realizar todos juntos… Para assim recebermos os turistas de forma segura. Aos restaurantes, lojas, hotéis, e aos vendedores é importante receber de forma segura todos que visitarem o nosso país», precisou a representante do PNUD.

Desde o ano 2010 que São Tomé e Príncipe começou a registar importante aumento do fluxo de turistas. No ano 2019, o arquipélago de 200 mil habitantes recebeu 34.900 turistas.

A contribuição do turismo para a economia nacional atingia 14% do PIB.

A pandemia da Covid-19, doença cujo primeiro caso foi diagnosticado no país em Abril de 2020, arrasou o sector. Todas as unidades hoteleiras fecharam as portas, e centenas de postos de trabalho foram encerrados.

Abel Veiga

    2 comentários

2 comentários

  1. Victorino André

    26 de Abril de 2021 as 9:28

    Il faut attendre encore
    Maladie est là
    Le tourisme c’est tá dire aussi circulation de virus
    Trove l ôter moignon de gagner d argent
    Mais pas de grosse turbine pour le moment

  2. Madiba

    26 de Abril de 2021 as 9:47

    Acredito que, melhor fazer qualquer coisa para não ser acusado mais tarde, de nada ter feito! Mas a incerteza continua. E, ninguém sabe até onde. Eu, lamento imenso.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo