Economia

Nossa.com denuncia mau negócio do Governo na CST, e pede intervenção da Assembleia Nacional

COMUNICADO DE IMPRENSA

NOSSA.COM pede a Assembleia Nacional que aprecie a autorização dada pelo Governo santomense à compra das ações da empresa brasileira Oi na Compainha Santomenses de Telecomunicações (CST) pela empresa portuguesa Visabeira.

Tendo tomado conhecimento que o Governo santomense autorizou em Conselho de Ministros que os 51% do capital da CST detidos pela empresa de telecomunicações brasileira Oi sejam adquiridos pela empresa portuguesa Visabeira, a Nossa.com, veículo de investimento de capitais santomenses que em Abril de 2019 manifestou formalmente ao Governo o seu interesse em adquirir essa mesma participação, enviou uma petição à Assembleia Nacional, solicitando que esta aprecie esta decisão, reiterando a pertinência da abertura dum concurso internacional para seleção do melhor parceiro do Estado na CST.

Tendo em conta o preço anunciado entre os 5 e os 6 milhões de dólares americanos (4,3 a 5,1 milhões de euros), por esta participação de 51% da CST, a Nossa.com considera que existe uma manifesta má gestão da coisa pública, na medida em que esta transação nos termos em que foi negociada, dentre outros aspetos:

  • valoriza a totalidade da empresa em menos 12 milhões de dólares americanos (cerca de 10,3 milhões de euros), quando é do conhecimento público que a CST vale, no mínimo, o dobro deste valor, dado que:
  • a sua receita anual se situa entre os 14 e 15 milhões de euros;
  • o EBITDA anual da CST é de quase 5 milhões de euros, conforme espelhado nos seus relatórios e contas anuais (o valor de referência de uma empresa de telecomunicações é normalmente calculado no mundo financeiro como 5 ou 6 vezes o valor do seu EBITDA anual, neste caso, entre 25 e 30 milhões de dólares);
  • a CST detém um investimento de mais de 18 milhões de dólares americanos (cerca de 15,5 milhões de euros) no cabosubmarino de fibra ótica, infraestrutura que per si, já vale bem mais do que o montante em que a CST está a ser valorizada nesta operação;
  • representa uma significativa desvalorização de um património público, uma vez que os 49% do capital social detidos pelo Estado Santomense, terão como referência o valor desta aquisição;
  • exigiria da parte dos decisores públicos, a assunção do direito de preferência que assiste ao Estado Santomense e, de seguida, proceder ao imediato lançamento de uma consulta internacional, para determinar o parceiro que melhor valorizaria a empresa, atendendo assim, às necessidades de investimento em infraestrutura de telecomunicações de modo a tornar-se, um agente de vanguarda da governação eletrónica e da digitalização do país.

Apesar de se tratar de uma transação entre duas empresas privadas de cariz       internacional – a Oi e a Visabeira-, perante um ativo estratégico nacional, o Estado tem a obrigação de:

  • salvaguardar o superior interesse nacional escolhendo por via de avaliação no mercado, o melhor parceiro para a CST;
  • assegurar à empresa Oi o pagamento do valor solicitado por esta para correspondente a 51% que detém no capital da CST;
  • conduzir com transparência o processo concursal que resulte na alienação futura desta participação aos potenciais parceiros interessados, para que a diferença adicional entre o valor a pagar à Oi e o que estes potenciais interessados na CST possam oferecer, se traduza numa mais valia a ser utilizada quer na redução da dívida do Estado à CST, quer no investimento na digitalização do país ou, simplesmente, no aumento das receitas do Estado, num montante estimado em pelo menos 5milhões de dólares americanos (com base no que a Nossa.com e os seus parceiros internacionais estavam dispostos a oferecer para aquisição dos 51% do capital social da CST), valorizando o total das ações da CST em cerca de 20 milhões de euros.

A avaliação da empresa abaixo do montante da receita que gera num só ano e sem proceder ao lançamento duma consulta internacional para suscitar outras ofertas, levanta, por si só, dúvidas sobre a lisura e a transparência no referido processo de alienação que deve ser imediatamente suspenso, apreciado e corrigido.

São Tomé, 19 de Outubro de 2021

Para mais informações, contactar:

Email: nossacomstp@gmail.comhttps://www.facebook.com/nossa.st

    15 comentários

15 comentários

  1. Pedro António Costa

    20 de Outubro de 2021 as 16:03

    Muito mau negocio. O Estado santomense pode perder com este negócio do senhor Abreu”Ministro muito convencido em saber tudo” até €6 milhões.
    Este ignorante de Abreu + o seu comparça Wando Castro tramaram tudo isto e aproveitaram da boa maneira, e até da ignorância nesta matéria do Jorge Bom Jesus e alinhavaram isto.
    Acho que o PR +A Assembleia Nacional devem travar isto.

  2. Caetano das Neves Pinto

    20 de Outubro de 2021 as 16:22

    Granda Batota. Esperam pela saida do Ministro Osvaldo Vaz, ex-ministro das Finanças para orquestrarem isto. Ele sempre foi contra isto. Até porque o senhor Wando Castro, para além de não perceber nem de Economia e Finanças nem de direito era um ministro em gestão, ou seja para garantir a gestão corrente dos poucos assuntos que lhe eram confiados, e não para tomar as grandes decisões. Ele influênciado pelo Abreu, que não representa a participação do Estado nas Acções da CST, porque não é Ministro das Finanças, tomara esta decisão incorecta e que lesa sobremaneira o nosso Estado

  3. José António

    20 de Outubro de 2021 as 16:57

    Este governo quero destruir totalmente este país
    Fala-se de negócio desastrozo com a ENCO. Agora é com a CST, Já está em curso o negócio com a ENAPORT etc. etc.
    Estamos lixados
    O Jorge Bom Jesus não está a baixar as suas calças, pois as suas estão muito bem amarradas, mas estão a baixar as calças de todos os homens santomenses e as calcinhas de todas as mulheres santomenses em seu proveito proprio.
    Bem haja STP

  4. Babado

    20 de Outubro de 2021 as 18:54

    Vocês têm capital para investir mais infra-estruturas?
    Estamos a precisar de rede 4G, tecnologia LTE.
    Dizem que temos 3G q até parece internet dos anos 90

  5. Budo Pedroto

    20 de Outubro de 2021 as 23:01

    Povo de São Tomé e Príncipe precisa saber que São esses individuos que estão na foto. Um deles, só quem não conhece. É o mais rato e quer estar em toda boca. Como business não lhe caiu nas mãos ele mais o barba branca querem aparecer apenas para salvar interresse do grupo k ficou lezado. Apenas estamos perante luta de interesses do grupo e mais nada. Podem ir lá investigar para conhecer no fundo quem são esses indivíduos em São Tomé e Príncipe. Não caem na latas desses indivíduos.

  6. Antonio Martins

    21 de Outubro de 2021 as 0:18

    Sim agora percebo porque o embaixador de Portugal acompanhou o responsável da firma visabeira ao primeiro ministro
    Para mim não teve tempo de tratar do assunto de ter sido roubado pelo estado de são Tomé mas para passear ao gabinete do primeiro ministro para negócios escuros teve tempo
    E tudo uns vigaristas
    Antigo embaixador português tenho dito

  7. Octávio Mendes

    21 de Outubro de 2021 as 5:46

    O Estado se fosse bom gestor compraria essas ações depois venderia mais tarde, porque o preço é muito irrisório. Assim é que se faz, mas como o negócio é para ganhar na secretaria, para os ministros ficarem ricos sem trabalhar á custa do povo santomense. É por isso que eles queriam ter o presidente Posser da Costa a todo custo.
    VILA NOVA trava já esta negociata para o bem do País. Diáspora está atenta.

  8. SANTOMÉ+CU+PLIXIMPE

    21 de Outubro de 2021 as 7:17

    Esse Filinto Costa Alegre, sempre destruiu a mente desse povo desde os tempos da cívica…o senhor quer comer sempre afabal?

  9. Gilberto de Andrade

    21 de Outubro de 2021 as 7:57

    Obrigado Senhores da Nossa.com pelo patriotismo e amor a Patria. Ajudem-nos a defender os activos do nosso Pais. O Pais e o povo agradece. Estamos juntos nessa luta.

    • Tentado a Ler

      24 de Outubro de 2021 as 7:31

      “….O Pais e o povo agradece. Estamos juntos nessa luta…”

      “….O Pais e o povo agradecem. Estamos juntos nessa luta…”????

  10. José João Pinto

    21 de Outubro de 2021 as 9:28

    Meus conterraneos
    Embora estivesse na Diaspora, se o país tiver mal estaremos todos”eu, meus familiares e todos os meus conterraneos” .
    Acho que o negócio da venda das acções da ENCO também precisa ser visto com olhos de ver e não de olhar. Há um grupinho, capitaneado pelo ex-ministro Osvaldo Vaz e alguns dos eus amigos malandros nacionais e estrangeiros, sobretudo angolanos, que querem ficar com isto ao desbarrato.

    Primeiro, já imputaram toda a divida da Enco ao Estado santomense. Agora estão a mexer nos cordelinhos para adquirirem isto a preço de chuva. A malandrice já está instalada. É por isso que ele saiu do Governo para ir-se ocupar deste outro negócio lesivo ao Estado.

  11. luz

    21 de Outubro de 2021 as 10:03

    1. Porquê tantos tropeços num governo que neste momento devia repensar toda a sua política e estratégia, como forma de evitar uma pesada derrota nas próximas eleições?
    2. Será que estão todos cegos pela ganância?
    3. Perderam todo o senso e razão?

  12. Mepoçom

    21 de Outubro de 2021 as 14:40

    O que se passa em São Tomé e Príncipe, apesar de toda a tempestade pós independencia com a nacionalização, os protagonistas ainda não ganharam a consciência de “a partir de hoje é nosso”, não funcionou. Só serviu para destruição. Querem continuar na mesma cegueira e arrogância. Está mais que provado, o que constitue o apelo de sucessivos governos, que sem investimento privado estrangeiro n alavanca o país. A Oi do Brasil é a Visabeira de Portugal, andam de mãos dadas. Só estão preocupados com a sobrevalorização de acções.. As acções são de Estado santomense? Se é, lança uma oferta pública. A Oi pode oferecer as suas acções à preço que quiser. O estado só tem que arrecadar os impostos que resultar do negócio. Deveriam preocupar com investidores de grande vulto, capaz de prestar bons serviços e levar a empresa a bom porto com crescimento franco e lucro positivo. Há uma tradição “formiga não tem nariz não pode suar” é o Filinto e companhia…

  13. Fuba com bicho

    21 de Outubro de 2021 as 17:49

    Sinceramente Filinto Costa Legre só quer estar nesta vida? Esse senhor nunca ofereceu nada de bom a esse país, que experiência esse homem tem para gerir uma empresa de telecomunicações, mais sinceramente quer transformar isso em quê mesmo? Minha gente convenhamos. Quando vi a notícia fiquei preocupado fui perguntar alguém da cst explicaram que afinal as acções que estão a venda não é do estado são-tomense é da OI ATRAVÉS DA PT telecom. Filinto e seus rapazes querem para estado comprar as acções depois para revender para ele. Filinto deu Estado dinheiro para guardar? minha gente vamos ser razoável. Cada um vende seu produto a preço que quiser, se Filinto quer as acções apresentada uma proposta directamente a OI TELECON AS ações são da OI. Que palhaçada

    Filinto tem empresa de segurança paga os seguranças bem mal enquanto ele está a dormir os homens a noite acordados fim de mês Filinto dá os mil tal dobras.

    Ainda bem que eu não tenho partido

  14. Antunes

    23 de Outubro de 2021 as 14:55

    Bili uê

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo