Política

Ordem vai receber do Governo reembolso da dívida

Patrice Trovoada, Primeiro-ministro e Chefe do Governo de São Tomé e Príncipe, deu a garantia de que o seu governo vai pagar e o mais breve possível a dívida acumulada ao longo de vários anos, com a Ordem dos Advogados.

São dívidas relacionadas com o custo das defesas oficiosas dos cidadãos mais desfavorecidos de São Tomé e Príncipe, baptizados pelo executivo de “Povo Pequeno”.

Segundo Célia Posser (na foto) Bastonária da Ordem dos advogados ao longo dos anos foi a instituição que dirige quem suportava os custos das defesas oficiosas. Há quase 1 mês os advogados decidiram suspender o pagamento das defesas oficiosas, após o fracasso das tentativas de negociações com o Governo, que começaram no ano 2015.

Segundo dados divulgados pela Ordem, anualmente retirava do seu cofre 18 mil e 367 euros, para custear a defesa oficiosa dos cidadãos mais desfavorecidos.

Com o “Povo Pequeno”, sem acesso a justiça por causa da suspensão imposta pela Ordem dos Advogados, o Primeiro-ministro, Patrice Trovoada, reagiu tendo explicado que o Governo ainda não cumpriu com a sua responsabilidade legal, por causa do estado depauperado da tesouraria. «Toda gente percebe que o país tem vindo já algum tempo a ter problemas de tesouraria», afirmou o Chefe do Governo.

Segundo Patrice Trovoada os expedientes encetados no passado para pagar a dívida acabaram por gorar-se por causa das condições actuais da tesouraria. «Dentro de alguns dias espero que a situação comece a regularizar-se. Se é regularizada a 100% ou a 50% pode ser que a Ordem dos Advogados retome o trabalho em 50% do trabalho», frisou.

O Primeiro-ministro aproveitou para mandar recados a Ordem dos Advogados. Para Patrice Trovoada o espírito de sacrifício tem que falar mais alto no país. «Quero chamar a atenção para que em matéria que sobretudo diz respeito a protecção das liberdades e garantias dos cidadãos não podemos só ver para a questão do dinheiro, mas sim para as pessoas, e as vezes sacrificarmos mesmo se não houver dinheiro», pontuou o Chefe do Governo.

Abel Veiga

 

 

 

 

.

    3 comentários

3 comentários

  1. leo pereira

    10 de Novembro de 2017 as 9:16

    Ouve só quem fala em sacrificio : Patrice Trovoada que vive gastando dinheiro dos contribuintes com viajens. Ainda nos ultima viagem no aeroporto mandou Kayder ir buscar nas mãos de Helder Paquete director da Enasa SAMBU DE DOLARES para levar.Muira gente viu.Isto não é corrupção? Agora vem falar da situação da tesouraria e sacrificio?
    Faz sai maiszé.

    • Vexado

      10 de Novembro de 2017 as 23:30

      Resta saber se há registo que o primeiro ministro recebeu x montante.

      Ele leva uns 30 mil e gasta 5 com os vigários do ADI.

      Só o senhor Levy fica fofo e manda bocas no parlamento.

  2. Povo pequeno

    10 de Novembro de 2017 as 15:24

    Vamos ver se é verdade, muitas promessas e pouco cumprimento. A senhora Bastonária tem de manter a sua decisão de suspensão, nós os advogados estamos consigo. Que sistema Judicial que funciona sem advogados? O FMI e o BM estão atentos a Justiça, e toda a manobra que o Governo ou os tribunais arranjarem para fazer essas defessas serão ilegais. Juristas não inscritos na ordem dos advogados a fazer defesas oficiosas? onde já se viu isso, é essa a solução que se quer encontrar? Sejamos sérios.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo