Opinião

Crónica de um Golpe Institucional anunciado

– Os factores de uma crise 

Estamos a lidar no presente com questões de extrema gravidade relativas ao sistema judicial e ao combate à corrupção, envolvendo responsáveis ao mais alto nível do sistema judicial, do Governo e da classe política. Porém, esta problemática, que em si é de enorme relevância, não deve ser vista como um fim em si, pois o que está em causa é de um alcance muito mais amplo, muito mais importante, a saber: a manutenção do sistema político vigente e o reforço do Estado de direito Democrático em STP.

I – OS SUJEITOS E OS FACTOS

Vejamos em conjunto quatro factos, dentre muitos outros, e a sua sequência lógica, que constituem pistas eloquentes para o entendimento do que se está a passar:

1 – O presidente do Tribunal Supremo, Juiz Silva Cravid, afirmou na sua mais recente entrevista, que entregou em mãos ao PGR, a sua queixa-crime ao ex-assessor e que poucas horas depois, o assunto estava na praça pública, através de agentes que nada tinham a ver com o sistema judicial.

CONCLUSÃO EVIDENTE: houve violação do segredo de justiça e o Ministério Publico por lei tem que apurar os factos, identificar os culpados e agir em conformidade.

O Presidente, perante os factos por si apontados, agiu de conformidade com a lei, sendo de enaltecer o seu firme posicionamento, independentemente das considerações que cada um possa fazer sobre as suas motivações. Sobretudo se a sua ação significar o início de uma real cruzada contra a corrupção neste país.

2 – Sucederam-se outros intervenientes, qual deles o menos credível em termos de promiscuidade político-económica e de interesses económicos pessoais cruzados e confusos, com acusações várias a Osvaldo Vaz, Delfim Neves e ao próprio Presidente do Supremo Tribunal de Justiça. Entretanto, verificou-se nas redes sociais uma chuva de cheques de proveniência diversa com montantes exorbitantes, com o suposto intuito de suportar as acusações então proferidas.

3 – O Primeiro Ministro, logo a seguir, veio ao público lançar acusações a supostas máfias existentes no país, prometeu coisas que não são da sua competência (magistrados e inspetores para dizer a justiça em STP), e sintomaticamente, esqueceu-se de nos dizer quando irá esclarecer os diversos factos e indícios criminais que pendem no MP contra a sua pessoa, estimados em largos milhões de euros/dólares. Precisamos todos que o PM recupere a sua legitimidade para falar de combate à corrupção, porque até lá, ninguém sério neste país acredita no que ele diz nesses assuntos.

Conclusão: continuamos à espera que o MP e o chefe do Governo, a bem da transparência e da democracia, nos tragam os esclarecimentos sobre os casos gravíssimos de corrupção existentes no MP contra ele e que nos preocupam a todos.

4 – Por fim, o envio, só agora, ao Presidente da República da lei que institui o Tribunal Constitucional, passados quatro meses após a sua aprovação em 15 de Agosto de 2017.

Parece claro, mesmo aos mais incautos, que os do ADI e seu Governo, chegaram à conclusão de que, após o fogo cruzado que lançaram contra o Presidente do Supremo, é este o momento oportuno para conseguirem cedências da sua parte, no processo já desencadeado pela oposição parlamentar, no sentido da fiscalização preventiva da constitucionalidade do referido diploma legal

É simplesmente notável a sequência e a coincidência dos intervenientes e das acusações, estas nem sempre muito coerentes entre si; mas o que importa se o objetivo é claro?

Para ter sucesso no seu plano macabro de subverter o regime democrático e de modo a que Patrice Trovoada possa perpetuar-se no poder, precisam de realisar 2 objetivos específicos, dentre outros:

  • Controlar ou contornar o Presidente do Tribunal Supremo e por essa via os Tribunais, enquanto órgão de soberania; isso permitiria que impusessem ao país um Tribunal Constitucional, ilegalmente composto, uma vez que já não podem confiar no Supremo Tribunal, cujo presidente fez questão de afirmar publicamente a sua independência perante o poder politico.

É bom recordar o papel jurídica e institucionalmente vergonhoso desempenhado pelo anterior Presidente do Supremo, durante o processo de apuramento dos resultados eleitorais das últimas eleições presidenciais, o que motivou a esse propósito, um comunicado da Ordem dos Advogados de STP.

  • Derrubar ou aniquilar, a qualquer preço, os supostos financiadores dos principais partidos de oposição, ou seja, Delfim Neves e Osvaldo Vaz, respetivamente vice-presidentes do PCD e do MLSTP. Essas personalidades, são tidas nas hostes do partido do Governo, como pessoas que nos respetivos partidos poderão confrontar Patrice Trovada, no plano financeiro. Independentemente de quaisquer considerações de natureza pessoal que cada um de nós possa ter em relação a esses cidadãos, esta é, apesar de tudo, a questão essencial. Tudo o resto é secundário neste plano, é areia atirada para os nossos olhos, a fim de nos distrair daquilo que conta efetivamente.

Para que não hajam quaisquer duvidas, no que me concerne, entendo, defendo e sempre defendi que o combate à corrupção é um dos pilares em que se deve alicerçar o desenvolvimento do nosso país, e deve ser levado a cabo com competência, determinação e justiça; urge que seja lançado de forma coerente e sustentável. Deve abranger todos aqueles contra quem existam indícios claros de prática de atos criminais suscetivíis de perseguição judicial de conformidade com as leis respetivas.

II – A CRÓNICA DE UM GOLPE (QUASE ANUNCIADO)

Todos estes episódios enquadram-se no cenário do que se pode  descrever como um GOLPE DE ESTADO INSTITUCIONAL EM MARCHA, baseado em vários pilares (políticos, jurídico-legais, financeiros e militar) a saber dentre outros:

  1. O recenceamento eleitoral de raiz, montado sobre um sistema informático defeituoso, cheio de vícios e irregularidades, com o objetivo de falsear os resultados dos próximos pleitos eleitorais neste país. É no mínimo estranho que desse recenseamento se tenha produzido um resultado de menos cerca de 10.000 eleitores do que a base de dados anterior, datada de 5 anos antes.
  1. A criação de um novo TRIBUNAL CONSTITUCIONAL

Com base num projeto de lei já aprovado pela sua maioria absoluta na Assembleia Nacional, ele é juridicamente montado para que o Tribunal passe e ter apenas membros do ADI, de modo a controlar e dominar à partida qualquer mecanismo de aprovação final dos resultados eleitorais futuros. Esse projeto viola a Constituição, na medida em que inclui uma norma que aprova, em última instancia, a eleição dos magistrados desse Tribunal, por maioria absoluta, quando a Constituição da Republica, no art. 157, nº 1-c, estatui de forma inequívoca que a eleição de um Juiz do Tribunal Constitucional é feita  pela Assembleia Nacional, de entre os juristas elegíveis, por maioria qualificada de dois terços dos votos dos Deputados presentes, desde que superior à maioria absoluta de votos dos Deputados em efectividade de funções

  1. A montagem de uma nova COMISSÃO ELEITORAL NACIONAL, mediante a proposta de uma lei, cujos termos permitem que o partido do Governo possa ter uma larga maioria ou a totalidade dos seus membros, o que não é sustentável em regimes democráticos. As CNEs em democracia são por natureza órgãos independentes e equilibrados entre o poder e a oposição.
  1. AS TROPAS RUANDESAS E AS MILÍCIAS DO PATRICE

Recorde-se aqui a introdução no país em Julho último, de forma ilegal e anti-constitucional de forças estrangeiras do Ruanda, com vista à criação ilegal de uma MILÍCIA PRIVADA/FORÇA MILITAR, ao serviço exclusivo de Patrice Trovoada (não do Primeiro Ministro); e em reforço dessa estratégia, a criação ad-hoc de um novo quartel, na residência pessoal do chefe do Governo, por sua exclusiva decisão e à revelia de quaisquer normas aplicáveis nesta matéria. O que é  a todos os títulos inaceitável num Estado de direito democrático.

  1. o processo de introdução da nova Dobra, fazendo coincidir a circulação de duas moedas, em simultâneo durante 6 meses, e sem controlo de qualquer entidade independente, é em nosso entender um expediente (um truque), que poderá permitir que o Governo utilize, a seu bel-prazer, quantias exorbitantes para fins de corrupção e financiamento político-partidário e eleitorais.

É fundamental que sejam criados mecanismos de controlo independente para impedir o mais que previsível desvio de fundos públicos para fins ilegais. 

a tudo isso Devemos acrescer…

  1. A manipulação ostensiva da comunicação estatal pelo Governo, desde o primeiro dia da sua governação, mediante o silenciamento e ou afastamento abusivo de alguns do mais consagrados jornalistas nacionais dos seus cargos anteriores (TVS e Rádio Nacional), por um lado, verificando-se, por outro, a quase completa inexistência do contraditório político nos meios de comunicação públicos.
  1. Completa inexistência de diálogo político com as forças de oposição.
  1. Adoção, por parte do Primeiro Ministro desde a sua tomada de posse, de uma política dirigida para o empobrecimento de quadros e empresários nacionais, de modo a força-los a uma atitude de mão estendida, em busca de migalhas da sua parte. Em sentido contrário, verifica-se uma acção sistemática de favorecimento de amigos e partidários do seu partido, incluindo homens de negócio estrangeiros.

A conjugação de todos estes fatores, além de outros, aponta claramente na direcção de uma política concebida pelo Governo e o partido que o apoia, e posta em execução, passo a passo, com objetivos claros de

(1) enfraquecer economicamente os santomenses em geral e a sua classe politica, em particular, de modo a torna-la dependente dos seus favores;

(2) Promover por diversos meios a utilização corrupta dos recursos do erário publico, mediante o enriquecimento ilícito de vários membros do seu partido e Governo (acredito que hajam meritórias exceções),

(3) criar condições para ganhar eleições nos gabinetes, mediante processos eleitorais fraudulentos, de modo a se perpetuar no poder por via ilegal e subverter assim o sistema constitucional democrático existente.

Em jeito de EPÍLOGO… Muitas questões e alguns apelos

1 – EM RELAÇAO AOS TRIBUNAIS

  • É tanta a confusão reinante, após tantas reclamações, de há tanto tempo e de todos os quadrantes da sociedade, que parece legítimo perguntar: terá o sistema judicial, desta vez, batido no fundo?
  • Sendo assim que atitude esperar dos nossos compatriotas e magistrados?
  • Que atitude vão eles adotar de imediato?
  • Como compreender a mais completa inação do Ministério Público e do Procurador Geral da República face a queixas-crimes gravíssimas envolvendo o Primeiro Ministro, e por outro lado, a maior celeridade no tratamento de outros casos, nomeadamente envolvendo figuras politicas da oposição?
  • Como interpretar essa diferença de atitudes, marcada pelo princípio discriminatório de dois pesos, duas medidas?

É conhecido o ditado popular santomense “xi cuá na daná fa, ê na ca consetá fa” (a coisa só se concerta depois de se estragar). Por outro lado cabe aqui recordar que todo o novo desafio é uma nova oportunidade.

  • Os magistrados estão tão ou mais conscientes quanto nós, cidadãos comuns, de que é indispensável e inadiável, que se comece a fazer algo de muito sério e profundo para reverter a situação insustentável que os Tribunais vivem, sob pena de se tornarem dispensáveis, ou seja uma espécie de apendicite, que é preciso remover e deitar fora.
  • Eles devem também estar conscientes de que toda a sociedade tem os seus níveis intrínsecos de tolerância.
  • Pessoas com formação especial, com mais ou menos mérito, capacidade, honorabilidade e vontade do bem fazer, mas pessoas de bem, até prova em contrário, não tenho quaisquer dúvidas de que existam no sistema judicial pessoas honestas, que estarão à espera de uma boa oportunidade, para juntarem as mãos e começar o processo de reconstrução de que todos aguardamos.
  • Eu faço questão de ver na ação acima descrita do Presidente do Supremo, como o início dessa caminhada, dando o sinal não só aos outros colegas de profissão, como também para fora do sistema.

UM APELO – Sendo assim, permitam-me que lance um apelo a todos os democratas santomenses, para que juntos nos posicionemos em apoio ao Senhor Presidente do Supremo Tribunal de Justiça nesta ingente tarefa de REFORMAR A JUSTIÇA E COMBATER A CORRUPÇÃO a todos os níveis.

2 – EM RELAÇAO AO SISTEMA POLÍTICO

UM APELO a todos os cidadãos de boa vontade e aos democratas santomenses, com ou sem filiação partidária e independentemente do partido político a que pertençam. Estamos a viver um momento crucial, em que nunca foi tão grande o risco de regresso à ditadura, desde a MUDANÇA, em Janeiro de 1991. Os sinais estão à vista, basta estar atento e interpreta-los corretamente.

Sintomaticamente, todos os partidos políticos da oposição sem exceção, com e sem assento parlamentar, decidiram dar as mãos, coordenando ações em tudo o que seja possível para combaterem a ameaça que paira sobre o país. Este movimento deve ser alargado a todos os cidadãos que desejam que o ESTADO DE DIREITO DEMOCRÁTICO floresça e perdure.

Um bem haja a todos os santomenses e amigos do povo santomense.

Olegário Tiny

BOAS FESTAS A TODOS E VOTOS DE QUE 2018 SEJA UM ANO DE DERROTA PARA TODOS OS DITADORES.

    17 comentários

17 comentários

  1. Honestamente democracia

    20 de Dezembro de 2017 as 18:00

    Falo e disse. Mt bem. Tb venho aqui manifestar o meu apoio ao senhor presidente do supremo tribunal. Pessoal do ADi, eu sei que existem pessoas honesta nesse partido, por favor não se misturem com peixe podre de Gabão. Se o homem denúncia corrupção algo inédito no nosso país, porque tanta querela nas redes sociais. Em vez de elogiar atitude do senhor presidente, andam a imaginar coisas fora do comum. Credo imaginação, de gente. Só porque eles são podre e desonesto acham que tds são iguais a eles.

  2. Arzemiro dos Prazeres

    20 de Dezembro de 2017 as 19:17

    E mais não disse. Assino em baixo.
    Arzemiro dos Prazeres BI 15970 morador em Santo Amaro

    • Vexado

      21 de Dezembro de 2017 as 18:01

      Não se deve publicar dados pessoais na internet.

      Por isso, os senhores não aprendem.

      O artigo está bem estruturado e bem fundamentado.

      Só os doentes mentais do ADI vão dizer que é mentira.

  3. Carlos Agostinho das Neves

    20 de Dezembro de 2017 as 20:54

    Concordo plenamente com o texto do Olegario Tiny e faço idêntico apelo a todos os santomenses patriotas, para que não nos deixemos distrair com a poeira que pretendem lançar sobre os nossos olhos e nos unamos de forma cerrada defesa dos valores da liberdade e da democracia.

  4. Carlos Pedroso

    20 de Dezembro de 2017 as 23:06

    “Assino logo” a sua crónica, Olegário Tiny.
    Patrice e ADI querem tribunal a qualquer custo. Porque se não fôr assim os seus planos de FRAUDE não terá pernas para andar.
    Abram os olhos, Santomenses.

  5. José Frota Soares de Barros

    21 de Dezembro de 2017 as 3:49

    Boa noite.
    O texto esta bem escrito.
    Se o autor deste texto fé-lo de consciência tranquila sem em defesa dom seu companheiro da mesma cor politica.
    Tem todo o meio apoio, é preciso que os verdadeiros santomense patriota se unam para combater este pequeno anão com tendência ditatorial.
    O homem bebeu o veneno igual aos outros seus comparsa de francofonia(Ali Bongo, Denis do Congo Brazaville Paul Bia etc, etc,).
    Desde o momento que eles querem criar uma Comissão eleitoral Nacional de 7 anos a partida é o ensaio de modo, quando um dia este malandro modificar a Constituição de modo a perpetuar no poder como os seus pares da francofonia.
    Os Santomense não se acomodam.
    É preciso ir a luta democrática.
    Unidos venceremos.
    O pequeno exemplo, Baby Doc do Haiti que o menino quer seguir a todo custo.

  6. Guilherme

    21 de Dezembro de 2017 as 9:57

    Quem tem o mínimo sentido de responsabilidade e bom senso não pode nem deve esconder-se por detrás de egoísmos pessoais, vaidades, interesses individuais ou de grupos e deixar que a democracia entre em colapso por vontade e interesses particulares de um homem que se considera dono do país e de todos os santomenses. Não!!!!! Não pode!!!! Eu lutei pela pela democracia no país e não posso deixar que este senhor possa fazer do país a sua quinta e transformar-nos em paisagem. Por isso subscrevo a sua observação. Tenho dito.

  7. Realidade

    21 de Dezembro de 2017 as 13:13

    Excellent
    Ja tinha dito… patrice trovoada è o mal de Sao Tome e Principe.. esta usar tdos meios legais e ilegais(roubo, corrupçao e atè feitiçaria) pra estar no poder atè a morte…
    Quem vestir a camisola d adi NAO votarà de conciencia… repare o patrice usa e abuza das mulheres dos seus miliantes mas mesmo assim os maridos batem palmas ao homem… olha atè q ponto chegaram… q trixteza..
    patrice tem uma legiao de homens faliados a sua traz, cidadaos vadios e mto pobre intelectualmente.
    O paìs afundou tanto q elegeu um Vadio e BURRO como primeiro ministro mas o q mais me assusta è q ele conseguio tdo isso com ajuda dos santomense… venderam-se por causa do dinheiro e mtos perderam a honra…
    O q Silva cravid fez foi uma encenaçao publica e ja esta comprado… o ultimo assalto a naçao… juristas ou juizes q sò atacam actos da oposiçao e sabendo q no governo tem ladrao declarado e n dizem uma palavra Sao BANDIDOS IGUAL AO GOVERNO.
    È trixte a situaçao q vivemos…
    O mlstp tbem tem culpa no cartorio… seus gananciosos
    O paìs tem mais bufos do q cidadao.. a espreitar o dollar proviniente de contrabando e mafia.
    SOLUÇAO imediata: desaparecer chave da questao

  8. João Carlos

    21 de Dezembro de 2017 as 15:40

    Subscrevo na integra…

  9. Conceicao Pereira

    21 de Dezembro de 2017 as 17:37

    Num Estado existem imunidade parlamentar bem com de alguns cargo politicos e publicos. Por essa razao o seu P Trovoada faz e diz o entender porque sabe que o MP nao tem poder para agir contra o dito cujo e Sr O Tiny bem sabe disso.

    Toda gente ou alguma devem recordar que Pinto Da Costa propoz que o P Trovoada fosse empossado como o PM o que ele recusou tendo preferido ser primeiro, como deputado e depois P Ministro.

    Como deputado goza da imunidade parlamentar. Seria bom que o Sr O Tiny explicasse como o MP deveria sanar denuncias a P Trovoada.

    Levantar problema e apresentar solucoes .

    Como empresario, Santomense no exterior, enviar 4 paletes de vinhos a sao Tome que me custaram entre a compra e transporte a cerca de € 3.700.00 e o governo de ADI e P Trovoada impuseram um despacho de € 4.000.00.

    Muitos sao planos dos homens mas somente de Deus sera comprido. Se Deus estiver ao meu lado nao havera ninguem na terra com poder para me destruir.

    Nao tenho receio nem temor de P Trovoada nem de ADI. O Salazar , M Caetano e PIDE nao conseguiu escravizar o povo Santomense e nao havera de ser agora numa dita democracia.

    A ver vamos

    Paz na terra e bem aventurado seja todos os homens que hajam de boa fe e justica para com os seu semelhantes pois serao como arvores plantado a beira de rio.

  10. Angel Alison

    22 de Dezembro de 2017 as 9:07

    Subscrevo na integra, caríssimo Dr. Olégario Tiny.

    No entanto algo preocupa-me. Não entendo com pessoas acusadas de serem mandantes do acto da corrupção, o caso de Delfim Neves e Osvaldo Vaz, podem contratar os serviços do mesmo advogado que defende a pessoa que é acusada que agiu em mando deles, o DR. Justino Viegas?

    Isso quer dizer que estão a preparar a mesma linha de defesa, o que não entendo. Pois eu nunca iria ter como advogado, o mesmo que defende a pessoa, que dizem ter agido a meu mando.

    Se é mesmo o PT que está por de traz desta história toda, que até acredito que sim (se ele não foi o mentor, pelo menos está tudo fazer para criar polemicas e aproveitar a situação), atiro a atenção dos acusados ou arguidos Delfin e Osvaldo, para a possibilidade de estarem a ajudar o PT com o seu plano maquiavélico, adoptando a mesma linha de defesa com o Justino.

    Pois,na minha opinião, aqui tem coisa. Vocês são inteligentes de mais para estarem a cometer tal besteira.

    Sr. Dr. Oligario Tiny. Tenho muito respeito e admiração por si. Por favor, tenta elucidar me sobre isso: que estratégia é essa, esses 3 senhores terem o mesmo advogado de defesa, se não é para tramar o Presidente do STJ e apoiar o plano maquiavélico do PT?

    Tiro esse sinal de alerta. Fui

  11. Angel Alison

    22 de Dezembro de 2017 as 10:34

    Seja qual for a nossa opinião, quanto ao momento em que a queixa foi feita, ou o que deveria ser feito, ou como foi feito, certo é que algo de inédito aconteceu, certo é que todos criticamos e reconhecemos a corrupção que existe em STP, a inação dos Tribunais, do Ministério Público e do Procurador Geral da Republica., as atitudes do partido em poder o ADI e do Sr. Primeiro Ministro, o comportamento da oposição e de certos senhores políticos da praça. A atitude da TVS….

    O importante que devemos reter é que, com a atitude de DR. Silva Gomes Cravid, qualquer coisa vai mudar. Os corruptos vão fazer mais atenção, nem quem corrompe ou se deixa corromper vai pensar duas vezes agora.

    Uma nova era está a iniciar no nosso São Tomé.

    ENTÃO VAMOS TODOS ELEGER ESTE SENHOR. O DR. SILA GOMES COMO SENDO A FIGURA DO ANO. VAMOS LIGAR PARA RADIO NACIONAL E VOTAR PARA ELE. E deixamos de fazer o processo de intenções.

    Ao fazer isto, estaremos a motivar mais gentes a dizer não a corrupção, a fazer denuncias.

    Ligam para Radio Nacional 2221342

  12. Apollo

    22 de Dezembro de 2017 as 21:11

    Muito bem Sr. Olegário Tiny.

    Temos de estar bem atentos. Querem a todo custo ficar no poder. Que ano 2018 esses cambardas de falso profetas querem nos impor.

    Nunca tivemos uma democracia tão recuada como aquela que vivemos hoje. Ninguém pode falar, ninguém pode criticar nada porque há tantos bufos por todo lado.

    Um bem haja à todos Santomenses.

  13. José João

    24 de Dezembro de 2017 as 19:09

    Caro Olegário
    Considero triste esta análise. O senhor está apenas preocupado com o a sua fonte de financiamento de banho na campanha. Como dizes, estes senhores são as fontes de dinheiro para as atividades de banho nas campanhas. Mas isto é menos importante. Não acha que a entrega de envelopes aos magistrados para decidirem casos na justiça é uma aberração? Achas que o Ministério Público, o Governo e outros órgãos de soberania deviam ficar calados e impávido a assistirem a novela?
    O senhor está a deitar a lágrima de crocodilo. Esta sua lágrima de crocodilo o povo já o conhece. Procura outro truque.
    Vamos continuar a manter a nossa democracia e todos sabemoss que ela não está em perigo. Prova disso é a sua propria publicação.
    Bem Haja STP
    Jose João

  14. Verdade

    24 de Dezembro de 2017 as 20:37

    Sabem qual foi o mês do ano em que Patrice Trovoada viajou menos?
    Foi durante o mês de fevereiro. Só teve 28 dias

  15. Conóbia

    25 de Dezembro de 2017 as 16:57

    Primeiro Ministro da nossa vergonha!

    1. Suspeito de branqueamento de capital, envio de mais de 600 mil euros do erário público em dinheiro para ser depositado em libreville;

    2. Suspeito de ter desviado 30 milhões de dólares americanos;

    3. Suspeito de ter financiado o golpe de estado em 2003 e de ter ordenado assassinatos de Pinto da Costa, Fradique e Oscar Sousa;

    4. Suspeito de ter comprado em seu nome os barcos pixi ndala e os barcos de patrulha;

    5. Foi roubado na sua residencia pelo seu segurança uma quantia avultada,o que faz antever lavagem de dinheiro;

    6. Fez negócio consigo próprio no caso da aquisição pelo estado (seu governo) do novo edificio destinado ao supremo tribunal de justiça. Negócio que está a ser alvo de uma sindicancia;

    6. Perdoou impostos à Rosema para depois tomar conta da empresa dando ordens aos coitados dos irmãos que fazem tudo que ele lhes pede;

    7. Vai promover uma reforma monetária envolvida em suspeita de crime. Segundo uma denuncia existe contrafacção das novas notas prontas para entrar no sistema beneficiando o ADI. Acção promovida pelo próprio Patrice Trovoada. A velha dobra que vai sair de circulação, vai voltar a entrar com a colaboração do senhor Governador do Banco Central.

    Perante tudo isso dou os meus parabéns ao dr Olegário pelo artigo. Os partidos politicos, a sociedade civil deverão mobilizar se para desmascarar esse mentiroso e corrupto primeiro ministro.

    No caso Rosema quem está a comandar toda a operação é o Patrice Trovoada. Ele dá ordens ao Procurador Geral que caiu também nas suas mãos.

    É o mais corrupto e perigoso Primeiro Ministro da nossa história. Está mais armado do que as forças armadas nacional. Isto significa que ele está a preparar se para a subversão do estado de direito.

    É caso para dizer guerra avisada não mata ninguém!

    Boas festas à todos.

  16. Martinho Tavares

    30 de Dezembro de 2017 as 12:14

    Só por pura má fé ou por espírito mercenário é que se pode defender ou estar a favor do golpe de estado institucional em marcha. O texto em apreço faz um retrato fiel do que está a ser orquestrado faz algum tempo. Isto começa com o empobrecimento generalizado para que algumas pessoas, mas mesmo poucas possam aparecer aos olhos de Messias com pedintes e bajuladores, fazendo destas um critério de ascensão. Depois a distribuição dos tachos para os melhores bajuladores. Em seguida o assalto as instituições de organização e realização de eleições. E finalmente o controlo do poder judicial por via da criação por força da maioria não qualificada de 2/3 (como devia por imperativo Constitucional ser 2/3 de votos) de um Tribunal Constitucional com a força (também inconstitucional) de Tribunal de última instância, conjugada com a função de Tribunal Eleitora. Melhor que isso para maquiar a Democracia depois de destruir não há. Quiçá a antiga Birmânia “a la mode sãotomiene/gabonais”. Acredito piamente que a democracia sobreviverá. Isto, não tenho dúvida.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo