Política

Fradique respondeu a Silva Cravid para limpar seu nome

Fradique de Menezes, ex-Presidente da República Democrática de São Tomé e Príncipe, convocou uma conferência de imprensa para responder às declarações do Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Silva Gomes Cravid, que desvalorizou a queixa crime apresentada pelo ex-Chefe de Estado contra o Juiz Presidente do Supremo Tribunal de Justiça.

As declarações de Silva Gomes Cravid, desvalorizando a queixa crime interposta por Fradique de Menezes, e mais ainda, tendo anunciado que a referida queixa só poderia ser o início de uma cabala contra si, mereceu reacção de Fradique de Menezes. « Na base de uma frase que registei no Téla Nón … Foi metido a queixa crime só para iniciar uma cabala contra mim», afirmou Fradique de Menezes.

Avisou a todo país, que não será jamais candidato a coisa nenhuma na República Democrática de São Tomé e Príncipe. Por isso, não tem interesse em forjar cabala para quem quer que seja. «Alguém dizer que é o início de uma cabala contra ela, não sei que é a vítima da cabala, se é o Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, ou eu que fui empurrado para este caso», frisou.

Fradique de Menezes, explicou que desconhece por completo os meandros do caso Rosema, que motivou a alegada tentativa de corrupção no Supremo Tribunal de Justiça. No entanto acabou por ser surpreendido por um telefonema do Juiz Conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça, Frederico da Glória. «Fui surpreedindo com um telefone do senhor Juiz Frederico da Glória a coisa de duas semanas, pedindo-me um encontro. Combinamos o encontro para as duas e meia da tarde. E ele veio dizer-me que vem da parte do senhor Presidente do Supremo Tribunal de Justiça para ter um encontro comigo, para que eu pudesse esclarecer se eu teria recebido de volta dois envolopes que foram-lhe levados pelo senhor Justino Veiga. Se eu poderia confirmar se já tinha recebido. Eu respondi que não enviei envelopes nenhuns. Então ele conta-me a história da Rosema e aquilo que está por détraz e que o doutor Justino Veiga tentou suborna-los num acto de ccorrupção».

Fradique de Menezes, disse que interrogou o Juiz Presidente sobre a origem dos envelopes. «Disse-lhe, mas o doutor Justino Veiga disse que fui eu?»

Juiz Frederico da Glória respondeu, «Não. Quando o apertamos ele disse que vinha lá de cima».

Fradique  retorquiu, «então deduziram que vinha lá de cima tinha que ser eu Fradique de Menezes. Mas porquê que deduziram que o senhor Justino veiga ter dito que vinha lá de cima tinha que ser Fradique de Menezes

Segundo Fradique de Menezes, o juiz Frederico da Glória, que foi recebido na sua quinta da Favorita, respondeu. «Talvez as relações que existe entre os senhores….»

Fradique reprovou a dedução do juiz conselheiro. «Não e não. Conheço bem Justino Veiga, foi meu assessor jurídico, tenho boas relações com ele, mas envelopes nenhuns. Não sei do que se trata».

Segundo Fradique de Menezes, acabou tendo uma conversa com o Justino, após este ter tido uma reunião com o Juiz Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Silva Cravid, e foi informado que tudo tinha sido esclarecido e que o seu nome não está na polémica.

Disse também que dois dias depois, foi esclarecido pelo Juiz Frederico da Glória num telefonema, de que efectivamente o caso tinha sido esclarecido e que o seu nome «não estava mais envolvido nisto».

No entanto, segundo Fradique de Menezes, após a apresentação pelo Juiz Presidente do Supremo Tribunal de Justiça da queixa contra o Justino Veiga, recebeu um telefonema do Procurador Geral da República, convidando-o para prestar declarações no processo, uma vez que o seu nome faz parte da queixa crime apresentada pelo Juiz Silva Gomes Cravid. « Vieram dois procuradores fazer perguntas e disse-lhes mais ou menos o que estou a dizer neste momento». Sublinhou.

O Presidente do Supremo Tribunal de Justiça considerou o seu acto de interpor queixa crime contra o seu assessor por alegada tentativa de corrupção, como algo inédito em 42 anos da independência nacional.

Acto que segundo o Juiz Presidente do Supremo Tribunal de Justiça deveria ser valorizado.  Fradique de Menezes, aproveitou para reagir. «Enquanto Presidente da República uma das minhas primeiras acções foi denunciar o acordo de petróleo danoso que o país tinha com a Nigéria.  Hoje receber lições de pessoas que descobriram a pólvora em relação na luta contra a corrupção, e pedir aplausos? Não.» pontuou.

Para Fradique de Menezes a rede social é actualmente o mais importante meio de comunicação e de informação no país. «A rede social funciona bem e tem desempenhado um papel muito eficaz, na transmissão de informações».

E foi mesmo na rede social que Fradique de Menezes, encontrou inspiração através de um artigo publicado, para contra-atacar o Presidente do Supremo Tribunal de Justiça. «É evidente que o título do artigo é forte. Demita-se Silva Cravid».

Fradique de Menezes que confessou ser leitor assíduo dos jornais digitais e seguidor presente das redes sociais avançou com suspeitas sobre o Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, por não ter mandado deter o seu assessor em flagrante delito. «Ele tem puder bastante de imediatamente deter o indivíduo. Porquê que não o fez? Envia um emissário vir ter comigo para saber se fui eu quem enviou os envelopes. Por conseguinte é muito difícil hoje aceitar-se que não haja algo aqui que careça de uma explicação muito clara», concluiu.

Abel Veiga

    15 comentários

15 comentários

  1. Santo Thona

    21 de Dezembro de 2017 as 4:46

    Este senhor quero vir juntamente com senhor Patrice Trovoada fomentar confusão. Sai, povo tá farto disso. Vai descansar. Me surpreendeu bastante ver a TVS a lhe conceder tantos minutos pra entrevista e entrevista na sua residência.

    É impensável isso TVS dar tanto tempo a oposição. Mas como Fradique e os Trovoadas são do mesmo tacho e da forma como estão a ser movida as coisas, tdo indica k há combinação entre ADI e Fradique (MDFM). Porque não é normal TVS de hoje dar mais de 10 minutos a oposição. Povo cuidado com Fradique MDFM e Patrice Trovoada, são farinhas do mesmo tacho. Esses dois gostam muito de confusão. Só que um não gosta do povo pequeno, insulta e põe com fome. Gosta de ver povo pobre e mendigo.

  2. Ana

    21 de Dezembro de 2017 as 6:05

    Não se percebe porque k o sr fradique esta com medo, pois pelo o que percebi nas suas declarações e do presidente do supremo o senhor do é testemunha para esclarecer td essa situação. E na minha opinião o senhor presidente do supremo agiu. Mas do que corretamente… Eu sei que está a te custar k no sistema de justiça, existem pessoas mt honesta.

  3. Kkkkk

    21 de Dezembro de 2017 as 6:13

    Kkkk, então o senhor esta com medo… O importante é que o senhor próprio veio esclarecer td essa situação. O que me leva a concluir que o senhor presidente e o seu colega, juiz conselheiro glória, agiram bem. Mt bem sr glória, dá-lhe mais glória e aleluia… Obrigado senhores juízes, nem o fradique, nem outros gajos do partido do adi, ou outro partido, devem elogiar o posicionamento do tribunal.

  4. Funciona

    21 de Dezembro de 2017 as 6:22

    A rede social, funciona bem! Mas nas redes sociais, o senhor só ou só leu o que lhe interessa, mas nas redes sociais 90% das pessoas, estão a elogiar a grande atitude do senhor presidente do supremo, só gente como sr e do partido do Messias é que estão em pânico, estão com medo que o sistema funcione

  5. Tatiana

    21 de Dezembro de 2017 as 6:28

    Se os senhores juízes já te esclareceram para quê k estas em pânico, o senhor deveria estar calado,com td respeito. E será que o senhor não está metido nisto, o homem pode estar a tentar proteger o senhor. Mando rijo com os gajos, sr Silva o salvador…..

  6. Aguardo

    21 de Dezembro de 2017 as 7:24

    Para si e para outros peço ao senhor presidente do supremo, para criar essa unidade de combate a corrupção, dr Silva por favor, cria uma unidade de combate a corrupção. Obrigado e força aí

  7. Augusto Reis.

    21 de Dezembro de 2017 as 10:01

    Obrigado Fradique pelo esclarecimento dado sobre o assunto. Assim e que deve ser, as pessoas tem que se disponibilizar em ajudar a esclarecer os factos. Pelo que o senhor explicou o silva cravid e o frederico da gloria se calhar queriam outra coisa.

  8. Conceicao Pereira

    21 de Dezembro de 2017 as 16:49

    Sou uma daquelas pessoas que recorda o que aconteceu quando O Sr F De Minizes foi a estrangeiro para vender o cacau , no governo de Presidente P da Costa , o F De Minezes nao regressou a Sao Tome por muitos anos.

    Bonus de assinatura , consta que recebeu , quando na camapnha para presidente afirmou que nao necessitava de dineiro de Sao Tome.

    Seria bom que a V Ex esclaresse essas situacoes antes de afirmar de que na aplaude ninguem quanto a combate a corrupcao.

    Ate la

  9. Carlos Pedroso

    21 de Dezembro de 2017 as 21:55

    Para esclarecimento de todos:
    Fradique Menezes também é cliente e recebe Cerveja da Rosema.
    Para fazer o quê com a mercadoria e oara quem não se sabe.
    Por isso vem ao público sair em defesa do maior accionista da Rosema que todos sabemos quem é. E não é Nino Monteiro.
    E veio falar um monte de besteira, até pareceu quem caiu de madeira.
    Força SILVA CRAVID.
    Cerra fileira contra corrupção e corruptos.

  10. Nelson Carvalho

    22 de Dezembro de 2017 as 11:44

    Meus aplausos ao Presidente do Supremo Tribunal de Justica. Forca, coragem.

  11. DITADURA DA PEDRA

    22 de Dezembro de 2017 as 16:43

    vai ganhar melhor figura do ano 2017 Dr Silva Gomes Cravid

  12. Martelo da Justiça

    22 de Dezembro de 2017 as 19:26

    Achei estranho as declarações de Fradique de Menezes. Achei estranho também de o poder dar-lhe tanto tempo de antena caso que não acontece em relação a oposição. Pouco a pouco as coisas estão a ficar esclarecidas. As declarações do Patrice Trovoada depois de introdução de queixa crime do PSTJ contra o seu assessor e outros foi apenas para confundir os menos atentos. Perante todo esse imbróglio a conclusão que se pode tirar é a seguinte:
    1ª – Colocaram uma casca de banana madura para o Presidente Silva Cravid escorregar com o objetivo de lhe enfraquecer e desacreditar;
    2º – A operação falhou porque foi denunciada e muito bem;
    3º – Perante o fracasso da operação, os malfeitores decidiram aplicar o plano B que consistiu em tentar desacreditar o PSTJ com muitos argumentos técnicos e outros que não fazem sentido. Fradique Menezes também embarcou nessa cruzada, Porque será?;
    4º – O mais caricato é que chegaram ao ponto de pedir a demissão do PSTJ por ter feito aquilo que devia fazer, só porque falhou todos os planos dos malfeitores.

  13. SAMPONHA

    26 de Dezembro de 2017 as 13:17

    Ilza Amado Vaz, actual Ministra de Justiça, Irmã do Augério Amado Vaz contratou o irmão para trabalhar nas alfândegas nos princípios do ano 2000 para assim fazerem uma dupla para desviarem e extorquirem os contribuintes. Mas como Augério Amado Vaz não cumpria o acordado e tomava quase tudo para ele o acordo foi quebrado e Augério afastado das alfandegas. Depois disso cada um dos irmão ficou por sua conta roubando ao Estado e enriquecendo-se a custa de todos os santomenses.
    Em pouco tempo que Augério ficou nas Alfandegas comprou mais de 3 viaturas incluindo aquela viatura antiga pertencente ao Presidente Pinto da Costa de quem ele era fã incondicional. Construiu 3 casas de raiz e comprou um apartamento no prédio Náutico que passou para o seu irmão António Amado Vaz e agora pertence a sua irmã Natacha Amado Vaz.
    Contudo, devido os exageros do Augério, a separação da esposa, fizeram com que o mesmo fosse perdendo tudo. As viaturas, as casas, incluindo a casa do Pirata, e a de Satón e ficou quase sem nada. Então Augério teve que buscar emprego a sério e entrou para os Tribunais como Juiz. Foi nessa qualidade que teve a oportunidade de perpectrar o Grande Golpe de Rosema, que o permitiu ganhar muita dinheiro, e passou a viver nos hotéis. Desde Hotel Pestana em S. Tomé, Club Santana, Marlin Beach, até vários hotéis de 5 estrelas em Lisboa, e passagem frequente pelos cassinos de Lisboa e de Estoril. Chupou e extorquiu ao seu ex-amigo Nino Monteiro que pagava por o todo luxo e toda a estravagância do Juiz de Lemba. Mas quando O Juiz de Lemba, Dr. Augério Amado Vaz, viu que a coisa começou a diminuir passou a chantagear o Nino. Coisa estragou entre eles. Afastamento e inimizades.
    Augério rapidamente passou Nino para trás para se juntar a outro jogador e adversário do Nino Monteiro, o angolano Melo Xavier Melo que passou a financiar Augério. Então, Augério apresentou-se como arrependido por ter cedido a fábrica Rosema injustamente ao Nino Monteiro. E tentou, segundo ele, fazer justiça devolver a fábrica ao seu verdadeiro dono, o Empresário Angolano Melo Xavier..
    Augério querendo fazer Justiça? Que justiça? O Juíz Augério Amado Vaz, nunca quis fazer Justiça nenhuma. Queria continuar a chupar os grandes clientes dos tribunais, que neste caso eram os dois rivais do caso Rosema. Primeiro Chupou dos Monteiros e quando se zangaram passou para o lado do Melo e começou a chupar do Melo. Intentou devolver a Rosema ao Melo como vingança contra os Monteiros que cortaram a abusiva vida cor-de-rosa que tinha a custa do dinheiro da Rosema. Augério na altura dizia; “Eu fui quem deu a fábrica a aqueles burros analfabetos e terão que financiar tudo que eu pedir. Terão de me dar dinheiro sempre e quando eu quiser…”
    Mas, os chantageados Monteiros cansaram-se e Augério queria tinha de se vingar dos ex-amigos, financiadores e burros dos Monteiros.
    O ódio do Augério contra os tribunais está no facto de outros, segundo ele, continuarem a usufruir da Rosema e ele que deu a galinha dos ovos de ouro ter ficado de fora. Por isso ele ataca tanto o Leite, por exemplo, que assumiu o barrulho e expulsou afastou Augério dos Tribunais e levantou ao mesmo um Processo Disciplinar.
    O Melo começou a financiar Augério. Este entretanto vai para Luanda, território do Melo e os novos amigos do Augério metem o mesmo a dar aulas na universidade. Mas todos sabemos que Augério não gosta de trabalhar. Queria mais e mais dinheiro fácil e boa vida. A vida de Angola é muito cara, o salário de professor não dava para tanta boa vida, esbanjamento e noitadas. E como o segundo golpe de Rosema que Augério intentou a favor do Melo não surtiu efeito, os angolanos cortaram financiamento.
    Entretanto, Rosema passou a ser um algo predilecto de outro Grande Jogador. O Patrice Trovoada. Este que mandou o Exercito tomar a fabrica e desrespeitando a decisão do Juiz Leonel Pinheiro. O novo juiz de Lemda. O Pinheiro sofre as consequências deste atrevimento até hoje.
    Bem, em Luanda e sem dinheiro fácil, Augério começa entrar novamente em decadência. Nada de novo. De festas em festas, de bebedeira em bebedeira, caído bêbado e na rua e socorrido por amigos e conhecidos, e desprestigiado como professor, e até corrido como professor universitário, Augério intenta a sua nova cartada. Desta vez em muito grande estilo.
    Augério contacta por vias indirectas ao Presidente Pinto da Costa para exercer influência sua em Angola para o introduzir nos esquemas e nos meandros do poder de Luanda. Já não restava mais nada ao Augério. Estava literalmente desgraçado em Luanda e por iniciativa própria, que se diga.
    Mas, para o desespero do Augério, Pinto da Costa não satisfaz o seu pedido nem os seus caprichos… Então Pinto da Costa que era o grande herói do Augério Amado Vaz, se transforma no seu INIMIGO NÚMERO 1. Logo, como inimigo do meu inimigo é meu amigo, Augério se transforma no amigo incondicional e lacaio do Patrice Trovoada e começa a trabalhar e a ser pago pelo Trovoada para destruir Pinto da Costa. Dupla Perfeita de inimigos que Pinto arranjou.
    Foi então quando Augério lança todo estes ataques completamente inconsequentes e incompreensíveis contra Pinto da Costa. Muito bem financiados pelo seu novo Chefe e pagador. Augério alcança o seu objectivo e chega ao Assessor da Presidência da República do novo Presidente que ele ajudou a eleger fraudulentamente.
    Mas as coisas não acabaram por aí e começaram as divergências… Como podem imaginar este personagem é insaciável. Assessor, Augério? De quem? Do Evaristo? Brincadeira tem hora. Somente mesmo quem não conhece no mínimo esta personagem é que poderia pensar que aquilo era para valer.
    Durou pouco… Bem, sobre o afastamento e exilo do Augério para Gabão falarei depois. Mas as causas e as consequências.
    Caros amigos, enfim saiu o engasgo, não foi tudo mas deu para sentir o aliviou diante de tantas mentiras do Augério.

  14. Metido a Besta

    8 de Maio de 2018 as 19:48

    O caso Rosema esta cheio de caviar e grande injustica perpetuada por corrupcao, So um cego de ganancia poderia pensar que levaria um plano deste contra empresa e empresario Angolano.

    Qualquer empresa e empresario defendem seus investimentos ,primeiramente local e nao estando satisfeito vai defender o seu caso internacionalmente.

    F de Menezes, P Trovoada, deputados estao a brincar com caso serios e fazendo de chicos espertos sacando juizes legislar em cima de joeho e medita e leis para servirem,

    Esperem for factura internacional para ganharem juizo,

    Ate diabo sabe quando perde ,

    Deus disse:Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. – Tiago 4:7 acf.

  15. Seabra

    11 de Maio de 2018 as 17:01

    É normal Senhor Fradique de Menezes,é assim que o Senhor procedeu quando tinha o PODER (e não o “puder “). Ouvia e recebia informações de “terceiros “pelos seus bufos, digo,os seus homens de mandado. Foi assim que lhe chegou aos ouvidos o que o seu ex 1o ministro Gabriel da Costa disse quanto a autonomia dele como 1o ministro em relação à Sua EXCELÊNCIA todo PODEROSO na época,e decidiu dimiti -lo.
    Você também teve algumas horas de DITADURA durante o seu reinado, em comloio com o pater M.Trovoada, que ACABOU caindo por àgua à baixo.
    Povo pequeno não tem memôria pequena.
    Boa reforma. …e sans rancune !

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo