Política

Crise : Rendição à vista – Governo corta financiamentos ao STJ

Numa nota endereçada ao Supremo Tribunal de Justiça, a Ministra da Justiça e dos Direitos Humanos, Ilza Amado Vaz, informou aos 3 juízes alvos da resolução da maioria parlamentar, de que desde 7 de Maio, data em que entrou em vigor a resolução parlamentar, «cessaram todos os direitos e regalias inerentes as funções que os juízes conselheiros ocupavam no Supremo Tribunal de Justiça.

A ministra informou ainda ao Supremo Tribunal de Justiça de que outros aspectos relativos ao cumprimento e aplicação da resolução estão a ser efectivados, pelos Ministérios das Finanças, dos Assuntos Sociais e da Administração Interna.

A nota da ministra Ilza Amado Vaz, acrescenta que os serviços administrativos dos Tribunais devem garantir a recuperação dos gabinetes, assim como viaturas e demais equipamentos que deverão ser entregues aos novos juízes conselheiros.

Pelo que o Téla Nón, apurou já nesta sexta – feira os 3 juízes conselheiros alvos da resolução do parlamento, terão deixado as suas viaturas no pátio do Supremo Tribunal de Justiça.

A oposição que tinha agendado para esta sexta – feira, uma manifestação para demonstrar a resistência contra o que considera ser ditadura de Patrice, também fez marcha atrás, suspendendo o protesto de rua.

Rendição parece estar à vista.

Téla Nón

    15 comentários

15 comentários

  1. Pedro Costa

    11 de Maio de 2018 as 19:33

    Como é que esta senhora chegou ao cargo de ministra? Foi uma aluna com muito fraca no meu “antigo” Liceu Nacional.Sinceramente. E esta senhora que está por cima e a frente do Dr. Cravid Silva. Tudo é possível, mas…
    Esta senhora está preparada para o cargo?
    Os bons e excelentes estão fora e os maus e medíocres estão a governar. Como é que este país pode andar nos carris?

  2. ybaguay

    11 de Maio de 2018 as 20:10

    E esta feito, acredito que seja a raiva de um Homem que por 2 vezes foi levantado moção de censura no parlamento e por nao ter a maioria foi simplesmente para casa descansar, Cumpram se.

    • Artur

      12 de Maio de 2018 as 11:40

      Caro Jovem,

      Com isto queres dizer que por ter maioria está acima da Lei ?

      Que por ter maioria, pode agora vir vingar os que por um instrumento legal em Democracia apresentaram a moção de censura?

      Que a Governação de um País pode se basear por “raiva” de quem não pense da mesma forma e não partilhe das mesmas opiniões?

      Que maioria agora significa o todo ?

      Que os que não fazem parte da maioria agora deixaram de ser santomenses ?

      Que qualquer governação com ou sem maioria absoluta não deve prestar contas a quem os elegeu e aos outros ?

      Que a maioria absoluta agora permite desreispeitar os outros orgão de soberania, porque simplesmente pensam diferente ?

      Enfim, podia aqui enumerar mais uma série de questões, mas que ao fim ao cabo revelar-se-iam inúteis perante a cegueira intelectual que se alastrou neste País nos últimos anos, e que nos levará ao abismo.

      Costuma-se dizer que mais vale tarde que nunca, mas para mim já não vamos a tempo. Este País tem os dias contados. Coisas muito sérias acontecerão nos próximos tempo para mal dos nossos pecados infelizmente.

      É muito triste ver jovens que se dizem viajados e esclarecidos com esse pensamento de ódio e vingança.

      Tu certamente estarás no lote de artistas que durante a campanha ajudara uma vez mais a enganar este Povo, e depois entrarás no avião e seguir a tua vida fora daqui com um bom pé de meia, e o Povo pequeno ficará cá para sofrer as consequências.

      Boa sorte.

      A História vos julgará.

  3. Metido a Besta

    11 de Maio de 2018 as 20:43

    Vai brincando go o fogo.

    Outra que tambem ja era,

  4. luisó

    11 de Maio de 2018 as 21:22

    Á atenção do téla:

    O título diz: o governo corta finaciamentos ao STJ…..
    Ora isto , segundo o texto, não é verdade.
    O que o governo cortou foi as regalias e direitos inerentes ás funções dos juizes do STJ que foram demitidos pela resolução.
    Não foram cortados os financiamentos do STJ que é uma entidade.
    Convenhamos……

  5. pinto

    12 de Maio de 2018 as 6:17

    E como agora?

  6. joao carlos

    12 de Maio de 2018 as 8:47

    Esta Ministra é uma simples delegada do Primeiro Ministro, aliás todo o Governo e o Presidente da República o são…

  7. Alvaro Marques Cravid

    12 de Maio de 2018 as 10:30

    Sr Pedro Costa, o Dr Silva Cravid está a altura da presidencia do supremo tribunal? O Silva Cravid, deveria pedir desculpas. Alias noutras republicas ele teria de prestar contas com a justiça pelo bem da justiça

    • Orth

      13 de Maio de 2018 as 18:32

      Pedir desculpas a quem? Pq?

      • WXYZ

        14 de Maio de 2018 as 1:57

        Ao povo Santomense. Pq jurou ditar justice para defende lo. Agora; comecou mal. Desde o dia em que teve aquele seu primeiro discurso tentando humilhar o Sr. Primeiro Ministro, se colocando acima de proprio Deus qdo citou ” Deus perdoa eu nao”. Ele antes de subir aaquele lugar ja pensava em alto que acabar com esse gajo.

  8. DC

    12 de Maio de 2018 as 11:49

    Que se saiba os funcionários do Supremo não recebem ordens de elementos de um outro poder…
    Porque raio de razão Director do Gabinete do Supremo ou o ou a responsável da DAF iria acatar a decisão de um membro de Governo, e não a decisão (administrativa) do Supremo ou do Conselho Superior da Magistratura. Pois, que se saiba, não é o Governo que gere, administrativamente, os tribunais…
    Os medíocres não param de surpreender!

  9. DC

    12 de Maio de 2018 as 15:00

    Alto aí!
    Esta ministra fantoche não é irmã do menos credível juiz que o STP já conheceu? O tal juiz de Lembá à data do início da aberração jurídica e judicial em que se tornou o dito Caso Rosema?
    E esta ministra fantoche não tem relações especiais com um dos eleitos para o inconstitucional tribunal constitucional?
    Em caso afirmativo, duplamente afirmativo, que credibilidade a mesma poderá ter para proferir as barbaridades que têm sido divulgadas pela comunicação social???

  10. José Frota Soares de Barros

    13 de Maio de 2018 as 16:09

    Boa tarde.
    Olha não preciso ser muito inteligente é só fazer uma pequena análise quem são aliados deste dito 1º ministro todos ditadores e criminosos e não só aliou-se até com grupos de búfalos.
    Falando sinceramente desta dita ministra a partida não se esperava mais nada é filha do ditador Amado Vaz o tal do serviço da SEGURANÇA DO ESTADO da 1ª República,este desprezo egoísmo egocentrico
    posso e faço esta incutido no gene dela herdado do pai.

    São pessoas sem escrúpulo.
    Querem céu e a terra ao mesmo tempo.
    Necessário se torna que nacionalista e patriotas se una de uma só voz para combater este perigo, que esta a solta que irá atingir todos e todos, o ditador é cego não irá perdoar mesmo os amigos mais próximos.

  11. Arroz Substancia

    14 de Maio de 2018 as 7:23

    Lamentavel eu fiz um comentario ontem aqui no tela non e nao foi publicado isto chama-se censura.

  12. Álvaro Sousa

    14 de Maio de 2018 as 11:05

    Caros compatriotas,

    Regressamos definitivamente ao passado – Regime DITATORIAL.

    Quem pensar o contrário, favor me esclarecer o seguinte:

    Será possível num Estado de Direito Democrático, O Governo determinar ordens aos tribunais?

    Será possível num Estado de direito Democrático, O Governo avaliar as decisões dos tribunais e ordenar a forma do seu cumprimento – Esta sim e outra não?

    Será possível num Estado de Direito Democrático, o Governo estimular e participar numa tramóia para derrubar um outro órgão de soberania, como é o caso do Supremo Tribunal de Justiça? O mais grave ainda, ser o próprio Governo a criar um vazio num sistema judicial, já que influenciou a exoneração de 3 juízes, impulsionou o afastamento e abandono dos mesmos nos respectivos gabinetes e consequente devolução das viaturas, antes de nomeação dos outros juízes em substituição dos chamados exonerados. Isto não acontece em nenhuma paragem do mundo Democrático.

    No Estado de Direito Democrático não deve haver vazio do poder. O Patrice Trovoada sabe e tem experiências disto, se tomasse como exemplo as diversas vezes que fora demitido no cargo de Primeiro-ministro, ficou em funções até a nomeação do novo Primeiro-ministro e formação do novo Governo! É assim no Estado de Direito Democrático.

    O Próprio Evaristo, dito Presidente da República, enquanto experiente no sector administrativo sabe bem disto! Tendo-lhes feito o contrário, significa que os dois deram um GOLPE DE ESTADO a Democracia e institucionalizaram a DITADURA em S.Tpmé e Príncipe.Tudo por causa da ROSEMA?????!!!!

    Ainda sobre a Rosema – Muita confusão e trapalhada jurídica. senão vejamos:

    1. Como avançar para um processo de execução sem instruções ou pedido do Tribunal de Angola, onde iniciou a contenta entre JAR (A) e a Redux (R), entende-se, A – autora e R – ré.

    2. Se a revelia dos tribunais de Angola justiça santomense avançou para execução, através de hasta pública, quem o arrematou?

    3. O arrematador depositou o seu preço aonde? Por norma, tratando-se de uma adjudicação judicial o valor deveria ser depositado nos cofres dos tribunais. Foi feito?

    4. Tendo cobrado o preço, quem fez o pagamento a autora? foi os tribunais? por que via?

    5. A proceder o pagamento por venda de um imóvel (fabrica) que, segundo as informações, tinha dívida fiscais, foi feito o pagamento ao credor privilegiado – Estado santomense? Pelos vistos não! Já que o Estado quis cobrar ao Melo uma divida fiscal da Rosema que data desde 2009.

    6. Diz-se que o processo transitou em julgado. Qual foi o tribunal que a sentenciou? Há algum despacho que julgou a extinção do processo?

    7. Existe alguma certidão de sentença desta extinção? Se existe, quem sentenciou e quem mandou passar a certidão?

    8. O Nino comprou a fabrica no leilão ou nas mãos da JAR? Como é que conseguiu documentos para registar a fabrica em nome da suam empresa – Solnivan, quando não é parte do processo?

    9. Que processo tenha sido transitado em julgado, quando o Supremo Tribunal de Angola, solicita a devolução da carta rogatória?

    10. Muita TRAPALHADA, Muita CORRUPÇÃO, Muita ALDRABICE, Muita INCOMPETÊNCIA, Muitos LADRÕES, Muitos AMBICIOSOS e Muita VERGONHA para o meu belo país e o seu povo. Disse!

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo