Política

Operacional que denunciou Patrice Trovoada acusa Ministério Público

O ataque de Peter Lopes, antigo operacional do Batalhão Búfalo contra o Ministério Público de São Tomé e Príncipe, tem a ver com a denúncia que o mesmo fez em Agosto de 2017, contra o ex-Primeiro Ministro Patrice Trovoada. Num vídeo que circulou nas redes sociais e foi reproduzido pelos órgãos de comunicação social, Peter Lopes, acusou Patrice Trovoada de ter sido o financiador do Golpe de Estado de julho do ano 2003.

Mais ainda, garantiu que o ex-Primeiro Ministro, deu ordens aos operacionais do batalhão búfalo que organizaram e executaram o golpe de Estado, para matarem três personalidades, nomeadamente os ex-Presidentes Manuel Pinto da Costa e Fradique de Menezes(este na altura(2003) Presidente da República), e o actual Ministro da Defesa e Ordem Interna o coronel Óscar Sousa.

—————–

Peter Lopes que regressou a São Tomé e Príncipe na última semana, estranha o facto do Ministério Público são-tomense não o ter convocado para prestar declarações no âmbito  do processo crime solicitado por forças políticas e a sociedade civil são-tomense, no sentido do esclarecimento do caso.

O jornalista Manuel Barros, do Jornal Vitrina, entrevistou Peter Lopes em São Tomé, e relata as acusações feitas pelo ex-operacional do Batalhão Búfalo contra o Ministério Público de São Tomé e Príncipe.

Peter Lopes, um dos participantes do golpe militar de 2003 em São Tomé acusou hoje o Ministério Publico de “falta de interesse” na investigação de acusações ao ex-primeiro-ministro, Patrice Trovoada, segundo a qual o antigo chefe do governo teria dado ordens para assassinar, na altura, três figuras do estado, nomeadamente, Manuel Pinto da Costa, Fradique de Menezes e Óscar Sousa.

Para mim essa gente da Procuradoria Geral da República (PGR) não tem moral. Se eles não têm interesse, eu muito menos. Eu já fiz a acusação, eles procuram o homem (Patrice Trovoada), e esclarecemos isso”, disse Peter Lopes, ex-soldado do extinto Batalhão Búfalo.

Há pouco mais de cinco meses, num vídeo colocado na sua página de rede social Facebook, Peter Lopes referiu Patrice Trovoada como sendo o financiador do golpe de estado de 2003 em São Tomé, altura em que deu ordens expressas para assassinar fisicamente três figuras do estado são-tomense, designadamente os ex-presidentes, Manuel Pinto da Costa, Fradique de Menezes e o ex-ministro da defesa, Óscar Sousa.

«Eu mandei uma carta a Procuradoria Geral da República são-tomense, porque é que não me responderam? Como sabem que eu ia dizer verdades que iriam mexer com muita gente, o Ministério Publico simplesmente rasgou a minha carta”, acusou Peter Lopes.

Já fiz o que tinha que ser feito, agora se eles (os tribunais) quiserem, que venham ter comigo. Não tenho que ir a Procuradoria Geral da República ou os Tribunais a dizer que eu estou aqui, aliás, eles sabem que eu estou cá”, acrescenta.

Diz que “assume” essas declarações fez e em caso de ser chamado aos tribunais vai poder provar que “Patrice Trovoada deu ordens” para assassinar Pinto da Costa, Fradique de Menezes e Óscar Sousa sem “precisar de um advogado”.

Todo o mundo sabe que o Sr. Patrice Trovoada estava bastante envolvido no financiamento do golpe de estado de 2003, a intenção dele era matar aquelas figuras, mas não era essa a nossa intenção porque nós somos são-tomenses. Houve golpe, mas não houve sangue”, explica.

Lembra ainda que um dos motivos que levou os golpistas a não acatarem a decisão foi os laços familiares que ligam os são-tomenses.

Embora fizemos a nossa vida militar fora do país, numa unidade especial (Batalhao 33 ‘Bufalo’ da empresa Executive Otocome, da África do Sul), nós continuamos com aquela cultura do são-tomense, somos filhos de são-tomenses, nascemos aqui, jogamos futebol aqui”, defendeu.

Peter Lopes explicou que alguns dias depois de fazer o vídeo, o governo de Patrice Trovoada “mandou uma carta” ao governo da África do Sul para saber se realmente fui eu que fiz o vídeo”.

Fui chamado pelo ministério dos negócios estrangeiros da África do Sul, a Interpol e a Inteligência sul africana e numa reunião eu assumi claramente que fui eu que fiz o vídeo”, explicou.

Mandaram-me embora porque viram que eu simplesmente falei a verdade ao povo que eu queria que soubesse”.
O sr. Patrice Trovoada sabe perfeitamente porque razão o Ministério Publico não aceitou que eu viesse a São Tomé para fazer essas declarações. Eu queria que o meu julgamento ou as minhas declarações fossem publicas para que todo o povo me ouvisse”, explicou.

Diz que “tudo agora depende da justiça, se quiserem abrir o processo que o façam”, manifestando-se disponível “a toda e qualquer hora” para depor no Ministério Público ou nos tribunais, mas que espera que a decisão parta dos órgãos judiciais.

Peter Lopes está no país há uma semana, mas garante que não vai, por iniciativa própria, ao Ministério Público, por achar que seria “perda de tempo”.

M. Barros

    11 comentários

11 comentários

  1. Homem Grande

    23 de Janeiro de 2019 as 0:07

    Dirigentes como Patrice Trovoada devem sentar-se nas barras dos Tribunais para realmente começarem a apreciar o mundo de outra forma e de outros Ângulos. Daqui para frente vai ser e terá que ser assim, responsabilizar todo e qualquer político seja de que partido for por todos actos que tenham praticado e que tenham prejudicado e lesado o País.. Esse povo já sofreu demais, outra coisa não se espera do Ministério Público e dos Tribunais.. É com muita espectativa que se aguarda que sr. PATRICE Trovoada responda por esse e outros casos que aconteceram nesses últimos 4 anos.
    E que isto sirva de lição para os futuros Governantes de S. Tomé e Príncipe.

  2. Carolinapires

    23 de Janeiro de 2019 as 0:28

    Caro Literatura o Fradique de Menezes já está feito com Patrice Trovoada.Ao mando do Patrice Trovoada o Nino Monteiro foi oferecer ao Fradique Minezes 50% da produção da Rosema para ele retirar do governo os dois Secretários de Estados de modo a provocar crise e cair o governo de Bom Jesus. O bom senso prevaleceu nos dois Secretários de Estados e não aceitaram a proposta do Fradique. Este homem é bandido e aldrabão. Devia mesmo ser morto porque ele não vale um tostão.Povo bili uê cu Fradique ô.

    • sotavento

      23 de Janeiro de 2019 as 9:59

      Cara Carolinapires
      Nao sou ninguém para julgar o seu comentario, creio que podemos criticar, podemos denunciar sem desear morte a otros. Nao defiendo o Fredique nem algum político de STP.Quando diz ” debía mesmo ser morto porque nao vale um tostao” é deselegante e sobretudo manifestá odio que é um sentimiento malisimo.Em STP nao se sabe criticar sem desear isto ou aquilo ao outro, náo se sabe criticar sem ofender, náo se sabe criticar sem entrar muitas vezes em aspectos íntimos e é feio isto.

  3. Gerhard Seibert

    23 de Janeiro de 2019 as 11:59

    O Batalhão Búfalo não fazia parte da empresa de mercenários Executive Outcomes. O Batalhão Búfalo, oficialmente designado Batalhão 32 e estabelecido em 1975, era uma unidade do exército sul-africano durante o regime do apartheid. Integrou muitos estrangeiros africanos, em particular ex-soldados da Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA). Foi dissolvido logo após o fim deste regime racista, em 1993. Depois, alguns ex-militares do Batalhão Búfalo juntaram-se à Executive Outcomes que atuou em Angola, Serra Leoa e Ilhas Salomão (Pacífico). Foi extinta em 1998.

  4. Arroz substância

    23 de Janeiro de 2019 as 12:19

    Falam tanto de democracia depois este jornal permite a publicação de mensagem de odio a disejar morte ao adversários políticos é inaceitável não pode valer tudo na política foi queima de carro S.tome não precisa disto.

  5. Justiça

    23 de Janeiro de 2019 as 14:33

    Este povo pede justiça há muito tempo!Muitas situações passam e os bandidos ficam impunes! Muita brincadeira neste país! Se isto continuar assim,podem ter de certo que haverá revolução em S.t.P.
    Deve haver justiça para todos!
    Aliás já está no tempo de tirarem de lá esse procurador da República e aliás deveria ser uma das primeira medida que esse governo deveria tomar,mas não toma.
    A onde estamos afinal?
    A mas de que prova suficente para este governo propor ao Presidente um novo Procurador Geral De República e cabe ao Presidente da República que fez juramento perante este povo e se de facto gosta deste povo exonerar este Procurador e nomear um novo Procurador sério,porque já basta!
    Há muita impunidade no país e isto tem que ter um fim imediato!
    Eu fiz campanha para MLSTP,fiz campanha porque queria ver um país livre de ditadura,livre de impunidades,livre de bandidagens e para mim este governo está muito lento nas nomeações,nas tomadas de decisões,o governo tem que fazer mudanças que têm que ser feitas,ter pessoas de sua confiança política e digam o que digam não importa.Vir aqui dizer que este governo está a fazer o mesmo que fez o governo anterior só porque estão a colocar os seus militantes,isso não importa. Para mim,é que essas novas pessoas que estão a ocupar o cargo sejam humildes ,serios,transparente e que trabalhem para o país.
    Então deve sim,haver mudanças,aliás o povo votou porque quer mudanças e mudanças e este governo de Bom Jesus,está muito lento,assim não dá! Precisam de maior dinamismo e tomar decisões que devem ser tomadas.
    Outro grande erro desse governo actual é anunciar despedimentos em muitos pontos,como Finanças,saúde e outros lugares e continuam já a semanas com os mesmos directores,isto quer dizer que este governo está a dormir,está preguiçoso,isto dá margens para baixa de produtividade,para esconderem processos,para armadilharem o sistema,tudo isto eu culpo categoricamente este governo.
    Então para terminar,esperamos e apelamos ao Sr.Bom Jesus que mude imediatamente este procurador geral de república,porque o país está a perder muito com bandidagens,impunidades e os grandes bandidos fivam a solta e a gozar deste povo!

  6. SAMPONHA

    23 de Janeiro de 2019 as 15:44

    Foi por isso que o ADI, o partido que apoiou e sustentou com maioria absoluta o governo liderado por Patrice Emery Trovoada durante os 4 anos escorraçou na sessão de Assembleia Nacional os Juízes Conselheiros Silva Cravid,Frederico da Glória, Silvestre Leite e Alice Carvalho do Supremo Tribunal de Justiça para conseguir o seu intento. Daí se compreende que o cidadão Fradique de Menezes tentou corromper o Juíz Silva a mando do senhor Patrice Emery Trovoada no processo Rosema. Como este não aceitou, o senhor Patrice Trovoada manda os Juízes Conselheiros para casa, sem salário e sem pelo menos um processo para o apuramento da verdade. Os Juízes Conselheiros respondiam uma carta Rogatório da sua congénere Angolano interposto por um seu cidadão (Mello Xavier). A carta rogatória é uma solicitação jurídica que qualquer Estado solicita a situação que envolve judicialmente o seu concidadão num País Estrangeiro. Foi no meu entender, que o Supremo Tribunal de Justiça resolve responder. Passaria de igual forma, caso fosse o contrário. Envolvendo judicialmente o cidadão Santomense para Supremo Tribunal de Angola. Faço uma comparação “transitar em julgado” com uma pessoa morta e enterrada. Se houver um caso litigioso, envolvendo familiares pela morte da pessoa, pode passar anos e anos um dos cônjuges,até mesmo envolvendo as Instituições que levou a falência uma Empresa ,um dos accionista foi coagido pode mandar exumar o corpo ou rever toda a papelada já no arquivo morto para saber e conhecer a causa da morte ou a causa da falência. Passa também no organismo de Segurança Social em todo Mundo. Um pensionista já falecido continua recebendo Pensões.O senhor Fradique de Menezes e o senhor Patrice Emery Trovoada jamais se separam, sobretudo agora que o cidadão Fradique de Menezes está descapitalizado,perdendo assim o seu carácter

  7. Madredeus.igreja

    23 de Janeiro de 2019 as 18:50

    O governo de Pinta Cabra, mais o seu partido ADI, foram um governo CLEPTOCRARIA.

    Todo o mundo viu o que foram estes 4 anos.
    Os Tribunais, Procuradores da República, PJ e os polícias, foram complacentes com este governo. Não cumpriram as leis da república, do qual eram mandatários de faz cumprir as leis. E hoje lamentamos, as nossas estradas, os nossos Hospitais, postos médicos, o emprego, a educação, transportes públicos e Saniamentos básicos.

    Estamos a narrados, com os políticos corruptos, ladrões e destruidores da coisa pública.

    Como é possível, uma denúncia desta,para matar altas figura de estado e os tribunais, por e semplimente ignoraram.
    Na Rosema, até uma relés tribunal, contrária ordem do tribunal superior.
    Coisa só em S. Tomé e Príncipe. Ainda tem um cara de pau, vir a praça pública, dizer que está desagradado.

    Quanto a novo governo, só pedimos misericórdia.

    Até hoje ele não entregaram ao tribunal, certidão dos seus bens.
    Mais uma vez, a pouca vergonha continua. Não estão a ser sérios com este povo.
    É bom lembrar a esses políticos, que o povo espera saber a real situação do país. O que temos e o que não temos.

    Até hoje, ninguém sentou no banco de réus. Perante gravidade dos acontecimentos, na EMAE, no BANCO CENTRAl, no ANP, na ENAPOR, na ALFÂNDEGAS, no CORREIOS, tudo que é de estado.

    Estão a ignorar o povo, mais uma vez ou seja, não podem denunciar ninguém, porque eles políticos, comem todos juntos.
    Não é aceitável que o que é do povo, só uma minoria comem e não fazem nada.
    Dá uma visto de olhos a nossa cidade, por amor de Deus.

    Ao governo digo-lhes o seguinte:

    A Coligação política é a arte de usar o sapato direito no pé esquerdo sem deixar calos.

    Cuidem-se, são novos tempos

  8. Bem de S.Tomé e Príncipe

    24 de Janeiro de 2019 as 11:29

    As afirmações do Peter Lopes são verdadeiras. Pq? Porque foi a pessoa que pertencia batalhão Búfalos, e que era guarda especial de Patrice.Um escritor nigeriano já havia anunciado no seu livro o financiamento de Golpe de Estado pelo PT.
    Não vi, nem ouvi que Nino Monteiro quer ceder ou vai ceder 50% de fábrica Rosema ao Fradique. Mas onde há fumo, houve, há, ou haverá fogo. Se de facto o Nino quer ceder 50% ao Fradique, então essa posse da Rosema é ilegal do Nino.

  9. Seabra

    24 de Janeiro de 2019 as 23:59

    Como sempre disse e continuo a dizer, os únicos golpistas do Estado em STP são os Trovoada pai e filho (Miguel e Patrice).
    Tal pai tal filho. Corruptos, criminosos, larápios compulsivos, mafiosos e muito calculistas,têm um ser oportunista e são muito rancorosos, MENTIROSOS, ingratos.
    Só citarei 2 exemplos (há centenas sobre estes VAGABUNDOS ) :
    – a ingratidão em relação ao Mário Soares, que muito ajudou a família Trovoada, e por VINGANÇA o PT na altura 1o ministro não foi e tão pouco enviou um membro de governo representar STP, isto porque foi-lhe recusado um pedido da parte do Mário Soares ( imagina só quem é o reles PT comparado ao M.Soares).
    – quanto ao Pai Miguel Trovoada, foi na Guiné Bissau, que muito lhe ajudou, tirando-lhe de situações dificeis e delicadas, sustentando a sua família durante anos como asilado político,atribuindo um passaporte diplomàtico, tentou dar um golpe à GB junto da ONU…mas saiu-se muito mal, porque o ex primeiro ministro Carlos Correia refrescou -lhe a memória e pôs-lhe no seu devido lugar e o Miguel Trovoada meteu o rabo entre as pernas e fugou da GB antes do fim da sua missão.
    Parece que os da Guiné não brincam, é tiro e queda…nenhum tempo a perder.

  10. Rapaz de reboque

    25 de Janeiro de 2019 as 0:34

    Alguns dos nossos irmãos cuspem no prato de quem lhe da de comer infelizmente

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo