Opinião

MLSTP/PSD: Mudança ou morte?!…

Armindo de Ceita do Espírito Santo, economista emigrante em Portugal, analisa o partido MLSTP/PSD a luz dos resultados das eleições legislativas de 1 de Agosto. MLSTP/PSD: Mudança ou morte?!…

De acordo com os resultados das últimas eleições (autárquicas, regionais e legislativas), a base sociológica do eleitorado do MLSTP/PSD é, hoje, maioritariamente do meio rural e envelhecida. Esta leitura obriga a uma reflexão para uma tomada de posição sobre a mudança que é preciso operar no interior do partido de maneira a que o mesmo se afirme como um partido de governação efectivo.

Tendo em consideração o mau resultado alcançado sob o comando de Rafael Branco, e as dificuldades manifestadas para pacificar as diferentes sensibilidades do partido, o ainda presidente do MLSTP/PSD não parece ter condições para continuar à frente dos destinos deste partido.

Acreditámos, seriamente, que ele terá já tomado a decisão de se demitir da liderança do partido, em respeito à velha máxima: A EQUIPA QUE PERDE TEM QUE SER SUBSTITUÍDA. E isso obriga a uma mudança rápida de liderança de maneira a dar uma nova dinâmica ao partido, credibilidade e pujança para novos combates que se avizinham.

Com um desempenho tão fraco, quando o objectivo era eleger um governo, um parlamento e perspectivar a eleição do presidente da república, e tudo parecia indicar que tinha, à partida, todas as condições para realizar estes objectivos, o partido averbou um enorme revés e isso reduziu substancialmente o espaço de manobra de Rafael Branco dentro do partido, pelo que parece-nos consensual, e para o bem da estabilidade e crescimento do partido, que sejam encontradas outras soluções. É nosso entendimento que essas soluções passam pela eleição duma nova liderança, com um novo paradigma e um estilo de orientação mais a NORTE.

É preciso ter presente que o povo deixou um aviso muito claro ao MLSTP/PSD: MUDANÇA OU MORTE. E para evitar a morte do partido, todos os membros devem tomar consciência da necessidade imperiosa da introdução de mudanças urgentes e eficientes. E uma tal mudança deve contar com a participação activa dos jovens do partido.

Relembro aqui que as mudanças que ocorrem na generalidade dos países pelo mundo fora são desencadeadas pelos jovens. Foram os jovens são-tomenses que desencadearam iniciativas entre 1974 e 1975 que conduziram à independência de S. Tomé e Príncipe. Foram, igualmente, jovens são-tomenses que precipitaram a queda do regime do partido único em 1990.

Isso serve para mostrar que os jovens do MLSTP/PSD têm a obrigação de pressionar a mudança no interior do partido para o bem do país e do povo são-tomense. Os jovens não podem ficar à espera que surja um líder para lhes comandar e promover a mudança. Há jovens capazes que podem perfeitamente liderar a mudança e dirigir o partido. Não podem os jovens são-tomenses ficar à espera que sejam os “velhos” e “envelhecidos” a decidir as suas vidas. Os “velhos” são os membros mais antigos do partido (com mais de 20 anos). “Envelhecidos” são os antigos membros que são limitados em termos de ideias para introduzir dinâmicas de mudança no partido e no país para o seu desenvolvimento. São aqueles que não sabem pensar mas sim praticar actos que não beneficiam o partido e muito menos o país. Esses “envelhecidos”, porque são limitados do ponto de vista cognitivo, mas hábeis do ponto de vista de más práticas, usam esquemas para comprar amizades ou consciência de maneira a perpetuarem no cargo.

Mas há membros antigos que desejam uma mudança de rumo para o partido e estes devem colaborar com os jovens para tornar efectiva a mudança. Por isso, é importante que os jovens não se deixem dominar por esses “envelhecidos” e decidam contribuir de forma determinada para uma mudança clara no seio do partido. É bom cuidar que a mudança que defendemos se enquadra no nosso modelo de revolução democrática que consiste na participação activa e permanente para a mudança.

Relembre-se que este modelo tem subjacente a nossa teoria de transparência democrática, que exige que os políticos e altos funcionários do Estado desempenhem as suas funções com competência, elevação, transparência e responsabilização. Em última instância, isso significa que só os mais capazes devem ser escolhidos para desempenhar as funções de responsabilidade, não podem ser corruptos e devem praticar sistematicamente uma utilidade.

O que dissemos para o MLSTP/PSD também se aplica para o PCD, na medida em que estes partidos devem ser encarados como alternativas ao partido que agora governa o país. Mas para serem alternativas têm que introduzir mudanças profundas no seu funcionamento e no modelo e estilo de lideranças. Se as mudanças não forem introduzidas rapidamente e ADI governar de maneira a convencer o povo e a Comunidade Internacional, tanto MLSTP/PSD como o PCD poderão, a prazo, cair no anonimato.

Armindo de Ceita do Espírito Santo – Economista (ISCTE/IUL)

    33 comentários

33 comentários

  1. cesarjesus

    25 de Agosto de 2010 as 21:10

    Nao vai ser facil uma mudanca dentro do MLSTP/PSD, pois existe um circo viciado de elementos que circulam entre si dentro do partido em que dificultam qualquer manobra de jovens progredirem ou mesmo darem a cara frente do partido!
    Para um MLSTP/PSD novo exige uma reforma Politica dentro do partido, aqueles que a idade nao lhes proporcionam uma visao de mundo actual deveriam deixar o cargo, pois terao que aceitar a realidade actual em todo os aspectos incluindo do povo santomense que ja tem uma visao diferente!
    Pois o povo ja nao contenta com promessas, ja sabem revindicar os seus direitos coisa que os velhos e envelhecidos politicos de nosso Pais nao sabem lidar com esta situacao!
    No mundo actual os politicos devem saber dar a cara, estar em contacto com a Populacao de forma a estarem a par do que se passa e conhecer os problemas que afectam a massa popular, pois nao se faz Politica so no Parlamento, e so vem a rua nas ocasioes das eleicoes mostrar o sorriso amarelo ao povo!!!
    Se o MLSTP/PSD nao mudar da postura e figura politica e natural que vao desaparecer, e se o ADI fizer um bom governo nestes quatro anos ai a vida do MLSTP/PSD complicara drasticamente!!!

    Forca Povo STP…

  2. Santo

    26 de Agosto de 2010 as 8:48

    Os jovens que possivelmente serão eleito para dirigir estes partidos(MLSTP e PCD),vão ter muitas dificuldade de afirmação, porque maioria deles nem foram eleito deputados, sendo que a interpelação ao Governo não será tão eficaz, ou seja, quem vai ainda continuar a ter algum protagonismo são a velha guarda..

    • Arlindo Borja

      26 de Agosto de 2010 as 12:51

      Me parece que o lider que for eleito deve ocupar o lugar do Rafael Branco. Ele sai e dá lugar a outro.

  3. Leopardo

    26 de Agosto de 2010 as 10:10

    Seria bom que o Sr. Armindo de Ceita, fizesse uma análise economica do País e não uma análise Politica do MLSTP. Seja mais inteligente.

    • Jonnes

      26 de Agosto de 2010 as 16:38

      r. Leopardo, atitude dessa natureza jamais contribuirá para dignificar os os comentadores e as pessoas que emitem as suas opiniões relativamente ao contexto caracterizador da actual conjuntura do nosso país.
      Peço-lhe que altere a sua postura interventiva enquanto comentador para que verdadeiramente possa dar a sua contribuição em prol ao desenvolvimento da RDSTP, porque cada um é livre de emitir opinião sobre tema que bem entender desde que não ponha em causa os princípios básicos sustentadores do nosso relacionamento social. O Sr. Arlindo não deixa de ser inteligente somente porque não fez análise económica do país.
      Com base no seu suposto intelecto, que teço essas considerações na esperança que não me venha dizer:
      – Senhor escreve mal porque há já alguns dias, passei a escrever com base no novo acordo ortográfico.
      País espera por nós, para isso é preciso que nos preparemos da melhor forma possível porque corremos o risco de sermos energúmenos no exacto momento em que o encontramos.

    • Jonnes

      26 de Agosto de 2010 as 16:39

      Sr. Leopardo, atitude dessa natureza jamais contribuirá para dignificar os os comentadores e as pessoas que emitem as suas opiniões relativamente ao contexto caracterizador da actual conjuntura do nosso país.
      Peço-lhe que altere a sua postura interventiva enquanto comentador para que verdadeiramente possa dar a sua contribuição em prol ao desenvolvimento da RDSTP, porque cada um é livre de emitir opinião sobre tema que bem entender desde que não ponha em causa os princípios básicos sustentadores do nosso relacionamento social. O Sr. Arlindo não deixa de ser inteligente somente porque não fez análise económica do país.
      Com base no seu suposto intelecto, que teço essas considerações na esperança que não me venha dizer:
      – Senhor escreve mal porque há já alguns dias, passei a escrever com base no novo acordo ortográfico.
      País espera por nós, para isso é preciso que nos preparemos da melhor forma possível porque corremos o risco de sermos energúmenos no exacto momento em que o encontramos.

    • Armindo do Espírito Santo

      26 de Agosto de 2010 as 16:44

      Falar de economia no contexto não ocidental e, particularmente, em relação aos países africanos, deixando de fora a dimensão política, quando esta é determinante daquela, é indiciador de um elevado défice cognitivo sobre matérias de desenvolvimento socioeconimico. Repito aqui o que é de conhecimento geral: no universo das ciências sociais, se há alguma área que mais se liga com a economia é justamente a política. Sobretudo em África, são os actores políticos que determinam a orientação económica.

    • Sem peixe nem banana...

      26 de Agosto de 2010 as 17:56

      Meu caro Leopardo,
      Quem manifestou total ausência de inteligência, com todo respeito, é o senhor. O Dr. Armindo por ser inteligente apercebeu-se que um MLSTP forte sem vícios, rejuvenescido, moderno, dará uma melhor contribuição no processo desenvolvimento do nosso País. Mais ainda, por ser um cidadão consciente que o MLSTP/PSD é a maior e o mais organizada instituição político do País, e como tal, merece e merecerá sempre analise de estudiosos atentos e inteligentes como Dr. Armindo Espírito Santos.

    • Nosolino Vera cruz

      28 de Agosto de 2010 as 15:30

      Caro Leopardo, não concordo consigo, aliás, antes de fazermos um comentário acerca de algo ou de alguém, temos que saber muito bem do que falamos.
      Se pesquisar na internet acerca do Armindo de Ceita do Espírito Santo vai retirar o comentário que fez acerca do seu artigo, isto porque vera que ele tem-se preocupado com S.Tomé e Príncipe. E portanto, deixemo-nos de comentar de forma negativa e sem fundamento os artigos. Vamos ver a parte boa que cada um escreve. A nossa preocupação é com quem governa ou com que dá a sua humilde opinião? É bom pensar nisto.

      Será que somos tão inteligentes para pedir-mos aos outros que sejam um pouco mais? É bom pensar nisto. Como poderá constatar, se for pesquisar, o grau de Mestre que tem Armindo de Ceita do Espírito Santo e os livros publicados já demonstram a sua grande inteligência.

      Eu peço que não veja na minha resposta em relação ao seu comentário uma chamada de atenção, antes pelo contrário, penso que estou a ajudar-lhe a ser mais coerente consigo mesmo e despertar para utilização mais proveitosa deste espaço que nos é oferecido pelo Téla Nón.

      Para lhe ajudar na pesquisa que lhe pedi para efectuar, envio-lhe abaixo os títulos dos livros publicados Pelo Mestre Armindo de Ceita de Espírito Santo.

      Economia de S. Tomé e Príncipe, entre o regime do partido único e multipartidarismo

      Autoria: Armindo Ceita Espírito Santo
      Temas: África, Partidos Políticos, Economia e Gestão

      S. Tomé e Príncipe – Problemas e perspectivas para o seu desenvolvimento

      Autoria: Armindo Ceita Espírito Santo
      Temas: História de África

  4. Arlindo Borja

    26 de Agosto de 2010 as 10:51

    Muito bem dito Dr. Armindo de Ceita do Espírito Santo, no entanto podemos dizer ainda que embora o Partido MLSTP/PSD perdeu as eleições, é o segundo partido mais votado, isso ainda é um grande feito, tendo em conta que as velhas liderança nunca fizeram nada para o desenvolvimento sustentável de STP. Ora, podemos dizer que temos todas as condições para ser um país em via de desenvolvimento. Temos recursos hídricos, terra fértil, mar, petróleo, são meios que sendo bem explorado seria um grande passo rumo ao desenvolvimento sustentável, podemos apostar no turismo, temos ou não as condições para explorar o turismo? Muitos pensam que sim.
    Somente quero dizer que no meio do MLSTP/PSD e do PCD as figuras que governaram o país durante esses anos nunca se preocuparam com o desenvolvimento de STP, nunca foram capaz de ter uma politica clara pró desenvolvimento exemplo falou-se bastante de zona franca na década de 90, esse projecto nunca arrancou, agora fala-se de porto das águas profundas (o Sr. Rafael prometeu criar 10.000 empregos…seu mentiroso) não acredito que vai pegar… infelizmente o povo é que sofre porque a população confia nesses lideres e no entanto eles nunca fazem nada, só sabem discutir coisas alheias, os problemas estruturantes do país nunca é discutido com clareza no parlamento. Penso que as mentalidades dos governantes devem mudar, têm que saber que o país é uma ilha muito pequena que se trabalhemos unidos, os nossos netos viveram muito bem.
    Sei que esses partidos da oposição não vão deixar Patrício governar. Será que o novo líder que será eleito do MLSTP/PSD ou do PCD vai viabilizar o orçamento e o programo do governo do ADI, duvido, isso nunca caracterizou os políticos sãotomense, reflectem sobre isso.
    Realmente o partido MLSTP/PSD deve mudar, o líder que será eleito, espero que seja um jovem com carácter e honestidade possa trazer algo de bom para aquele partido, ideias frescas, o nosso STP precisa mudar, espero que dentro de 5 anos o mundo mire nosso lindo STP com outro olhar.
    Fui

    AB

  5. João gonçalves

    26 de Agosto de 2010 as 11:37

    Plenamente de acordo com o subescritor deste artigo, ainda para reforçar o artigo, seria muito bom se de igual forma tivéssimos um Parlamento que funcionasse em pleno, ou seja que os Deputados da Nação abdicassem dos seus empregos outros e dedicassem toda a energia e força no exercício desta nobre função, de modo que o Regimento da Plenária da Assembleia fosse mais constante e efectiva, evitando assim que muitos dos assuntos vitais para o desenvolvimento do País não fossem relegados para à posteriori, pois se efectivamente essas individualidades eleitas defenderem os interesses dos seus eleitores e por conseguinte da Nação, não vejo quais as razões que explicam um vazio tão longo no desempenho desta função quando estes têm um salário e outras regalías conferidas pela constituição,por isso devemos mudar a forma de exercício da plenária da Assembleia Nacional, ela deve ser permanente,e consequente,e contínua, pois o exercício desta função gozam das férias Parlamentares.Isso por um lado iria evitar a dualidade de finções e que pesam sobremaneira no OGE,e permitiria um melhor exercício desta função e dedicação dos parlamentares como tal.Temos que começar a fazer a diferença e começar a trabalhar mais e melhor, pois a cada função existe e exige-se zêlo e prontidão das pessoas, não se deve deixar muitos assuntos que têm a ver com a vida e o desenvolvimento da Nação em constante adiamentos.Se porventura esta faceta de exercício não esteja ainda legislada, torna-se imperioso que se debata a situação para que os Deputados da Nação tenham ocupação inteira na Assembleia e que não se misture os exercícios de cada Cidadão, se ele é Deputado deve abidicar dum outro emprego e dedicar-se exclusivamente a Deputação,não perdendo o seu vínculo contractual anterior,apenas este fica suspenso durante a Legislatura a que este se encontra investido.Julgo que o Parlamento não deve funcionar a conta-gotas, mas sim por tempo inteiro, e isso evita situações iguais ou já vividadas que somente as Comissões Especializadas é que estão em pleno exercício,deve-se sim criar uma nova filosofia do exercício, a cada um a sua ocupação para o bem da Nação, pois tem se gasto somas denecessárias com o exercício desta função e muitos dos Deputados só a casa parlamebntar apareçem para votarem,Levantarem as mãos muitas das vezes sem saberem e conhecerem a essencia do assunto em discussão e a votação.Terá que haver maior envolvimento de Todos por uma causa Nobre.

  6. Pleto

    26 de Agosto de 2010 as 13:01

    Epa temos que pensar STP em primeiro lugar, esqueçam os partidos.Coloquem STP no topo da agenda, os partidos e outras coisas ficam para depois.
    Gostaria que o sr Armindo fizesse uma análise economica/financeira do estado do nosso STP.Como economista que diz ser, contribua com análises e reflexoes para o nosso STP.
    Obrigado

  7. Adriano Málé Bobo

    26 de Agosto de 2010 as 14:20

    esta tudo bem, mas o senhor Armindo deveria falar da económia de stp, e não todas essas palhaçadas, obrigado
    fui,

  8. e

    26 de Agosto de 2010 as 15:56

    humm

  9. Carlos Cesarino

    26 de Agosto de 2010 as 18:21

    Não percamos tempo com questões menores.
    Preocupem-nos com a nossa vida colectiva,o nosso futuro,o futuro dos nossos filhos.

  10. sydnei

    27 de Agosto de 2010 as 8:41

    olha os amigos de MLSTP/PSD o senhor Armindo tem razão, esse partido n tem cura, porque la so tem adraboes e ladroes de STP, para os jovem sengra no MLSTP tem que fazer muito esforço, um partido que n aposta no jovem, e quem quero mudança no pais tem que apostar no jovem, olha o exemplo de ADI apostaram em jovem e ganharam as eleiçoes ….assim é que é
    emquanto tever la varios Rafel , Maria,Alcino, e outros n vai mudar esse partido ……

  11. Leopardo

    27 de Agosto de 2010 as 9:21

    Sr. Jonnes e o Sr Sem Peixe nem Banana.
    Eu falo de facto real…O Sr Armindo, um mês antes das eleições esteve no Hotel Praia, juntamente com o Sr. Rafael Branco a fazer campanha para MLSTP, onde estiveram presente os jovens licenciados recem formados de Cuba, Brasil, Portugal … etc . Admira-me muito a atitude do Sr Armindo com essa intervensão no jornal tela non.
    Como Economista que é, deve fala da Economia actual do Pais e as soluções para sairmos deste abismo que o MLSTP nos deixou. Neste momento o MLSTP faz parte do passado.

    • Sem peixe nem banana...

      27 de Agosto de 2010 as 15:28

      Olha meu caro de facto tu estás totalmente desorientado ao ponto de perder as estribeiras, por conta da vitoria do ADI. É preciso colocar os pés no chão.
      Para tua informação eu também estive no tal encontro que por sinal foi bem profícuo na medida em que se pode, sem complexos, discutir vários assuntos ligados a vida do nosso País. O Dr. Armindo a semelhança dos outros presentes deu a sua humilde contribuição como técnico que é. Confesso não ver nada de especial nisso muito menos o faz ser ou não do MLSTP visto que se tratava de um encontro aberto aos quadros santomenses, seja ele de que partido fosse.
      Por ultimo, quero que saibas que tu morres desapareces, tornas coisa do passado mais o MLSTP não morrerá, por tanto, tenha calma porque muita água ainda vai rolar debaixo dessa ponte.

  12. SYDNEI

    27 de Agosto de 2010 as 12:13

    hummmmm são todos os ladrões de STP…MLSTP

  13. Fernando Magalhaes Santana

    27 de Agosto de 2010 as 15:29

    Permita-me pensar ou mesmo sonhar de olhos abertos: As vezes eu penso profundamente e acho que a missão principal do MLSP, que era conduzir o povo de STP ate a independência Total, já foi cumprida. O processo de formar um pais independente também já foi cumprido. Certo? E para que mais necessitamos de um movimento para libertar STP? para que necessitamos de MLSTP se o pais não esta em guerra com nenhuma forca estrangeira?

    Talvez estou errado, mas acho absurda a existência actual do MLSTP, deambulando sem causas, nem objectivos concretos, sem rumo. Isto de permitir permanência de grupos pseudo-partidarios, sem objectivos sociais definidos, apenas tem criado lugar para armazenar gentes que não trabalham, de mentalidade caduca, autênticos dinossauros políticos que tudo fazem para destruir jovens que vieram de escola, mas no entanto protegem seriamente as suas famílias. Por exemplo:

    Alcino Pinto sempre teve dificuldade de singrar na escola, foi politico toda vida seguindo exemplo de Pinto da Costa que também nunca trabalhou. O único emprego do Pinto da Costa no seu curriculum foi PRESIDENTE. Imaginem? Consciente do desgaste da sua imagem, ultimamente Alcino Pinto tem-se escudado atrás da sua esposa, Elsa Pinto. Ele faz todo corredor possível, incluindo chantagens para promove-la, de modo que a família continue a viver bem e comprar mais carros para a abastecer a Quinta.

    O Jorge Amado, carrega pistola para comícios e reuniões, contra maré e vento esta disposto a lutar, ameaçou ate Rafael Branco com porrada e assim foi nomeado como embaixador. O Rafael suspirou profundo quando conseguiu convencer Fradique a nomear o Jorge Amado, senão teria que tomar surra. Carlos Tiny esta’ no MLSTP mas continua membro (interno) do PCD e não quer mais ir para hospital cumprir o verdadeiro dever do medico, sua formação de base. O Ministro de Educação e cultura, Jorge Bom Jesus, nem sequer conseguiu argumentos contra a destruição do marco histórico da praia de Fernão Dias.

    etc. etc. etc. etc. etc…….

    Estamos perante um bando de gentes que há muitos anos estão preparados para dar cabo de todos o que aproximam os seus tachos. Não sei se vale a pena apostar na existência do actual MLSTP. Nem sei também se daria para renovar isto. Tirar esta gente? Vocês estão louco?

    Uma das soluções seria acabar com o partido, e criar outro com tudo novo, incluindo a mentalidade e uma forma de estar nova. Assim acabava-se com a sigla MLSTP (Libertação), guardando-lhe no nosso arquivo histórico com todo respeito, para transforma-lo num verdadeiro PSD( partido ou grupo social democrático). Que acham? Na verdade estamos todos claros que essas gentes já não têm nada a ver com a libertação de STP. Estão perdidas e o partido também. Desculpem-me se sonhei demais.

    • FC

      27 de Agosto de 2010 as 16:16

      Gostei do seu sonho!! lol

    • Sem peixe nem banana...

      27 de Agosto de 2010 as 18:19

      Com todo respeito, mas acho o seu comentário uma masturbação mental…

    • António Veiga Costa

      27 de Agosto de 2010 as 21:57

      Sr. Fernando seu sonho tem consistencia. E, pelo andar da carruagem, pode vir a se concretizar.
      Sugiro ainda a formação de um novo partido de libertação, mas, libertação do povo do jugo do MLSTP, porque do PCD já se libertou.

  14. BOMBASTICO

    27 de Agosto de 2010 as 16:25

    Estou de volta
    Oi meus caros compatriota temos que ver a intervenção do nosso amigo num outro prisma porque um campeonato sem adversários em altura perde competividade, uma liderança sem a verdadeira oposição ñ passa de palhaçada, o MLSTP tem que se organizar como o PSD em Portugal o fez, o MLSTP esta a viver a velha máxima (quem ñ da assistência abre à mão a concorrência e perde a preferência) assim os verdadeiros amigos de STP preocupam com o País, o Rafael foi traído pelo ideal do seu amigo Tiny ai ele perdeu o objetivo prometido aos seus aliados, ele teve tudo para dar certo em termos de apoios financeiros e material para dar outra visão a STP mais a ambição e ganância em ter STP e o MLSTP só pra eles fez o partido e o povo em geral hoje ñ mais acreditar nos político. Por favor, Srs.: Rafael,
    Tiny,Zé Viegas, Alcino Pinto, Maria das Neves, Elsa Pinto, Homero Salva terra, etc etc. Eu tenho 36 anos quando entrei na pré vocês já eram chefes muito de vocês até já eram dirigentes, quando arranjei o meu primeiro emprego em 94 muito de vocês estava a voltar a liderança depois de quase 3 anos de mandato do PCD daí sempre deu esse viciado MLSTP. Será que vocês tinham ainda esperança de oferecer algo a STP? Depois de tantas tentativas de mandato, meus senhores sejam coerentes deixa o MLSTP pra nova geração porque vocês já deram de tudo que poderiam dar agora BASTA. Ñ dificultem os próximos que ocuparam o vosso trono. Sr Rafael ñ sei o k estas a espera pra anunciar enquanto a tempo da sua renúncia da liderança do partido, vou ti dar um lembrete ñ vais deixar de ser deputado podes ti refugiar no parlamento assim poderás ñ responder pelos crimes cometido, faça isso mais rápido possível marca o congresso e ñ se candidata.

  15. António Veiga Costa

    27 de Agosto de 2010 as 22:11

    Será muito difícil renovação no MLSTP.
    Querem saber por quê?
    Rafael Branco já está articulando nos bastidores a forma de se perpetuar na presidencia do partido: distribuindo o saldo de campanha entre amigos que, por ocasião da reunião para escolha do novo lider, estarão gritando pela permanecia do Dr. Rafa Branco.
    É muito malandro!!!

  16. Jose Cristovao

    28 de Agosto de 2010 as 3:19

    Forca Patrice

    Chegou a hora de se fazer frente aos que se viciaram em usurpar e abusar do que é do estado, porque os bens e patrimónios do estado a todos os santomenses pertencem.

    Forca, não fique apenas pela proibição do uso e abuso das viaturas do estado sem a devida autorização…

    Gostaria que todos os departamentos do estado passassem a ter uma folha de presença (em que constasse a hora de entrada e saída) para por cobro ao incumprimento do horário por parte dos funcionários do estado. Se cumprirmos o horário e melhorarmos a produtividade sairemos todos a ganhar. Maior produtividade, melhores receitas o que se traduzira necessariamente em melhores salários para todos, prevenindo desta forma que as pessoas continuem a pensar em recorrer a vias menos apropriadas para aumentarem as suas receitas.

    Ataque cerrado aos que se aproveitam descaradamente do seu cargo politico/partidário para se enriquecerem condenando o povo a miséria com os seus actos indignos.

  17. Eliel T.

    28 de Agosto de 2010 as 15:51

    nascemos com os olhos fechados, a boca aberta e a mente vazia… tentemos corrigir esses “erros d fábrica” o mais breve possível.

  18. Antonio Amado Vaz

    28 de Agosto de 2010 as 15:55

    Talking points:

    Temos que evitar GUERRA em Sao Tome e Principe a todo custo! Portanto, eu venho por este meio solicitar o seguinte:
    1) O Sr. Primeiro Ministro, Patrice Trovoada, que publicamente, demonstre a couragem e a seriedade ao fazer os seus bens; dinheiro e propriedades que e’ dono em STP e no exterior, serem posto aos olhos do povo Sao-tomense em publicacao no Diario da Republica! Para dar bom exemplo ao povo Sao-tomense, e que por conseguinte, os Minitros e Secretario, bem como alto funcionarios do Estado, e figuras publicas ponham informacao sobre os seus bens a disposicao do povo de STP. Todos te^m que demonstrar integridade! E’ extramente significante porem `a disposicao do publico toda riqueza que te^m; sejam elas conseguidas via roubo ou por trabalho arduo!

    2) Que Assembleia Nacional e os Tribunais reconhecam, e sobretudo, os deputados retirem Imunidade Parlamentar do Sr. Joaquim Rafael Branco e de todos outros deputados e outras individualidades, como Presidente da Republica, Fradique de Melo de Menezes, e muitos outros que suspeitamos serem gatunos e violadores de leis, abuso do poder, traicao a patria, e outras maldades que eventualmente serao ouvidos na Justica, que essencialmente deverao fazer prestacao de contas, depoimentos, e participarem na alegada investigacao dos actos criminais de roubo e ma gestao de dinheiro do povo.

    Ja dissemos “tolerancia zero” para com os roubos, corrupcao, anarquia, desvios de fundos, ma gestao de coisa publica e privada, rejeitamos escandalos financeiros, etc. Queremos progresso economico, disciplina, unidade, trabalho, honestidade, e justi,ca para todos. Queremos PAZ. Temos que evitar GUERRA em Sao Tome e Principe a todo custo! Quem avisa amigo/a e’…!

    Listen: We all must do the right thing for our nation and for our people! Revolution is always an option when people get fed up. I do not call for revolution myself, civil war, or any kind of war, but, I support the people’ decision to resolve the matter through civil or criminal due process to restore public fund back to the people. If corrupts are defiant, there is nothing else left but war (Guerra e Morte). Like I stated earlier, I do not call for it, but if the people of Sao Tome and Principe decide to defend State’ Properties via arms struggle and intensive fights to get Justice and Public Internal Order in right standing, and restore discipline e respect to public funds, then, I am with the people, side by side all the way—no doubt! I reject corrupt elite! I reject corrupt Authority of State! I reject corrupt government! There is legal reason (argument) to evoke war in STP by the people of STP that International Community will understand!

    Ultima nota: Em Sao Tome e Principe, neste preciso momento, vivemos num clima de tempestade, incerteza, confusao, chaos; State of Nature! O desafio esta na mesa—temos todos que fazer o nosso melhor para combater mediocridade e roubos! Esse desafio sera enfrentado em pacifismo ou em agitacao e mortes. A decisao, ultimante, esta nas maos dos gatunos e dos corruptos. O povo e’ tolerante ate’ certo ponto. Essa e’ a oportunidade que os malfeitores te^m para porem as “cartas na mesa” devolverem o que roubaram e pedirem perdao pelos erros cometidos no passado. E finalmente, prometerem ao povo Sao-tomense que no presente te^m que fazer o melhor com toda transparencia possivel e fiscalizacao isenta e estritamente verificada, e obviamente, nao havera roubos que “chocaram a consciencia” de uma pessoa civilizada, no Estado de Direito Democratico, no futuro.

    Antonio Amado Vaz

    Repare que quando participo na discussao, tento no maximo procurar solucoes, e apresentar ideias; boas ou mas, serao opinioes individuais de cada pessoa que entender o conteudo da mensagem. Prefiro desembarcar-me de discusos vazios que muitos fazem. Muitos discursos bonitos saiem de pessoas que nao fazem nada para o pais e nao deixam os outros fazerem. Porque^ glorificar discussos vazios, de cinicos e corruptos, sem algo concreto, sem objectivo collectivo, sem “eira nem beira?” Fico muito surpreendido com muitos Sao-tomenses obscures naquilo que e’ de interesse da nacao e interesse do povo em geral! Atitudes auto-destrutivas nao nos levaram a lado nenhum—porque os corruptos continuaram a roubar e destruir o pai’s com discursos bonitos, vazios, enfeitados com demagogia, com vocabularios complexos que todos nos na posse de dicionario em Portugue^s pode escrever, e sobretudo, Portugue^s que nao e’ uma lingua essencial para comercio `a nivel internacional—ficaria muito mais orgulhoso si estes grandes homens de grandes discursos vazios escrevem muito bem o nosso bonito dialecto; Forro, Angular, Tonga, lingua tradicional da Ilha do Principe, etc.

    Quando penso sobre a lingua Portuguesa, penso sobre o Massacre de 53, penso naquilo que o Salazar, Sr. Gorgulho e os seus aliados “pintaram manta” em STP, e sofrimentos que os nossos avos, bisavos, e treteavos, e outras geracoes tiveram passado naquele “terrorismo de escravidao” causados pelos Europeus em colaboracao com traidores nacionais Africanos causaram `a nossa gente….

    Temos duas (2) solucoes: PAZ ou GUERRA! Ponto final

  19. Jose Cristovao

    29 de Agosto de 2010 as 13:56

    Grande entrevista do Primeiro Ministro Patrice Trovoada

  20. Jose Cristovao

    29 de Agosto de 2010 as 14:02

    Grande entrevista do Primeiro Ministro Patrice Trovoada
    http://www.youtube.com/watch?v=5Kz_U2Wv61k&feature=related

  21. António Martins Gomes

    29 de Agosto de 2010 as 21:00

    Questões estruturais sobre São Tomé e Príncipe: gostaria de poder compartilhar convosco esta importante informação!
    Desenvolvimento do Sector Privado
    A edição do Doing Business 2010, relatório do Banco Mundial sobre o ambiente de negócios, coloca São Tomé e Príncipe na 180ª posição em 183 países considerados. O arquipélago manteve a posição conseguida na sua primeira inclusão no relatório, em 2009. Os principais entraves à criação de empresas residem no cumprimento de contratos, na regulamentação do trabalho, no acesso ao crédito, no tempo necessário para criar uma empresa e nas infra-estruturas portuárias obsoletas. O progresso registado em termos de clima de negócios tem sido irregular. Um novo Código de Investimentos foi aprovado pelo Parlamento, no final de 2008, com vista a reduzir o tempo necessário para a aprovação de um projecto de investimento e criar condições equitativas para os investidores estrangeiros e nacionais. A Assembleia Nacional aprovou, ainda um novo imposto sobre as empresas.
    Habituados a trabalhar como trabalhadores assalariados nas antigas plantações portuguesas, as roças, os agricultores não possuem as competências e a visão necessárias para desenvolver negócios sustentáveis. Os serviços públicos essenciais são também escassos, tais como água e electricidade; os serviços acessíveis de telecomunicações; um sistema judicial operacional e aplicável e um cadastro; e o acesso ao crédito é difícil. Para se conseguir um crescimento com base nos serviços é necessário investir massivamente e urgentemente nos recursos humanos, nomeadamente de técnicos e quadros médios.

    A viabilidade de um balcão único está em estudo. Isso permitiria passar de 45 dias para 72 horas o tempo necessário para criar uma empresa. O lançamento de uma Central de Responsabilidades de Crédito está previsto para 2010, com o objectivo de facilitar o acesso ao crédito e a avaliação do risco. O risco institucional incorrido pelos bancos comerciais é considerável. O crédito malparado aumentou em 2009 e é muito difícil de recuperar devido à falta de um sistema judicial funcional e de uma lei de falências.

    O Banco Internacional de São Tomé e Príncipe (BISTP), o principal e o mais antigo banco comercial do arquipélago, foi criado por um consórcio formado pelo Estado, pela Caixa Geral de Depósitos, o principal banco português, e pelo principal banco de depósitos de Angola, o Banco Africano de Investimentos (BAI). O BISTP representa cerca de dois terços dos créditos e depósitos bancários. Os seis outros bancos comerciais de STP têm pouca actividade actualmente, na expectativa de um boom do petróleo. Um sistema de compensações de pagamentos internacionais, o SPASTP, deverá ser lançado durante o segundo trimestre de 2010. Fruto de uma parceria entre o Banco Central, a Companhia São-tomense de Telecomunicações (SPT) e o BISTP, o SPASTP vai abrir 20 caixas automáticas (ATM) e 40 balcões. O sistema apoiar-se-á no sistema VISA.

    Há cerca de 600 pequenas e médias empresas (PME) registadas na Câmara de Comércio, a maior parte orientadas para a importação-exportação. Mas apenas 250 delas são membros activos da Câmara, com as cotizações em dia e, por isso, em posição de aceder ao crédito junto dos bancos comerciais.
    Outros Desenvolvimentos Recentes
    Importantes reformas administrativas foram concluídas em 2009 a fim de tornar mais transparente o sistema financeiro, com destaque para um novo código de contratação pública. O arquipélago é candidato à Iniciativa para a Transparência das Indústrias Extractivas (ITIE). O país tem até 9 de Março de 2010 para iniciar a validação, mas solicitou um adiamento, actualmente em análise pela sede da ITIE. Par melhorar a coordenação entre os ministérios e as direcções e reduzir os custos de comunicação, as autoridades criaram um sistema de governação electrónica (em linha) actualmente em período de testes. O pessoal terá, assim, necessidade de formação a fim de tirar o máximo proveito do sistema. As taxas das licenças são limitadas pelo uso de software livre como o Ubuntum Linux. Até final de 2010 cada Ministério deve ter o seu próprio portal de internet.
    O poder judicial é independente, mas é difícil aplicar a lei por causa dos laços familiares estreitos existentes no seio de uma pequena população, da falta de recursos e de pessoal qualificado. As empresas públicas responsáveis pelas infra-estruturas e serviços públicos sofrem todas de uma situação financeira insustentável, agravada pelos problemas de reabilitação e pelos atrasos de pagamentos por parte do governo. As autoridades portuárias (ENAPORT) e aeroportuárias (ENA) terão de ser reestruturadas e modernizadas a fim de absorverem o crescimento previsto da actividade económica.
    Os frequentes cortes de electricidade, que podem durar um par de horas no centro da cidade a um par de semanas em zonas rurais isoladas, aumentaram de modo acentuado em 2009, na sequência de um grande incêndio que destruiu dois geradores da EMAE. A solução de curto prazo para o problema tem sido a Central Eléctrica de Bobo-Forro. No entanto, para a longo prazo, será necessário enfrentar, a partir de 2010, as dificuldades de cobrança das facturas e o reforço da capacidade de produção. Actualmente, a EMAE só produz 10 mégawatts (MW), sendo as necessidades de 22 MW. O Taipé Chinês forneceu fundos destinados à construção de dois novos geradores em Santo Amaro, até ao final de 2010, que deverão produzir 30 MW. O grupo português Soares da Costa construiu em Bobo-Forro um novo gerador de 6 MW. As duas centrais deverão satisfazer a procura que irá gerar o futuro porto de águas profundas.
    A Companhia São-tomense de Telecomunicações (CST) tem uma posição de monopólio num mercado aberto. A muito baixa tarifa das chamadas explica a forte penetração do telefone móvel. No final de 2009 foram calculados 80 000 utilizadores, mais de 50% da população. O número de assinantes da rede fixa, cerca de 6 500, mantém-se estável e não deverá crescer. As tarifas são fixadas pelo governo.
    São Tomé e Príncipe não será conectado ao cabo submarino de banda larga EASSy (Eastern African Submarine System) até, pelo menos, 2012. O actual sistema de ligação via satélite é muito caro, devido à saturação da banda larga. A CST, criada por um consórcio constituído pelo Estado são-tomense (49%) e pela Portugal Telecom (51%), vai investir 20 milhões de USD numa nova banda larga. A ilha do Príncipe será conectada a São Tomé através de um cabo de micro-fibra, mais barato.

    Em 2009, foram iniciadas negociações com o governo do Gana para aquisição de espaço aéreo suplementar. A exploração do espaço aéreo entre os poderes públicos e a Aviation Consulting, uma empresa, com sede no Quénia, que se ocupa exclusivamente da facturação de serviços. O contrato prevê o pagamento de 74% dos lucros às autoridades são-tomenses. A Organização de Aviação Civil Internacional (OACI) recomenda a modernização das infra-estruturas do aeroporto, que estão a ficar idosas, para as reabilitar segundo padrões internacionais. O Taipé Chinês financiou o perímetro do aeroporto e a remodelação da iluminação exterior, e continuam as discussões com a Sonangol com vista ao prolongamento da pista. A dificuldade em obter financiamento já atrasou o projecto para final de 2010. Em Novembro de 2009, a Comissão Europeia proibiu os aparelhos certificados em São Tomé e Príncipe de voar sobre a Europa, alegando razões de segurança. A companhia STP Airways está actualmente sob análise com vista a uma eventual derrogação da proibição.

    A pouca profundidade do cais do porto marítimo de São Tomé e Príncipe, e as suas infra-estruturas e equipamentos obsoletos são um obstáculo ao desenvolvimento económico do arquipélago. O custo de transporte é actualmente muito elevado devido aos atrasos imprevistos de descarga, que obrigam os navios a aguardar ancorados em pleno mar. A Sonangol financiou um programa destinado a aprofundar o porto e passar a linha de água para 7 pés, em vez dos 4 actuais. Os desafios ambientais estão estreitamente ligados com a pobreza generalizada nas zonas rurais. A desflorestação está a aumentar com a venda ao estrangeiro de madeiras tropicais ou com a sua transformação localmente em carvão de madeira. Há falta de recursos e de pessoal para preservar a fauna e a flora insulares, particularmente ricas. Esta ameaça compromete o potencial do ecoturismo, pilar essencial do crescimento económico. A tomada de consciência é crescente, o que permitiu a criação de uma unidade especial das forças armadas para fazer cumprir as leis que protegem o meio ambiente. Mas, o 7º Objectivo de Desenvolvimento do Milénio (ODM) não será atingido sem uma mais forte determinação das autoridades.
    2010 Perspectivas Económicas na África: http://www.africaneconomicoutlook.org

  22. Chateado

    19 de Outubro de 2010 as 10:29

    Ainda voltando a velha história do MLSTP/PSD, grande partido politico.
    A minha opinião é que há necessidade urgente de uma intervenção, que se possa restruturar esse partido, se nós os militantes não deixarmos de oportunismos, egoísmos o interesse pessoal ou de família e esquecermos que o MLSTP/PSD não tem dono, então adeus MLSTP/PSD.
    Eu acredito que há gente que pode dar novo rumo a esse partido, não se vai tirar ninguêm, nós todos somos pouco, mas é preciso mudar, mudar com gente capaz, Isso de chamar outro de garoto, novo, veio agora, não é nada.
    continuarei depois ………….
    Queremos aproveitar, nós os – JOVENS DE BOM – BOM para agradecer um grande senhor do MLSTP/PSD que tem feito
    muito para os jovens santomense.
    Agradecer a esse senhor Aurélio Martins, pelo apoio especial que tem dado ao nosso grande amigo Michelsom Castelo David, acidentado e internado num dos hospitais em Lisboa,em nome dos jovens de Bom – Bom, muito obrigado e que Deus lhe abençoe

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo