Destaques

375 mancebos treinam em Diogo Vaz para defender a pátria

No dia 6 de Setembro próximo, 375 jovens são-tomenses incluindo 6 mulheres, vão jurar diante da bandeira nacional, defender a pátria até a morte se for necessário.

Estão a ser treinados para serem novos soldados das forças armadas, na Roça Diogo Vaz. Tudo porque o centro de instrução militar na zona do aeroporto internacional, foi transformado numa guarnição militar. Tendo assim albergado parte dos militares, que tiveram que abandonar o quartel-general, onde funciona actualmente o Comando das Forças Armadas.

O Ministro da Defesa e Ordem Interna o Coronel Óscar Sousa visitou os mancebos e recordou que o edifício do antigo hospital de Diogo Vaz, acolheu no passado a instrução militar. «Não é a primeira vez que o fazemos, já utilizamos essas instalações em 1977, 78 e 79 é uma casa que nos é conhecida. A distância em relação a zona urbana também é interessante», precisou o ministro.

A instrução dos mancebos, entrou numa fase crucial. O major Virgílio Pontes, director do curso de novos recrutas confirma. «Estamos nas últimas aulas de preparação dos recrutas e nesta semana vamos estar directamente no campo. Vamos deixar essas instalações para ir ao campo». Detalhou o major.

No dia das forças armadas  6 de Setembro, os novos recrutas serão consagrados como novos soldados das forças armadas de São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga

    7 comentários

7 comentários

  1. arelitex

    25 de Agosto de 2014 as 10:38

    algumas coisas eu gostaria ,que alguém entendido na matéria me explica-se .por muito esforço que eu faça ,nâo consigo compreender .STP nâo têm frnteiras terrestres com nenhum país . as nossas fronteiras sâo marítimas . ( penso que neste ponto estamos todos de acordo OK ). a nossa defesa principal está no mar ,ou seja em termos uma boa guarda costeira ,que guarde e defenda o país de dia e noite . aí sim sâo necessários militares bem treinados . quanto ao nosso território terrestre ,nâo se explica uma grande quantidade de militares ,desde que a polícia nacional funcione . na nossa área terrestre concordo só com uma força militar de elite reduzida mas bem treinada como os comandos ,e nada mais . meia dúzia de pelotões bem treinados . quanto á defesa nacional acho que o estado está a gastar dinheiro ,e acabamos por não termos defesa nenhuma .

    • Silveira

      25 de Agosto de 2014 as 15:25

      Caro compatriota
      É convidado a participar na palestra que se realizará no dia 3 de Setembro próximo, no Palácio dos Congressos pelas dez horas. O tema da palestra é a defesa nacional com dois painéis:
      1º. Forças Armadas e a cidadania.
      2º. A componente não militar da defesa nacional.
      Alí as suas dúvidas poderão ser ultrapassadas.

  2. bintoudjalo

    25 de Agosto de 2014 as 20:32

    A actualidade do mundo faz com que seja necessário a presença de um excelente exercito num país, que ele seja bem preparado e equipado…nenhum país está à abrigo de uma eventual invasão, de um possível ataque, sejam eles feitos vias marítima ou terrestre. Por está e mais razões, estimo que é uma boa coisa para STP. Mesmo no interior do país há inimigos que podem provocar um grande distúrbio com apoio vindo do exterior , e o facto de ter exercito preparado, permite de limitar danos a nível nacional. Esperemos, que nunca seja necessário. Die-se que um homem prevenido vale por dois. Seja como for, um país deve sempre ter e contar com à boa defesa de um exército nacional. É normal!

  3. Contribuição

    26 de Agosto de 2014 as 0:08

    Téla Nón, os 375 eram mancebos antes da incorporação. Actualmente são soldados recrutas. A partir do dia 6 de Setembro serão soldados.

  4. iaga

    26 de Agosto de 2014 as 8:03

    …. novos soldados e novos explorados,… hoje os soldados tornaram autentica mina dos superiores……. Imagina que até o pré dos soldados, q anterior/te era considerado tributo sagrado dos mesmos, hoje é vitima de desconto sem fundamentos, para alimentar mulheres e boquitas dos ” chefitos ” que vergonha, ….. misericórdia Deus

  5. Man Betuxa

    26 de Agosto de 2014 as 10:29

    Andar sempre a treinar os soldados terreste; pensando bem o nosso STP precisa treinar mais os soldados bem capacitados para marinha, porque nas ilhas os clandestinos entram pelo mar!

  6. Karlles E.S.

    26 de Agosto de 2014 as 21:46

    Meus caros, um País precisa tanto da marinha, forças aéreas e terrestre. Mas no actual contexto de STP, precisamos muito da marinha e quase que não existe, “nem sequer ouve-se a falar”, ademais a marinha não actua somente no mar.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo